Coluna Bernadete Alves - dia 16/02/2018

Governo Federal decreta intervenção na Segurança do Rio de Janeiro

O presidente Michel Temer disse hoje (16) que a intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro é uma “medida extrema”, mas necessária para combater o crime organizado. Temer assinou no início da tarde o decreto que autoriza a medida ao lado do governador do estado, Luiz Fernando Pezão, ministros e do presidente da e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia.

Embora as forças armadas já tenham atuado em diversos estados nos últimos anos, a intervenção federal na segurança pública do Rio é a primeira desde a promulgação da Constituição de 1988. Com assinatura do decreto de intervenção o Governo Federal passa a ter respaldo jurídico para tomar decisões sem prestar qualquer tipo de satisfação ao governador.

“Tomo essa medida extrema por que as circunstâncias assim exigem. O governo dará respostas duras, firmes e adotará todas as providências necessárias para enfrentar e derrotar o crime organizado e as quadrilhas. Não podemos aceitar passivamente a morte de inocentes. É intolerável que estejamos enterrando pais e mães de família”, disse o presidente em pronunciamento à imprensa após assinar o decreto de intervenção, no Palácio do Planalto.

Segundo Temer, o crime organizado é “uma metástase que se espalha pelo país e ameaça a tranquilidade do nosso povo”.

“Por isso chega. Basta. Não vamos aceitar que matem nosso presente nem continuem assassinar nosso futuro. Começamos uma batalha em que nosso único caminho só pode ser o sucesso e contamos com todo os homens e mulheres de bem ao nosso lado apoiando e sendo vigilante nessa luta”, disse Temer.

Pezão disse que o Rio de Janeiro tem pressa e urgência em resolver a questão da violência e que as polícias Militar e Civil do estado não estão conseguindo deter a guerra entre facções criminosas. “Precisamos de uma força maior para momentos extremos e estamos vivenciando esse momento. Precisamos muito dessa intervenção”, disse o governador. Durante a declaração à imprensa, Temer destacou que a intervenção foi construída em diálogo com o governador Pezão e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira.

Com a intervenção federal, o comando das forças de segurança pública do estado caberá ao general Walter Souza Braga Netto, atual chefe do Comando Militar do Leste, responsável por coordenar, controlar e executar as atividades administrativas e logísticas do Exército Brasileiro nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. O interventor federal no Estado, é considerado um nome forte de liderança dentro do Exército.

Mineiro de Belo Horizonte, o militar já chefiou a 1ª Região Militar, que abrange Rio de Janeiro e Espírito Santo. Em 2016, atuou como coordenador-geral da assessoria especial para os jogos olímpicos e paralímpicos do Rio de Janeiro. Em setembro do mesmo ano, assumiu o controle do Comando Militar do Leste, no Rio de Janeiro. Segundo o Exército, Netto possui 23 condecorações nacionais e quatro estrangeiras.

O decreto de intervenção precisa ser enviado ao Congresso em 24 horas. A Câmara e o Senado vão decidir, separadamente, se aprovam ou rejeitam o decreto em votações por maioria simples. Na Câmara, a análise deve ser feita na semana que vem.

Outro órgão que também deve se manifestar sobre a medida é o Conselho da República, que é formado pelo vice-presidente, os presidentes da Câmara e do Senado, os líderes da maior e da minoria nessas duas Casas, o ministro da Justiça e mais 6 cidadãos brasileiros natos, com mais de 35 anos – 2 nomeados pelo Presidente, 2 eleitos pelo Senado e 2 eleitos pela Câmara. A Constituição não especifica em qual momento o Conselho deve se pronunciar, há um entendimento de juristas constitucionais de que ele deveria ser consultado antes do decreto. Até agora não há notícia de que o conselho foi convocado.

Enquanto um estado estiver sob intervenção federal, o Congresso não pode aprovar mudanças na Constituição. Por exemplo, a reforma da Previdência, que está em tramitação, não poderá ser votada durante a intervenção no Rio.

