Gilbert Di Angellis


Juliano Costa Couto é eleito presidente da OAB/DF

A chapa “Somos mais Ordem”, liderada por Juliano Costa Couto e Daniela Teixeira (vice), é eleita para exercer o próximo mandato à frente da seccional do Distrito Federal. Apoiada pelo atual presidente, Ibaneis Rocha, a nova diretoria terá importantes desafios pela frente, muitos deles de dimensão nacional, tais como as violações às prerrogativas da advocacia, o aviltamento dos honorários, o gigantesco número de profissionais no mercado e a mercantilização do ensino jurídico.

A chapa eleita teve 8511 votos. Além do presidente e da vice, compõem a diretoria o secretário geral, Jacques Veloso; o secretário geral adjunto, Cleber Lopes; e o Tesoureiro, Antonio Alves Filho. Para o conselho federal, Ibaneis Rocha, Severino Cajazeiras, Marcelo Galvão, Felix Angelo Palazzo, Manuel de Medeiros Dantas e Carolina Petrarca. Veja as propostas da chapa vencedora e conheça a composição do Conselho Seccional no link http://somosmaisordem.com.br/

 

 
Advogados vão às urnas para escolherem seus representantes estaduais

No Distrito Federal concorrem ao cargo de presidente Délio Lins e Silva Jr, Juliano Costa Couto e Paulo Roque Khouri

Nesta segunda (16) advogados pelo Brasil vão às urnas para escolherem seus representantes estaduais, para exercício no biênio 2015/2017. As eleições começam hoje nos estados do Amapá, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Santa Catarina e no Distrito Federal. Os pleitos nas demais unidades da Federação acontecerão nos próximos dias, sendo as últimas no dia 27 deste mês, no Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Roraima e Sergipe.

É mais um importante momento de democracia, onde os advogados terão a responsabilidade de escolher os rumos que desejam à Ordem. Diante de tantos desafios no exercício profissional – como as violações às prerrogativas da advocacia, o aviltamento dos honorários, o gigantesco número de profissionais no mercado e a mercantilização do ensino jurídico – torna-se necessária maior participação nas questões atinentes ao laboro advocatício. 

O presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, se manifestou no sentido de que o “voto de cada um dos advogados é essencial para a contínua construção de uma Entidade voltada à histórica defesa da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e das prerrogativas profissionais. O seu exercício, como direito e dever estatutário, implica na efetiva cooperação com os desígnios e os trabalhos da Ordem. Sua participação é fundamental!”.

Solicito aos colegas seriedade na votação e desejo sucesso aos futuros empossados. Que os verdadeiros ganhadores desse processo eleitoral não sejam aqueles que se candidatam ao nobre exercício em prol da classe, mas todos os advogados, profissionais indispensáveis à justiça e à democracia. 

 

 
Paris sofre maior atentado terrorista de sua história

Estado Islâmico reivindica ataques ‘cuidadosamente estudados’

A noite desta sexta-feira (13) foi um verdadeiro pesadelo aos moradores e visitantes da capital francesa. Ataques terroristas coordenados aconteceram na cidade, tirando a vida de mais de 128 pessoas e ferindo aproximadamente 250.

Os atentados foram feitos com homens bomba, armados com fuzis AK-47, nas redondezas do Stade de France, onde França e Alemanha disputavam partida amistosa, com a presença do presidente francês François Hollande; tiroteios foram registrados na altura do 10º arrondissement, na rue de Charonne, na estação Gare Du Nord, no restaurante Petit Cambodge e nos bares Le Carrilon e Belle Equipe Bar; o principal ponto de ataque foi a casa de shows Bataclan, onde mais de cem pessoas foram feitas reféns e quase todas foram mortas por homens bombas na iminência da entrada policial.

Na manhã de hoje (14), o grupo Estado Islâmico confirmou as suspeitas ao reivindicar a autoria dos atentados terroristas desta sexta. Em nota, declarou que “oito irmãos com explosivos na cintura e fuzis fizeram vítimas em lugares escolhidos previamente e que foram escolhidos minunciosamente no coração de Paris, no estádio da França, na hora do jogo dos dois países França e Alemanha, que eram assistidos pelo imbecil François Hollande, o Bataclan onde se estavam reunidos centenas de idolatras em uma festa de perversidade assim como outros alvos no 10º arrondissement e isso tudo simultaneamente. Paris tremou sob seus pés e as ruas se tornaram estreitas para eles. O resultado é de no mínimo 200 mortos e muitos mais feridos. A gloria e mérito pertencem a Alá”. 

Também disse que a França e seus aliados continuarão a "sentir o odor da morte por ter colocado a cabeça na cruzada, ter ousado insultar nosso profeta, se vangloriar de combater o islamismo na França e atingir os muçulmanos na terra do califa com seus aviões. Esse ataque é só o começo da tempestade e um alerta para aqueles que quiserem meditar e tirar lições”. 

