Coluna Bernadete Alves - dia 20/02/2018

Haloterapia: o tratamento milenar para problemas respiratórios

O médico Feliks Boczkowski, há mais de 2000 anos, percebeu que operários das minas de sal da Polônia tinham uma saúde respiratória muito melhor do que a da maioria da população. Então, começou os estudos sobre as propriedades medicinais do sal. Assim nasceu a Haloterapia, tratamento milenar para problemas respiratórios e da pele.

A Haloterapia, que surgiu no século XlX, está no Brasil há sete anos e propõe sessões de muito sal no ar e relaxamento. José Ervolino Neto, presidente da Associação Brasileira de Haloterapia - Terapias Integrativas e Complementares e responsável por trazer o método para o País, diz que existem alguns princípios terapêuticos na Haloterapia: a higienização do sistema repiratório através das biocidas, capacidade anti-inflamatória, melhoria do conforto respiratório e diminuição de problemas de pele como dermatite e psidoríase. "Isso tudo acontece graças à capacidade do sal de matar fungos e bactérias e diminuir o edema e o inchaço das mucosas nasais. Também temos a liberação de íons negativos, que causam relaxamento”, declara Ervolino.

A Haloterapia, segundo José Ervolinao, promete ser uma alternativa natural no tratamento da sinusite, rinite alérgica, gripe, bronquite, asma e tosse. “Dermatites e outras inflamações na cútis também são beneficiadas pelo procedimento. Porém, quem está passando por fases agudas de doenças (febre, conjuntivitive e mesmo asma e gripe), está com o sistema imunológico debilitado por quimioterapia e indivíduos com hipertensão não devem lançar mão da técnica”, explica o presidente da Associação Brasileira de Haloterapia.

A Haloterapia ou Terapia do Sal é 100% natural, livre de drogas, sem contra indicação e clinicamente comprovada para dar alívio a diversos problemas respiratórios e dermatológicos. As salas de sal são recomendadas para: Resfriados frequentes, Sinusite, Bronquite, Rinite, Otite, Amigdalite, Faringite, Laringite, Asma, Alergias, Psoríase, Dermatite Oleosa, Eczemas, Estresse, Fibrose Cística, Ansiedade e Insônia.

Segundo Ervolino, a Haloterapia consiste na saturação do ambiente de uma sala ou cabine com partículas de sal ionizado (0.5-15 mg/m3), o que permite à pessoa estar exposta e respirar essas mesmas partículas de sal. É um dos métodos mais eficazes para prevenir, complementar tratamentos e reabilitar doenças respiratórias removendo obstruções, tornando mais fácil a respiração. É também indicada para fumantes e desportistas.

As salas de haloterapia reproduzem um ambiente natural que se assemelha a uma caverna de sal, onde, paredes, teto e chão são totalmente cobertos com várias camadas de sal. A sala é um espaço seco, estéril e hermético, cuja variação da temperatura oscila entre 18° e 24° com umidade de 45% a 60%, e possui um aparelho micronizador que dispersa no ar micro partículas de sal, que virão por sua vez inaladas pelos pacientes acomodados confortavelmente. A sala possui música ambiente relaxante e luzes de cromoterapia, o que permite aos pacientes a possibilidade de ler um livro ou simplesmente repousar durante o tempo da sessão, com duração de 45 minutos. Ao término o aparelho se desliga automaticamente acendendo as luzes dentro da sala.

Rainha Elizabeth prestigia Semana da Moda em Londres

A realeza britânica participou da Semana de Moda de Londres. A rainha Elizabeth II, de 91 anos, usou um conjunto de saia e jaqueta azul pastel, assinado por Angela Kelly, designer de moda que desde 2002 veste a rainha. A realeza assistiu o desfile ousado do estilista Richard Quinn e entregou o Prêmio Rainha Elizabeth II para designers britânicos.

O prêmio foi criado em reconhecimento ao papel que a indústria da moda desempenha na sociedade e na diplomacia: “Ele irá contemplar anualmente um designer de moda britânico que mostre talento e originalidade, além de valores para a comunidade e/ou fortes práticas sustentáveis”, declara o Palácio de Buckingham, em comunicado.

O primeiro Prêmio Rainha Elizabeth II para designers britânicos foi criado pela stylist pessoal da monarca, Angela Kelly, foi entregue ao estilista Richard Quinn. Quinn lançou a sua marca em 2016, após se formar na Central Saint Martins, escola reconhecida como a melhor faculdade de moda do mundo e tem se destacado pela utilização de padrões arrojados.

