Coluna Bernadete Alves - dia 19/02/2018

Vacina contra febre amarela fracionada é mais eficaz

As doses fracionadas da vacina contra a febre amarela geram anticorpos contra a doença em 98% dos casos, de acordo com um novo estudo financiado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, com o objetivo de avaliar a resposta imune à dose fracionada em uma campanha de vacinação em larga escala. A conclusão foi publicada na revista científica New England Journal of Medicine.

Segundo os autores da pesquisa, divulgada recentemente os resultados colocam o fracionamento da vacina como uma abordagem adequada para combater as epidemias. O estudo avaliou a mesma vacina fracionada que vem sendo aplicada no Brasil.

Os estudo foi realizado a partir de um programa de vacinação realizado em 2016, durante epidemia de febre amarela na República Democrática do Congo. De acordo com o artigo divulgado, como o suprimento disponível da vacina era insuficiente para uma campanha de tal dimensão, o governo congolês seguiu uma recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e vacinou 7,6 milhões com uma dose fracionada da vacina produzida pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fiocruz (Biomanguinhos), que é equivalente a um quinto da dose padrão.

Os cientistas avaliaram os testes de anticorpos neutralizantes contra a febre amarela em amostras de sangue obtidas antes da vacinação e de 28 a 36 dias após a vacinação. Entre os 716 participantes, 98% tinham anticorpos após a vacinação. Entre os 483 participantes que eram soronegativos antes da vacinação, 98% apresentaram anticorpos. Dos 223 participantes que já eram soropositivos antes da vacinação, 66% apresentaram resposta imune.

“Uma dose fracionada de vacina contra a febre amarela foi efetiva para induzir a soroconversão na maioria dos participantes. Esses resultados apoiam o uso de uma vacinação com doses fracionadas para controle de epidemias”, concluíram os cientistas. De acordo com o estudo, a proporção de pessoas que apresentaram anticorpos com a vacina fracionada é semelhante à que é observada quando os pacientes recebem a dose padrão. Segundo os cientistas, isso prova que a dose fracionada é uma abordagem viável para fornecer imunidade e conter surtos da doença.Diversos estudos anteriores já sugeriam a eficácia da vacina fracionada.

Segundo o Ministério da Saúde, para o fracionamento, é utilizada a mesma vacina produzida pela Fiocruz desde 1937. “A única diferença entre as doses está no volume, que é menor na dose fracionada. A vacinação fracionada foi utilizada em mais de 7,8 milhões de pessoas na África por recomendação da OMS e resultou na interrupção do surto da doença.”

Em nota o Ministério da Saúde informa que o resultado é importante e mostra que o país está certo em ter adotado a dose fracionada para controlar a epidemia. De acordo com a pasta a própria OMS recomendou o fracionamento da vacina quando há risco de expansão da doença em cidades grandes que não tinham recomendação para imunização anteriormente.

A decisão de fracionar a vacina teve base em um estudo realizado por Biomanguinhos que apontou a presença de anticorpos contra febre amarela oito anos após a aplicação da dose fracionada. “Em 2009, uma pesquisa avaliou 319 militares vacinados com a dose fracionada. Em 2017, ou seja, após oito anos, verificou-se a presença de anticorpos contra a doença em 85,3% dos participantes, semelhante ao observado na resposta imune da dose padrão neste mesmo período (88%). Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período”, informou o Ministério da Saúde.

“O Ministério da Saúde reitera a segurança e eficácia da medida de fracionamento de doses da vacina para febre amarela. A estratégia de fracionar as doses é recomendada pela OMS quando há necessidade de vacinar um grande número de pessoas em um curto espaço de tempo, como medida excepcional. A decisão (de fracionar a vacina) foi tomada em comum acordo entre o Ministério da Saúde, estados e municípios que participam da campanha. A OMS foi consultada e informada sobre a realização da medida”, informou a pasta em nota.

