Coluna da Bernadete Alves - dia 17/04/2012

Embaixatrizes Africanas apoiam programas sociais do GDF

O Comitê das Embaixatrizes Africanas esteve na residência oficial para oferecer ajuda à primeira- dama, Dra. Ilza Queiroz, nos programas sociais que ela desenvolve. Elas querem estabelecer intercâmbio social e cultural entre os dois países, para tanto programaram um jantar de gala no dia 5 de maio no hotel Royal Tulip com renda revertida para as instituições carentes do DF; no dia 12 uma marcha, no Parque da Cidade; e no dia 19 um bazar na Embaixada do Egito.

Participaram da reunião as embaixatrizes: Adeline Aka, da Costa do Marfim; Dieynaba Ndiaye, do Senegal; Helene Ilboundo, de Furkina Faso; Jacqueline Angouo, do Gabão; Laura Mbeng, de Camarões e Theresa Mmualefe de Gana.

A primeira- dama agradeceu o apoio e disse que o “Brasil é um país afrodescendente, e eu sou de Salvador, uma cidade com maioria afrodescendente. Me sinto motivada para este trabalho de integrar os dois Países. A atitude delas me sensibilizou uma vez que a África tem grandes necessidades e elas estão preocupadas também com os nossos problemas sociais”, concluiu Ilza Queiroz.

Também achei nobre a atitude das embaixatrizes. Solidariedade não tem fronteiras por isso este espaço está à disposição para divulgar os eventos solidários.

 

Brasília mais linda

Começou ontem o mutirão de limpeza para deixar a cidade mais bonita para os seus 52 anos. O administrador de Brasília, Messias de Souza, quer que o Projeto Cidade Limpa seja feito durante todo o ano e não só nas datas específicas. E ele está certo, pois esta é uma cidade tombada e merece tratamento vip.

Além da Administração de Brasília também estão colaborando na megaoperação de limpeza a Coordenadoria das Cidades, Caesb, Novacap, Ceb, Força-Tarefa, Detran e a Serviço de Limpeza Urbana. As calçadas estão sendo concertadas assim como os meios fios, as lâmpadas estão sendo trocadas, os buracos tapados, árvores podadas assim como toda a área verde está sendo limpa. A operação está também retirando todo o entulho e o lixo espalhado pela cidade.

 

Criar vínculo

No Distrito Federal existem 130 Postos Comunitários de Segurança e estes postos dividem opiniões, pois em alguns há apenas um policial, que fica vulnerável e incapaz de atender tantas ocorrências. Outros permanecem fechados por falta de policial. Na prática pouca coisa muda, pois os marginais sabem que é só estrutura física.

Em função disso o secretário de Segurança, Sandro Avelar (foto), quer otimizar o serviço e colocar câmeras para auxiliar na segurança da comunidade. O secretário vai lançar um novo plano de segurança pública para integrar os policiais com a comunidade. “Os policiais têm de ser os mesmos, criar vínculos, conhecer que está ao seu redor”.

O chefe da Divisão de Polícia Comunitária e Direitos Humanos da PM, major Wallace Oliveira, diz que o sucesso do projeto “depende da interação entre os policiais e a comunidade. Os policiais devem ser comunitários”.

Cada região administrativa tem necessidade diferente por isso o policial tem de interagir com a comunidade para conhecer os problemas e a insegurança vivenciados no dia-a-dia. Embora o Posto dê sensação de segurança é preciso funcionar efetivamente e cumprir o papel destinado.

 

Banco de Brasília reduz taxas de juros

O BRB é mais que um banco. Tudo que faz é dentro da sustentabilidade. E a responsabilidade Social se traduz em uma gestão ética, transparente e responsável em todos os seus relacionamentos.Trabalha pelo desenvolvimento do Centro-Oeste e é a casa do servidor público. Quem recebe salário no BRB tem mais vantagens. O sonho da casa própria é realidade.

