Coluna Bernadete Alves - dia 21/03/2018

OMC recomenda atividades físicas para combater o sedentarismo

Preocupações com a saúde como fazer exames regularmente para saber se os índices e taxas, como nível de gordura no sangue, estão dentro dos patamares aceitáveis, se exercitar regularmente e ter atitudes de vida saudável infelizmente, não fazem parte do cotidiano da maioria das pessoas.

Para alertar quem não se move em busca de uma vida saudável, e a importância de práticas saudáveis, como atividades físicas e alimentação adequada, organizações e governos estão sempre alertando para a importância de combater o sedentarismo.

A Organização Mundial de Saúde mostra que o sedentarismo está associado a doenças crônicas como o infarto, a hipertensão e a diabetes. Além do mais o sedentarismo tem como resultado direto o aumento do sobrepeso e da obesidade, hoje problemas crescentes no país.

Segundo o último levantamento, por telefone, do Ministério da Saúde, o Vigitel, realizado em 2016, a obesidade era uma condição para 18,9% da população, quase 10 pontos percentuais acima do índice registrado dez anos antes (11%). O sobrepeso atingia 53,8% dos entrevistados. No mesmo período, de 2006 a 2016, o diagnóstico de diabetes passou de 5,5% para 8,9% e o de hipertensão foi de 22,5% para 25,7%.

O levantamento do Ministério da Saúde também revelou que 62% dos entrevistados não praticavam esportes. Apenas 37,6% das pessoas estavam envolvidas com alguma modalidade. Entre esses, a ocorrência era maior em homens (46,6%) do que em mulheres (29,9%). O sedentarismo também aparecia mais entre os mais jovens: em moças e rapazes de 18 a 24 anos o índice subia para 52,2%, enquanto entre aqueles com 65 anos ou mais ele caía para 22,3%.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em maio de 2017, um estudo que também investigou os motivos da recusa em praticar esportes. Entre os mais jovens entrevistados a maioria alegou falta de interesse, enquanto entre os mais velhos a justificativa mais comum foi o pouco tempo disponível.

A médica Rosylane Rocha, integrante do CFM,diz que a prática de atividade física traz diversos benefícios à saúde; favorece a normalização dos níveis de colesterol, triglicerídeos e glicemia; previne doenças cardiovasculares e mitiga a evolução da osteoporose. Além disso, também libera endorfinas e faz com que o indivíduo se sinta com mais energia para as atividades diárias e de trabalho, bem como melhora a qualidade do sono e o próprio humor.

“Quem é sedentário e quer começar a praticar alguma atividade física, deve procurar um médico para ver o padrão cardiorespiratório e depois um profissional de educação física que possa orientar as atividades de acordo com as condições físicas, se tem questão cardíaca, problema de articulação ou alguma limitação”, recomenda. A médica lembra também que um cuidado fundamental é realizar a atividade com regularidade. “Há quem queira fazer atividade muito desgastante sem regularidade. Isso pode causar lesão em vez de trazer benefício”, alerta.

Atividade física, segundo os especialistas, é qualquer movimento corporal produzido pela musculatura que resulte num gasto de energia acima do nível de repouso. Como: caminhar para se deslocar de um lugar a outro, passear com o cachorro, subir escadas, lavar o carro, brincar com os filhos, dançar, cuidar do jardim, entre outros.

O presidente do Conselho Federal de Educação Física, Jorge Steinhilber, acredita que apesar do Brasil propiciar condições para a prática de esportes durante todo o ano, não há uma cultura entre a população de envolvimento com atividades físicas. Uma das razões para isso, de acordo com ele, é o fato de não haver uma valorização da educação física no período escolar.

“Sem isso, você deixa de alfabetizar a criança em termos de movimento, de cultura de atividade física e de levar a ela a importância do significado da atividade física para o futuro. O presidente do Confef destaca como uma das iniciativas para qualificar a educação física na rede de ensino a aprovação do Projeto de Lei 3047/2015, que obriga a presença de professores formados em educação física nessa disciplina. A matéria foi aprovada pelo Senado e ainda tramita em comissões na Câmara dos Deputados.

