Coluna Bernadete Alves - dia 07/04/2018

Futuro das águas está nas mãos da vegetação

Estudo feito na Universidade de Colúmbia, em Nova York, mostra que as plantas desempenham papel dominante no ciclo hídrico da Terra e que caberá a elas regular e dominar o estresse crescente imposto sobre os rios, nascentes e mananciais. O engenheiro ambiental Pierre Gentine, pesquisa a relação entre hidrologia e ciência atmosférica, a interação Terra e atmosfera e o impacto desse binômio nas mudanças climáticas há bastante tempo e afirma que a constatação pode mudar a compreensão sobre as alterações no estresse hídrico continental no futuro.

“Nossa descoberta de que a vegetação desempenha um papel fundamental na resposta hidrológica terrestre e no estresse hídrico é de extrema importância para prever adequadamente estiagens e disponibilidade de água”, declara Gentine. O trabalho foi publicado na revista Proceedings of National Academy of Sciences (Pnas).

A equipe de Gentine é a primeira a isolar o papel da vegetação no complexo de respostas do aquecimento global, que inclui variáveis do ciclo da água como evapotranspiração (quando a água proveniente de plantas e do solo nu evapora da superfície), umidade do solo e escoamento. Ao estudar especificamente a relação entre a cobertura vegetal e o aumento global de CO2, deixando de lado a influência direta dos gases de efeito estufa nos recursos hídricos, os pesquisadores conseguiram identificar que, mais que coadjuvante, a vegetação é o fator dominante para explicar o futuro estresse hídrico.

Léo Lemordant, aluno de doutorado de Gentine e principal autor do artigo, assegura que as plantas são realmente o termostato do mundo. “Elas estão no centro dos ciclos de água, energia e carbono. Enquanto absorvem carbono da atmosfera para se desenvolver, liberam água que retiram dos solos. Fazendo isso, também resfriam a superfície, controlando a temperatura que todos nós sentimos. Agora sabemos que principalmente as plantas, e não simplesmente a precipitação ou a temperatura, nos dirão se viveremos em um mundo mais seco ou mais úmido”, declara Lemordant.

O trabalho não para por aí. Como a resposta da vegetação é complexa, os pesquisadores pretendem desvendar ainda mais os efeitos fisiológicos das plantas em resposta à mudança do clima. Como o futuro da água está nas mãos da vegetação e ela mantém a qualidade da água e preserva o solo, é importante proteger e valorizarmos cada vez mais o nosso cerrado, um tipo de ambiente em que vários elementos vivem intimamente interligados uns aos outros.

Segundo o Instituto Brasília Ambiental, o Bioma Cerrado abrange 13 estados brasileiros e o Distrito Federal, em uma área de aproximadamente 200 milhões de hectares, sendo a savana mais rica em diversidade do mundo e o segundo maior Bioma do país. Posicionado na região central no país, faz limite com a Mata Atlântica, a Floresta Amazônica, a Caatinga e o Pantanal. O Cerrado é marcado principalmente pelo clima tropical, com uma estiagem que se prolonga por aproximadamente cinco meses.

No mês mais seco, a quantidade média de chuva atinge 30 mm, podendo chegar a zero. Como é uma unidade ecológica típica da zona tropical, possui relações ecológicas e fisionômicas com outras savanas da América Tropical e de continentes como África e Austrália. A paisagem no Bioma Cerrado é composta por um complexo vegetacional, possuindo uma alta biodiversidade, com cerca de um terço da diversidade do país.

Segundo especialistas do tema, a vegetação depende do solo; o solo depende de um tipo de clima especial, que é o tropical subúmido com duas estações, uma seca e outra chuvosa. Vários outros fatores, incluindo o fogo, influenciaram na formação do bioma. E por incrível que pareça o fogo é um elemento extremamente importante porque é ele que quebra a dormência da maioria das plantas com sementes que existem no Cerrado.

Há anos ambientalistas e autoridades sobre o tema alertam sobre a destruição de biomas e asseguram que isso compromete o abastecimento potável em todo o País. Dentre eles o professor Doutor da PUC Goiás, Altair Sales Barbosa. “O Cerrado contém a maior biodiversidade florística. Isso não está na Amazônia, nem na Mata Atlântica, nem em uma savana africana ou em uma savana australiana. Nem qualquer outro ambiente da Terra. São 12.365 plantas catalogadas no Cerrado. Só as que conhecemos. A cada expedição que fazemos, cada vez que vamos a campo, pelo menos 50 novas espécies são descobertas. Dessas 12.365 plantas conhecidas, somos capazes de multiplicar em viveiro apenas 180. Isso é cerca de 1,5% do total, quase nada em relação a esse universo. E só conseguimos fazer mudas de plantas arbóreas”, declara o professor e pesquisador.

Ele também alerta sobre os perigos da devastação do bioma. “A devastação do Cerrado vai produzir também o desaparecimento dos reservatórios de água, localizados no Cerrado, o que já vem ocorrendo, a crise de abastecimento em São Paulo e em Brasília, é só o início do problema. Os sinais dos tempos indicam já o começo do período sombrio. Enquanto se está na fartura, você é capaz de repartir um copo d’água com o irmão; mas, no dia da penúria, ninguém repartirá”, sentencia o professor e pesquisador.

