Coluna Bernadete Alves - dia 28/03/2018

Irany Poubel está em cartaz na Pousada dos Pirineus

Irany Vidigal Poubel é dedicada em tudo que faz. Na arte não poderia ser diferente. A marca das obras da artista que chegou em Brasília em 1961 é a força que dela emana. Irany produz trabalhos figurativos e abstratos por meio de lápis, carvão, pastel, aquarela, têmpera, acrílica ou com qualquer material.

Ao longo de seus 25 anos de carreira Irany já participou de diversas mostras e faz questão de dividir os seus conhecimentos com atividades culturais em Brasília e na Embaixada da Grécia. A espetacular artista já foi premiada no Brasil e na Itália.

“Desenho e pinto sem grande pressão do racional, procurando expressar pensamentos, sonhos, sentimentos, que deixo fluir no momento em que uma ideia surge. Em cada risco e cada traço, antecipo o prazer advindo da interação da obra comigo.Independente da fase pictórica que atravesse, minhas telas possuem um denominador comum, e quando chega a realização artística, sem qualquer cerceamento à liberdade própria de meu ato de criar, permito-me ficar descompromissada de toda imposição.Esse momento indescritível, de pura energia e emoção intensas, só é comparável ao que suponho seja o orgasmo cósmico”, declara a artista.

Irany Vidigal tem o dom de captar cenas raras em refinados traços e movimentos. Com cores vivas e brilhantes suas obras nos remetem as mais diversas expressões culturais. É uma força feminina na difusão da arte e cultura.

A forma peculiar de retratar o cotidiano e as imagens dos olhos do coração podem ser vistas na exposição em cartaz até 17 de maio na Pousada dos Pirineus, a convite da empresária Mércia Crema, em Pirinópolis, Goiás. Na abertura, no dia 17 deste mês a artista foi prestigiada pelas amigas brasilienses, Jane Godoy, Vera Coimbra e Moema Leão.

Vale a pena conferir, como a mineira de nascimento e brasiliense de coração, dá cor e vida as cenas do cotidiano.

Taguatinga ganha primeira Árvore Digital

A Praça do Relógio, em Taguatinga, ganhou uma árvore digital, equipamento que funciona com uso de energia solar e que oferece acesso à internet via Wi-Fi e permite carregar celulares e outros aparelhos de forma gratuita. Alunos do Centro de Ensino Médio Escola Industrial de Taguatinga,testaram a conexão assim como a advogada Karolyne Guimarães, administradora regional de Taguatinga.

Thiago Jarjour, secretário-adjunto de Ciência e Tecnologia, disse que a de Taguatinga é a primeira de 50 árvores digitais que devem ser espalhadas pelas regiões administrativas, em locais de grande alcance da população,até o fim do ano. “Funciona semelhante a outras parcerias, como das bicicletas compartilhadas e das conexões em aeroportos. A gente cede o espaço público por um período, e a empresa pode usar a publicidade”, explicou.

Valdir Oliveira, secretário de Economia, Desenvolvimento, Inovação, Ciência e Tecnologia, disse que a medida é um marco no DF. “Precisamos mudar o polo de desenvolvimento, descentralizar do Plano Piloto, e Taguatinga tem uma economia pujante”. O secretário disse que é muito bom ver os jovens ávidos por conhecimento e que o Wi-Fi gratuito vai ampliar os horizontes.

Para usar a internet, que tem velocidade prevista de 480 megabytes e alcance de 200 metros, não é preciso se cadastrar. Além do acesso gratuito e de tomadas para recarregar aparelhos eletrônicos, o terminal digital tem duas lâmpadas de LED acopladas, com o intuito de aumentar a segurança no período noturno.

O Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek será o próximo a receber a Árvore Digital com 240 mega de velocidade. Os equipamentos não acarretarão custos adicionais ao governo de Brasília. São fornecidos e bancados pela iniciativa privada, por meio da empresa Sunkit, que também fará a manutenção.Pelo espaço público cedido, a prestadora do serviço pode tanto comercializar nos terminais, fisicamente, quanto de forma digital, no momento da conexão. A empresa também poderá fazer propaganda virtual, quando o usuário acionar o Wi-Fi. Para isso, é necessário seguir as regras previstas no Marco Civil da Internet.

Curtas

Brasil ocupa a 161ª posição no Ranking de Presença Feminina no Poder Executivo, dentre os 186 países analisados pelo Projeto Mulheres Inspiradoras 2018. Os dados são baseados em informações das Nações Unidas, do Banco Mundial e do instituto de pesquisas The Heritage Foundation.O ranking é baseado em um índice que sintetiza dados que medem a representatividade feminina nas chefias de governo; a representatividade nas chefias de Estado; o número e a proporção de habitantes governados por mulheres e a proporção de cargos em ministérios ocupados por lideranças femininas.

Governo do Distrito Federal vai demolir e reconstruir viaduto do Eixão Sul que desabou em fevereiro. O anúncio foi feito hoje, pelo secretário da Casa Civil, Sergio Sampaio, acompanhado do diretor-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do DF, Márcio Buzar, e do presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital, Júlio Menengotto.Além do viaduto, serão revitalizadas as áreas inferiores, onde fica a Galeria dos Estados.A licitação pública para escolher o consórcio responsável pelas obras deverá ser publicada até o início de junho.

Valter Casimiro Silveira, atual diretor-geral do DNIT, vai assumir o Ministério dos Transportes, no lugar de Maurício Quintella, que entregou hoje a carta de demissão ao presidente Michel Temer. Quintella pediu para que sua exoneração ocorresse somente amanhã (29), após a cerimônia de inauguração do novo aeroporto de Vitória, no Espírito Santo. Valter Casimiro Silveira foi indicado pelo PR.

Vocalista Bruno Cardoso deixa o Sorriso Maroto. O cantor foi diagnosticado com miocardite, uma inflamação na camada muscular do coração, e precisa ficar em repouso absoluto por recomendações médicas expressas. Bruno também está com pneumonia. Enquanto Bruno cuida da saúde, Thiago Martins, Dilsinho e Mumuzinho, serão os responsáveis pelo repertório do Sorriso Maroto. Nas redes sociais, Bruno desabafou sobre a situação e disse que Thiago Martins, Dilsinho e Mumuzinho irão substituí-lo muito bem nos shows.

Gisele Bündchen diz que as agências têm uma parcela de culpa pelo assédio ocorrido no mundo da moda. A declaração foi feita ontem em entrevista ao The Wall Street Journal. A defensora fervorosa a favor do meio ambiente e dos direitos das mulheres declarou:"Se existe alguém responsável pelas modelos, são os agentes", opina Gisele. "Como você espera que uma menina como eu, que saí do Brasil para ir morar em Nova York aos 16 anos, saiba o que acontece? Não conhecia nenhuma dessas pessoas, não tinha ideia. Mas os agentes trabalham com isso há 20 anos, eles sabem."

 
RocketTheme Joomla Templates