Coluna Bernadete Alves - dia 07/08/2017

Deam lança projeto “Lidera – Empoderar para Multiplicar”

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher lançou hoje, o projeto “Lidera – Empoderar para Multiplicar”, com o objetivo de formar lideranças comunitárias para auxiliar no combate à violência contra a mulher no Distrito Federal. A iniciativa integra a comemoração dos 30 anos de existência da Delegacia da Mulher, criada em 1º de setembro de 1987.

O evento aconteceu no Departamento de Polícia Especializada, sede da corporação, nesta data em que a Lei Maria da Penha completa 11 anos. A delegada-chefe da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher, Sandra Gomes, falou sobre Questões de Gênero, Violência contra a Mulher e o Atendimento no âmbito da Polícia Civil do DF e da Deam.

Sobre o projeto “Lidera – Empoderar para Multiplicar”, a delegada falou: “É uma forma de atuarmos ativamente junto à sociedade para que possamos fazer intervenções mais estruturantes: empoderar as lideranças para que elas multipliquem a prevenção pela educação”, declarou Sandra Gomes.

A população será capacitada, por meio de oficinas para aumentar o conhecimento sobre questões de gênero e as diferentes formas de prevenir a violência, além de sobre como ajudar as vítimas. As atividades para os 80 líderes comunitários selecionados serão ministradas por policiais civis.

Com a capacitação, as lideranças conseguirão reconhecer o impacto da violência contra a mulher, as causas, os instrumentos legais de proteção e enfrentamento e os serviços disponíveis na Polícia Civil do Distrito Federal, em especial na Deam, que fica na 204/205 Sul, e na rede de proteção às mulheres no DF.

A primeira-dama do Distrito Federal, Márcia Rollemberg, prestigiou o evento e falou da importância do trabalho dos voluntários. A colaboradora do governo de Brasília enumerou as ações do Brasília Cidadã como política pública essencial para construir uma nova consciência de paz social no DF. Ela destacou a importância de compartilhar as informações sobre a violência contra a mulher e de mobilizar a população. “Todos temos um papel para construirmos uma sociedade mais justa. A realidade só será mudada com o reconhecimento das nossas responsabilidades e com a participação social como direito”, declarou Márcia Rollemberg.

Eric Seba, diretor-geral da Polícia Civil, parabenizou o trabalho da Deam e ressaltou o papel da corporação como instrumento para a procura de uma sociedade mais justa. “Precisamos empoderar aqueles que buscam uma cultura de paz, sem intolerância de nenhum tipo.”

Quem estiver interessado em colaborar com o projeto, o e-mail é Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. .

Parabéns à Polícia Civil do Distrito Federal por formar líderes comunitários para fortalecer combate à violência contra a mulher.

50º Festival de Brasilia do Cinema Brasileiro anuncia os selecionados

Vitrine do cinema nacional, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro chega a 50ª edição mostrando a força da produção audiovisual brasileira. A edição de 2017 que acontece de 15 a 24 de setembro, no Cine Brasília, homenageia o diretor Nelson Pereira dos Santos, que receberá a medalha Paulo Emílio Salles Gomes pela grande contribuição ao cinema brasileiro.

O mais antigo evento do gênero no País em vez de premiar os vencedores, vai conceder R$ 340 mil em cachês de seleção para os nove longas, os 12 curtas-metragens da mostra competitiva e os longas das exibições paralelas. Longas-metragens: R$ 15 mil, Sessão especial: R$ 10 mil, Curtas-metragens: R$ 5 mil, Mostras paralelas: os longas receberão R$ 3 mil cada um.

“O festival mantém sua tradição, como centro de efervescência de debates estéticos e políticos, mas também se alinha às principais questões do mercado cinematográfico e das novas tendências”, declarou o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

O festival será organizado em parceria com o Instituto Alvorada Brasil, organização da sociedade civil selecionada por chamamento público. O instituto promoverá mostras paralelas, como a Futuro Brasil, que servirão de vitrine para cineastas com filmes em finalização que desejam apresentá-los a especialistas de mercados de grandes festivais internacionais. Para lembrar a história do festival acontece a exibição 50 anos em 5 (dias) dedicada a uma retrospectiva de produções significativas que passaram pela tela do Cine Brasília.

Os concorrentes ao Troféu Candango vêm de nove unidades federativas: Arábia, de Affonso Uchoa e João Dumans (MG); Café com Canela, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (BA); Construindo Pontes, de Heloisa Passos (PR); Era uma Vez Brasília, de Adirley Queirós (DF); Música para Quando as Luzes se Apagam, de Ismael Cannepele (RS); O Nó do Diabo, de Ramon Porto Mota, Gabriel Martins, Ian Abé e Jhesus Tribuzi (PB); Pendular, de Julia Murat (RJ); Por Trás da Linha de Escudos, de Marcelo Pedroso (PE) e Vazante, de Daniela Thomas (SP).

Os 12 títulos de curta-metragem que concorrem na mostra competitiva, foram selecionados entre 608 inscritos. Brasília participa com Carneiro de Ouro de Dácia Ibiapina. O Troféu Candango será entregue nas categorias melhor filme, direção, ator, atriz, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, roteiro, fotografia, direção de arte, trilha sonora, som e montagem.

Entre as mostras paralelas, haverá seleções de filmes que contam a história dos 50 anos do Festival de Brasília, e uma exibição de películas não finalizadas para curadores e diretores de grandes festivais internacionais. Além do Cine Brasília, a organização levará exibição gratuita das mostras para Taguatinga, Sobradinho, Gama e Riacho Fundo I.

 
RocketTheme Joomla Templates