Coluna Bernadete Alves - dia 15/06/2018

JBr. de Comunicação premia os “Maiores da Capital”

As empresas que mais contribuíram para o desenvolvimento do Distrito Federal, foram homenageadas pelo Grupo JBr. de Comunicação, durante festa na sede nacional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, na L2 Sul. A segunda edição do Anuário Melhores da Capital 2018 premiou 53 empresas e instituições do Distrito Federal que foram mais criativas e pujantes durante o ano de 2017. Segundo o Grupo JBr., as homenageadas superaram crises e criaram oportunidades de trabalho.

A cerimônia de premiação foi conduzida pelo jornalista Giulianno Cartaxo, da Record TV. O jornalista Samy Dana, da GloboNews, especialista em economia, falou sobre “Cenários e Tendências da Economia”. Na visão do apresentador, apesar dos desafios que o País enfrenta, esse é o momento de ficar firme e aumentar a produtividade. De acordo com Samy Dana, o Brasil é um bom terreno para grandes empresas.

O diretor superintendente do Grupo JBr., Renato Matsunaga, saudou os participantes e falou que o projeto tem por objetivo dar protagonismo aos empreendimentos que fazem a diferença na Capital do país. “Embora a gente ouça que Brasília é uma capital do poder político, ela também é do empreendedorismo. Quando a capital foi movida para cá, veio por meio de um empreendimento na construção urbana do governo do Brasil”.

Matsunaga disse que o prêmio foi pensado sob três pilares: reconhecer, celebrar e inspirar. “Reconhecer os principais empresários e cases de sucessos, celebrar o sucesso empresarial dessas pessoas e empresas e inspirar através dessas histórias que contribuem tanto para a cidade”. Segundo ele, o JBr. acredita que Brasília tem que ser uma cidade do empreendedorismo e não só do poder político e do funcionalismo público.

Guilherme Lombardi, diretor de marketing e novos negócios do Grupo JBr., falou da dificuldade de selecionar alguns dos inúmeros cases de sucesso, pois a intenção não é fazer apenas um simples ranking, mas homenagear aqueles e aquelas que inovam e assumem a obrigação de levar o nome da capital mais longe. “Escolher essas empresas, entre tantas, é o mínimo que pode ser feito para homenagear as pessoas da iniciativa privada.O JBr. é pioneiro nisso. Há muita gente boa, mas que não é mostrada”, declarou.

O presidente nacional do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, disse que o grande empresário começou pequeno e, por isso, mostrar exemplos de gente que já é grande só traz benefícios. Ele lembrou que a emancipação política de Brasília, ocorrida em 1988, teve como centro de debates a Associação Comercial do Distrito Federal. “Conheci a Brasília dos empreendedores, dos batalhadores, e é essa Brasília que hoje está sendo homenageada”, declarou Afif. O superintendente do Sebrae DF, Rodrigo Sá, parabenizou o Grupo JBr. pela valorização e reconhecimento dos empresários do Distrito Federal. “É uma vitrine”.

A solenidade do Anuário Melhores da Capital 2018 brindou os homenageados com uma palestra sobre economia. O jornalista Samy Dana, da GloboNews, especialista em economia, falou sobre “Cenários e Tendências da Economia”. Na visão do apresentador, apesar dos desafios que o País enfrenta, esse é o momento de ficar firme e aumentar a produtividade. De acordo com Samy Dana, o Brasil é um bom terreno para grandes empresas.”Mesmo com a economia longe dos melhores dias, não dá para ignorar o Brasil”, afirmou Samy.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg,destacou a importância das empresas de ponta para a dinâmica do ambiente dos negócios e a superação de desafios conjunturais.“O DF não suporta mais viver apenas de serviço público. Ele é importante, mas temos que crescer por meio do setor privado. Temos aqui uma gama variável de empresários que torna a economia pujante”, declarou Rollemberg.

“Nós só conseguimos mitigar a crise como a greve dos caminhoneiros, graças ao trabalho conjunto do governo com a iniciativa privada. Por isso, fiz questão de vir reconhecer o trabalhos dos empreendedores de Brasília”, finalizou o governador.

Prestigiaram o evento, o presidente da Fibra Jamal Bittar, o presidente do Grupo PaulOOctavio, o empresário Paulo Octávio Pereira, o secretário Valdir Oliveira Filho, parlamentares, empreendedores e imprensa.Dentre os homenageados o Grupo Acreditar, a Biomundo, o Hospital Santa Marta, a Voetur, Bancórbras, Twitter, Grupo Saga, Uber, Lopes Royal, Bali, Grupo Aliança, Taguatinga Shopping e Associação Comercial.

Quatro empresas das organizações PaulOOctavio receberam o troféu: Concessionária Bali, a Rede Plaza Hotéis, o Taguatinga Shopping e a PaulOOctavio Investimentos Imobiliários. O empreendedor Paulo Octávio Pereira dividiu os prêmios com seus colaboradores. “Receber este prêmio é muito gratificante, porque significa que todos estes anos a PaulOOctavio tem contribuído de forma significativa com a geração de empregos e o aquecimento da economia, mas principalmente pagando tributos para que os governos possam exercer sua função de ajudar os mais carentes”.

Há dois anos, a publicação do anuário destaca o trabalho de empresas e instituições do Distrito Federal que superaram crises e criaram oportunidades de trabalho. E em 2018 não foi diferente. Depois da premiação os homenageados confraternizaram com jantar ao som de Ítalo Cunha Quarteto.