Em pronunciamento, o presidente da França, François Hollande, disse tratar-se de um ato de guerra e que diante disso os países devem tomar as medidas apropriadas. Afirmou que foi ato preparado no exterior, mas com cumplicidade interna. Desde ontem o país está em estado de alerta. Hollande declarou luto oficial de 3 dias e prometeu ser implacável contra os terroristas.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou sua condolência ao povo francês e disse que “esse é uma ataque não apenas contra Paris e o povo da França. É um ataque contra a humanidade e os valores que compartilhamos (...) Aqueles que acham que podem aterrorizar o povo da França e os valores que eles representam estão errados". 

Dilma Rousseff declarou em seu Twitter "Consternada pela barbárie terrorista, expresso meu repúdio à violência e manifesto minha solidariedade ao povo e ao governo francês" Angela Merkel, chanceler alemã, em comunicado oficial: "Estou muito comovida pelas informações e imagens que chegam de Paris. Nesses momentos, meus pensamentos vão para as vítimas de esses ataques evidentemente terroristas, para seus familiares e todos os habitantes de Paris". 

No dia anterior, quinta (12), Beirute, capital do Líbano, sofreu dois ataques terroristas suicidas que mataram pelo menos 41 pessoas e deixaram 181 feridas. O grupo Estado Islâmico assumiu a autoria dos ataques. E no dia 31 de outubro, um avião russo explodiu após a decolagem no Egito, deixando 224 mortos. A principal suspeita é de que seja mais um atentado do grupo terrorista. Nesse cenário de horror, mas de 500 pessoas foram vítimas diretas do terrorismo em um intervalo de duas semanas.

Infelizmente não se trata do primeiro incidente terrorista em Paris no ano de 2015. Em janeiro, no dia 7, a sede do jornal satírico Charlie Hebdo foi atacada pelos irmãos Saïd e Chérif Kouachi, onde morreram doze pessoas e cinco ficaram feridas. E no dia 21 de agosto, dois soldados norte-americanos que viajavam pela Europa evitaram uma tragédia em uma viagem de trem entre Amsterdã e Paris, conseguindo dominar um jovem marroquino armado com facas, uma pistola e uma espingarda.

Lamentamos profundamente mais um episódio de violência, manifestando a máxima condolência ao povo francês e a todos os demais que sofrem diariamente com as guerras e com o terrorismo que assola a humanidade. 

 

 
Porão do Rock sustentável

 

O maior festival de Rock do Centro Oeste se aproxima de mais uma grande edição. Para esse ano, dando continuidade às parcerias de sucesso dos eventos anteriores e com muitas novidades, a ONG Porão do Rock apresenta o Programa Porão Sustentável, que consiste no investimento em ações de redução dos impactos ambientais e do estímulo à responsabilidade social do Festival Porão do Rock, a partir de um Plano de Sustentabilidade e Legados, elaborado com o apoio do SEBRAE-DF.

O programa, que surgiu em 2014, contará com as seguintes ações:

Rock contra a Fome: campanha de arrecadação de alimentos em parceria com o Sesc-DF;

Rock Dá Pedal/Vá de Bike: estimula o público a ir de bicicleta ao festival em parceria com a ONG Rodas da Paz;

Roda do Livro: público pode trocar um livro de literatura por outro na tenda da “Rodas da Paz”, localizada logo na entrada da arena;

Bolsa Rock: distribui cinco mil ingressos para os alunos da rede pública de ensino do DF em parceria com a Secretaria de Educação;

Voluntário Porão do Rock: seleciona estudantes e interessados em participar voluntariamente de atividades diversas dentro do festival;

Carona Solidária: haverá 50 vagas (por dia) no estacionamento VIP do festival reservadas para quem levar de três a quatro pessoas no carro.

O Porão do Rock 2015 será realizado no dia 05 de dezembro, no Estádio Mané Garrincha, com shows das bandas Alf, Capital Inicial, D.F.C., Dona Cislene, Etno, Galinha Preta, Maskavo Roots, Nenhuma Ilha, Os Paralamas do Sucesso, Plebe Rude, Raimundos, Scalene e outras a serem confirmadas. Os ingressos estão à venda pela internet no valor de R$ 20 (pista – meia entrada) e 50 (camarote/frente do palco). 

Para mais informações acesse http://www.poraodorock.com.br/

 

 
Não deixe o medo de errar atrapalhar seu sucesso!

 

Michael Jordan é considerado o melhor jogador de basquete de todos os tempos e um dos maiores desportistas do mundo. Conquistou em sua carreira os principais prêmios e honrarias. Hoje é dono da equipe da NBA Charlotte Hornets. Para alcançar tamanho sucesso foi preciso dar o máximo de si, encarando seus desafios com coragem e determinação. É evidente que os erros não ficaram de fora de sua carreira. Jordan não teve medo de errar, jamais fugiu da luta e, com isso, potencializou seu talento rumo ao êxito.  

