Coluna Bernadete Alves - dia 19/06/2018

OAB/DF confraterniza em Festa Junina

O Clube dos Advogados foi palco da grandiosa festa junina da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal, no último sábado. Advogados e suas famílias confraternizaram ao som das duplas sertanejas Henrique & Ruan, Danilo & Daniel e a Quadrilha Xamegar. O público de mais de 1,5 mil, disse sim ao chamado da diretoria da OAB, sob a liderança de Juliano Costa Couto.

Juliano Costa Couto, presidente da Seccional do Distrito Federal, disse que momentos de descontração e alegria são necessários para amenizar a rotina da advocacia. “A Festa Junina da OAB/DF 2018 vem crescendo e trazendo mais apreço à advocacia e eu aproveito para anunciar que, em 2019, a atual gestão pretende fazer a próxima edição na sexta-feira e no sábado. Vamos dobrar o carinho pela advocacia, dobrar o carinho pela família dos advogados e advogadas”, declarou o presidente Costa Couto.

“Hoje nós estamos oferecendo uma das melhores festas juninas do Distrito Federal e é um motivo a mais para ficarmos felizes com essa conquista. É assim que asseguramos o carinho que a advocacia e seus familiares merecem”, declarou Marcelo Martins da Cunha, presidente do Clube dos Advogados. Marcelo disse que a meta da gestão é reestruturar o complexo aquático e poder proporcionar momentos de diversão à advocacia.

Ricardo Peres, presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal, disse que estes momentos de alegria e confraternização aproxima mais a classe. “Além de se tornar parte garantida dos nossos calendários, a Festa Junina já se tornou tradição entre a categoria militante de Brasília. Todo ano nos divertimos bastante. É muito bom ver a advocacia e sua família em momentos festivos e alegres como esse”.

O advogado Francisco Lacerda Neto, ex-dirigente da OAB/DF, disse que frequenta todas as edições e que ficou satisfeito com tudo. “A festa está maravilhosa, nenhum defeito, tudo funcionando muito bem e a organização está perfeita. Está tudo muito bom. Desde a primeira festa da OAB/DF que eu participei, sempre saí muito satisfeito”.

A festa junina dos advogados foi prestigiada pelos conselheiros federais Severino Cajazeiras e Ibaneis Rocha, ex-presidente da OAB/DF, Esdras Dantas, que presidiu a Ordem de 1991 a 1995, inúmeros conselheiros, o ex-secretário de Meio Ambiente, Igor Tokarski, que também é advogado; o ex-governador Paulo Octávio Pereira, Manoel Paulo de Andrade Neto, conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal.

A Festa Junina da OAB/DF 2018 foi um sucesso. Comida variada, ótimo papo, gente bonita, linda ornamentação e muitas atrações musicais fizeram o público dançar e festejar até a madrugada. Parabéns a todos que proporcionaram alegria aos advogados e suas famílias.

Embaixada dos EUA inicia Programa Jovens Embaixadores

Estudantes do ensino médio da rede pública podem se inscrever, a partir de hoje, para a 17ª edição do programa Jovens Embaixadores, promovido pela Embaixada dos Estados Unidos em parceria com o Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed) e secretarias estaduais de educação. Neste ano serão selecionados 50 jovens, entre 15 e 18 anos, para um intercâmbio de três semanas nos Estados Unidos.

Para concorrer a uma vaga, os candidatos devem ter boas notas, domínio da língua inglesa e ter participado de trabalho voluntário por no mínimo um ano. As inscrições podem ser feitas até o dia 12 de agosto pelo www. facebook.com/jovensembaixadores. O embarque para os EUA está previsto para o dia 11 de janeiro de 2019.

O programa foi iniciado em 2002 pela Embaixada dos EUA no Brasil e o primeiro grupo viajou em 2003. Em 2010, o programa passou a ser reproduzido em todos os países do continente americano e foi criado um programa inverso para jovens norte-americanos representarem os EUA na América Latina.

O intercâmbio preconiza a liderança e os estudantes são incentivados a multiplicar o conhecimento adquirido no programa. Em 16 edições, 572 jovens brasileiros participaram do programa e voltaram dos Estados Unidos com a certeza de que poderiam chegar onde quisessem e ainda fazer a diferença na vida de outras pessoas.

Erik Holm-Olsen, conselheiro de Educação da Embaixada dos Estados Unidos, explica que o programa é uma oportunidade de descobrir jovens talentos brasileiros. “É inspirador ver pessoas de famílias economicamente desfavorecidas com desempenho incrível. Conhecer estudantes que, em meio a tanta dificuldade, conseguem se destacar e já fazem a diferença em suas comunidades. Queremos impulsionar e incentivar essas tendências”, afirmou.

Um exemplo do êxito do programa é o economista e cientista político Giovani Rocha, 26 anos, participante do programa em 2009. Negro, filho de empregada doméstica e auxiliar de mecânico, morador da periferia do Rio de Janeiro, voltou dos Estados Unidos com o objetivo de fazer com que outros jovens tenham as mesmas oportunidades que ele teve.

“Logo terminei o ensino médio e consegui uma bolsa de estudos em uma faculdade elitizada do Rio de Janeiro. Em um curso de 150 alunos, éramos apenas dois negros. Diziam que eu era um ponto fora da curva. Meu papel é fazer com que outros negros pobres tenham as mesmas oportunidades que eu tive”, declarou Giovani.

Para cumprir seu objetivo, seguiu como voluntário do projeto Líderes do Amanhã, trabalhou como consultor do Banco Mundial apoiando o Ministério da Educação na reforma do Ensino Médio e, em agosto, embarca para os Estados Unidos. Ganhou bolsa integral de uma universidade americana para fazer mestrado em relações raciais no Brasil, política pública, racismo e impacto.

Com a mesma vontade de fazer a diferença, também vindo de uma família humilde de Florianópolis, o hoje estudante de Direito Israel Rocha, de 22 anos, foi Jovem Embaixador em 2013. “Voltei me questionando como passaria essa experiência para outros jovens. Somos incentivados a acreditar nos nossos sonhos e a sonhar muito mais”, disse Israel.

Desde então, passou na faculdade federal de Santa Catarina, deu aula de defesa pessoal para meninas que sofreram abuso sexual, em Arequipa, no Peru, fundou no Brasil a inclusão do ensino da declaração universal nas escolas, abriu a Conferência da Organização das Nações Unidas, em Nova York, para falar de direito à Educação e foi à China, convidado pelo governo chinês para fazer um tour educacional no país.

Para Larissa Moreira, 21 anos, que participou do programa em 2014, o projeto Jovens Embaixadores foi “o gatilho para uma mudança drástica de vida”. Assim que voltou, se candidatou para cursar Gestão de Negócios em Universidades Americanas, e foi aceita com bolsa integral na Babson College, em Massachusetts. “O programa foi um grande impulsionador da minha carreira, pois foi devido a ele que descobri a minha paixão e missão em trabalhar com educação”, declarou. Além disso, Larissa é empreendedora de um projeto chamado ignitED, que é uma plataforma de mentoria para o processo de aplicação em universidades no exterior para estudantes de baixo e médio níveis socioeconômicos.

 
RocketTheme Joomla Templates