Ao público a Rainha afirmou que a indústria da moda do Reino Unido “é mundialmente reconhecida pela sua altíssima qualidade” e que “continua a produzir têxteis de qualidade mundial”. “Como forma de homenagear esta indústria, e como forma de mostrar o meu apreço a todos os que contribuem para a moda britânica, entrego o prémio a este jovem e inovador estilista.”

Considerada pelo British Fashion Council como uma “ícone da moda”, a Rainha afirmou que “foi um enorme prazer” assistir ao desfile da jovem promessa que apresentou uma colecção plena em padrões coloridos e lenços para a cabeça, peças que foram descritas como “um cruzamento do castelo de Balmoral e o bairro de Peckham.” Segundo o site da Elle norte-americana, Elizabeth achou as peças “maravilhosas”.

Richard Quinn declarou que foi surreal. “Só soubemos que ela vinha há alguns dias e decidimos juntar uns ‘toques à Rainha’ nos lenços para a cabeça e nos padrões. Já tínhamos isto planejado , mas tivemos de acelerar”, declarou o homenageado. “Ela disse que tinha muito prazer em apoiar jovens estilistas. Não tenho dúvida que ela é um ícone de moda. Afinal, foi a primeira monarca a usar calças, acho”, declarou Quinn.

Caroline Rush, a responsável pelo British Fashion Council (BFC) afirmou: “Sua Majestade, é uma verdadeira honra ter-se juntado a nós a mostrar o seu apreço pela moda britânica.” Caroline destacou a o papel importante da Rainha no mundo da moda, tendo “sempre apoiado a indústria” e “usado o seu poder diplomático como forma de comunicar com outras culturas e nações”.

Nesta temporada outono/inverno 2018, além dos desfiles teve uma exposição fashionista organizada dentro do Palácio de Buckingham. Na primeira fila ao lado da rainha Elizabeth estava a editora-chefe da Vogue, Anna Wintour, de óculos escuros. Ela esqueceu que a etiqueta sugere tirar o acessório perto de membros da família real. A correspondente da família real no jornal The Daily Mail, Rebecca English, registrou os melhores momentos fashion da rainha que roubou a cena e surpreendeu os súditos.

Ontem um grupo, considerado o pilar da nova vanguarda de estilistas em Londres, defendeu seu espaço no penúltimo dia da Semana de Moda britânica. A fantasia e os pastéis de Roksanda, o couro e as lantejoulas de David Koma, as transparências e a renda de Christopher Kane deram vida a seus diferentes estilos nas passarelas.

Organizado em uma igreja em pleno coração de Londres, o desfile contou com uma constelação de estrelas, como as modelos Lara Stone e Jourdan Dunn na primeira fila. Fiel a seu DNA, o criador propôs uma coleção elegante e sexy, pensada para a noite. Os vestidos são curtos, decotados e transparentes. Justos na cintura, amplos nos quadris, de couro, seda ou algodão, cobertos com estampas de plumas e lantejoulas.

OAB/DF mostra a essencialidade da advocacia

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal, Juliano Costa Couto, não mede esforços na defesa das prerrogativas profissionais e da valorização da advocacia. Para tanto a OAB/DF vai lançar campanha de conscientização da sociedade acerca da essencialidade da advocacia. “O principal objetivo é mostrar que o advogado é essencial à Justiça e a boa aplicação das leis”, disse Juliano.

A este trabalho soma-se agora o Conselho Jovem da Seccional uma vez que a conscientização da sociedade da necessidade do advogado aumentará a procura pelos juristas no Distrito Federal. A secretaria-geral adjunta do Conselho, Marcela Furst Signori Prado, disse que a sociedade precisa conhecer a importância do trabalho do advogado na defesa das pessoas. “Queremos que a sociedade se sinta segura em buscar um advogado caso ela tenha algum problema, seja na questão contratual, administrativa, trabalhista, enfim. Queremos respaldar os cidadãos”, declarou.

O presidente do Conselho Jovem, Camilo Noleto, aproveitou a reunião com o presidente Costa Couto e o diretor tesoureiro Antônio Alves, apresentou denúncia sobre uma empresa que está oferecendo salário abaixo do piso do advogado, para analista jurídico. A Seccional já oficiou a empresa para que ela cumpra os parâmetros estipulados na Lei Distrital n. 5.368/2014 e acompanhará de perto o caso.

O presidente Juliano Costa Couto disse que o início de uma carreira não é fácil e que o interesse dos membros do Conselho Jovem é trabalhar em busca de soluções para melhorar o exercício da profissão. “A advocacia deve ser valorizada e reconhecida. Somente pelo intermédio de um advogado é possível se fazer justiça. Estamos juntos nessa luta”, enfatizou o presidente.

 
RocketTheme Joomla Templates