 

 
Brasília na TV nas mídias sociais

  

O Programa Brasília na TV é exibido na TV Brasília desde 1995. Entramos no ar todo domingo às 13 horas com notícias, entrevistas, cobertura de eventos e as mais variadas pautas. Para tornar o nosso trabalho ainda mais acessível, estamos em diferentes meios de comunicação a fim de alcançar nossos objetivos: estar ao seu lado e fazer parte da construção de uma sociedade melhor. 

Assim, o Brasília na TV também pode ser acompanhado ao vivo pela rádio 87.8 FM; pelo site bernadetealves.com.br; e pelos nossos canais no YouTube (Bernadete Alves, Gilbert Di Angellis e Brasília na TV). Para contato direto com os apresentadores e com a direção do programa temos os seguintes meios:

https://br.linkedin.com/pub/bernadete-alves/103/433/143

https://br.linkedin.com/pub/gilbert-di-angellis/a7/a01/6b

https://www.facebook.com/gilbert.diangellis

E-mails: Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. ; Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Queremos a sua colaboração para mantermos nosso trabalho em constante evolução. Sugestões de pauta, críticas e elogios, entre outros, são sempre bem-vindos. Contamos com seu apoio, afinal é para você que fazemos esse trabalho.

 

 
Dois agentes humanitários de MSF foram mortos no Sudão do Sul enquanto o conflito continua ativo no estado de Unity

Dois agentes humanitários da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) foram mortos no Sudão do Sul. Na semana passada, Gawar Top Puoy, um logístico que atuava com MSF desde 2009, foi morto durante um ataque ao vilarejo de Wulu. James Gatluak Gatpieny, um agente de saúde comunitário que trabalhava com MSF desde 2011, foi morto durante um outro ataque ao vilarejo de Payak na semana passada.

Os dois vilarejos estão localizados nos arredores de Leer, uma cidade no estado de Unity, afetado pelo conflito. Embora MSF tenha recebido a confirmação das mortes, a organização ainda não sabe as circunstâncias exatas em que essas tragédias aconteceram.

MSF foi obrigada a retirar todos os profissionais internacionais de seu hospital em Leer, em maio, na medida em que os confrontos no estado de Unity se intensificaram. Profissionais sul-sudaneses, como Gawar Top Puoy e James Gatluak Gatpieny, buscaram refúgio com suas famílias nos pântanos dos arredores para escaparem do atual conflito. Apesar de terem se deslocado, muitos continuam apoiando atividades de MSF, carregando medicamentos para tratar civis, e informando pessoas sobre as clínicas móveis de MSF na área.

“Estamos profundamente chocados e tristes com a morte de nossos colegas”, disse Tara Newell, coordenadora de emergência de MSF. “É uma indicação do nível de violência atual a que as pessoas vivendo no estado de Unity hoje estão expostas.”

Diversos profissionais que atuavam em Leer estão desaparecidos e, no fim de julho, outro agente humanitário de MSF foi ferido após levar um tiro no rosto durante um ataque ao vilarejo de Dablual.

O hospital de MSF em Leer continua parado e era a única instalação que oferecia cuidados de saúde secundária para cerca de 200 mil pessoas. A suspensão de serviços de saúde por parte de outros atores no sul do estado de Unity, como resultado dos confrontos, significa que muitas pessoas que vivem ali não têm qualquer tipo de acesso a cuidados de saúde.

Uma equipe móvel de MSF, formada por três profissionais internacionais, esteve na região ao longo do mês passado, tentando oferecer serviços básicos de saúde em meio ao atual conflito. Mantendo uma pequena clínica na cidade de Leer, ou viajando a pé, de jangada ou de canoa, os profissionais conseguiram chegar às pessoas deslocadas abrigadas na mata, tratando infecções respiratórias, diarreia, malária e alguns casos de violência sexual. Feridos de guerra são atendidos quase todos os dias.

Só no mês passado, a equipe de MSF – composta por apenas um médico – estabilizou mais de 50 pessoas com ferimentos a bala. Uma dessas pacientes era uma menina de três anos atingida na perna, e outra uma gestante atingida nas duas pernas e na mão direita durante diferentes ataques. O filho que ela estava esperando não sobreviveu às tragédias.

“A situação é desesperadora. Ataques, homicídios e violência sexual contra civis, realizados por qualquer agente armado no estado de Unity, devem ter um fim”, disse Tara Newell. “As pessoas deslocadas de suas casas e de seus vilarejos devem ter condição de se locomover com segurança para buscar assistência, onde quer que esteja sendo prestada.”

Fonte: Divulgação MSF. 

 

 
Dicas para obter sucesso em uma entrevista de emprego

  

Faça uma pesquisa prévia 

É essencial conhecer a empresa que pretende trabalhar. Entender a essência do negócio – missão, valores, clientes, desafios, posicionamento no mercado, além dos produtos e serviços oferecidos - ajudará a compreender o que a empresa espera dos candidatos e quais características são mais relevantes.