China festeja o inicio do Ano do Cachorro

Segundo o calendário chinês, que é baseado nos ciclos da lua, o ano de 2018, ou 4716, será o “ano do cão”. A data começa neste 16 de fevereiro e termina em 04 de fevereiro de 2019. Essa é a festividade mais importante da China e uma referência à data de comemoração do Ano-Novo adotado por vários países da Ásia que seguem o calendário diferente do nosso. O calendário chinês é lunissolar. Ou seja, leva em consideração tanto as fases da lua quanto a posição do sol. O Ano-Novo Chinês começa na noite da lua nova mais próxima da data em que o sol passa pelo décimo quinto grau de aquário.

Segundo a EFE, Pequim entrou nesta sexta-feira no Ano Novo chinês de maneira incomum: sem fogos de artifício e foguetes, após a sua proibição no ano passado para evitar níveis altos de contaminação na capital da China. Um grande número de policiais vigiaram constantemente as ruas para garantir a segurança e o respeito da nova lei durante o Ano Novo.

Embora sejam um símbolo nacional, não é a primeira vez que Pequim proíbe os fogos de artifício, que foram inventados pelos próprios chineses. Em 1993, as autoridades proibiram o uso de fogos de artifício na área urbana, alarmadas pelos numerosos incêndios e feridos causados a cada ano por estes artefatos no país, mas em 2005 o uso deles foi novamente liberado. Os esforços das autoridades para reduzir a contaminação levaram à proibição dos fogos de artifício em 444 cidades da China desde o ano passado, entre elas as cidades de Tianjin, Hefei e Changsha, vizinhas da capital.

As cores vermelho e dourado são predominantes na comemoração. O vermelho, que representa fogo e sucesso, simboliza a transformação, o movimento e a vida, por isso as mulheres preferem usar essa cor para atrair sorte e amor ao longo do ano. Durante as festividades, lanternas vermelhas são acesas e penduradas na porta principal durante 15 dias. Lançam-se fogos de artifícios para espantar os maus espíritos, o azar e as más energias. O jantar da véspera é quando a família se reúne para se despedir do velho ciclo e iniciar o novo. São preparados pratos que trazem sorte, riqueza e felicidade. Não faltam os bolinhos em forma de lingotes de ouro, o peixe que representa dinheiro, as tangerinas ou laranjas da sorte, e sempre é servido um prato à base de arroz e talharim, que representam prosperidade e longevidade. Todos os alimentos são servidos em bandejas vermelhas.

O Ano-Novo Chinês é marcado pelos seus rituais e superstições. Nas ruas, é comum ver celebrações como as danças do dragão e do leão. A do dragão traz prosperidade, sorte e renovação. A do leão atrai sorte e prosperidade durante todo o ano. Todas as portas e janelas ficaram abertas à meia-noite, para deixar o velho ano sair e as dívidas foram pagas, para afastar o mau feng shui das finanças. No primeiro dia, da lua nova, dá-se as boas-vindas aos deuses do Céu e da Terra. As pessoas costumam não comer carne, pois acreditam que assim terão vida longa e feliz.

O segundo é considerado dia de todos os cães. Assim, os chineses dão atenção aos bichos de estimação. Eles também rezam aos deuses e aos seus antepassados.Nos terceiro e quarto dias, os genros prestam homenagem aos sogros, e os filhos, aos pais. No quinto dia, ou Dia de Po Woo, as pessoas ficam em casa para dar as boas-vindas ao Deus da Riqueza. Já no sexto, todos saem de casa e dirigem-se aos templos para rezar por fortuna e saúde. No sétimo dia é festejado o nascimento de todos os seres humanos, e a data também é considerada o dia dos agricultores. Assim, comem-se noodles e peixes, que simbolizam longevidade e sucesso.

Nos oitavo e nono dias, reza-se para o Deus do Céu e ao Imperador Jade, respectivamente. Entre o décimo e o décimo segundo dias, são oferecidos banquetes. E, no décimo terceiro dia, só se come arroz, para purificar o organismo. No décimo quinto dia, quando teremos a primeira noite de lua cheia, as pessoas saem às ruas com lanternas coloridas e celebram com seus amigos e entes queridos.

