Coluna Bernadete Alves - dia 30/12/2017

Tradições de Ano-Novo

Estamos a poucas horas para o fim do ano, que foi cheio de altos e baixos, com máscaras caindo, perdas horríveis, momentos ruins, muita instabilidade e mesmo assim não perdemos a esperança em nós e no país. Fim de ano não tem jeito. A gente fica nostálgico, sentimental, faz aquele balanço do ano que passou e as promessas para o novo ciclo que vai começar.

Antes de qualquer celebração é preciso ser grato ao ano que está terminando. Vamos sorrir apesar das angústias e sonhar apesar das desilusões. Vivemos em tempos que precisam de criatividade e imaginação. Vamos recuperar a energia para nos refazer e se recompor quantas vezes forem necessárias porque o Ano Novo começa dentro da gente.

Em todo mundo muitos apostam em simpatias para começar bem o ano novo. As expectativas para 2018 estão altíssimas, até porque precisamos renovar as nossas esperanças e junto delas vêm as resoluções de ano novo, as simpatias, superstições e celebrações. Cada cultura celebrará a chegada do novo ano de uma maneira especial e cada um tem suas crenças.

O numerólogo e especialista em engenharia dimensional, Gilson Chveid Oen,vem há anos divulgando no seu site e entrevistas em programas de rádio e televisão,combinações de letras, símbolos e sons que, segundo ele, quando pronunciados repetidas vezes criam uma energia e fazem com que o universo conspire a seu favor. O objetivo é promover em seu interior as transformações que irão ajudá-lo a atingir um estado de poder repleto de tranquilidade, harmonia e de realizações bem-sucedidas.

Os mantras de Gilson Chveid Oen para 2018 são: Muito Amor, Muita Saúde e Muita Prosperidade 2018 e Felicidade Sem Fim 2018 (os dois podem ser usados na virada e também ao longo do ano). Os dois temans (mantras mais longos) para ajudá-lo a caminhar com maior segurança por 2018:

1: “Louco de paixão eu renasço em você e mergulho nessa luz que o seu amor me faz viver. Estou pronto e encantado para um salto maravilhoso. Numa vida bela e bem feita com um futuro esplendoroso” 2: “As luzes iluminaram as montanhas da felicidade e os amigos de mãos dadas percorreram nossa cidade. Lanternas poderosas com sua luz indicaram o caminho Eu sou poderoso, conquisto o que eu quero, não estou mais sozinho.”

Para que um mantra possa atingir o seu objetivo, é fundamental que ele seja vivenciado regularmente por seu cérebro. Isso significa que ele precisa “entrar em você” algumas vezes por dia através de seus órgãos sensoriais. Para mais informações, acesse: www.gilsonchveidoen.com.br.

Para ajudá-lo a criar um novo e excelente caminho para sua vida: Jiemozir Lubengizomo

Para ajudá-lo a romper regras que o escravizam: Gridor Zudimanbi

Para ganhar dinheiro com facilidade: Gimdozelinobis

Para fechar negócios importantes: Contrato Feito

Para fazê-lo ter uma excelente eficiência em todos os tipos de concurso que participar: Gitondi Brangimandi Zundilondibi

Para arranjar financiadores para novos projetos: Siplodaze

Para ser livre para amar: Sou Doido Mesmo e Daí?

Para uma mulher conquistar uma relação estável: Lorangandazo

Para um homem conquistar uma relação estável: Zolenbrivagola

Para ser bem sucedido numa entrevista de emprego: Zonbevilagi

Para eliminar problemas e obstáculos com facilidade: Mercobluve Zangido

Para adquirir poder para reverter os prejuízos causados por situações que não deviam ter ocorrido: Findibalgiziz

Para ajudá-lo a fechar um negócio muito bom: Ter Sucesso Virou Moda

Para construir uma nova sociedade brasileira (este precisa ser usado por um número grande de pessoas): Caramuru

Para criar em volta de você uma bolha de proteção contra ações e interferências negativas em sua vida: Zangolbireve

A virada de um ano para outro, já é por si só, um acontecimento mágico. Em uma fração de segundos terminamos um ano e começamos o outro. Além da fé e do pensamento positivo uma ajudinha extra não faz mal. No réveillon brasileiro é costume tomar sopa de lentilhas, guardar sete sementes de romã na carteira, usar calcinha ou cueca da cor associada ao desejo para o ano novo. E aguardar o sol nascer no primeiro dia de janeiro. Muitos brasileiros, vestidos de branco, pulam sete ondinhas, lançam flores brancas nas águas como uma oferenda à deusa do mar, Iemanjá, para que ela cumpra seus desejos no próximo ano.

