Coluna Bernadete Alves - dia 12/01/2018

Famosos “corta-fome” que não comprometem a balança

Muitas vezes a sensação de “estar satisfeito” dura pouco tempo após uma refeição. E mesmo alimentado sentimos o estômago roncando. Os nutricionistas dizem que isso acontece porque o alimento tem pouca saciedade. É importante destacar que uma alimentação equilibrada é, em geral, muito mais saciante que uma alimentação rica em gorduras e açúcares.

Quando bater aquela "fominha" terrível nada melhor do que os famosos "corta-fome" naturais. Frutas, cereais,oleaginosas, água, algas ou carnes magras são alimentos que permitem cobrir aquele "buraco" no estomago, mas sem engordar.

Muitas vezes confundimos a fome com a sede, e outras vezes é “fome emocional” ou a necessidade de mastigar alguma coisa. Para estes momentos a dica dos nutrólogos é beber um bom copo de água na temperatura ambiente porque a fria dificulta a digestão dos alimentos. Os nutricionistas também dizem que cada vez que tivermos fome, podemos beber água. Além de encher o estômago a água vai acalmar a fome.

Se a fome continuar por cinco minutos então é bom comer alguma coisa. A dica é tomarmos sucos de baixa caloria como o de tomate e o gaspacho. Uma batida de vegetais como tomate, pimentão, pepino, cenoura, beterraba, sem coar para que a fibra natural seja conservada. Tomada antes da refeição vai encher o estômago e moderar o apetite. Quem preferir pode comer o tomate cru, que é uma fruta hipocalórica que acalma a fome.

A maçã é um excelente "corta-fome" e além disto esta cheia de antioxidantes. Além do mais ela permite limitar a quantidade de lipídios e colesterol no intestino. O abacaxi é outra boa opção. Pouco calórico pode ser comido sem moderação. O abacaxi contém uma enzima que permite absorver as gorduras contidas pelo estômago. Esta fruta é uma boa escolha para os regimes e além disto é uma delícia.

O ovo é muito saciante. Cozido é o mais recomendado. A clara tem a vantagem de ser muito pouco calórica. Os esportistas fazem omeletes ou ovos mexidos unicamente com as claras por causa da concentração de proteína.

O farelo de aveia é também um "corta-fome" formidável. Muito rico em fibras, ele absorve até 25 vezes seu peso em água e facilita além do mais o trânsito intestinal. Deve ser comido no café da manhã, junto com iogurtes, nas panquecas, ou substituindo uma parte da farinha nos bolos ou guloseimas ou salpicado sobre seus iogurtes e saladas.

As amêndoas dão rapidamente uma sensação de saciedade devido ao baixo teor glicêmico e sua riqueza em proteínas. Um punhadinho é suficiente para acalmar a gastura no estômago. Também fazem bem as nozes, avelãs ou castanhas do Pará. Como são alimentos mais calóricos é bom não exagerar.

Os produtos de laticínio como o queijo branco, dão uma sensação rápida de saciedade, embora sendo pouco calóricos. Ideal portanto para satisfazer seus desejos de lambiscar. Isto funciona também com os produtos com 20% de gordura.

Uma fatia de presunto de peru, de peito de frango ou outra carne branca é excelente para saciar sua vontade de comer alguma coisa salgada. É pobre em calorias e rica em proteínas. Alimenta sem alterar a balança.

Além da importância de saciarmos a sede é importante mastigar bem os alimentos para ajudar a saciar o apetite. De acordo com a nutricionista Betânia Venâncio, a fome dura aproximadamente 20 minutos quando começamos a comer. “Se mastigarmos bem, não necessitaremos de tanta quantidade de comida, além disso, faremos uma melhor digestão dos alimentos”, declara a nutricionista.

Governo de Brasília entrega Orla Livre para uso coletivo

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, entregou na manhã de hoje, durante cerimônia ocorrida no Parque Asa Delta, na QL 14 do Lago Sul, a orla do Lago Paranoá desobstruída para o uso da população. A entrega da orla desobstruída ocorre dentro do prazo estipulado em acordo judicial.

A inauguração representou a conclusão de um trabalho de mais de dois anos com a desobstrução do espaço. Com isso, o governo deu fim a uma privatização irregular vivida historicamente no Distrito Federal. “Este é um momento histórico para Brasília, é o lugar mais bonito da cidade que está sendo democratizado, sendo devolvido para a população”, comemorou o governador.

As operações de liberação do espaço público começaram em agosto de 2015, foram finalizadas em 25 de outubro de 2017 no Lago Norte e em 20 de dezembro passado no Lago Sul. Foram desobstruídos 1,7 milhões de metros quadrados (m²) na orla — mais de 5% de toda a quantidade de invasões retiradas pela Agência de Fiscalização do DF (Agefis) nesta gestão (30 milhões de m²). Foram cerca de 1 milhão no Lago Sul e 671 mil no Lago Norte.

O governador informou que o trapiche que ligará o Parque Asa Delta, Parque Península Sul e Pontão do Lago Sul fica pronto até março. “A área do Parque da Asa Delta e do da Península, que foi a primeira a ser desobstruída, já está recebendo infraestrutura como ciclovia, gramado e iluminação. O restante da orla vai ser conservado como está até que saia o resultado do concurso para que o espaço seja usado por todos”, disse Rollemberg.

A Agefis fez 125 operações para desobstruir a orla do lago. No total, 454 lotes foram recuados. Os custos das operações são cobrados dos moradores que não recuaram cercas e muros irregulares por conta própria.“Toda ação foi de bastante perseverança. A sensação hoje é que fazer o certo é muito mais fácil do que a gente pensava”, disse a diretora-presidente da Agefis, Bruna Pinheiro. Até agora, a Agência de Fiscalização do DF cobrou mais de R$ 180 mil.

Cerca de dez órgãos do governo do DF participaram da operação Orla Livre.

 
RocketTheme Joomla Templates