Coluna Bernadete Alves - dia 14/06/2018

Rollemberg anuncia fim do racionamento de água

O Distrito Federal não terá mais racionamento de água a partir de amanhã, dia 15. Depois de um ano e cinco meses, em que a redução de consumo se aliou a investimentos no setor, o governo local se encontra com recursos hídricos suficientes para atender a população até o próximo período chuvoso. A noticia foi dada hoje durante entrevista coletiva no Palácio do Buriti.

O governador Rodrigo Rollemberg detalhou as medidas que permitiram o encerramento do rodízio. “As condições neste momento é de muita segurança, a ponto de podermos dar fim ao racionamento de água. Com a finalização das obras de Corumbá [Sistema Produtor de Água Corumbá], que teremos em um ano, resolveremos a situação pelos próximos 20 anos”, disse o governador ao fazer o anúncio do fim do racionamento. “Por isso, digo, com convicção, que não teremos mais racionamento por algumas gerações.”

Rollemberg disse que os bons resultados são consequência também de “uma nova consciência de consumo na população do DF, que reduziu seu consumo diário, por habitante, de 189 litros em 2014 para 129 em 2017. Em 2015, o consumo de água por habitante estava em 153 litros, e em 2016, 147 litros por dia. Rollemberg ressaltou que, embora tenha havido contribuição das chuvas, elas ainda foram abaixo da média. “Grande parte da melhoria é resultado de um esforço conjunto, centrado no tripé investimentos; redução do consumo pela população; e colaboração dos agricultores.”

Segundo o governador Rodrigo Rollemberg, os R$ 520 milhões investidos no setor de abastecimento garantirão o fornecimento de água “por algumas gerações” no DF. Na estação do Lago Paranoá, foram R$ 42 milhões do governo federal mais R$ 3,5 milhões da tarifa de contingência cobrada pela Caesb. Já no Subsistema Produtor de Água do Bananal, o valor foi de cerca de R$ 20 milhões.

Para fortalecer o abastecimento nas próximas décadas, estão em construção o Subsistema e o Sistema Produtor de Água Corumbá, que, na primeira etapa de funcionamento, terá capacidade de captar 1,4 mil litros de água por segundo (l/s). O número sobe para 2,8 mil l/s na fase final. Como essa última obra é fruto de um consórcio entre DF e Goiás, metade do volume abastecerá cada unidade da Federação. No futuro, a captação poderá ser ampliada para 5,6 mil litros por segundo.

O racionamento acabou, mas o uso consciente da água deve permanecer. Com esforço coletivo vamos evitar o desperdício.

 
RocketTheme Joomla Templates