Coluna Bernadete Alves - dia 30/03/2018

Grupo Globo entrega o Prêmio Faz Diferença

O GLOBO, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, entregou o Prêmio Faz Diferença, uma homenagem aos brasileiros, que, nas mais diversas áreas de atuação, serviram de inspiração para o país e o mundo em 2017. Os três indicados em cada uma das 16 categorias foram escolhidos pelos votos de jornalistas do GLOBO, de dirigentes da Firjan, dos ganhadores do ano passado e do público em geral. A cerimônia de entrega do prêmio Faz Diferença O Globo 2017, 15ª edição, foi apresentada por Míriam Leitão e Ancelmo Gois e aconteceu no Golden Room do Belmond Copacabana Palace,no Rio de Janeiro.

Dentre as personalidades, instituições e pessoas que contribuíram com suas iniciativas, trabalho e talento para tornar o país melhor está a cientista Joana D’Arc Félix, PhD em Química pela Universidade de Harvard. A pesquisadora foi agraciada como Personalidade do Ano de 2017, o principal prêmio do evento, das mãos do diretor-geral de mídia impressa do Grupo Globo, Fred Kachar, e do diretor de redação do GLOBO, Alan Gripp.

Frederic Kachar, ressaltou a importância dedicada à educação pela edição deste ano do Prêmio Faz Diferença.“Hoje, mais uma vez, trouxemos pessoas que são exemplo de ética, de coragem, determinação e cidadania, mesmo. E a educação, foi a tônica deste ano. Foi uma marca desta edição e mostra como a educação transforma e está na base de tudo, é a base do respeito”, declarou Kachar.

A pesquisadora de 54 anos entrou para a Unicamp aos 14, terminou o mestrado aos 19 e aos 25 anos passou para Harvard, nos EUA. Joana D’Arc Félix, emocionada, relembrou sua trajetória marcada por muita luta e preconceito, desde os seis anos de idade.

A cantora Anitta recebeu o Prêmio Faz Diferença na Categoria Música,das mãos de Fátima Sá, editora de Cultura, e de Rolland Gianotti, editor do site do GLOBO.

Jackson Follmann, goleiro sobrevivente do acidente aéreo com o time da Chapecoense recebeu o Prêmio Faz Diferença na categoria Esporte em seu nome e dos também sobreviventes Alan Ruschel e Neto, das mãos de Alexandre Freeland e Márvio dos Anjos. Ele dedicou o troféu aos companheiros mortos na tragédia de novembro de 2016.

O escritor Silviano Santiago recebeu o Prêmio Faz Diferença na categoria Segundo Caderno/Livros, das mãos de Aluizio Maranhão e do colunista Merval Pereira. O casal Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank recebeu o Prêmio Faz Diferença na categoria Diversidade das mãos da editora-executiva Viviane Cohen, do editor dos Jornais de Bairros, Milton Calmon Filho, e do editor de redes sociais, Sergio Maggi.

O pesquisador Sérgio Lucena recebeu o Prêmio Faz Diferença na categoria Sociedade/Ciência e Saúde, das mãos de Paulo Celso Pereira, chefe de redação da Sucursal de Brasília e de Bernardo Mello Franco.

A estilista Lenny Niemeyer recebeu o troféu na categoria ELA das mãos de Bruno Astuto, editor chefe da plataforma Ela e da colunista Marina Caruso.

Roberto de Oliveira Ferreira recebeu o prêmio na categoria Rio pelas mãos da editora-executiva Maria Fernanda Delmas e da editora de Rio, Gabriela Goulart.

O ator Vladimir Brichta recebeu o prêmio na categoria Segundo Caderno/Cinema, das mãos do editor de fotografia, André Sarmento, e a colunista Cora Rónai.

Os demais agraciados nas categorias foram: País: Professora Heley de Abreu Batista ("In memoriam"). Heley teve 90% do corpo queimado e morreu para salvar crianças no incêndio criminoso a creche de Janaúba (MG). O irmão Marcôney de Abreu recebeu a homenagem da editora de País, Maiá Menezes, e da diretora editorial, Ruth de Aquino. Ele disse que o reconhecimento dela vai dar forças à família. Rio: Roberto de Oliveira Ferreira; Economia: Fernanda Giannasi, auditora fiscal do trabalho; Desenvolvimento do Rio: Subsea7 ; Mundo: Andrêza Trajano; Segundo Caderno/ Artes Visuais: Abraham Palatnik; Segundo Caderno/Teatro: José Celso Martinez Corrêa; Sociedade/ Educação: Escola Municipal Infante Dom Henrique (SP); Segundo Caderno/ Artes Visuais: Abraham Palatnik; e o jornalista Pedro Bial recebeu o prêmio na categoria Segundo Caderno/TV.