Operação Volta às Aulas teve teatro e noções de segurança

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o Departamento de Trânsito (Detran-DF) e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) deram início hoje à operação de volta às aulas nas Escolas Públicas. A ação aconteceu em frente ao Centro de Ensino Fundamental Polivalente, na 913 Sul. O ano letivo na rede pública do Distrito Federal teve inicio na quinta-feira, dia 15. Neste ano 461.599 alunos estão matriculados nas escolas públicas do DF. A partir desta segunda-feira diversas ações de educação de trânsito serão promovidas pelos órgãos do Executivo local no Plano Piloto e nas administrações regionais.

A abertura das atividades foi no Centro de Ensino Fundamental Polivalente (SGAS 913), às 6h30. O Batalhão de Aviação Operacional fez o patrulhamento aéreo nos pontos em que há fluxo mais intenso de veículos e pedestres. As ações serão intensificadas nas imediações de escolas para orientar pais, alunos e condutores de transporte escolar sobre trânsito seguro. Nas abordagens serão distribuídos materiais educativos. As atividades da PMDF, na segunda fase de operação, contarão com apoio do Teatro Rodovia, do Programa de Educação Ambiental Lobo-Guará, da Banda de Música, de equipes de policiamento de trânsito e do Batalhão de Policiamento com Cães.

O palhaço Seriguela e a Faixa orientaram a travessia dos que passavam logo cedo por ali. A apresentação lúdica foi dos atores que fazem parte do Teatro Rodovia, da Polícia Militar do Distrito Federal. “Por meio da brincadeira, a gente traz o cidadão para a faixa e mostra como tem que ser feito: olhar para um lado, para o outro, fazer o sinal de vida e atravessar andando”, pontuou o segundo-sargento Márcio Brito, intérprete de Seriguela e um dos criadores do teatro.

Os alunos e professores foram recepcionados pela Banda de Música da PMDF que também executou o Hino Nacional no momento cívico, no pátio do Polivalente. Depois os militares do Batalhão de Policiamento com Cães mostrarem como os animais ajudam nos trabalhos da corporação. Os cachorros farejaram e encontraram objetos escondidos pelos policiais entre mochilas e armários.

Além das atividades teatrais, policiais militares entregaram fôlderes com dicas de segurança. No ar, o Batalhão de Aviação Operacional fez o patrulhamento aéreo.“Temos de reforçar sempre isso na criança para que ela não se acidente, porque infelizmente ainda vemos vários casos de atropelamentos em faixas de pedestre”, destacou o subcomandante do 1º Batalhão Escolar, capitão Ramon Carvalho.

O secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, acredita que abrir o ano letivo dessa forma é importante para romper preconceitos em relação ao trabalho policial. “É um trabalho sério, cooperativo, não só repressivo. Muito pelo contrário, é preventivo, sobretudo de orientação, para que eles [os alunos] não se envolvam com questões que os colocarão em risco.”

As atividades da PMDF, nesta segunda fase de operação, além do apoio do Teatro Rodovia, tem o Programa de Educação Ambiental Lobo-Guará, da Banda de Música, de equipes de policiamento de trânsito e do Batalhão de Policiamento com Cães.

Trânsito seguro depende das nossas atitudes. Para os motoristas: Dê preferência sempre ao pedestre na travessia sobre a faixa, exceto nos locais onde há semáforo; Em frente às escolas, redobre a atenção e para embarque ou desembarque de passageiros, aproxime o veículo da calçada. Para os pedestres: Sempre atravesse na faixa. Caso não haja uma por perto, cruze a pista em linha reta em direção à calçada; Acompanhe as crianças na hora da travessia e para embarcar e desembarcar, use sempre o lado do veículo próximo à calçada. Para os pais e responsáveis: Tenha o máximo de cuidado ao escolher o transporte escolar dos filhos; Verifique se o veículo está cadastrado no Detran-DF e em perfeitas condições de circulação; e confirme se o motorista tem autorização para conduzir vans escolares.

 
RocketTheme Joomla Templates