 

Personalize seu currículo

É possível que suas experiências profissionais sejam variadas. Por essa razão, é recomendável que se envie um currículo personalizado, realçando as virtudes que sejam de maior interesse para a contratante. 

 

Seja pontual

Esse momento de triagem é a hora de mostrar o que você tem de melhor. Assim, atrasos são intoleráveis. Mostram falta de compromisso, organização, planejamento e responsabilidade por parte do candidato.

 

Esteja vestido de forma adequada para a ocasião

Cada empresa tem suas regras (explícitas ou não) de vestimenta. É preciso vestir-se de maneira adequada ao ambiente corporativo, a fim de mostrar seriedade e respeito ao cargo que almeja ocupar. Na dúvida, prefira as roupas mais formais. 

 

Desligue o celular ou deixe no modo silencioso

Extremamente inconveniente será ter sua entrevista atrapalhada por um toque do seu celular. Demonstre foco e profissionalismo. Desligue ou coloque o aparelho no modo silencioso. 

 

Deixe que o entrevistador conduza a entrevista

É o entrevistador que sabe quais informações lhe interessam na hora de selecionar os candidatos ao emprego. Portanto, deixe que esse profissional assuma as rédeas da conversa. 

 

Responda o que lhe for perguntado de forma sucinta

Não fale pelos cotovelos! Clareza e objetividade contarão pontos na entrevista. 

 

Mostre interesse. Faça perguntas

Por mais que você tenha feito uma extensa pesquisa prévia, é natural que não saiba tudo sobre o cargo ou até mesmo a respeito da empresa. Fazer algumas perguntas pontuais poderá demonstrar seu interesse, pesando positivamente a seu favor. 

 

Não fale mal de seu emprego anterior

Vale a pena ressaltar realizações nos empregos anteriores, como forma valorizar a experiência profissional. Falar sobre suas responsabilidade e rotinas em seus trabalhos pregressos pode ser do interesse do entrevistador. Mas lembre-se: nunca fale mal dos antigos empregadores.

 

Observe sua linguagem corporal

Pesquisas apontam que a linguagem corporal é muitas vezes mais importante do que a própria comunicação verbal. Portanto, fique sempre atento aos seus gestos, postura e expressões faciais, pois eles dizem muito sobre você.

 

Não minta

É o entrevistador quem sabe com maior precisão as características e competências necessárias para o cargo em disputa. Portanto, seja sincero na hora da entrevista. Conseguir um emprego para o qual não está preparado trará consequências prejudiciais a sua imagem e histórico profissional. Ademais, os entrevistadores são hábeis em perceber mentiras no processo de seleção. 

 

Evite dar palpites sobre a empresa

Alguns candidatos, no ímpeto de impressionar, optam por falar sobre o que fariam para resolver determinado problema ou simplesmente apontam defeitos que pretendem corrigir. Tal atitude, embora louvável, se mostra precipitada. Você ainda não trabalha na empresa, de forma que não tem contato mais íntimo com as dificuldades do negócio. Qualquer tentativa nesse sentido pode ser interpretada como pretensiosa. 

 

Tenha autoconhecimento

É muito comum perguntar sobre as virtudes e defeitos do candidato. Para responder essa questão é fundamental se conhecer e entender o que a empresa espera de ti. Cabem as seguintes reflexões: quais são as suas competências que estão em sintonia com os interesses do empregador? Quais defeitos a empresa não tolera?

 

Não exagere nas piadas

Bom humor é importante, mas exagerar na dose pode passar uma imagem ruim. A seriedade do momento não permite tamanha descontração. Na dúvida, vale a regra da roupa, prefira ser mais formal a exagerar na informalidade. 

 

Agradeça pela oportunidade

Ao final da entrevista reforce o interesse de ocupar a vaga disponível. Não se esqueça de agradecer pela oportunidade de ser ouvido. Para se destacar ainda mais vale enviar um e-mail formalizando os agradecimentos. 

 

É importante que o candidato esteja atento as dicas supracitadas. Elas poderão destacar o profissional, fazendo com que este passe uma imagem positiva de si. Porém de nada adianta seguir todos os conselhos acima se o interessado não tiver qualificação profissional, competência e ética, entre outras qualidades essenciais para crescer no mercado de trabalho.

