Coluna Bernadete Alves - dia 19/07/2018

Futebol – a paixão que agrega todas as raças

O esporte mais praticado no Brasil é celebrado neste 19 de julho.A data foi escolhida pela Confederação Brasileira de Desportos, atual Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em 1976, em homenagem ao time mais antigo do país em atividade, o Sport Club Rio Grande, do Rio Grande do Sul, fundado no dia 19 de julho de 1900.

Criado na Inglaterra no século XIX veio para o Brasil em 1894, quando o paulista Charles W. Miller, que estudava na Inglaterra trouxe o livro com as regras do jogo e um par de bolas. Um ano depois aconteceu a primeira partida a Cia. Ferroviária São Paulo Railway contra Funcionários da Companhia de Gás. As equipes eram formadas por ingleses radicados em São Paulo. Charles W. Miller passou a ser considerado o “pai do futebol brasileiro”.

Até 1920 o futebol era um esporte de elite e aos poucos foi se popularizando e passou a fazer parte também de bairros pobres de grandes cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre. Com a profissionalização foram criados os clubes: Fluminese em 1902, Grêmio em 1904, Botafogo em 1904, Atlético Mineiro em 1908, Internacional em 1909, Corinthians em 1910, Flamengo em 1911, Palestra Itália, atual Palmeiras, em 1914 e Vasco da Gama em 1915.

O Brasil é o país com mais títulos mundiais de futebol. São cinco títulos: 1958, 1962, 1970, 1994 e 2002. Nosso país também tem o maior jogador de todos os tempos, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé e os craques Garrincha, Leônidas da Silva, Nilton Santos, Didi, Djalma Santos, Gilmar, Orlando, Carlos Alberto Torres, Ademir da Guia, Jairzinho, Zico, Rivelino, Gérson, Tostão, Sócrates, Falcão, Careca, Romário, Ronaldo e Ronaldinho. Os craques atuais todos conhecem e cada time tem os seus valorosos jogadores e técnicos.

Apesar da Seleção Brasileira de Futebol Masculino não ter trazido o Hexa para casa, ano que vem o Brasil estará na da Copa América de Futebol Feminino. Portanto, o futebol não é só sucesso com os homens. As mulheres também se apaixonaram pelo esporte e participam de diversas competições pelo mundo. No Brasil, os campeonatos femininos não se firmaram ainda, mas a seleção brasileira de futebol feminino é heptacampeã da Copa América de Futebol Feminino e, em 2019, vai buscar o primeiro título na Copa do Mundo de Futebol Feminino, em Paris.

Neste dia e que se comemora o futebol é bom exaltar a força da mulher neste esporte.

Filme “Turma da Mônica” está sendo rodado em MG e SP

Os famosos quadrinhos de Mauricio de Sousa começam a ganhar vida na sétima arte. A adaptação para o cinema está prevista para estrear em 2019. O longa 'Turma da Mônica - Laços', dirigido por Daniel Rezende já está sendo rodado no interior de Minas Gerais e São Paulo. A trama gira em torno de uma aventura do grupo em busca do cão Floquinho, enquanto Mônica e Cebolinha disputam o posto de líder da empreitada.

Os atores mirins são: Gabriel Moreira como Cascão, Giulia Benite como Mônica, Kevin Vechiatto como Cebolinha e Laura Rauseo como Magali.Já os atores Monica Iozzi será Dona Luísa, Paulo Vilhena interpreta Cebola, pai de Cebolinha, e Ravel Cabral como Homem do Saco.

Devido ao interesse das pessoas com a criação da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa resolveu abrir as portas de seu estúdio em São Paulo para visitas pagas e guiadas. Em coletiva de imprensa Maurício disse que a ideia era sonhada e desejada. “Muita gente quer saber como fazemos tudo, como é o Mauricio de Sousa, qual a cara dos desenhistas.” No estúdio trabalham, além do próprio Mauricio de Sousa, seus filhos Marina e Mauro, e sua mulher, Alice, diretora-executiva da MSP.