Para que as atividades físicas se tornem mais benéficas e realmente melhores a nossa qualidade de vida, é ideal reservarmos um tempo todos os dias para nos exercitarmos. E isso não significa ter de ir para uma academia já que muita gente não gosta de ficar em ambiente fechado. O movimento físico está presente no nosso dia a dia ao varrer a casa, descer escadas, ir a padaria, levar o cachorro passear, caminhar até a parada de ônibus, entre outras formas. É só integrar de forma mais abrangente a vida diária às atividades físicas. Essa é uma atitude importante, independente da idade e quando combinada com uma alimentação saudável, garante benefícios para o corpo e mente.

A atividade ao ar livre pode ser feita a qualquer hora e além do contato com a natureza, proporciona inúmeros benefícios. Além de deixar o sedentarismo de lado reduz o risco de diversas doenças, traz mais condicionamento físico e disposição, aumenta a oxigenação cerebral, previne o estresse, a ansiedade e, até mesmo, a depressão. Alguns estudos recentes ainda apontam que atividades físicas regulares otimizam a memória. Quando o exercício é feito ao ar livre, os benefícios são ainda maiores!

“Água não é mercadoria”, defende Fama

Os participantes do Fórum Alternativo Mundial da Água (Fama) divulgaram no fim da tarde desta quarta-feira, declaração final do encontro. Para os movimentos sociais, organizações não governamentais, povos tradicionais e ativistas a “Água não é e não pode ser mercadoria”, pois “água é vida, é saúde, é alimento, é território, é direito humano, é um bem comum sagrado”, diz a carta, que sintetiza as discussões e deliberações tomadas nas diversas atividades realizadas no Fama, como nas dezenas de debates e nos espaços de encontros de povos que estão em luta, em diferentes territórios, em defesa da água.

Os participantes do Fama destacam que a água deve ser tratada como bem comum. Defendem “o caráter público, comunitário e popular dos sistemas urbanos de gestão e cuidado da água e do saneamento”. O documento final aborda também a importância da defesa da democracia, pois “só por meio de processos democráticos é que os povos podem construir o controle social e o cuidado sobre as águas”.

A carta traz críticas ao neoliberalismo, já que os participantes do Fama entendem que é esse sistema que “busca intensificar a transformação dos bens comuns em mercadoria, através de processos de privatização, precificação e financeirização”, o que aprofunda desigualdades, atingindo sobremaneira populações mais vulneráveis, e a destruição da natureza.

Sobre a apropriação de territórios e bens naturais por empresas, a carta traz uma crítica ao Fórum Mundial da Água, evento que reúne governos, empresas, parlamentares, juízes e especialistas. “O resultado desejado pelas corporações é a invasão, apropriação e o controle político e econômico dos territórios, das nascentes, rios e reservatórios, para atender os interesses do agronegócio, hidronegócio, indústria extrativista, mineração, especulação imobiliária e geração de energia elétrica”, diz a declaração. O fórum alternativo também citou crimes ambientais e o assassinato de lideranças.

A solenidade de abertura do Fórum Alternativo Mundial da Água, aconteceu na Universidade de Brasília no dia 17 e foi bastante prestigiada por lideranças comunitárias e autoridades, como a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, o ministro do STJ, Herman Benjamim e o senador Jorge Viana, do Acre. “Estou aqui para ouvir a sociedade civil nas suas pretensões em relação a água”, declarou Dodge. Os urbanistas pediram a procuradora geral da República para que a Constituição seja respeitada, barrando, assim, as privatizações e garantindo o direito à água e o saneamento para todos. Antes do Brasil, o Fama foi realizado na Coreia do Sul e na França, sempre como um evento de contraposição ao Fórum Mundial da Água. Nesta edição, participaram cerca de 7 mil pessoas ao longo de seis dias, entre as quais 200 vindas de 37 outros países.