No Japão, os templos budistas tocam seus sinos 108 vezes para receber Toshigami, o deus do ano-novo. Os japoneses também limpam suas casas e enviam cartões de agradecimento conhecidos como nengajo. Os alemães comem maçãs em forma de porco, animais considerados um símbolo de boa sorte.

Na Espanha, muitos comem 12 uvas à medida que os sinos tocam à meia-noite na véspera de ano-novo, pois acredita-se que o ritual trará prosperidade para o próximo ano. Frutas redondas são colocadas na mesa de jantar na véspera de ano-novo: sua forma representa o dinheiro e a prosperidade para o ano que vem.

Na Grécia eles penduram cebolas na porta de suas casas no ano-novo, pois representam renascimento. Como símbolo de prosperidade e boa sorte, as pessoas também quebram romãs à sua porta antes de entrar em suas casas no primeiro dia do ano.

Na Romênia os ursos são considerados sagrados. Os ciganos romenos usam pele de urso real e dançam através do vale central de Trotus na véspera de Ano Novo para evitar o espírito do mal.

De acordo com a tradição, na Estônia, se você comer 12 refeições na ceia, terá a força de 12 pessoas no ano que está começando. Moedas são cozidas na massa de doces na Bolívia, e quem encontra-las terá boa sorte no próximo ano

O ano-novo gira em torno de comida e amigos para os dinamarqueses e noruegueses. Eles celebram com um prato tradicional de bacalhau cozido e uma sobremesa especial chamada Kransekage, um enorme bolo decorado com fogos de artifício e bandeiras.

Os peruanos resolvem suas desavenças da maneira mais difícil. Eles se envolvem em uma grande luta para celebrar o ano-novo.

Os argentinos comem feijão antes do relógio atingir a meia-noite como uma superstição para ter êxito na carreira

Os canadenses recebem o ano-novo mergulhando nas águas geladas da baía inglesa. O costume é popularmente conhecido como o "nado do urso polar"

Um popular jogo de Ano Novo da Bielorrússia envolve reunir um grupo de mulheres solteiras em um círculo. Cada mulher recebe uma pilha de milho, que deve ser colocada na frente dela, então um galo é colocado no meio do círculo. Seja qual for a pilha de milho que o galo opte por comer primeiro, essa mulher será a primeira a se casar.

Os mexicanos pintam suas casas em vermelho, amarelo e verde, com cada cor significando um desejo que deverá ser realizado no ano seguinte. O vermelho pede amor, o amarelo é para o trabalho, enquanto o verde representa o dinheiro.

Os equatorianos criam efígies de pessoas para representar os infortúnios do ano passado. Estas são então queimadas nas ruas para "limpar" a má sorte e receber o ano-novo.

Em Portugal a tradição é comer doze uvas passas, fazendo doze pedidos ao soarem as doze badaladas. Bater tampas de panelas à janela para espantar os males do ano que termina. Claro que vestindo “roupa interior” azul. A comilança é a mesma. Leitão, bacalhau, peru e outras iguarias igualmente “leves”, que comprometem qualquer dieta.

Comemorar a chegada de um novo ano é unanimidade em todas as culturas. Não importa o jeito, se você está em uma festa, em casa com a família e amigos, ou até mesmo sozinha, vamos comemorar, acreditar no novo ciclo e em nosso poder de transformação. A nossa atitude é a mais importante. Vamos cultivar o otimismo, desejar o bem para todos, perdoar quem nos magoa, evitar excessos e direcionar a nossa energia para melhorar a nossa vida.

 
RocketTheme Joomla Templates