Coluna Bernadete Alves - dia 11/02/2018

Barroso intima Segóvia a dar explicações sobre inquérito de Temer

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, relator do inquérito dos Portos no STF, determinou a intimação do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, para que explique as declarações que deu à Reuters onde teria antecipado o resultado de um inquérito policial que investiga o presidente Michel Temer. Em despacho deste sábado (10), o ministro Barroso afirma que quer ouvir Segóvia para que ele “confirme as declarações” publicadas e “se abstenha de novas manifestações a respeito”.

Em entrevista concedida ontem (9) à Agência Reuters e divulgada no portal da empresa, Segovia afirma que os “indícios são muito frágeis” e sugere que o inquérito "pode até concluir que não houve crime”. De acordo com o ministro Luis Roberto Barroso, como a investigação não foi concluída e ainda há “diversas diligências pendentes”, o assunto não deveria ser “objeto de comentários públicos”.

Temer é investigado por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro por ter, supostamente, recebido vantagens indevidas de uma empresa para editar o chamado Decreto dos Portos. Além dele, são investigados o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures, que foi assessor especial de Temer, e mais dois empresários.

Na entrevista à Agência Reuters o diretor-geral da PF diz que o decreto editado “em tese não ajudou a empresa”. “Em tese, se houve corrupção ou ato de corrupção, não se tem notícia do benefício. O benefício não existiu”, afirmou o diretor, conforme reprodução da Reuters.“No final, a gente pode até concluir que não houve crime. Porque ali, em tese, o que a gente tem visto, nos depoimentos, as pessoas têm reiteradamente confirmado que não houve nenhum tipo de corrupção, não há indícios de, realmente, de qualquer tipo de recurso ou dinheiro envolvidos. Há muitas conversas e poucas afirmações que levem realmente a que haja um crime”, disse, ainda segundo a Reuters.

No despacho, o ministro Luís Roberto Barroso lembra que não recebeu o relatório final do delegado encarregado pelas investigações e pede que o Ministério Público tome as providências que entender cabíveis sobre o caso. O relator do processo questiona ainda a fala em que Segóvia teria ameaçado o delegado responsável, que “deve ter autonomia para desenvolver o seu trabalho com isenção e livre de pressões”.

“Tendo em vista que tal conduta, se confirmada, é manifestamente imprópria e pode, em tese, caracterizar infração administrativa e até mesmo penal, determino a intimação do senhor diretor da Polícia Federal, delegado Fernando Segóvia, para que confirme as declarações que foram publicadas, preste os esclarecimentos que lhe pareçam próprios e se abstenha de novas manifestações a respeito”, determinou Luís Roberto Barroso.

Galinho de Brasília arrasta 10 mil foliões às ruas

Pessoas de todas as idades se reuniram na zona central do Plano Piloto na tarde de hoje para curtir o Carnaval junto com o Galinho de Brasília, bloquinho que já tem tradição na capital federal pela homenagem que faz ao original Galo da Madrugada, em Recife. O Galinho saiu do Setor de Autarquias Sul e fez percurso pelas quadras CLS 202/402, CLS 203/403, CLS 203/204, CLS 201/202 e pelo Eixinho L, antes de retornar ao ponto de partida. De acordo com o governo do Distrito Federal, 10 mil pessoas compareceram ao bloco.

O Galinho é o querido das famílias com crianças, jovens e adolescentes que curtiram o frevo com toda a segurança. Atrás dos três trios elétricos, foliões fantasiados de diferentes cores e personagens se animavam com as músicas do frevo. O público jovem era o mais empolgado.

Pouco depois que o bloco começou a sair, ainda eram vistas inúmeras crianças brincando próximas de suas famílias, mulheres grávidas e vendedores ambulantes abusando da criatividade do marketing. Ao lado de jovens que, fantasiados de pescadores, buscavam “pescar” as garotas com latinhas de cerveja, uma banquinha oferecia potinhos com glitter, com a propaganda: “Brilhe aqui”.

A música, não importa o ritmo, eleva o espírito e faz muito bem.

Na Funarte teve a apresentação do Essa Boquinha Eu Já Beijei e o Tuthankasmona que ao som de funk, pop e axé, os foliões curtiram o Carnaval em clima de respeito, azaração e muita diversão. As fantasias foram um charme à parte. De acordo com a Policia Militar os dois blocos reuniram cerca de 10 mil pessoas.

A animação do brasiliense também rolou no Setor Comercial Sul, com o batuque do Patubatê, com samba, frevo, maracatu e marchinhas. Pela manhã, o Café com Samba, sob comando da bateria Sapeka-Aí, animou a praça de alimentação da Torre de TV. Na Asa Norte, 2 mil pessoas desfilaram no Concentra Mas Não Sai.

 
RocketTheme Joomla Templates