 Alem do mais os correntistas, com o cartão BRB, podem sacar dinheiro em todo o Brasil, e usufruir das inúmeras vantagens de ser cliente do Banco que ostenta com responsabilidade o nome da cidade. Segundo o Diretor Financeiro, Francisco Cláudio Duda “tudo que fazemos é em função do nosso correntista. Há 2 meses começamos esta nova política, que nos permitiu prevê o movimento do mercado, as ações dos nossos clientes e traçar estratégias a longo prazo, como esta redução, que vai nos beneficiar a longo prazo”. 

 

A escrita nas novas mídias

A jornalista e escritora Dad Squarisi, editora de Opinião do Correio Braziliense, fala hoje às 18 horas no Espaço Bienal – Café Literário, na Esplanada dos Ministérios, como se expressar com eficiência diante das novas tecnologias para um público de todas as idades e na presença de grandes nomes da literatura nacional e internacional.

 Dad tem especialização em lingüística e mestrado em teoria da literatura. É professora de Edição de Textos no UniCeub. É autora do primeiro Manual Brasileiro de Redação Multimídia e de outros livros com dicas super importantes.

O seu blog tem dicas de português, redação, estilo e leituras e a sua coluna “Dicas de Português” é publicada em 15 jornais do país. Ela é, também, colunista da TV Brasília. Dad é um orgulho da cidade. Sou sua fã.

A Bienal Brasil do Livro e da Leitura mostra nesta terça reflexões de brasileiros sobre os autores africanos de língua portuguesa.

 

Maurício Meirelles arma confusão no Itamaraty

Liberdade de imprensa não pode ser confundida com desrespeito e palhaçada. Pois foi isso que se viu no Palácio do Itamaraty, ontem, durante a coletiva de imprensa da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, por parte do repórter do CQC Maurício Meirelles.

Além de ter atrapalhado o trabalho dos cinegrafistas e fotógrafos ainda constrangeu o primeiro time de repórteres e o cerimonial da Casa quando gritou “I Love you, Hillary”, no momento em que a Secretária chegava ao Palácio acompanhada do ministro Antonio Patriota. A chegada dela estava sendo transmitida ao vivo pela Globo News. Ele não parou ai. Depois durante a coletiva ofereceu uma máscara de carnaval e na seqüência ao oferecer um charuto gritou “vingança ao Bill Clinton”. Esta atitude irritou todos que estavam no local.

Esta atitude mostra o quanto ele precisa se aperfeiçoar na profissão, pois o bom jornalista sabe respeitar e se comportar perante autoridades nacionais e internacionais.  

 

O Livro do Boni chega à Brasília

O responsável pela criação da televisão brasileira, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, chegou à cidade para lançar hoje às 19 horas, na livraria Saraiva do Pátio Brasil, O Livro do Boni. São mais de 60 anos de história do grande mestre da televisão brasileira. Uma rica trajetória de vida que a partir de agora passa a ser compartilhada pelos brasilienses.

Boni nasceu em Osasco/SP e aos 15 anos mudou-se para o Rio de Janeiro para trabalhar na Rádio Nacional. Em 1951 mudou-se para São Paulo para trabalhar como secretário pessoal de Manoel da Nóbrega. Depois aos 17 anos foi para a TV Tupi onde devido ao seu talento foi produtor, redator e diretor. Logo foi descoberto por Walter Clark e foi para a TV Globo. Ali foi essencial em todas as áreas da emissora. O Fantástico, inclusive foi criação dele. Ditou padrões de excelência. Chegou à vice-presidência e depois foi consultor da emissora até 2001.

O pai amoroso e responsável deixou de ser o todo poderoso da rede Globo para se associar aos 4 filhos na TV Vanguarda, afiliada da Globo no interior de São Paulo. Aos 76 anos, com força, disposição e com uma bagagem de primeira aposta todas as suas fichas no sucesso permanente da família. 

 
RocketTheme Joomla Templates