Coluna Bernadete Alves - dia 08/09/2017

“Era uma Vez Brasília” concorre no Festival de Cinema

O Momento político brasileiro vai estar em cartaz no 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, no dia 22 deste mês na telona do Cine Brasília, na 106/107 Sul. Em cenários noturnos, com imagens documentadas durante as manifestações populares de 2016, o diretor Adirley Queirós, apresenta uma construção que não segue uma narrativa temporal, mas que tem a realidade atual como base.

“O Brasil pós-golpe vive um processo nebuloso, uma atmosfera apocalíptica. É isso que queremos materializar”, defende o goiano radicado no DF desde 1975. Aos 47 anos de idade, Adirley vive há 40 em Ceilândia. De acordo com ele, o cenário sombrio onde atua o elenco é uma forma de expressar a ideia de que o sol nunca mais nasceu no País. “Temos clareza sobre o movimento que ocorre no Brasil, em que os direitos das classes populares e da periferia são ceifados”, argumenta o diretor.

Era uma Vez Brasília, filme que trabalha a perspectiva política do país desde 2015, tem a participação de Wellington Abreu, Andreia Vieira, Marquim do Tropa e Franklin Ferreira, atores de Ceilândia. “Propus a eles que criassem uma história para os personagens de forma livre”, destaca o diretor sobre o processo de criação. O filme será o representante do Distrito Federal na mostra competitiva do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro que acontece de 15 a 22 deste mês.

Adirley é veterano na competição do Troféu Candango. Em 2015 ganhou os prêmios principais dos júris oficial e popular com o curta “Rap, o canto da Ceilândia”. Em 2014, ele venceu na categoria principal do 47º Festival de Brasília com “Branco Sai, Preto Fica”, seu segundo longa-metragem. O cineasta considera a mostra local a mais importante do País. “O Festival de Brasília se distingue dos outros porque abre uma janela política, tem potência de agregar conhecimento e de se transformar em um espaço de reflexão.”

Uma nave aterrissa na capital federal. A bordo, um agente intergaláctico que recebeu uma missão peculiar em 1959. Ele devia descer à Terra e matar o presidente Juscelino Kubitschek no dia da inauguração de Brasília. Perdido no espaço por anos, o protagonista dessa história acaba caindo em Ceilândia, em 2016. Desnorteado, agora ele se encarrega da tarefa de “acabar com os monstros que tomaram o poder no Brasil”, como define o diretor Adirley Queirós, a mente por trás dessa ideia.

A estreia mundial de Era uma vez Brasília ocorreu no Festival Internacional de Cinema de Locarno, na Suíça, onde recebeu menção especial do júri. No Brasil, a primeira exibição será em 22 de setembro, às 21 horas, durante o Festival de Brasília que acontece de 15 a 24 deste mês. O evento tomará não só o Cine Brasília, palco tradicional das mostras, mas passará por outras 11 regiões administrativas.

Papa pede para igreja católica sair da zona de conforto

O Papa Francisco, em sua visita à Colômbia, pediu neste sábado para a Igreja Católica se renovar e os padres se envolverem na promoção da paz e da 'reconciliação' de um país marcado por um passado violento. “A Igreja na Colômbia está convocada a se empenhar com mais ousadia na formação de discípulos missionários”, declarou o Papa diante de um milhão de fiéis em Medellín.

“Como Jesus ‘chacoalhava’ os doutores da lei para que saíssem da inércia, agora também a Igreja é ‘chacoalhada’ pelo Espírito para que deixe sua zona de conforto e seus apegos. A renovação não nos deve causar medo”, disse o pontífice durante a missa em Medellín, antiga capital do narcotráfico. “Na Colômbia, há várias situações que reclamam dos discípulos o estilo de vida de Jesus, principalmente o amor convertido em feitos de não violência, reconciliação e paz”, assinalou o pontífice de 80 anos.

Francisco ao chegar em Bogotá no dia 06 recebeu uma pomba branca de Emanuel de 13 anos, nascido na selva quando sua mãe, a política Clara Rojas, era refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. O pontífice de 80 anos foi recepcionado pelo presidente Juab Manuel Santos e sua mulher María Clemente. “A viagem para a Colômbia é especial porque servirá para ajudar a Colômbia a seguir adiante em seu caminho pela paz”, declarou o Papa.

Brasília participa da WorldSkills em Abu Dhabi

O campeão brasileiro na modalidade de drywall em 2016, o brasiliense Wanderson dos Santos, treinado pelo Serviço Nacional da Indústria, participa da 44ª edição da WorldSkills, a maior competição de educação profissional do mundo, que acontece entre os dias 15 e 18 de outubro em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes. Os troféus das 51 modalidades serão disputados por 1.264 estudantes de 68 países.

Wanderson Carlos Coimbra dos Santos tem 21 anos e vai representar o Brasil nesta competição internacional nos Emirados Árabes. Em busca da medalha de ouro, Wanderson treina seis dias da semana, das 8h30 às 19h, para se aprimorar tecnicamente na técnica que prevê a correção de imperfeições após pronto o reboco.

O estudante do curso Técnico em Segurança do Trabalho, no Senai, Wanderson Carlos fala orgulhoso de representar Brasília e o Brasil em uma competição internacional. “Estou muito feliz em saber que vou viajar e representar a nação lá fora. Sei que a concorrência é grande, mas só de estar lá representando o país, já estou satisfeito. Para completar essa felicidade, só trazendo a medalha“, declara.

Wanderson conta que o seu pai é o responsável por tudo. Ele trabalha em obras há muito tempo e mesmo sem formação específica, faz uso do drywall. “Sempre acompanhei meu pai durante os serviços e foi com ele que aprendi a usar a técnica. É graças à ele que trabalho com isso”. Wanderson mora com o pai na Estrutural desde 2012, quando os pais se separaram. A mãe e a irmã residem em Tocantins.

 
RocketTheme Joomla Templates