As visitas terão 90 minutos de duração e inicia com uma pequena exposição sobre a trajetória da Turma da Mônica e de seu criador. O trabalho de Mauricio como repórter policial, a estreia da Mônica – em uma tirinha do Cebolinha, em 1963 – e a primeira história da trupe criada pelo cartunista – protagonizada por Franjinha e o cachorro Bidu, em 1959 – se destacam. Em seguida, o público é encaminhado ao auditório, onde é exibido um vídeo de boas-vindas com as instruções para o resto do passeio.

Os passeios ocorrerão a partir do dia 7 de agosto, às terças, quartas e quintas-feiras, em dois horários, das 10 às 11h30 e das 14h30 às 16h, de fevereiro a novembro de cada ano. Os ingressos custarão 150 reais (a inteira) e 75 reais (a meia, para crianças de até 12 anos). Também é possível adquirir um combo de três ingressos, por 270 reais (nesse caso, cada entrada sai a 90 reais). O agendamento pode ser feito no site oficial. O valor dos ingressos inclui o trânsfer do Hotel Ibis Style, na Barra Funda, para a MSP, e a volta para o mesmo local depois da visita.

Princesa Mako de Akishino está no Brasil para celebrar imigração

A princesa japonesa Mako de Akishino, 26 anos, neta do imperador Akihito chegou ontem no Rio de Janeiro para uma visita de duas semanas ao Brasil. Mako irá a 14 cidades em cinco estados para participar das comemoração aos 110 anos da imigração japonesa no Brasil. O retorno ao Japão está previsto no dia 31. Mako é filha do segundo príncipe na fila de sucessão ao trono do Japão. O Brasil concentra a maior comunidade nipônica fora do Japão.

O primeiro compromisso da princesa foi no jardim japonês, localizado no Jardim Botânico do Rio, para plantar uma muda de pau-brasil, um clone da que foi plantada pelo imperador japonês Akihito, quando ele esteve no Brasil há 51 anos. Em seguida, a princesa visitou o monumento ao Cristo Redentor, no Corcovado. A última agenda pública na cidade do Rio foi um encontro, no final da tarde, com a comunidade japonesa na associação Nikkei, no Cosme Velho, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. A princesa disse estar "feliz de fazer esta visita neste ano memorável"."Sinto amizade por este país desde menina, apesar da distância física, e agradeço a recepção que me deram e por estar hoje na Cidade Maravilhosa", afirmou a princesa.

Mako também agradeceu ao público presente pelas "dificuldades que eles e seus descendentes enfrentaram para contribuir para o desenvolvimento" da sociedade japonesa no Brasil. A princesa também distribuiu elogios aos brasileiros, pelo calor com que receberam os imigrantes e desejou que esta "história seja conservada pelas próximas gerações" para que "se fortaleça a relação entre Japão e Brasil".

Nesta quinta a princesa visita o Paraná. Em Londrina a princesa regou um ipê branco, plantado para marcar a visita, uma tradição para receber membros da família imperial. A princesa irá para Rolândia, onde também participa de eventos do Imin 110.

Há 110 anos, em junho de 1908, chegou ao porto paulista de Santos o "Kasato Maru", embarcação que trouxe 781 japoneses a bordo, na sua maioria camponeses de regiões pobres do país que tinham sido contratados como mão-de-obra barata para trabalhar nas prósperas fazendas de café do estado de São Paulo. A chegada de imigrantes continuou sem interrupção até o começo da II Guerra Mundial e atualmente o Brasil é o país que acolhe a maior comunidade de japoneses do mundo fora do Japão, com cerca de 1,9 milhão de pessoas.

A última visita ao Brasil de um integrante da família real japonesa foi a do príncipe herdeiro do Japão, Naruhito, que participou em março deste ano, aqui em Brasília, do Fórum Mundial da Água ao lado do anfitrião governador Rodrigo Rollemberg.

 
RocketTheme Joomla Templates