Coluna Bernadete Alves - dia 17/01/2018

Antirretrovirais tem eficácia de 100%, aponta estudo

Batizado de "Combina!", o estudo financiado pelo Departamento de DST/Aids do Ministério da Saúde, CNPQ e Unesco, realizado em cinco cidades brasileiras mostra que o uso de antirretrovirais para prevenir o HIV foi eficaz em 100% dos casos. O trabalho foi coordenado pelo pesquisador Alexandre Grangeiro, da Universidade de São Paulo.

Para chegar a esta conclusão foram avaliados 526 voluntários que usaram o medicamento como estratégia de prevenção e durante a pesquisa e nenhuma das pessoas que usavam o medicamento contraiu o HIV. "Três infecções foram identificadas, mas entre pessoas que esperavam para iniciar o uso da Prep (terapia pré-exposição)", disse o coordenador do trabalho. Para Grangeiro o resultado confirma a importância da estratégia e reforça a necessidade de implementação no Sistema Único de Saúde.

O pesquisador diz que o trabalho também revela os desafios que serão enfrentados para garantir a eficácia da estratégia. A começar pelo acesso. A Prep é indicada para pessoas de maior vulnerabilidade para a infecção, como transexuais, profissionais do sexo, homens que fazem sexo com homens e casais em que um dos parceiros é soropositivo e outro não. Os centros que participaram do estudo seguiram essa orientação. No entanto, a maior parte dos voluntários era composta de homens que fazem sexo com homens (93,4%).

Para o pesquisador, a oferta da Prep vai provocar nos serviços um aumento da demanda. "O ideal é ajustar o atendimento, estabelecendo atribuições específicas para cada profissional e, sobretudo, reduzindo o tempo de espera das pessoas." Como se trata de uma estratégia de prevenção que é feita por um longo período de tempo, as pessoas não têm como, a cada três meses, perder horas no serviço. "Daí a importância de oferecer horários alternativos: próximo do almoço, aos sábados, à noite."

Sanar as dificuldades eventuais no atendimento é mais um desafio para o Ministério da Saúde.

Papa Francisco pede perdão às vitimas de integrantes do clero chileno

O papa Francisco está no Chile desde segunda-feira e foi recebido pela presidente Michelle Bachelet, uma vez que se trata de uma visita de Estado. Além de missa e de encontros com autoridades e representantes da igreja católica e da sociedade civil em Santiago. As informações são da Agência EFE.

O porta-voz do Vaticano , Greg Burke, ressaltou que as duas palavras ditas por Francisco, em sua primeira visita ao Chile, foram paz e perdão. Ele lembrou que o papa pediu perdão pelos abusos contra menores durante discurso no Palácio de La Moneda, sede do governo chileno. “Não posso deixar de manifestar a dor e a vergonha que sinto perante o dano irreparável causado às crianças por integrantes da Igreja”, disse durante encontro com autoridades.

O papa Francisco se encontrou com vítimas de abusos sexuais cometidos por integrantes do clero chileno na nunciatura de Santiago, em um momento de pausa da visita do pontífice ao país. As informações foram divulgadas pelo porta-voz do Vaticano. Burke afirmou que Francisco recebeu um pequeno grupo de vítimas após o almoço. O encontro foi particular.

Ontem o Papa celebrou sua primeira missa no Chile no parque O’Higgins, para cerca de 400 mil pessoas. Francisco citou o poeta local Pablo Neruda durante a homilia para falar da “esperança” do futuro."As bem-aventuranças não nascem das atitudes que têm críticas fáceis, nem dos 'gritos de bom mercado' daqueles que acreditam saber de tudo, mas não querem assumir nada com ninguém. Assim, terminam bloqueando todas as possibilidades de gerar processos de transformação e de reconstrução em nossas comunidades, na nossa vida. As atitudes boas nascem do nosso coração misericordioso que não se cansa de esperar", declarou o Papa Francisco.

O líder católico pediu união aos chilenos para evitar que divisões originadas por qualquer situação, seja política ou econômica, afete a paz no país. "Semear a paz com a força da proximidade, com a força da aproximação. A força de sair de casa e observar os rostos, de andar ao encontro de quem está em dificuldade,de quem não é tratado como uma pessoa, como um filho digno desta terra. Essa é a única maneira que temos para construir um futuro de paz", pediu Francisco a milhares de fiéis.

A chegada de Francisco ao Chile reacendeu o escândalo das curas de pedófilos dentro da Igreja Católica. A organização Bishop Accountability publicou uma lista com 80 sacerdotes, clérigos e uma monja acusados de abusos sexuais contra menores no país. Francisco ficará no Chile até amanhã, onde passa pelas cidades de Temuco e Iquique. Depois parte para o Peru onde ficará até o dia 22, para compromissos em Lima, Puerto Maldonado e Trujillo.

 
RocketTheme Joomla Templates