Coluna Bernadete Alves - dia 14/11/2017

Brasília Novembro Azul 2017 em apoio a prevenção do câncer de próstata

Monumentos de Brasília ficarão iluminados de azul até o final deste mês. O uso da cor é para lembrar o Novembro Azul, movimento mundial com o objetivo de chamar a atenção sobre a importância de prevenir o câncer de próstata. O Novembro Azul tem como finalidade despertar no sexo masculino a necessidade de cuidar da saúde realizando anualmente exames preventivos.

Dieta balanceada, exercícios físicos e exames periódicos são formas de prevenção. O teste PSA (antígeno prostático específico, na sigla em inglês) pode identificar o aumento de uma proteína produzida pela próstata. O toque retal ainda é encarado com preconceito no Brasil, no entanto, ainda é o exame mais comum e dura menos de 15 segundos.

Os homens têm mais cuidados com a manutenção do carro do que com a própria saúde. Por isso todo em movimento com realização de palestras, mutirões de saúde, corridas e caminhadas e o enfoque na mudança do estilo de vida, contra o sedentarismo e a obesidade.

O câncer de próstata é considerado uma doença da terceira idade, já que cerca de ¾ dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.Se diagnosticada no início, a doença tem chances de cura em mais de 90% dos casos. Em estágio avançado as chances caem para 35%. Pesquisa realizada com 5 mil homens em seis capitais do país revelou que quase a metade (44%) dos entrevistados nunca foi a um urologista.

Os fatores de risco incluem a idade avançada, histórico familiar, fatores hormonais e hábitos alimentares como dietas ricas em gordura e pobres em verduras, vegetais e frutas. O poder público tem que investir mais na saúde do homem. E os homens cuidarem mais da sua saúde.

Daniele Maranhão Costa é a nova desembargadora federal do TRF1

Promovida pelo critério de merecimento, a juíza federal Daniele Maranhão Costa, tomou posse na tarde de hoje, como desembargadora federal do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Daniele Maranhão era titular da 5ª Vara Federal da Seção Judiciária do DF e integrou por quatro vezes a lista tríplice formada pelo plenário do TRF1. A juíza assume vaga decorrente da aposentadoria da desembargadora federal Neuza Alves da Silva, ocorrida em 30 de junho de 2017.

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região é presidido pelo desembargador federal Hilton Queiroz, o 16º presidente do TRF da 1ª Região.Para atender às diversidades e peculiaridades dos jurisdicionados da Primeira Região, que abrange mais de 80% do território nacional em sua jurisdição conta com 27 magistrados. Daniele será a 12ª mulher a integrar a Corte desde sua instalação, em 1989.A nova desembargadora é natural do Rio de Janeiro e atua na magistratura federal há 24 anos, tendo iniciado a carreira como juíza federal substituta na Seção Judiciária de Minas Gerais.

A cerimônia na Sala de Sessões Plenárias do Edifício-Sede I do Tribunal, em Brasília, contou com a apresentação da Banda de Música do 1º Regimento de Cavalaria de Guardas, que executou o Hino Nacional, e com o coral Habeas Cantus, composto por servidores do TRF1. A mesa de honra foi composta pela presidente do STJ, Laurita Vaz, pelo ministro do STF Dias Tóffoli, pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, pela procuradora-geral do MP, Raquel Dodge, pelo vice-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Luis Cláudio da Silva Chaves; e pelo vice-presidente da Câmara dos Deputados, Fábio Augusto Ramalho dos Santos.

A nova desembargador declarou estar muito feliz e realizada. “Fui servidora do TRF1 e, em 1993, ingressei como juíza. Então, são 24 anos de carreira e estou muito feliz de poder vir e contribuir como magistrada e como mulher. É uma continuidade, mudamos de local, mas continuamos trabalhando em prol do jurisdicionado”.

O presidente da OAB/DF, Juliano Costa Couto, parabenizou Daniele Maranhão por sua trajetória como juíza titular da 5ª Vara Federal e desejou sucesso na nova jornada. “Esperamos que a desembargadora faça um excelente trabalho e que esteja aberta a receber os pleitos da advocacia, sobretudo de atendimento às prerrogativas”.

Após a cerimônia, a desembargadora Daniele Maranhão Costa, recebeu as autoridades, amigos e familiares com um jantar na Mansão dos Arcos.

Jardim Botânico ganha Praça de Israel Jardim Bíblico

A Alameda das Nações e dos Estados, espaço criado em 1985 durante a construção do Jardim Botânico de Brasília, recebeu na manhã de hoje, a Praça de Israel Jardim Bíblico. O projeto teve início graças à parceria com a Embaixada de Israel no Brasil, que procurou a instituição brasiliense para implementação da Praça de Israel, como parte das comemorações dos 70 anos do país do Oriente Médio,em abril de 2018.

Na área foram plantadas 29 mudas de árvores típicas de Israel, sendo oito tamareiras, sete oliveiras, sete romãzeiras, quatro videiras e três figueiras. Em uma segunda etapa, serão plantados trigo e cevada. O intuito do diretor executivo do parque, Jeanitto Sebastião Gentilini Filho, é reunir espécies endêmicas de várias partes do mundo. A ideia agora é convidar outras representações internacionais para ocupar o espaço.

“O meio ambiente unifica todas as culturas. A natureza não tem limites geográficos”, declara Gentilini. O novo local também será importante para a educação ambiental de visitantes e de alunos da Escola Classe Jardim Botânico, que ajudaram no plantio desta manhã ao lado da primeira-dama de Brasília, Márcia Rollemberg, do embaixador de Israel no Brasil, Yossi Avraham Shelley e do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha.

O prefeito conversou com Márcia Rollemberg sobre a possibilidade dos projetos sociais da primeira-dama servirem de modelo à Aparecida. Ele elogiou o trabalho que a esposa do governador Rodrigo Rollemberg vem realizando, especialmente o projeto “Embaixada de Portas Abertas” onde estudantes das escolas públicas do DF aprendem a cultura, culinária e história dos outros países. Para Márcia a iniciativa, idealizada por ela, é uma  oportunidade em favor da cultura de paz.

Israel foi o primeiro país a criar um espaço na Alameda das Nações e dos Estados no Jardim Botânico de Brasília. Inclusive em dezembro de 2013 recebeu placas de boas vindas no idioma  hebraico. O então embaixador daquele país, Rafael Eldad, também doou seis mudas de Oliveiras, árvore da Terra Santa, em homenagem à Brasília, a cidade que acolhe povos do mundo inteiro. O diretor executivo do parque, Jeanitto Sebastião Gentilini Filho, participou do plantio das mudas.

O Jardim Botânico de Brasília foi fundado no dia 8 de março de 1985, apesar de sua área já estar em parte delimitada desde a construção da cidade. Foi o primeiro Jardim Botânico do Brasil com um ecossistema predominante de cerrado. Funciona de terça à domingo das 9 às 17 horas. A entrada custa R$ 5,00 por pessoa. Crianças até 12 anos incompletos, idosos a partir dos 60 anos e portadores de necessidades especiais não pagam ingresso. Mais informações pelo telefone 3366-5597.O Jardim Botânico fica no SMDB, Área Especial, Lago Sul.

 
RocketTheme Joomla Templates