 

 
Mercado de trabalho: site americano faz lista com as 50 perguntas mais recorrentes em uma entrevista de emprego

O site Glassdoor buscou entre as milhares de resenhas de usuários sobre entrevistas de emprego os questionamentos mais frequentes feitos recentemente. O resultado é esta lista de 50 perguntas, que ajudará você a se preparar melhor para esse aguardado momento. Confira o que os recrutadores têm perguntado aos candidatos:

1. Quais são os seus pontos fortes?

2. Quais são os seus pontos fracos?

3. Por que você está interessado em trabalhar para esta empresa?

4. Onde você se vê em cinco anos? E em 10?

5. Por que você quer deixar o seu emprego atual?

6. Por que há uma lacuna na sua trajetória profissional entre (data) e (data)?

7. O que só você pode nos oferecer?

8. Cite três pontos em que seu ex-chefe gostaria que você melhorasse.

9. Você busca uma recolocação no mercado?

10. Você tem planos de viajar?

11. Conte sobre a realização de carreira da qual mais se orgulha.

12. Conte sobre alguma vez em que você tenha cometido um erro.

13. Qual o seu emprego dos sonhos?

14. Como você ficou sabendo desta vaga?

15. O que você espera realizar nos primeiros 30 dias, 60 dias e 90 dias de trabalho?

16. Fale um pouco sobre o seu currículo.

17. Fale um pouco sobre sua formação acadêmica.

18. Descreva-se.

19. Conte-me como lidou com uma situação difícil.

20. Por que deveríamos contratá-lo?

21. Por que você está procurando um novo emprego?

22. Você trabalharia em fins de semana e feriados?

23. Como você lidaria com um cliente bravo?

24. Qual a sua pretensão salarial?

25. Conte-me sobre alguma vez em que foi além e também abaixo do que era esperado para um projeto.

26. Quem são seus concorrentes?

27. Qual o seu maior fracasso?

28. O que te motiva?

29. Qual a sua disponibilidade?

30. Quem é o seu mentor?

31. Conte-me sobre alguma vez em que discordou do seu chefe.

32. Como você lida com a pressão?

33. Qual o nome do seu CEO?

34. Quais as suas metas de carreira?

35. O que o motiva para se levantar todos os dias?

36. Quais eram os pontos fortes e fracos dos seus chefes?

37. O que as pessoas que se reportam diretamente a você diriam sobre você?

38. Se eu ligasse agora para o seu chefe e perguntasse em quais pontos você precisa melhorar o que ele diria?

39. Você é um líder ou um seguidor?

40. Qual o último livro que você leu por diversão?

41. Quais são os hábitos irritantes dos seus colegas?

42. Quais são os seus hobbies?

43. Qual o seu site favorito?

44. O que o deixa desconfortável?

45. Quais foram as suas experiências de liderança

46. Como você demitiria alguém?

47. O que você mais gosta e o que menos gosta de trabalhar neste setor?

48. Você trabalharia 40 horas ou mais por semana?

49. Quais perguntas eu não fiz para você?

50. Quais perguntas você quer fazer para mim?

Fontes: Glassdoor e Exame 

 
Não reduza os Direitos Humanos em “Direitos dos manos”

A consciência popular, e até mesmo o pensamento de alguns operadores do Direito, reduz a luta pelos Direitos Humanos a defesa de bandidos. Fuja do senso comum e entenda o que de fato defendemos. 

Na lição de Dalmo de Abreu Dallari, todos os seres humanos devem ter asseguradas, desde o nascimento, as condições mínimas necessárias para se tornarem úteis à humanidade, como também devem ter a possibilidade de receber os benefícios que a vida em sociedade pode proporcionar. Esse conjunto de condições e de possibilidades associa as características naturais dos seres humanos, a capacidade natural de cada pessoa e os meios de que a pessoa pode valer-se como resultado da organização social. É a esse conjunto que se dá o nome de Direitos Humanos.

Trata-se, portanto, da luta pelos direitos fundamentais para garantir a dignidade humana a todos os indivíduos de uma sociedade. Sem a garantia desses direitos, não é possível que exerçam de fato sua cidadania. Esta expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social. 

Muito desavisados reduzem as intenções dos defensores dos Direitos Humanos em proteger delinquentes. Esquecem que tais direitos são de todos os seres humanos e que devem ser defendidos pela comunidade em sua inteireza. É fundamental para a garantia da dignidade humana os direitos à vida, liberdade, saúde, educação, ao meio ambiente sadio, de participar do governo, de receber os serviços públicos, à igualdade de direitos e oportunidades, à moradia e à terra, entre tantos outros, tendo em vista que a matéria recebe constantes inovações. 

Ora, a atuação das comissões de Direitos Humanos ocorre também em presídios, porém não pode nunca se restringir a esse tópico. Hospitais, escolas públicas, creches, corregedorias de polícia, parques, áreas de proteção ambiental e locais de trabalho, são alguns dos locais que são e devem ser objetos de preocupação das comissões, visando sempre garantir a efetividade dos supracitados direitos. 

Assim, a matéria deve ser de interesse das diferentes camadas sociais, pois todos necessitam desses direitos sob risco de perderem sua dignidade humana e sua cidadania. A defesa dos Direitos Humanos, assim como da Constituição, é responsabilidade de cada um em busca de uma sociedade mais equilibrada, onde todos gozem pelo menos das condições mínimas de qualidade de vida.

