Coluna Bernadete Alves - dia 10/07/2018

Caio Vieira de Mello assume o Ministério do Trabalho

O presidente Michel Temer empossou hoje (10) Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello como ministro do Trabalho, em cerimônia no Palácio do Planalto. Em discurso, Temer disse que Caio Vieira de Mello assume a pasta no momento em que o emprego é a prioridade do povo brasileiro e do governo.

“O ministro Caio Vieira de Mello é um nome de grande experiência e traz para a nossa equipe décadas de atuação na área jurídica, mas sobretudo na área da Justiça trabalhista. Acumula um conhecimento valiosíssimo neste momento em que a necessidade maior do brasileiro e, portanto, a prioridade do nosso governo é precisamente o emprego”.

O presidente defendeu a reforma trabalhista levada adiante durante sua gestão e disse que a modernização das leis trabalhistas trouxe o Brasil para o século 21, reduziu litígios trabalhistas e estimulou contratações. Ao finalizar o discurso, Temer disse que nos seis meses restantes de seu governo será possível avançar ainda mais.

Formado em direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o desembargador aposentado foi vice-presidente Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da Terceira Região, em 2008 e 2009. Até ontem (9), atuava no escritório de advocacia Sergio Bermudes como consultor jurídico.

O novo ministro do Trabalho,Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello, disse que o ministério tem que ser “extremamente técnico”. “Temos que funcionar tecnicamente”, afirmou.

Perguntado se será necessário fazer uma revisão nos cargos da pasta após a terceira fase da ‘Operação Registro Espúrio’, deflagrada pela Polícia Federal, que afetou a cúpula do ministério, então comandado pelo PTB, o novo ministro afirmou que se as mudanças forem necessárias serão feitas.“Como bom mineiro vou examinar bem a situação e as medidas serão tomadas, com transparência”, disse.

No entanto, Caio Vieira de Mello ressaltou que se os indicados políticos tiverem capacidade técnica, eles permanecem no cargo. “Não estou dizendo que vou trocar [os cargos]. Eu vou conduzir o ministério tecnicamente”, disse. O desembargador aposentado também destacou que o presidente Michel Temer pediu que ele desse agilidade ao Ministério do Trabalho “e ajudasse a resolver os problemas que existem lá”.

Sobre a reforma trabalhista, o novo ministro disse a alteração de legislação é “uma coisa normal”. “A adaptação vai se fazendo pela jurisprudência e o tempo vai mostrando a vantagem ou desvantagem. Se houver necessidade, haverá mudança também. Não vejo nenhuma necessidade de mudança no momento”.

O advogado Vieira de Mello foi anunciado para ocupar a pasta quatro dias depois de o ex-ministro do Trabalho Helton Yomura(PTB) ter sido afastado por corrupção do cargo por decisão do ministro Edson Fachin, do STF. Ele foi apontado como um dos alvos da terceira fase da Operação Registro Espúrio. O objetivo da operação foi aprofundar as investigações sobre uma suposta organização criminosa suspeita de fraudar a concessão de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho. Desde a quinta-feira, dia 05, o ministério passou a ser comandado interinamente pelo ministro Eliseu Padilha (MDB), que acumulou o ministério da Casa Civil.

Marinha tailandesa resgata com sucesso meninos e treinador

O mundo parou para acompanhar o resgate de 12 meninos e seu treinador presos em uma caverna do norte da Tailândia há mais de duas semanas. Os estudantes, de 11 e 17 anos que fazem parte do time de futebol Wild Boars, e o treinador assistente, Ekapol Chantawong, de 25 entraram na caverna no dia 23 de junho depois de um treino de futebol, quando foram surpreendidos por fortes chuvas que inundaram o local e bloquearam a saída.

