Coluna Bernadete Alves - dia 21/04/2018

Parabéns, Brasília! 58 Anos de história e conquistas!

A capital do país nasceu de um sonho e da coragem de JK. É fruto do trabalho dos brasileiros que vieram com a cara e a coragem para fazer a diferença e fizeram. Transformaram a terra vermelha em espetaculares monumentos. E por isso temos que reverenciar os 58 anos de história e conquistas e agradecer.

Para celebrar tão importante data o bispo auxiliar dom Marcony Ferreira celebrou pela manhã a missa de aniversário da cidade, na Catedral Metropolitana, na Esplanada dos Ministérios “Aquilo que para muitos parecia loucura ou objetivo impossível [a construção da capital federal] está agora diante dos olhos de todos de forma magnífica”, disse, ao convidar os fiéis a agradecer e a pedir proteção e luz para Brasília.

O governador Rodrigo Rollemberg participou da cerimônia acompanhado da esposa Márcia Rollemberg e de colaboradores de seu governo. “Brasília foi uma cidade muito generosa com todos nós e só temos uma forma de retribuir: dar o melhor do nosso trabalho para construir uma cidade que respeite as diferenças e as divergências. Uma cidade onde podemos nos unir em torno de um bem comum”, declarou Rollemberg.

Como aniversário é tempo de amadurecimento e reflexão, tanto o governo como os brasilienses apontam os caminhos para a cidade ficar cada vez melhor. A começar pelo orgulho de viver e trabalhar qui. Brasília não é só o centro de decisões políticas do país.. É trabalho, é progresso, é educação, é saúde, é qualidade de vida e solidariedade. Viva o povo que aqui trabalha e faz história nesta cidade inspiradora!

Uma cidade de arquitetura sinuosa, de um céu sem igual que encanta com suas flores que desabrocham em todos nós, sonhos tangíveis. Une povos, raças e culturas. Brasília vive adversidades, acolhe a diversidade e proporciona deslumbramento tanto no amanhecer quanto no entardecer.

É uma cidade linda, ampla. Viver e trabalhar aqui é muito especial. Brasília é meu lar, meu tudo. Uma mãe generosa que ama e abraça os nascidos aqui e também os filhos do coração. Obrigada Brasília!

Morre cineasta Nelson Pereira dos Santos

A cultura brasileira está de luto com a morte de Nelson Pereira dos Santos, um dos percussores do movimento do Cinema Novo e figura chave do cinema latino-americano. O diretor de cinema morreu aos 89 anos vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência de uma pneumonia. Ele estava internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, tratando de câncer de fígado.

Nascido em São Paulo, em 22 de outubro de 1928, Nelson Pereira dos Santos era bacharel em direito, formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Além de diretor, foi produtor, roteirista, montador e ator. Nelson também foi o fundador do curso de graduação em Cinema da Universidade Federal Fluminense, professor do Instituto de Arte e Comunicação Social da UFF.

Diretor do filme "Rio 40 Graus", era considerado um dos mais importantes cineastas do país. Seu filme Vidas Secas, baseado na obra de Graciliano Ramos, é um dos longa-metragem brasileiros mais premiados em todos os tempos, sendo reconhecido como obra-prima.

Nelson era um dos mais importantes e premiados cineastas do país que levou para as telas, importantes obras da literatura brasileira. Seu primeiro trabalho foi o curta-metragem Juventude, em 1949 e em 1955 veio o Rio, 40 Graus. A partir daí vieram inúmeras produções. No Festival de Cannes, em 1964, Nelson recebeu o Prêmio OCIC por Vidas Secas. No Festival de Gramado em 1975 ele recebeu o Kikito de Melhor Filme por O Amuleto de Ogum. Em 1977 no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro Nelson recebeu o Troféu Candango de Melhor Diretor por Tenda dos Milagres. Em 1984 no Festival de Cannes o cineasta recebeu o Prêmio FIPRESCI por Memórias do Cárcere; e no mesmo ano no Festival de Havana ganhou o Gran Coral por Memórias do Cárcere; em 1985 Nelson recebeu o Prêmio APCA de Melhor Filme por Memórias do Cárcere.

O cinema brasileiro perde sua grande referência. Nelson era a figura paternal das gerações seguintes que revolucionaram o cinema brasileiro. Ele foi o primeiro cineasta da história do país a se tornar membro da Academia Brasileira de Letras, em 2006, ocupando a cadeira sete. O velório do cineasta Nelson Pereira dos Santos foi marcado para o dia 23, feriado de São Jorge no Rio de Janeiro. A despedida será na Sala dos Poetas Românticos na Academia Brasileira de Letras, no entro do Rio, a partir das 8h30. O sepultamento será no Mausoléu da academia, no Cemitério São João Batista, às 15h.

Curtas

Suspensão de testes nucleares da Coreia do Norte é recebida como positiva pela ONU e Brasil. "o governo brasileiro recebeu, com satisfação, o anúncio do governo norte-coreano de que suspenderá seus testes de mísseis intercontinentais e de armas nucleares, passo necessário para a redução das tensões na região, em conformidade com as resoluções pertinentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas", diz a nota do Itamaraty. “O líder norte-coreano, Kim Jung-un, e o sul-coreano, Moon Jae-in, têm perante si a valente e grande tarefa de retomar um diálogo sincero que conduz para uma paz sustentada na península coreana”, segundo a nota da ONU.

Estudantes criam startup de telefonia e vão representar o Brasil nos EUA. A startup Fluke foi desenvolvida por alunos da Universidade de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas e da Universidade Paulista.A Fluke foi pensada para ser uma operadora de telefonia virtual, focada na personalização do atendimento e na transparência. A competição que premia o melhor modelo de negócio universitário do mundo ocorrerá nos dias 10 e 11 de maio em Utah, nos Estados Unidos.

Stuttgart é a cidade menos estressante do mundo. A constatação é de um estudo realizado em 150 cidades do mundo pela rede de lavanderias alemã Zipjet desde o fim de 2017. A pesquisa levou em conta o trânsito, transporte público, situação financeira, porcentagem de espaços verdes, saúde física e mental dos habitantes e as horas de luz solar que a cidade recebe por ano. Quatro das dez cidades menos estressantes estão na Alemanha. Em segundo ficou Luxemburgo, Luxemburgo; em terceiro Hanover, Alemanha; em quarto Bern, Suíça; em quinto Munique, Alemanha; em sexto Bordéus, França; em sétimo Edimburgo, Reino Unido; em oitavo Sydney, Austrália; e em nono empate de Graz, Áustria e Hamburgo, Alemanha. Já Bagdá, no Iraque foi considerada a cidade mais estressante do planeta.

 
RocketTheme Joomla Templates