Coluna Bernadete Alves - dia 03/08/2018

Claudia Raia assume teatro do Instituto Tomie Ohtake

O espaço teatral do Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo passa a ser comandado pela atriz, dançarina e produtora Claudia Raia. "Estou muito feliz com essa oportunidade de começar o segundo ato da minha carreira. Foi um presente que caiu no meu colo dirigir este teatro. Ao longo da minha vida e da minha carreira, fiz grandes parceiros. Apoiadores da cultura me deram a oportunidade de dirigir este teatro", afirmou a atriz, conhecida por não abrir mão de intercalar trabalhos na TV com produções teatrais.

“Escolhi sete atividades, que terão como curadores profissionais criativos e especializados em suas áreas”, conta Claudia, cujo convite foi recebido com entusiasmo pelos 14 artistas. O time é formado por Ana Botafogo e Rodrigo Pederneiras (dança), Rubens Ewald Filho e Ingrid Guimarães (audiovisual), Adriana Calcanhotto e Rogério Flausino (música), Débora Falabella e José Possi Neto (teatro), Felipe Andreoli e Fernanda Gentil (esporte), Thalita Rebouças e Fernanda Souza (cultura jovem), e Carlos Bertolazzi e Mariella Lazaretti (gastronomia).

“Todos me dão sugestões, buscam dados inéditos, promovem a junção do novo com o legado”, conta a nova diretora-geral Claudia Raia. O teatro receberá, a partir do dia 9, a continuação da temporada de Chaplin, o Musical. “Assim, por conta desse trabalho, vamos exibir curtas de Chaplin para melhor conhecimento de seu trabalho. Também a quinta-feira será dedicada para palestras sobre criação, desde coreografia até diversos tipos de canto. Orquestras, como a de Paraisópolis, serão convidadas a se apresentar.

O teatro que já se chamou GEO e, mais recentemente, Cetip abre as portas para a diversidade, com uma programação que vai ocupar também as salas de ensaio e o saguão para que os espectadores, enquanto aguardam a entrada na grande sala de espetáculo, acompanhem a performance de artistas ainda desconhecidos. “Não se trata apenas de um teatro, mas de um espaço cultural”, diz Raia.

Haverá ainda de curso de música para bebês até formas de capacitação de eventos corporativos usando técnicas teatrais. “Vamos arrebatar as pessoas pelo lúdico”, diz Claudia, que já elabora a programação até o fim do ano.

Fernanda Souza vai dividir a curadoria de cultura jovem com Thalita Rebouças. "A internet é um campo muito grande. Eu e a Thalita vamos fazer o trabalho de garimpar e trazer isso para a Claudia. Uso o palco da internet para me comunicar. Queremos usar nossa comunicação como isca. Quero que eles [púbico jovem] se aproximem da cultura do teatro e para que isso vire um hábito."

Fernanda Gentil enalteceu o novo campo de atuação e disse que dá para unir esporte com cultura. "Encaro este desafio como algo bem diferente que já fiz na minha carreira. Minha ideia é lugar o esporte -- acredito muito nos valores do esporte, entre eles, a honenstidade, a lealdade, o espírito de grupo, igualdade, inclusão, o fairplay e vários outros -- com a cultura.

A atriz Ingrid Guimarães está animada com a curadoria e falou sobre a importância de incentivar os brasileiros a ver filmes nacionais. "O cinema blockbuster traz o brasileiro de volta ao cinema, para se apaixonar pelo cinema. Muitos cineastas autorais maravilhosos não são vistos neste país. Queremos uni-los. Quero que as pessoas tenham acesso aos dois tipos de cinema", disse.

Templo Budista de Brasília realiza 45ª Quermesse

A tradicional quermesse do Templo Shin Budista Terra Pura, da 315/316 Sul, chega a 45ª edição com muitas novidades neste mês de agosto. O Templo que é Patrimônio Histórico do Distrito Federal, promove a cultura oriental, com comidas típicas, música, dança e artes, todos os sábados e domingos, das 17h às 22h, com meia-entrada a R$ 5.

O evento que começa amanhã, dia 04, tem como tema "comunidade presente", o festival busca aproximar mais os moradores de Brasília e frequentadores do templo porque a Quermesse não faz distinção de crença, cultura ou idade. Durante a Quermesse, o templo estará aberto ao público com visita guiada. O monge e a Monja Cris E-gen conduzem meditações contemplativas de 30 minutos, sempre às 18h, após as 10 badaladas do sino.

A organização da Quermesse conta com cerca de 150 voluntários, sendo que 30 deles confeccionaram flores e lanternas de papel, além de um lustre com mais de 600 tsurus, exposto no restaurante da festa. A gastronomia é o ponto alto da festa. Além do tradicional yakissoba, o público vai conferir co mais de 10 variedades de pratos orientais, além de cinco opções exclusivas no espaço gourmet, incluindo pratos veganos e vegetarianos.Também vão participar da Quermesse diversos food trucks da cidade como: Geleia Burger, Crepe Voyage e Churros do Tio.

Outra novidade é a presença de embaixadas convidadas com stands próprios, uma a cada fim de semana: Filipinas, Sri Lanka, Malásia, Myanmar e a Índia. As representações diplomáticas vão se revezar para expor artesanato, comidas típicas e informações sobre os países aos visitantes. Durante a Quermesse não serão distribuídos copos e nem canudos de plástico. Quem não quiser tomar as bebidas nas próprias embalagens poderá comprar um copo estilizado por R$ 6.

Também haverá apresentações de artes marciais, tai chi chuan, taikô e de danças folclóricas, além de oficinas gratuitas de origami, ikebanas e outros enfeites de festa. Nos estandes, como é tradicional na festa, serão vendidas joias em prata, ecojoias, tatuagem de hena, artigos geek e guloseimas importadas.

O monge Kyotoshi Sato vai aproveitar a Quermesse para lançar a campanha pela inclusão do título de patrimônio cultural ao já existente de patrimônio histórico do Distrito Federal ao Templo.“Festa é cultura? Religião é cultura? Política é cultura? Embora Dom Bosco fosse católico, gostaria que o Templo cumprisse a profecia dele”, afirmou o religioso, referindo-se à predição de 1883, que dizia: “Aparecerá aqui a Grande Civilização, a Terra Prometida, onde correrá leite e mel. Será uma riqueza inconcebível. E essas coisas acontecerão na terceira geração”, disse o monge Sato.

 
RocketTheme Joomla Templates