Coluna Bernadete Alves - dia 05/06/2018

Epidemia do Plástico é alerta no Dia Mundial do Meio Ambiente

Em 2018, o Dia Mundial do Meio Ambiente tem como tema o impacto do uso e acúmulo do plástico no planeta. A hashtag #AcabeComAPoluiçãoPlástica foi adotada pela ONU para as redes sociais neste dia. O objetivo da campanha neste ano é estimular o consumo consciente para reduzir a produção de produtos plásticos descartáveis.

Anualmente, 500 bilhões de sacolas plásticas são usadas e jogadas fora no mundo, segundo a ONU e até 2050, pode haver mais plásticos que peixes nos oceanos, caso a humanidade não reveja a forma como consome o material. Sensibilizar a população sobre a contaminação marinha é uma das metas dos ambientalistas.

Um dos maiores lixões de plástico a céu aberto fica no nordeste da Índia. Estima-se que cada ser humano produz, em média, um quilo de lixo por dia, sendo que mais da metade dele poderia ser reciclado.

A Comissão Europeia apresentou no dia 28 de maio uma proposta legislativa para reduzir o consumo de plástico que proíbe os produtos de um só uso, como canudinhos, copos e talheres de plástico.

Os resíduos plásticos produzidos em uma semana por família é assustador. Imagina então em um ano. Cuidar do meio ambiente só traz benefícios para a nossa saúde e para o futuro das novas gerações. O ar que respiramos também merece ser cuidado.

Seleção Brasileira de Vôlei vence as chinesas

O Brasil venceu hoje a anfitriã China por 16 a 14 e sai de campo com moral para enfrentar o líder Estados Unidos amanhã. A vitória foi suada e contou com a sabedoria do técnico brasileiro que foi decisivo na melhora do desempenho da equipe e viu desvio no bloqueio com razão. O último ponto da partida se deve a perspicácia de Zé Roberto.

A partida seria decidida no tie-break mas Zé Roberto conseguiu trazer a Seleção Brasileira de volta para o jogo e teve em Amanda, a sua principal arma ofensiva. Tandara, Adenízia e Drussyla também cresceram na partida, enquanto Ting Zhu não ia bem.

A ponteira e destaque do Brasil, Amanda, disse que o fuso horário da China é algo de difícil adaptação mas que o time está em um bom momento. “Nesta semana vamos enfrentar equipes tradicionais da competição que estão brigando pelos primeiros lugares. Temos que manter o foco e seguir trabalhando bastante. As equipes estão buscando a classificação para fase final, por isso cada jogo será extremamente importante. Será uma semana difícil, mas estamos confiantes”.

Com a vitória, o Brasil chega aos 26 pontos, assume a segunda colocação e dá um importante passo na sequência da competição. As cinco melhores seleções se classificam, juntamente com a China (anfitriã), para a próxima fase.

O principal destaque do Brasil ficou por conta de Tandara, que com 19 pontos, ajudou a equipe a quebrar um tabu de três anos sem vencer as chinesas."Foi um jogo emocionante. Cada dia que passa nosso time está ganhando mais forma e a confiança uma na outra só aumenta. Estamos dando o máximo em todos os momentos. No quarto set erramos muito, mas conseguimos voltar para o jogo no quinto quando bloqueamos melhor", declarou Tandara.

O Brasil vai encarar a Rússia no dia 07 também às 5h, em Jiangmen. O time de Zé Roberto é o maior vencedor do torneio, com doze títulos e atual campeão.

Assembleia Geral da ONU passa a ser presidida por latino-americana

A Assembleia Geral é um dos principais órgãos das Nações Unidas e nela estão presentes os 193 Estados-membros da organização. A Presidência da Assembleia Geral é ocupada, a cada ano, por um representante de uma determinada região do planeta e, desta vez, será a América Latina e o Caribe. Como os representantes dos países da região não conseguiram consenso na escolha de uma candidatura única, como ocorre habitualmente, a decisão teve de ser levada para plenário.

A chanceler do Equador, María Fernanda Espinosa, foi eleita hoje nova presidente da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, cargo que ocupará durante um ano a partir de setembro. A chefe da diplomacia equatoriana recebeu apoio de 128 países, contra 62 obtidos pela hondurenha Flores Flack, embaixadora de seu país na ONU.

Espinosa venceu a hondurenha María Elizabeth Flores Flack, nas eleições realizadas no plenário da Assembleia Geral. Ela é a quarta mulher escolhida presidente da Assembleia Geral da ONU e a primeira latino-americana e ocupará a presidência durante o 73° período de sessões e substituirá o eslovaco Miroslav Lajcak.

"Agradeço profundamente o voto de confiança que hoje depositaram no Equador para presidir esta Assembleia", disse a ministra equatoriana em seu discurso depois de ser eleita. Espinosa dedicou sua vitória a todas as mulheres do mundo que hoje participam da política e que enfrentam "ataques, machismo e discriminação".

 
RocketTheme Joomla Templates