 
Ex-presidente da CPF, José Maria Marin, e mais seis executivos da FIFA foram detidos em operação na Suíça

Na madrugada desta quarta-feira, horário brasileiro, uma operação especial das autoridades suíças, sob liderança do FBI, prendeu sete executivos importantes da entidade sob a acusação de corrupção, entre eles José Maria Marin, ex-presidente da CBF. O grupo dos detidos será extraditado para os Estados Unidos a fim de uma maior investigação sobre o assunto na federação mais importante do futebol mundial.

A investigação "se estende pelo menos ao longo de duas gerações de dirigentes de futebol, suspeitos de abuso de suas posições para obter milhões de dólares em subornos e comissões", afirma um comunicado da secretária de Justiça, Loretta Lynch. A pedido das autoridades dos Estados Unidos, seis dirigentes suspeitos de corrupção foram detidos em Zurique, a dois dias da eleição para a presidência, na qual Joseph Blatter buscará o quinto mandato à frente da entidade.

Segundo nota oficial do Departamento de Justiça norte-americano, 14 réus são acusados de extorsão, fraude e conspiração para lavagem de dinheiro, entre outros delitos, em um "esquema de 24 anos para enriquecer através da corrupção no futebol". Sete deles foram presos na Suíça. Além de Marin, Jeffrey Webb, Eduardo Li, Julio Rocha, Costas Takkas, Eugenio Figueredo e Rafael Esquivel. Um mandado de busca também será executado na sede da Concacaf, em Miami, nos EUA.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (27/5) o indiciamento de nove dirigentes da FIFA e de outros cinco funcionários da entidade, por conspiração e corrupção ao longo de um período de mais de duas décadas. O anúncio coincidiu com o uma operação na sede da Concacaf (Confederação da América do Norte, América Central e Caribe de Futebol) em Miami, como parte do caso, e depois que as autoridades suíças informaram a detenção de seis dirigentes do mundo do futebol em um hotel de Zurique, pouco antes do Congresso anual da FIFA.

José Maria Marin

O atual dirigente da FIFA já foi governador do Estado de São Paulo após a desincompatibilização de Paulo Maluf, que iria disputar uma vaga de deputado federal.

Em 25 de janeiro de 2012, durante a premiação após o jogo final da Copa São Paulo de Futebol Junior, ocorrida no Estádio do Pacaembu e vencida pelo Corinthians, Marin embolsou disfarçadamente uma medalha que seria entregue ao jogador corintiano Mateus. O ato foi flagrado pelas câmeras da Band e exibido ao vivo, em rede nacional. O episódio causou revolta e foi muito comentado nas redes sociais. Em março do mesmo ano tornou-se presidente da CBF. 

O ex-presidente da CBF atuou à frente da entidade máxima do futebol brasileiro entre os anos de 2012 e 2014, tendo como foco a Copa das Confederações (2013) e Copa do Mundo da FIFA (2014). Chegou a presidência da CBF após a renúncia do ex-mandatário Ricardo Teixeira. 

 
Vestibular UniCeub: o primeiro passo para uma carreira de sucesso

Dia 31 de maio poderá se tornar um dia especial em sua vida. Essa é a data em que será realizado o vestibular do Centro Universitário de Brasília – UniCeub. Não perca a chance de dar o primeiro passo para uma carreira de sucesso e se torne um profissional reconhecido pelo mercado de trabalho. 

O UniCEUB é um dos pioneiros de ensino na capital do país. Inaugurado como Centro de Ensino Unificado de Brasília - CEUB em 1968, tornou-se o primeiro centro universitário da região na década de 90 e passou a chamar-se Centro Universitário de Brasília - UniCEUB. Com ensino de excelência e política de renovação permanente, a instituição acompanha as evoluções tecnológicas e pedagógicas. O UniCEUB oferece cursos nas áreas de ciências jurídicas, ciências sociais, ciências exatas, ciências da saúde, ciências da educação e tecnologia, além dos cursos de pós-graduação lato e stricto sensu.

Para mais informações acesse www.uniceub.br

 
Deputado paga almoço de R$ 1.495,00 com dinheiro público

Se para a grande maioria o momento é de contenção de despesas, para os que têm acesso ao dinheiro público nada parece afetá-los. Em Brasília, o deputado federal Benjamin Maranhão (SD-PB) gastou R$ 1.495,00 por um almoço pago com dinheiro público. A refeição ocorreu no dia 1º de fevereiro desse ano, mas só no mês de maio recebeu a devida publicidade.

De acordo com o site Congresso em foco, o deputado apresentou nota fiscal na qual consta “1 despesa com refeição”. O valor do documento foi ressarcido ao político por meio da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), benefício mensal para custear alguns gastos, que pode chegar R$ 41.612,80 dependendo do estado de origem do político.

