Coluna Bernadete Alves - dia 08/01/2018

Oprah e Kirk Douglas são destaques do Globo de Ouro 2018

A 75ª edição do Globo de Ouro, premiação concedida aos melhores do cinema e da televisão, aconteceu na noite de ontem, dia 07,no Hotel Beverly Hilton na Califórnia, Estados Unidos. A cerimônia, promovida pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood aos melhores do cinema e da televisão, é um dos termômetros para o Oscar 2018, marcado para 04 de março.

A festa foi apresentada pelo comediante Seth Meyers, que falou abertamente sobre o assédio sexual ocorrido em Hollywood, sem poupar os principais acusados: Harvey Weinstein, Kevin Spacey e, num caso mais antigo, Woody Allen.“Considerando o que aconteceu neste ano com homens poderosos e seu terrível comportamento em Hollywood, muitos achavam que seria mais apropriado uma mulher apresentar o prêmio, e talvez estejam certos. Mas se for um consolo, eu sou um homem com absolutamente nenhum poder em Hollywood.”

Além dos protestos contra casos de assédio e críticas a salários desiguais,o destaque da cerimônia foi o discurso emocionante da estrela de televisão Oprah Winfrey sobre a liberdade de imprensa e as vítimas de assédio e a comoção quando o mito centenário Kirk Douglas, foi aplaudido de pé ,durante homenagem no Globo de Ouro 2018. Aqui no Brasil o Globo a premiação foi transmitida pelo canal pago TNT.

A lendária atriz e apresentadora Oprah Winfrey foi homenageada com o Prêmio Cecil B. DeMille, honraria dada todos os anos a todos aqueles que se notabilizaram no cinema. Durante o discurso a homenageada defendeu a liberdade de imprensa.

“Vemos a imprensa sofrer um cerco hoje em dia. É preciso ter dedicação para se revelar a verdade, a injustiça. Revelar os tiranos e suas vítimas. Quero dizer que eu valorizo a imprensa mais do que nunca. Estamos tentando viver esse tempo difícil. Por isso, vou falar que sei ao certo que dizer a sua verdade é a ferramenta mais poderosa que temos. Tenho orgulho e me inspiro nas mulheres que tiveram a força e o poder de falar e compartilhar suas histórias particulares. Neste ano, somos a história”, disse a respeitada comunicadora. Oprah lembrou o impacto de ver Sidney Poitier, primeiro ator negro,recebendo um Oscar e enalteceu o fato de ser a primeira mulher negra a receber esta premiação, fazendo com que possa inspirar meninas como ela foi um dia e mostrando como a representatividade é importante, especialmente nos dias de hoje.

Ovacionada pela plateia, Oprah Winfrey fez um dos discursos mais poderosos da história do Globo de Ouro, emocionando os presentes, que a interromperam com aplausos de pé, principalmente ao lembrar os casos de abuso sexual, dentro e fora de Hollywood. “Não sofremos abuso só na indústria do entretenimento. É um problema que transcende local de trabalho, raça, cultura. Quero prestar um tributo às mulheres que suportaram anos de abuso e violência. Elas, como minha mãe, tinham contas para pagar, filhos para alimentar e sonhos para correr atrás. São mulheres com nomes que nunca saberemos”.Oprah expressou toda a sua gratidão as mulheres anônimas que trabalham duro todos os dias e ainda aguentam abusos e violência para proteger seus filhos.“O tempo dessas pessoas brutais ACABOU!”, declarou emocionada.

E por falar em emoção ela se repetiu quando o mito Kirk Douglas, de 101 anos, foi homenageado no Globo de Ouro. Os convidados reviveram as cenas de clássicos do cinema estrelados por ele, como “Spartcus” (1960) e “Sede de Viver” (1956). Debilitado, o astro foi aplaudido de pé pela plateia e demonstrou grande emoção pelo carinho de profissionais de uma indústria que muito deve a ele.Kirk estava acompanhado da nora Catherine Zeta-Jones, foi aplaudido de pé. “Meu sogro, uma lenda, foi homenageado por seu papel que acabou com a lista negra de Hollywood”, lembrou Catherine sobre a época em que artistas da indústria eram perseguidos pelo macarthismo, trama retratada no filme Trumbo:Lista Negra. “Ele não só contratou o roteirista Dalton Trumbo por Spartacus, como insistiu para que ele recebesse o crédito por seu trabalho.” Com esforço, o ator respondeu: “Você já disse tudo, Catherine. Eu nunca conseguiria dizer nada depois de você”.