Ceilândia festeja 47 anos com ações sociais e desfiles

A maior e mais populosa cidade do Distrito Federal, Ceilândia, está festejando seus 47 anos com programação variada há uma semana. Hoje foi a vez de um lindo desfile cívico na M1 com a presença do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, parlamentares, políticos, empresários e pioneiros.

A abertura foi feita pela banda do Exército Brasileiro, seguida de alunos de escolas da cidade, do Corpo de Bombeiros Militar, da guarda-mirim e de integrantes do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Também se uniram a homenagem grupos de quadrilha e de forró, estudantes e mímicos do Centro Comunitário da cidade que apresentaram espetáculo que simbolizou a origem da região administrativa e Brasília.

Depois do desfile cívico foi a vez de cortar o grandioso bolo de aniversário e distribuir para a população. O governador Rodrigo Rollemberg, gostou do bolo e elogiou a beleza do desfile. “Assistimos a um belíssimo desfile mostrando toda a diversidade cultural da cidade”, declarou Rollemberg. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, cerca de 1,5 mil pessoas compareceram à celebração.

A festa de aniversário da ‘cidade nordestina do coração do Brasil’ teve, também, ações sociais e atividades culturais. A população fez exames de saúde, emissão de documentos, corte de cabelo, as crianças curtiram inúmeras brincadeiras, assistiram roda de capoeira, peças de teatro, cinema e shows.

A programação começou no dia 27 de março, data oficial do aniversário da região administrativa. Em 1971 o então governador Hélio Prates lançou a pedra fundamental da cidade, no local onde hoje está a Caixa D’água, patrimônio histórico protegido por decreto. O nome de Ceilândia foi dado por Otomar Lopes Cardoso, então secretário de Serviços Sociais. Segundo a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) da Companhia de Planejamento (Codeplan), feita em 2015, Ceilândia tinha 489.351 habitantes.

As comemorações continuam hoje a noite com o “Bailão Sertanejo” às 20 horas na praça da Administração Regional com Enio Lima e Gustavo Neto, Forró Bijú e Pedro Paulo & Matheus. Amanhã, dia 08, tem show de Marcelo Café (MPB), Requebrarte (swingueira), Paulo Falcão, Beto Ferreira e Ratos Letais (baile, pop e rock), Eliane e Samuel (sertanejo), Marquinhos Tropa (hip-hop), Bob Nickson e PR 15 (hip-hop). Das 9h às 16h - Brinquedos, brincadeiras, corte de cabelo, emissão de documentos, sorteio de brindes, atendimentos sociais, exames de saúde.

Diego Giallanza comemora 30 anos com festa no Meliá 21

O jornalista e empresário Diego Giallanza comemorou seus 30 anos com um jantar para seletos convidados no penthouse do Meliá Brasil 21. O som ficou a cargo do DJ Dudu Moreira, o cardápio foi de responsabilidade do chef Vitor André e os doces e bolo da Doce Rosa Goumert.

Diego é um jovem muito talentoso e empresário que escolheu Brasília para trabalhar. É diretor da Ü Models Brasil e fundador da Casa das Artes Brasília e da Brain Assessoria. O empresário conquistou nos últimos meses a marca de 121k seguidores no Instagram.

Ele comemorou as três décadas de vida com parabéns cantado pelo amigo de infância e ator da Rede Globo Rainer Cadete com coro de Daniel Silveira, Cláudia Meirelles,Vitor Hugo Diamantina, Leonardo Resende, Danilo Fernandes, Luara Baggi, Thiago Malva,Isabel Almeida, Alex Barros, Jessica Fernanda, Gabriel Montera, Ju Drumond, Helder Zebral e o colunista Marcelo Chaves do Jornal de Brasilia.

Curtas

Colégio de Presidentes de Seccionais da OAB debateu presença necessária da advocacia na conciliação, durante encontro ocorrido ontem, em Foz do Iguaçu, no Paraná. A entidade tomará providências contra provimento do Conselho Nacional de Justiça que, recentemente, autorizou que cartórios realizem conciliações e mediações. O acesso à Justiça, segundo os dirigentes, passa necessariamente pela presença da advocacia. Concordo, a presença de um advogado garante acordos mais firmes.

Violência e ódio contaminam o cenário político e fragilizam a democracia. A violência é a prova da falta de argumentos e o radicalismo, de quem quer que seja, impede a construção de soluções concretas para os problemas da população e do Estado. É triste ver este desamor com o semelhante. A melhor forma de aprovar ou reprovar os políticos é por meio do voto e não pela violência, ódio ou radicalismo.

Sorveteria Ben & Jerry’s promove “Free Cone Day” dia 10. A famosa marca norte-americana, criada em 1979, com mais de 550 lojas, vai homenagear os clientes do mundo inteiro com uma bola de sorvete de graça para quem for as lojas no dia 10 deste mês. Aqui em Brasília o “Free Cone Day” vai ser no ParkShopping das 12h às 20 horas. Imperdível!

Ministro Ricardo Lewandowski lança novo livro. A noite de autógrafos será no dia 11, a partir das 18h, na Biblioteca Ministro Victor Nunes Leal, no Anexo II do Supremo Tribunal Federal. “Pressupostos Materiais e Formais da Intervenção Federal no Brasil”, é o sexto livro do jurista e magistrado brasileiro Enrique Ricardo Lewandowski, ministro do STF.

 
RocketTheme Joomla Templates