A festa reuniu inúmeras personalidades e Vips no Copacabana Palace.

Via Sacra no Morro da Capelinha une fé e tradição

O caminho percorrido por Jesus Cristo até a crucificação e ressurreição foi encenado no Morro da Capelinha, em Planaltina, no Distrito Federal, a cerca de 45 quilômetros de Brasília. O espetáculo cristão, realizado pelo Grupo Via Sacra Ao Vivo, acontece há 45 anos com 800 atores nos papeis dos personagens bíblicos e 600 no apoio técnico.O tema da tradicional encenação neste ano foi Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.

A primeira montagem da via sacra no Morro da Capelinha aconteceu em 1973. Em 1986, o evento foi incluído no calendário oficial do DF e, em 2008, foi decretado como Patrimônio Imaterial do DF. A encenação é considerada uma das mais importantes do contexto cultural e religioso do Distrito Federal.

Ao longo do dia, muitos fiéis foram ao cruzeiro no alto do morro para acender velas, fazer pedidos e pagar promessas. Algumas subiram de joelhos ou carregando cruzes para agradecer as graças recebidas. Os fiéis percorrem 14 estações até o alto do morro. Em cada uma delas, uma passagem da Bíblia é lembrada, desde a prisão de Cristo até sua morte. A 15ª estação encena a ressurreição de Cristo.

A Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal, o Detran-DF e as policias civis e militares, garantiram a tranquilidade da celebração no Morro da Capelinha.Bombeiros militares e profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), da Secretaria de Saúde e da Cruz Vermelha, garantiram o atendimento de ocorrências médicas em cinco pontos fixos com médicos e enfermeiros A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) distribuiu cerca de 13 mil litros de água em pontos espalhados desde a entrada do evento até o topo do morro, onde ocorreu a encenação.

O corpo de Jesus foi tirado da cruz ao som da canção Metade de Mim, de Chico Buarque. O momento foi de silêncio e comoção generalizados entre a plateia. Antes do momento da ressurreição, a Banda da Via Sacra divertiu o público. O brasiliense Marcelo Augusto, advogado da Terracap, interpretou Jesus. Milena Guimarães, Maria, Gledson Gratão interpretou Pôncio Pilatos e Sandra Alves, o papel de Maria Madalena.

Um show de pirotecnia com representantes dos arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, surpreendeu o público de cerca de 60 mil pessoas que acompanhou o julgamento, a prisão, o sofrimento, a crucificação e a ressurreição de Jesus ao longo de uma ladeira com 1 km de extensão, aproximadamente. Em uma tenda exclusiva, havia intérprete de libras e um telão.

Curtas

Papa pede vergonha e esperança para a humanidade. Francisco pediu aos fiéis e aos clérigos que redescubram a capacidade de sentir vergonha por seu papel em relação aos problemas do mundo. Na via-crúcis, tradicional rito das celebrações de Páscoa, no Coliseu de Roma,o pontífice fez apelo pelo perdão e pelo fim das guerras, divisões e egoísmo. “Olhe para o Cristo Crucificado, n’Ele brota a esperança que dura para a vida eterna”, declarou.

Projeto Cosmos de universitários de Manaus, foi selecionado para ser apresentado em Atividades de Educação Espacial, em Budapeste, na Hungria, de 11 a 13 de abril. O projeto social voluntário surgiu em 2015 para levar astronomia e conhecimentos de matemática, física, química e ciência a escolas públicas da cidade. A iniciativa tem o apoio da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA).

A casca de ovo possui osteopontina, uma proteína determinante para a resistência, proteção e nutrição do pintinho embrionário. A conclusão é de Cientistas da Universidade McGill, no Canadá. Os estudos foram publicados na última edição da revista Science Advances e podem ajudar no melhoramento da produção de alimentos para o consumo humano.

‘Billie Holiday, a canção’ está em cartaz de hoje até domingo às 21 horas no Teatro dos Bancários, na EQS 314. Ingressos a R$ 80 e R$ 40 podem ser adquiridos na bilheteria do teatro. O musical, originário de Sergipe, é dirigido por Raimundo Venâncio e conta a história da cantora americana, interpretada pela atriz Tânia Maria. Depois de Brasília segue para São Paulo e Atlanta nos EUA. Vale a pena conferir.

 
RocketTheme Joomla Templates