Coluna Bernadete Alves - dia 31/03/2018

Contra sedentarismo, tudo ajuda garante a ciência

A ciência vem demonstrando através de diversas pesquisas que, quando o assunto é atividade física, o que conta é a intensidade e não a duração. Todos sabemos que para minimizar a deterioração física do envelhecimento, combater as doenças associadas com o sedentarismo, como a hipertensão, cardiopatia, acidente vascular cerebral, determinados tipos de câncer, e a obesidade, temos que fazer alguma atividade física. A novidade é que exercícios em poucas doses leva a uma maior adesão do que se for em grande quantidade.

Um dos grandes problemas enfrentados pelos profissionais do esporte é conseguir a adesão à atividade física de pessoas que não têm uma mentalidade voltada para ela. Ao que parece, se os momentos de atividade moderada a intensa são divididos em frações de cinco minutos, em vez dos 10 sugeridos pelo Departamento de Saúde dos EUA, o exercício fica psicologicamente mais fácil de fazer.

Essas são as conclusões de um estudo realizado por diversas instituições, incluindo a Universidade Harvard (EUA) e a University College of London (Reino Unido). A pesquisa indica que caminhar rápido durante cinco minutos, parar e retomar a marcha funciona melhor do que fazê-lo por 10 minutos até perder o fôlego. E, com essa técnica, pode-se duplicar o número de pessoas entre 70 e 93 anos que conseguem completar os 150 minutos de exercício por semana recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para quem acha que este tempo é muito, os cientistas do Departamento de Saúde de Taiwan, dizem que é possível reduzir em 14% a incidência todos os tipos de doenças não genéticas associadas com o sedentarismo se a pessoa caminhar 92 minutos por semana.

Segundo a Academia Americana de Medicina Esportiva,quem tem mais de 65 anos deve dedicar 2 dias por semana ao treinamento de força para não perder potência músculo-esquelética. Já um estudo do Veterans Affairs Medical Center (EUA) diz que a pessoa pode conseguir os mesmos efeitos malhando só uma vez por semana.

Um artigo publicado na revista Physiological Reports mostra que passar mais tempo na academia levantando peso não vai deixar a pessoa com mais músculos. O estudo revela melhores resultados em séries de quatro a cinco repetições a 90% da intensidade máxima do que em 10 ou 12 repetições a 70%. Em outras palavras: levante mais peso, menos vezes, e verá melhores resultados do ponto de vista do aumento de força e da hipertrofia.

O médico Francisco Camarelles, do Grupo de Educação Sanitária e Promoção da Saúde da Sociedade Espanhola de Medicina de Família e Comunitária (semFYC), conta que quando ele diz a uma paciente sedentária que ela deve caminhar meia hora por dia, ela acha a tarefa impossível e alega falta de tempo. “Mas se lhe propusermos dividir a caminhada em pequenos fragmentos de tempo, ela muda de atitude”. Segundo o médico, o importante é se exercitar. “Não é preciso que ela saia especificamente para caminhar. Pode sair para comprar pão ou para buscar os filhos na escola sem o carro. No final das contas, tudo isso ajuda.”

Dr. Camarelles chama a atenção para as pessoas que passam muito tempo sentadas. “Elas têm um pior perfil cardiovascular e metabólico do que as que fazem breves pausas para se mover ou alongar em sua jornada de trabalho”. A dica do médico é: se levantar da cadeira um minuto e 40 segundos a cada meia hora. Quanto ao treino, a ciência tem várias rotinas para as pessoas com tempo escasso, preguiça ou que preferem realizar o exercício em pequenas doses. Das 24 horas do dia, basta reservar quatro minutos.

Para quem precisa fazer exercício físico, a ciência deixa claro: é melhor fazer pouco exercício e ser constante do que não fazer nada.

Especialistas asseguram que exercícios físicos moderados são essenciais para manter a saúde e uma atitude equilibrada diante da vida, evitando as causas do estresse e tensão.

Símbolos da Páscoa

Para muitas pessoas a Páscoa é uma das datas mais esperadas. Isso porque além dos muitos significados como renovação, esperança, felicidade, que a comemoração traz, há uma tradição de presentear com ovos de chocolate. A sua origem é pagã e possui grande importância para o judaísmo e o catolicismo, mas atualmente até os ateus fazem parte da celebração por meio dos símbolos.