A edição do Globo de Ouro 2018 viu seus prêmios bem distribuídos, sem eleger um grande vencedor da noite. Em cinema, até o final, não era possível apontar quem levaria a categoria principal de drama. Três Anúncios de um Crime, conquistou quatro troféus. O longa está previsto para chegar ao Brasil em 8 de fevereiro. Outra produção que se destacou foi Lady Bird, marcado para estrear por aqui em 15 de fevereiro, que conquistou a categoria de melhor filme cômico e atriz em filme de comédia para Saorsie Ronan.

Nas categoria de televisão, as escolhas seguiram as do último Emmy, em setembro, com destaque para The Handmaid’s Tale terminou com dois prêmios, inclusive o de melhor série dramática. A protagonista Elizabeth Moss venceu na categoria melhor atriz em drama. “Não vivemos mais nos espaços em branco no canto das páginas, não vivemos nos buracos entre as histórias. Somos as histórias impressas e estamos escrevendo nossas próprias histórias“, soltou nos agradecimentos.

A maior surpresa foi The Marvelous Mrs. Maisel, que, além de levar o prêmio de melhor série cômica, deu à jovem Rachel Brosnahan o troféu de melhor atriz de comédia ou musical. “Ainda há muitas histórias de mulheres brilhantes por aí e essa é apenas uma, então vamos continuar trabalhando para dar visibilidade a elas”, disse a premiada.

Os vencedores do Globo de Ouro 2018 foram:

Melhor filme dramático: Três Anúncios para um Crime

Melhor filme cômico ou musical: Lady Bird: É Hora de Voar

Melhor diretor: Guillermo Del Toro – A Forma da Água

Melhor ator – drama: Gary Oldman – O Destino de uma Nação

Melhor ator – comédia ou musical: James Franco – O Artista do Desastre

Melhor atriz – drama: Frances McDormand – Três Anúncios para um Crime

Melhor atriz – comédia ou musical: Saorsie Ronan – Lady Bird: É Hora de Voar

Melhor ator coadjuvante: Sam Rockwell – Três Anúncios para um Crime

Melhor atriz coadjuvante: Alisson Jenney – Eu, Tonya

Melhor roteiro: Três Anúncios para um Crime

Melhor trilha sonora: A Forma da Água

Melhor canção original: This is Me – O Rei do Show

Melhor filme estrangeiro: Em Pedaços (Alemanha/França)

Melhor animação: Viva: A Vida É uma Festa

Para contar a aventura de Miguel em busca do passado da sua família na Terra dos Mortos, Lee Unkrich usou a riqueza visual e de roteiro de seu “Toy Story 3”.Produção de destaque da Pixar para esse ano, “Viva – A Vida É uma Festa” é baseada na rica cultura mexicana e usa muito da capacidade de emocionar o público. Lee Unkrich, diretor do longa, agradeceu: “‘Viva’ não existiria sem as pessoas incríveis do México e suas tradições!”.

Na Televisão os premiados foram:

Melhor série dramática: The Handmaid’s Tale

Melhor série cômica: The Marvelous Mrs. Maisel

Melhor minissérie ou filme para TV: Big Little Lies

Ator em série dramática: Sterling K. Brown – This is Us

Ator em série cômica: Aziz Ansari – Master of None

Atriz em série dramática: Elisabeth Moss – The Handmaid’s Tale

Atriz em série cômica ou musical: Rachel Brosnahan – The Marvelous Mrs. Maisel

Ator em minissérie ou filme para TV: Ewan McGregor – Fargo

Atriz em minissérie ou filme para TV: Nicole Kidman – Big Little Lies

Ator coadjuvante em TV: Alexander Skarsgard – Big Little Lies

Atriz coadjuvante em TV: Laura Dern – Big Little Lies

 
RocketTheme Joomla Templates