 

Dia Internacional de Combate à Violência contra Pessoa Idosa

Neste Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, o Palácio do Buriti, foi iluminado na cor lilás nesta sexta-feira, 15 de junho. O dia faz referência não só à violência física, mas às diferentes formas de agressão psicológica e emocional. É dever de todos zelar pela dignidade do idoso, colocando-o a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor. A data de hoje é organizada desde 2006 pela ONU e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.

Maus-tratos contra idosos não são apenas agressões físicas de fato, como aqueles espancamentos horríveis que vivem aparecendo no noticiário. Deixar um idoso sozinho a maior parte do tempo, não trocar a fralda geriátrica na frequência necessária ou não oferecer alimentação adequada também são exemplos de ações consideradas maus-tratos pelo Estatuto do Idoso.

Qualquer tipo de denúncia pode ser registrada numa delegacia do idoso, presente em vários municípios, ou mesmo numa delegacia comum. Pedidos de pensão alimentícia, na Defensoria Pública. Em situações de risco, como abandono ou maus-tratos, também é possível procurar o promotor de Justiça no Ministério Público. No Distrito Federal existem vários canais para denunciar os casos de violência física, psicológica, sexual, financeira ou de negligência e abandono: Disque Denúncia: o telefone 197, da Polícia Civil, recebe denúncias sobre todos os tipos de crime, incluindo os praticados contra idosos; Disque Direitos Humanos: o telefone 100, do Ministérios dos Direitos Humanos, é voltado para defesa de minorias como negros, mulheres, idosos, crianças e adolescentes, população LGBT e indígena; Ouvidoria do DF: o telefone 162, da Ouvidoria-Geral do DF, pode ser usado para esse tipo de denúncia; Decrin: desde 2016, o Distrito Federal tem uma delegacia específica de repressão a crimes de intolerância (Decrin). Além da discriminação racial, religiosa, por orientação sexual ou deficiência, a unidade também cuida de crimes contra pessoas de 60 anos ou mais.

A população de idosos no Brasil está crescendo. Projeções da Organização das Nações Unidas indicam que em 2040 haverá mais idosos no país do que crianças e adolescentes.Este fenômeno traz novos desafios para a sociedade e governo, envolvendo o cumprimento dos direitos básicos como alimentos. O direito do idoso aos alimentos está explicito no artigo 229 da CF, que destaca: “Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores”. A contrapartida desses filhos na vida adulta, segundo o artigo é: “o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidades”. A obrigatoriedade está fundamentada também no Código Civil no artigo 1696,que dispõe ser a prestação de alimentos um dever recíproco entre país e filhos. No artigo 1697 está expresso que quando não houver parentes ascendentes, a responsabilidade é dos descendentes, observada a ordem de sucessão. Na falta destes, o dever é dos irmãos, tanto germanos quanto os unilaterais.

O valor é calculado de acordo com a possibilidade financeira do parente. Mesmo quem recebe aposentadoria pode solicitar a pensão alimentícia caso o beneficio não seja suficiente para as necessidades da pessoa. Quem desvia o dinheiro ou usa os cartões dos mais velhos indevidamente pode ser punido por isso. Essa violência financeira representa 70% das denuncias registradas pelos idosos, revela Adriana. Idosos que recebem aposentadoria ou pensão e tem alguma doença grave são isentos do imposto de renda.

Pessoas com 65 anos ou mais que nunca contribuíram para a previdência e fazem parte de uma família com renda per capita inferior a R$ 181 (um quarto do salário-mínimo) têm direito ao BPC (Benefício de Prestação Continuada), cujo valor é um salário mínimo por mês. Para calcular a renda per capita da família, some os rendimentos de todos e divida o resultado pelo número de pessoas que vivem na casa. Para solicitar o BPC, basta ir a uma agência do INSS com comprovante de residência, certidão de nascimento, CPF, documento de identidade e carteira de trabalho do idoso e dos outros membros da família.

Embora o governo não tenha programas específicos de distribuição de medicamentos para essa faixa etária, os maiores de 60 podem recorrer às lojas que fazem parte do programa Farmácia Popular, do Ministério da Saúde, para comprar alguns remédios com desconto e para retirar, de graça, fraldas geriátricas e medicamentos para diabetes, hipertensão e asma, disponíveis para toda a população. Idosos doentes não podem ser obrigados a ir a um órgão publico para atender chamados do governo. O órgão deve mandar um representante até a casa da pessoa para resolver a questão. Se estiver lúcido, o idoso tem direito de tomar as decisões relativas a tratamentos aos quais tenha que se submeter.

Idosos com renda inferior a dois salários-mínimos podem viajar de graça em ônibus interestaduais. Se a renda for maior que isso, pagam apenas metade do valor da passagem. Também tem direito a meia-entrada em cinemas, teatros, shows e eventos esportivos.

A proteção a pessoa idosa é garantida pela Constituição Federal em vários dispositivos, como no artigo 229, que diz que é dever dos filhos maiores ajudarem os pais na velhice. O artigo 230 dispõe que a família, a sociedade e o Estado são obrigados a amparar as pessoas idosas, assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bem-estar, garantindo a eles o direito à vida. Esta determinação constitucional foi assegurada pela lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994, estabelecendo a Política Nacional do Idoso, regulamentada pelo Decreto Federal nº 1.948, de 3 julho de 1996. Depois veio o Estatuto do Idoso Lei 10.741/2003.Também existe proteções na legislação tributária, criminal e civil.

Estes são alguns dos direitos dos Idosos que todos nós devemos cumprir. Vamos cuidar com amor e respeito dos verdadeiros sábios.

 
RocketTheme Joomla Templates