Coluna Bernadete Alves - dia 07/01/2018

Comandante do Exército diz que sua força está na mente

O General Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército Brasileiro, vem enfrentando com disposição uma grande batalha na sua vida: uma doença neuromotora degenerativa que dificulta sua locomoção e o obriga a andar de cadeira de rodas. A doença foi revelada pelo general no dia 21 de março de 2017, “durante entrevista ao programa “Comandante Responde”, publicada no YouTube.

Sobre a enfermidade, o gaúcho de Cruz Alta de 66 anos que comanda o Exército, informa que foi acometido por uma doença degenerativa do neurônio motor. “Tenho uma rotina de fisioterapia, medicamentos e consultas periódicas que, no momento, não tem atrapalhado o desempenho da minha função”.

Agora, em reportagem ao Jornal Folha de S. Paulo, o general que está à frente de 215 mil homens, dos quais é exigido vigor físico, diz que comandar o Exército o fortalece e que está no ‘pleno desempenho da função’. Eduardo Villas Bôas é general desde 2011 e comanda o Exército desde 2015. Villas Bôas diz que não pretende deixar o cargo embora o seu estado de saúde gere especulações sobre quem será o seu sucessor. “É possível manter o padrão de profissionalismo e entusiasmo mesmo enfrentando grandes dificuldades pessoais”, garante.

Ele diz que a reflexão que faz todos os dias é até quando poderá seguir trabalhando. “Enquanto estiver colaborando para que o Exército possa seguir cumprindo suas missões constitucionais, permaneço”, diz o general. “A carreira, a vibração como militar e o contato com a tropa é o que me motiva a encarar cada dia como um novo desafio”. O general diz que não esperava no final da carreira passar por este imenso desafio. Conta que colocou o cargo à disposição mas o presidente da República achou por bem que ele deveria continuar. “O que está em pé e muito vivo hoje é a minha mente, além dos princípios e valores aprendidos no Exército desde a minha adolescência”, relata.

O general Eduardo Villas Bôas suporta a enfermidade e as adversidades da vida com fé. Não desanima perante as tribulações porque confia em Deus, tem o apoio da família, dos amigos e dos integrantes do Exército Brasileiro. Quem dedicou praticamente toda a sua vida a serviço da Pátria merece respeito e apoio nas horas mais difíceis da vida. Tenha muita fé na sua força e no seu espírito guerreiro, general Villas Bôas. O senhor orgulha o Rio Grande do Sul e o Brasil.

Papa Francisco incentiva amamentação

A tradicional Missa da festa do Batismo do Senhor, que encerra o tempo litúrgico do Natal, um evento anual restrito a filhos de funcionários do Vaticano e da diocese de Roma, foi uma grande cerimônia ocorrida neste Domingo na Capela Sistina onde o Papa insistiu na necessidade de transmitir a fé “com o dialeto do amor” em cada casa e em cada família.Na ocasião o Papa Francisco disse às mães que poderiam sentir-se livres para amamentar os bebês ali se eles tivessem fome.

"Se eles começam com um concerto (de choros), ou se estão incomodados, ou com calor, ou não se sentem bem, ou têm fome... Amamentem-os, não tenham medo, alimentem-os porque isso também é linguagem de amor", disse o papa em uma homilia improvisada. Francisco batizou 34 crianças e disse às mães que poderiam sentir-se livres para amamentar os bebês ali se eles tivessem fome.

O Papa Francisco batizou 18 meninas e 16 meninos, incluindo dois pares de gêmeos durante a cerimônia que durou mais de duas horas. Após a cerimônia o Papa invocou sobre todas as crianças recentemente batizadas “a proteção materna da Mãe de Deus”. As informações são da agência Reuters.

 
RocketTheme Joomla Templates