Coluna Bernadete Alves - dia 02/06/2018

Pedro Sánchez toma posse no governo da Espanha

O Doutor em Economia, Pedro Sánchez, do Partido Socialista Operário Espanhol, tomou posse nesse sábado no governo da Espanha, após a primeira moção de censura que prosperou na democracia espanhola e que derrubou Mariano Rajoy.

A cerimônia foi presidida pelo rei Felipe VI. O novo presidente é ateu e defende que a Espanha seja um estado laico. O juramento ocorreu sem a presença de símbolos religiosos católicos, rompendo uma tradição seguida por todos os presidentes da Espanha democrática.

“Prometo, pela minha consciência e honra, cumprir fielmente com as obrigações do cargo de presidente do governo, com lealdade ao rei, e fazer cumprir a Constituição como norma fundamental do Estado”, afirmou Sánchez. Após a cerimônia, o novo presidente foi para o Palácio de la Moncloa, residência oficial dos presidentes de governo.

Pedro Sanchéz está na política desde o ano 2000.O primeiro cargo público do novo primeiro-ministro foi o de vereador em Madrid, que assumiu em 2004 com a renúncia da mulher que ocupava o posto. Da mesma forma tornou-se deputado no Congresso duas vezes, em 2009 e em 2011: porque aqueles que o ocupavam o posto saíram. É casado e tem duas filhas. Foi jogador de basquete até os 21 anos e devido ao gosto pelo esporte, leva uma vida saudável e familiar.

O principal desafio de Sánchez é a situação política na Catalunha, que também deverá reformar o sistema de financiamento regional, firmar um novo pacto educativo e o orçamento para 2019. No Congresso da Espanha, o líder do PSOE se comprometeu a abrir uma “nova página da democracia” e fixou como prioridades a estabilidade orçamentária e o compromisso com a União Europeia. Entre outras medidas, Sánchez pretende retirar a obrigatoriedade do estudo da religião da educação pública e revisar o Concordato com o Vaticano.

Os especialistas dizem que a resistência e a perseverança e a vontade de ferro de Pedro Sanchéz são duas das características mais relevantes do seu perfil psicológico, que mostrou ao enfrentar situações em que tinha tudo contra ele. É determinado e constante, garantem em seu círculo mais próximo, reflexivo, às vezes pouco empático e hermético. Seus críticos o acusam de ser inconsistente e irregular.

Agora, sua vitória culmina em uma trajetória política marcada pela tenacidade e pela sorte.

Adriana Nunes apresenta ‘Mercedez com Z’

A atriz brasiliense Adriana Nunes sobe aos palcos para encenar, de forma graciosa e divertida o universo feminino. A integrante de Os Melhores do Mundo, está em cartaz hoje às 21 horas e amanhã às 20 horas no Teatro dos Bancários na 314/315 Sul, com o espetáculo “Mercedez com Z. O cenário e figurino são inspirados na obra da artista plástica japonesa Yayoi Kusuma.

O texto original, de 2001, evoluiu e agora o machismo deixou de ser mote de piadas e o sotaque caipira da protagonista foi dispensado. Mercedez é uma personagem que passou por um casamento, foi traída e se separou. Na peça, a personagem numa noite solitária liga para um programa de rádio, para narrar suas venturas e desventuras amorosas que sofreu ao longo da vida.

Mercedez e sua intérprete, a comediante Adriana Nunes, já são bastante íntimas. A dupla passou por uma jornada lado a lado, observando não só o caminho trilhado, mas as mulheres com quem convivem. “O que eu mostro é como a vida dela foi afetada pelo machismo. A sociedade ainda tem essa forte característica, e isso está presente no espetáculo não como piada, mas como reflexão”, argumenta Adriana.

Adriana diz que a mudança do texto tem a ver com a popularização do movimento feminista. “A gente precisa brincar. É uma forma de ver até onde você pode ir. Mas acho muito positivo o que está acontecendo. Muitas piadas contadas há 15 anos não têm mais graça, as pessoas não aceitam mais. Não é regra nova, são mudanças na sociedade. Se você é comediante e faz piadas machistas, seu público não vai rir”.

“A Mercedez é qualquer mulher, ela sou eu. É uma pesquisa que tem a ver com a minha vida e também com a observação daquelas à minha volta. As mudanças na peça têm a ver comigo, com minha mãe e minha avó”, explica Adriana.

Adriana volta ao palco novamente acompanhada por Similião Aurélio — que entra em cena como o locutor de rádio Wanderley Wanderson e ao longo do espetáculo se desdobra em outros papéis. Adriana também não fica só na protagonista Mercedez , dá vez a outras quatro personagens em alguns momentos da peça. Similião interpreta seis personagens durante o espetáculo.

A peça tem trilha sonora própria, composta por Walter Linhos, e um roteiro de vídeo-clipes que contribui para as gargalhadas do público. O texto é de Victor Leal – também comediante de Os Melhores do Mundo. Direção de Adriana Nunes. Figurino e cenário: Adriana Nunes, sob supervisão dos irmãos Fernando e Adriano Guimarães. Censura: 14 anos. Ingressos: bilheteriadigital.com.br, informações (61) 98538-2812.

 
RocketTheme Joomla Templates