O Fama representa a voz da sociedade civil nas discussões sobre o tema da água. “Nós conseguimos deixar um recado muito contundente de que essa luta vai se intensificar”, declara Thiago Ávila, integrante da organização do Fama. “Vamos lutar contra a exploração, pois a desigualdade também é parte da problemática da água; contra as opressões, pois são populações tradicionais, mulheres e negros que mais sofrem, como ocorre com os chamados refugiados climáticos e ambientais que são forçados a sair dos seus territórios devido às mudanças climáticas; e o fim da destruição da natureza”.

Curtas

Dia Mundial da Síndrome de Down, adotado pela Assembleia Geral da ONU em dezembro de 2011 e entrou em vigor no ano seguinte. Este ano, o objetivo é estimular os portadores da síndrome a compartilhar as maneiras com que participam da vida em sociedade, seja na escola, na família ou mercado de trabalho.

Agnelo Queiroz foi absolvido por unanimidade da condenação de improbidade administrativa no caso da reintegração de um ex-deputado aos quadros da Polícia Militar. Na tarde desta quarta-feira os desembargadores da 6ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, acataram o recurso da defesa do ex-governador do DF. Com a decisão, o ex-consultor jurídico e advogado Paulo Guimarães também foi absolvido.

“Presto trabalhos externos” é a desculpa mais recorrente dos “funcionários fantasmas” da CLDF quando descobertos pela imprensa de que não comparecem ao trabalho. Lotados no serviço público e com salário alto, trabalham em outros setores e não costumam dar expediente na Câmara, de acordo com os próprios colegas do órgão. Recentemente teve o caso de um jogador de futebol e agora de uma professora universitária. O pomposo salário recebido indevidamente deveria ser restituído e o parlamentar que nomeia gente que ganha dinheiro público sem trabalhar, deve ser recusado na hora de escolhermos em quem votar.

Luciano Pizzatto, ex-deputado federal e secretário da representação do Paraná em Brasília, teve um mal súbito na madrugada desta quarta-feira e veio a falecer aos 60 anos.Ele estava hospedado no Hotel Nacional, localizado na Asa Sul da capital federal.Durante o dia, cumpriu agenda no 8º Fórum Mundial da Água e na Conferência Internacional da 1ª Infância, junto com a comitiva da vice-governadora paranaense, Cida Borghetti. Pizzatto foi deputado federal por quatro mandatos e deputado estadual por uma legislatura. Presidiu a Companhia Paranaense de Gás. Em 1992, concorreu à Prefeitura de Curitiba, sendo o terceiro mais votado. O político deixa mulher e três filhos. Uma perda irreparável.

Outono começa hoje e vai até o dia 21 de junho. O Google homenageou a chegada do equinócio de outono no Hemisfério Sul nesta terça-feira com doodle com uma animação de folhas caindo. A estação é uma transição entre o verão, mais quente e úmido, e o inverno, mais frio e seco. O início do outono coincide com a fase de equinócio da trajetória da Terra, um momento em que, devido à sua posição em relação ao Sol, os Hemisférios Norte e Sul do planeta recebem igual quantidade de luz e, por isso, têm dias que duram a mesma quantidade de horas do que as noites.

Apagão no linhão de transmissão de Belo Monte deixa centenas de municípios das regiões Norte e Nordeste do País sem luz na tarde desta quarta-feira, 21. O efeito dominó na queda de energia ocorreu porque a rede de Belo Monte está conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN), o qual conecta todos os Estados do País, com exceção de Roraima, o único que está fora dessa rede. O diretor-geral do Sistema(ONS) Luiz Eduardo Barata Ferreira, disse que houve “praticamente um colapso do sistema” justificando o problema por causa de uma falha em um disjuntor na subestação do Xingu. Falha no sistema elétrico também atingiu regiões do Distrito Federal, São Paulo e Minas Gerais.

 
RocketTheme Joomla Templates