Segundo informações do portal Congresso em foco, após o site divulgar a história e publicar o documento, na semana passada, a nota fiscal foi retirada do Portal de Transparência da Câmara. Por meio de nota, admitiu que ressarciu de maneira indevida Benjamin e cobrou a devolução do dinheiro.. O deputado não quis comentar o caso.

É impressionante como são corriqueiros os casos de uso indevido do dinheiro público. A confusão entre público e privado é mais uma das absurdas práticas cotidianas.

Fontes: Congresso em foco, PB Agora e Correio Braziliense

 
Reflexo de uma sociedade corrupta: população saqueia carga de caminhões envolvidos em grave acidente de trânsito

  

Seriam os políticos um retrato da sociedade ou o oposto? Fato é que a corrupção e o descaso encontram-se nas mais diversas camadas de nosso país. No vídeo, dezenas de pessoas saqueiam produtos de caminhões envolvidos em um grave acidente de trânsito. Na primeira oportunidade, esquecem as leis e os valores para aferir lucros pessoais. Tamanha é a vontade de "se dar bem" que até mesmo ignoram o motorista ferido correndo risco de morte. Também desconsideram o fato de serem filmados e praticam o crime em plena luz do dia. Omissão de socorro e furto são praticados com a maior naturalidade.

Percebe-se que a corrupção, recorrente nos noticiários de todo país, mora ao lado. Todos somos vítimas desses atos inescrupulosos que só visam vantagens individuais. Mas, ao mesmo tempo, muitos são os sujeitos ativos dessa atitude criminosa. A corrupção se alastra de norte a sul, leste a oeste, desse imenso Brasil. A prática é cometida por pessoas das mais distintas classes sociais, independente do grau de instrução. A corrupção encontra-se enraizada e praticamente institucionalizada em nosso país, de tal forma que faz parte da cultura nacional. O famoso “jeitinho brasileiro” é um grande exemplo do exposto. 

O vídeo em pauta é mostra como esse mal faz parte de nosso cotidiano. Pessoas supostamente honestas e trabalhadoras mostram seu lado perverso assim que surge a chance de tirar vantagem da situação. Não importa se um ser humano necessita de socorro, ou se essa atitude causará danos a terceiros. A regra parece ser “aferir lucros custe o que custar”. São pessoas que, supostamente, saíram de casa sem qualquer intenção delitiva, mas que não ignoraram a “oportunidade” que tiveram. É preciso refletir sobre o caso narrado, sempre tendo em mente que não se trata de um fato isolado, mas corriqueiro em nossa sociedade. 

Milhares de cidadãos comuns e políticos são indiscutivelmente corruptos. Resta entender a origem desta prática delituosa. Os políticos sujos são um retrato da sociedade corrupta ou é o inverso? Talvez seja como o dilema envolvendo o ovo e a galinha. Mais importante do que entrar nessa discussão é ter a certeza de que ambos estão sujeitos ao crime, devendo ser corrigida a conduta nas duas esferas (pública e privada). O exemplo deve vir de baixo e de cima para que se possa iniciar um processo de transformação social. 

Obviamente esse pequeno texto não visa encerrar o assunto. Tem como objetivo colaborar com as discussões sobre o tema e externar a profunda indignação diante do fato registrado pelo cinegrafista amador. Enquanto as leis e os valores continuarem sendo ignorados, seguiremos nos deparando com casos similares ao narrado. Precisamos condenar e combater essas atitudes para termos a chance de reconstruir o Brasil.

 
Novos presidentes estaduais e municipais da Rede Internacional de Excelência Jurídica tomaram posse em Brasília

 

No último sábado, dia 11 de abril, foram empossados os novos presidentes estaduais e municipais da Rede Internacional de Excelência Jurídica. A cerimônia de posse foi realizada no Hotel Carlton, localizado no centro da capital do país.

A Rede é uma associação de profissionais que fazem a afirmação pública da ética, da qualidade jurídica e dos princípios universais do Direito. São algumas das atuações da Rede a organização de eventos nacionais e internacionais no intuito de reunir profissionais destacados em carreiras jurídicas, visando a difusão de experiências e conhecimento, bem como a publicação de livros e revistas jurídicas.

Entre tantos encontros já realizados pela Rede de Excelência Jurídica, destaque para os Encontros Internacionais em Lisboa, Coimbra, Porto, São Paulo, Brasília, Roma e Granada. Neles, pensadores do Direito se reuniram em atividades acadêmicas que visaram a integração, o conhecimento e a evolução dos instrumentos forenses, por meio de palestras, debates e visitas às instituições jurídicas do país anfitrião.

O empossamento dos novos presidentes é mais um marco na história da Rede, pois terão papel fundamental na integração dos profissionais de carreiras jurídicas e desenvolvimento das instituições jurídicas. A nomeação foi feita pelo Conselho Diretor em reunião oficial em Coimbra, no dia 20 de março de 2015, para mandato de um ano. Veja abaixo a lista dos novos presidentes estaduais e municipais da Rede Internacional de Excelência Jurídica. 