Eles ficaram presos no local e só foram localizados no dia 2 de julho,após intensa busca, por dois mergulhadores britânicos que achou o grupo em uma câmara de ar da caverna. "Quantos vocês são?", perguntou o mergulhador assim que avistou os meninos aglomerados sobre uma rocha, tentando se manter distantes da água que inundou a caverna.

"Somos treze", respondeu o adolescente, em inglês, para então perguntar "que dia é hoje" e dizer que todos estavam famintos. Os mergulhadores responderam que é "segunda-feira" e que o grupo já estava havia mais de uma semana na caverna. Nos dias que se seguiram, enquanto a Tailândia e o mundo se mobilizavam para tentar salvar os adolescentes e o treinador de futebol, veio a tona a história de vida de Samon, o único que falava inglês e conseguiu se comunicar com a dupla de mergulhadores britânicos.

Os pais de Samon conseguiram enviar o menino aos 7 anos para estudar no norte da Tailândia, onde foi acolhido por um casal de professores membros de uma igreja cristã. Além de falar inglês, Samon fala birmanês, tailandês e chinês. Mas o que mais chama a atenção de quem conhece o jovem é a educação e a humildade.Segundo professores, o adolescente é apaixonado por futebol e toca piano e guitarra, além de ir bem nos estudos. "Ele é bom tanto nos estudos quanto nos esportes. Conquistou várias medalhas e certificados de excelência para a nossa escola", disse à AFP Phunawhit Thepsurin, diretor do colégio onde o jovem estuda.

Enquanto estavam presos os meninos trocaram cartas com os parentes, transportadas pelos mergulhadores. Samon escreveu que sentia saudades dos pais e pediu para eles não se preocuparem. Os outros jovens são: Chanin Vibulrungruang, 11; Panumas Sangdee, 13; Duganpet Promtep, 13; Somepong Jaiwong, 13; Mongkol Booneiam, 13;Nattawut Takamrong, 14; Ekarat Wongsukchan, 14; Adul Sam-on, 14; Prajak Sutham, 15; Pipat Pho, 15;Pornchai Kamluang, 16; e Peerapat Sompiangjai, 17.

Os jovens tailandeses foram encontrados a quatro quilômetros da entrada principal da caverna e o resgate foi impressionante e envolveu 90 mergulhadores da Marinha tailandesa. O contingente internacional de mergulhadores resgatistas, junto aos meninos e o treinador, superaram um complexo de labirínticas galerias parcialmente inundadas e com desníveis e visibilidade nula para alcançar a saída da caverna.

O porta-voz informou que outras 4 pessoas - um médico e 3 membros da Marinha - também deixaram a caverna após permanecer dias em tarefas de assistência médica e psicológica para o grupo de meninos. Os 13 resgatados permanecerão, pelo menos, uma semana internados no hospital provincial de Chiang Rai para passarem por uma completa revisão médica.De acordo com representantes do governo, os jovens resgatados estão em "bom estado de saúde físico e mental", mas ficarão em observação no hospital por pelo menos sete dias.

Segundo a cultura tailandês é um sinal de agradecimento aceitar o que é dado sem fazer perguntas.Segundo profissionais do serviço tailandês da BBC, os pais que aguardavam o resgate dos filhos não pediam mais informações do que as que lhes eram oferecidas, conscientes dos esforços empreendidos pelas autoridades e equipes de resgate.O povo tailandês, conhecido por ser modesto e respeitoso, valoriza enormemente a mobilização destes agentes e não queria comprometer o andamento das operações pedindo mais informações.

Os parentes ficaram todos juntos em um acampamento montado na entrada da caverna. Desde que se ficou sabendo do desaparecimento de 12 adolescentes e seu treinador, o povoado mais próximo da caverna, Maesai, se uniu. Voluntários têm se oferecido para ajudar com alimentos e apoio psicológico às famílias dos jovens, além de terem arrecadado dinheiro para ajudar os parentes que precisaram se ausentar do trabalho para acompanhar as operações.

 
RocketTheme Joomla Templates