No Ocidente, o Cão é o melhor amigo do homem, mas na Astrologia Chinesa este signo é um pouco mais imprevisível do que isso. Os Cães são leais, fiéis e honestos e sempre fiel aos seus códigos de ética. No entanto, este signo tem dificuldade em confiar nos outros. Em geral, são bastante confiáveis – exceto para as mentirinhas brancas que o Cão conta para tornar as coisas mais fáceis.

Os Cães também podem ser bastante dogmáticos. Eles não curtem o oba-oba social, em vez disso eles vão direto para casa, se preocupar com coisas que são mais importantes para eles. Nessas ocasiões lado teimoso do Cão pode tornar-se evidente, o signo tem dificuldade para pegar leve e ficar calmo quando uma questão importante está em jogo.

Pertencem ao signo do Cão os nascidos entre: 14/02/1934 à 03/02/1935; 02/02/1946 à 21/01/1947; 18/02/1958 à 07/02/1959; 06/02/1970 à 26/01/1971; 25/01/1982 à 12/02/1983; 10/02/1994 à 30/01/1995; 29/01/2006 à 17/02/2007 e 16/02/2018 à 04/02/2019. O mantra do Cão neste 2018 é: viver certo, olhar pelos mais fracos e lutar contra a injustiça sempre que possível.

Com a chegada do ano do cão de terra em 2018, boas energias que guiarão à superação e ao sucesso estarão fluindo. Por isso tenha em mente os seus objetivos e lute por eles o máximo que puder. Não se esqueça também de dar valor às pessoas que merecem e que serão importantes para seu ano.Com a chegada do ano novo chinês em 2018 pode-se esperar a necessidade do diálogo para garantia de sucesso e equilíbrio em qualquer assunto da vida.

Na cultura chinesa o cão representa a força de ataque e de lógica, e também mostra que o poder em conjunto pode ser muito superior do que o de uma vida solitária. Por isso: alianças bem estabelecidas no negócio, contatos importantes para alavancar carreira e encontrar bons direcionamentos, atitude para começar a construir a estrada de seus sonhos, suporte da família e amigos queridos e muita conversa com o parceiro (a) no relacionamento serão essenciais para a construção de um bom ano segundo o estudo chinês.

Será um ano onde a segurança estará em primeiro lugar, por isso as questões sociais ganharão mais repercussão, a necessidade de possuir uma família estruturada e em paz se tornará foco de muitas pessoas. Assim como a vontade de encontrar o amor de alguém e partilhar cumplicidade se tornará algo essencial para a vida de muitos. Para 2018, signos do elemento terra no horóscopo chinês estarão mais favorecidos ao sucesso, são eles: boi, cabra e cachorro.

O cão do mato marrom, segundo o signo chinês pede que discussões mal fundadas sejam evitadas. Portanto:a tolerância será essencial; evite desentendimentos; trabalhe a sua empatia; alianças serão valorosas; tenha compaixão; exerça a solidariedade; afaste-se da ignorância e da cobiça; sinceridade e honestidade irão ser peças-chave; os bons negócios construídos de forma justa obterão sucesso; momento de investir em conhecimento; período propício para partir em busca dos sonhos; tenha foco na mente e força de espírito; mantenha hábitos saudáveis, se desprenda dos vícios; a solidão será inspiração criativa; a partilha trará mais lucro; família e amigos serão essenciais; a comunicação será importantíssima para o alcance de sucesso em qualquer questão da vida.

Segundo uma antiga lenda chinesa, Buda convidou todos os animais da criação para uma festa de Ano Novo, prometendo uma surpresa a cada um dos animais. Apenas doze animais compareceram e ganharam um ano de acordo com a ordem de chegada: o Rato ou Camundongo; O Boi ou Búfalo; o Tigre; O Coelho; o Dragão; a Cobra ou Serpente; o Cavalo; a Cabra, bode ou Carneiro; o Galo ou Galinha; o Macaco; o Cão; o Porco ou Javali.

 
RocketTheme Joomla Templates