 

Hélio José Machado: presidente da Rede no Estado do Rio de Janeiro;

Marcia Zampar Jorge: presidente da Rede no Estado de Minas Gerais;

Carla Fabiana Melo Martins: presidente da Rede no Estado de São Paulo;

Antonio Francisco Costa: presidente da Rede no Estado da Bahia;

Fabíola Luciana Teixeira Orlando Souza: presidente da Rede no Distrito Federal;

Antonio Carlos de Morais Gottardi: presidente da Rede no Estado de Santa Catarina;

Tênio do Prado: presidente da Rede no Estado de Goiás;

Ana Paula Leal Aguiar: presidente da Rede na cidade do Rio de Janeiro;

Mauricio de Melo Passos: presidente da Rede na cidade de Brasília;

Nelma de Jesus Barreto: presidente da Rede na cidade de Salvador;

Silvana Stela Rocha de Castro: presidente da Rede na cidade de Manaus;

Valéria Aparecida Nogueira: presidente da Rede na cidade de Cuiabá;

Albanita dos Passos Máximo: presidente da Comissão de Estudos da Rede no Estado de Goiás;

Lucília Barbosa Monteiro Rennó: presidente da Comissão de Estudos da Rede na cidade de Brasília.

 
Indústria da morte

Empresa de cigarros sugere lucro ao Estado por cada pessoa que morrer prematuramente em decorrência do fumo 

Philip Morris é um gigante no mercado de tabaco mundial. Seus produtos estão espalhados pelo globo, por mais de 180 países. Sua atuação é igualmente expressiva na República Tcheca. Em 2001, diante da intenção do governo de aumentar os impostos incidentes nos cigarros, a empresa divulgou um estudo assustador. O objetivo era convencer população e governantes dos benefícios que o comércio de tabaco traz ao erário. O que ela não esperava é que o tiro saísse pela culatra.

O estudo foi encomendado pela Philip Morris e feito pela empresa de consultoria Arthur D. Little. A matemática apresentada analisou o custo/benefício ao Estado de ter seus cidadãos fumando. O resultado demonstrou que há, de fato, um aumento nos gastos com saúde pública, gerado por um maior número de enfermos. Porém, ocorre uma considerável redução de despesas estatais para cada fumante que falece prematuramente. Na soma das vantagens e desvantagens governamentais aferiu-se um ganho financeiro de 147 milhões de dólares se a população seguir fumando.

A suposta vantagem financeira oriunda da morte dos tchecos se dava por alguns fatores: a) economia na previdência; b) economia no custo de vida/habitação dos mais velhos; c) economia na própria saúde pública quando os fumantes morriam prematuramente. Também considerou os impostos recolhidos na venda de tabaco. Assim, o estudo tentou convencer o governo de que este poderia reduzir gastos a partir da morte de residentes no país e que isto não aconteceria se a população deixasse de fumar. Foi ainda mais longe quando estimou que, em média, o erário economiza 1227 dólares por fumante morto.

Como é fácil de imaginar, a opinião pública se revoltou contra a Philip Morris que, pouco depois, se desculpou publicamente. De acordo com a nota, “o estudo não foi apenas uma tremenda falha da empresa, como está errado em suas conclusões. Toda a equipe da Philip Morris está extremamente chateada pelo ocorrido. Ninguém pode se beneficiar com as doenças sérias causadas pelo tabagismo. Entendemos a indignação que tem sido expressa e sinceramente lamentamos este incidente. Vamos continuar dando o máximo para fazer a coisa certa em todos os nossos negócios, reconhecendo erros e aprendendo com eles à medida que avançamos”.

Fontes internas ligadas a empresa de consultoria responsável pelo estudo, Arthur D. Little, informaram que a marca de cigarros havia pedido que essa mesma análise fosse feita em outros países, tais como Canadá, Holanda, Polônia, Eslováquia, Hungria e Eslovênia. Mas que, diante do fracasso na República Tcheca, cancelaram as pesquisas em outras nações. Vale ressaltar que a Philip Morris é a segunda maior empresa de tabaco em volume de negócios no Brasil.

A mensagem que parece ter sido dada pela empresa ao apresentar o estudo é a de que “você (Estado) lucra com a morte dos dependentes de nossos produtos. Deixe-me (Philip Morris) lucrar também. Não se meta em nosso negócio”. Irrelevante é se os números apresentados correspondem com a realidade. Certo ou errado, não pode ser parâmetro para as políticas públicas estatais. No dia em que aceitarmos que a morte das pessoas sirva explicitamente para o lucro de empresas e Estados, estaremos falidos como seres humanos.

 
More Articles...
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 5 de 15
RocketTheme Joomla Templates