No geral, os mais conhecidos símbolos da Páscoa são o coelho e o ovo. O coelho foi escolhido por ser um símbolo de fertilidade e vida, afinal esse animal costuma se reproduzir com grandes e frequentes ninhadas. Presentear com ovos já era um costume antigo dos povos do mediterrâneo para celebrar a chegada da primavera e da época de plantio, a prática foi incluída na data comemorativa pelo ovo representar a vida.

Atualmente a celebração recebeu uma releitura que globalizou a festividade: o ovo passou a ser de chocolate e o coelho a ter como função entregá-lo. Com isso, o Domingo de Ramos, como é conhecido pelos cristãos, passou a ser o dia para entrega de presentes de Páscoa como os ovos de chocolate. Outros preferem entregar no Domingo de Páscoa de forma criativa e só para as crianças.

O consumo de ovos de páscoa tem diminuído nos últimos anos por causa do preço elevado cobrado pelas grandes lojas de varejo. Para atrair o público infantil, lojas e supermercados têm alguns ovos que vêm acompanhados de brinquedos, fones de ouvido e até mesmo bolsas em formato de concha. O consumidor busca qualidade e bom preço em tudo que adquire. E como as lojas especializadas em chocolate trabalham com preço tabelado, inviabiliza os descontos.

Como alternativa de presente as pessoas estão optando por barras de chocolate e bombons. Outros preferem personalizar os presentes e fazem os próprios ovos, em vez de comprá-los, dando menos importância para a forma, mas sem deixar de lado o sabor ou a qualidade do chocolate. Quem ainda não comprou o ovo de Páscoa pode ser beneficiado pela grande quantidade de ovos ainda em estoque na véspera da Páscoa. Isso tem levado alguns supermercados a baixar os preços. É só pesquisar.

Páscoa é renascimento, é recomeço. É uma nova chance para a gente melhorar. Vamos dizer SIM ao amor e à vida. Vamos vivenciar a solidariedade. Mais importante que dar um ovo de chocolate é estar com as pessoas que amamos. O abraço sincero é o melhor presente em tempos de turbulências econômicas. Abraços são como bálsamos para a alma.

Dizem que na vida quem perde o telhado ganha as estrelas. É assim mesmo. Às vezes a gente perde o que não queria, mas conquista o que nunca imaginou.

Curtas

A brasileira Thaís Vasconcelos, 29 anos, ganhou o prêmio anual John C Marsden Medal, da Linnean Society, de Londres. A ex-aluna da UnB ganhou uma das mais prestigiadas condecorações do mundo da ciência. Thaís é a primeira latino-americana a ganhar a melhor tese de doutorado em Biologia. Ela foi estudar no Reino Unido graças a uma bolsa da Capes e do Programa Ciências sem Fronteiras.

Remédios sobem de 2,09% a 2,84% a partir de hoje. A resolução do Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) foi publicada no dia 29, no Diário Oficial da União. O Cmed é um órgão do governo integrado por representantes de vários ministérios. O percentual de reajuste tem como base a inflação acumulada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no acumulado de 12 meses, de março de 2017 a fevereiro deste ano.

Escritora Laurel Niedospial critica pais que não conseguem controlar as crianças e que não se importam delas estarem atrapalhando o voo dos outros passageiros. “Não é aceitável os pais deixarem as crianças correr pelo corredor, gritando a plenos pulmões ou fazendo o que parece um sapateado no encosto do acento da frente”. A escritora tem razão. Viajar de avião com criança não é fácil nem para os pais e nem para as outras pessoas, por isso é preciso disciplinar os filhos para não incomodar os passageiros. Quando viajamos esperamos uma certa dose de conforto e privacidade.

Governo Federal faz 53% das compras sem licitação. Dos R$ 3,558 bilhões gastos de janeiro até o fim deste mês, apenas R$ 1,666 bilhões foi para o pregão, a concorrência, a tomada de preço ou o convite para selecionar as empresas envolvidas, como manda a Lei Geral de Licitações – nº 8.666/1993. “ Alguns órgãos criam situações de emergência a fim de solicitar até mesmo a liberação de recursos contingenciados. Muitas vezes, isso acontece de forma intencional para fugir do certame licitatório, por isso, não só o Ministério Público e os Tribunais de Contas precisam ficar de olho, como todos os cidadãos”, alerta o professor de Administração e Políticas Públicas José Simões. O pregão eletrônico foi criado exatamente para facilitar a contratação e diminuir os custos bem como reduzir os casos de subornos, propinas e vantagens.

 
RocketTheme Joomla Templates