Coluna Bernadete Alves - dia 04/08/2017

Música brasileira perde Luiz Melodia - o “Pérola Negra”

O consagrado cantor e compositor Luiz Melodia, faleceu hoje aos 66 anos, em decorrência do agravamento de um câncer na medula óssea. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do músico, e também por nota do hospital onde o compositor estava internado. "A direção do Hospital Quinta D'Or informa que Luiz Carlos dos Santos, o cantor Luiz Melodia, faleceu na madrugada desta sexta-feira, 04/08 em decorrência do agravamento do câncer de medula óssea, que estava em tratamento no Centro de Oncologia da unidade".

Uma notícia triste para a cultura brasileira. Luiz era como um felino no palco,um extraordinário interprete, uma verdadeira melodia para os nossos ouvidos. Tratava a raça negra como uma pérola e isso ele demonstrou na canção “Pérola Negra”. Luiz Melodia nos fazia chorar de emoção quando cantava o amor e hoje choramos de tristeza pelo seu falecimento.

Luiz Melodia foi um compositor, cantor e ator brasileiro. Seu foco eram músicas de rock, MPB, blues, soul e samba. Natural do Rio de Janeiro, lançou seu primeiro LP em 1973, no "Festival Abertura", competição musical da Rede Globo. Após a participação no programa, alcançou sucesso instantâneo e fez turnês pela Europa, nunca tendo se afastado dos palcos.

Nascido no Morro do Estácio, na zona central do Rio, em janeiro de 1951, Luiz Carlos dos Santos era filho do sambista Oswaldo Melodia e começou a carreira musical em 1964, quando formou a banda Os Instantâneos, ao lado dos amigos Manoel, Nazareno e Mizinho. Tocando no morro, foi descoberto pelo poeta Wally Salomão, que o apresentou à cantora Gal Costa. Ela gravou a música Pérola Negra, de Melodia, no disco Gal a Todo Vapor, de 1972. Depois, Maria Bethania gravou Estácio, Holly Estácio e Melodia lançou o primeiro disco, Pérola Negra, em 1973.

Luiz tinha uma consolidada carreira no Brasil e no exterior. Em mais de 40 anos de carreira, gravou 16 discos e teve participação em trilhas sonoras de 15 novelas ou minisséries. Entre as canções de sucesso estão também Codinome Beija-Flor, Negro Gato, Juventude Transviada e Ébano.

A Estácio divulgou nota de pesar pela morte do cantor. “Nesta sexta-feira cinza, o nosso surdo chora. Um dos nossos amigos, torcedores e amantes do Berço do Samba se despede e, conosco, fica a saudade e a gratidão pelos momentos em que ele exaltou com amor, a nossa comunidade. #RIP Luiz Melodia”. O velório será na quadra da Escola de Samba Estácio de Sá e o enterro amanhã.

Luiz Melodia deixa a esposa Jane Reis, que é também cantora, compositora e produtora. E o filho, o rapper Mahal Reis. O guitarrista Renato Piau, que tocava com Luiz Melodia, disse emocionado: "Infelizmente, o negão se foi, é muito triste, mas ele estava sofrendo muito, então isso é um alento”.

O talentosíssimo artista nos deixou. Mas sua poesia, sensibilidade e legado sempre estarão entre nós.

Neymar se apresenta no Paris Saint-Germain

O brasileiro Neymar Jr foi o assunto mais comentado na imprensa mundial na última semana. A decisão de deixar o Barcelona para defender o Paris Saint-Germain deixou o mercado da bola em polvorosa pela maior transação da história do futebol. O Clube francês pagou 222 milhões de euros, referentes à multa rescisória. Embora a contratação de Neymar, por si só, tenha custado mais do que o dobro desta margem de investimento, o sheik Nasser Al-Khelaifi, presidente do PSG, disse que o clube está tranquilo em relação ao cumprimento das normas da Uefa e que Neymar não foi caro e que o PSG vai ganhar o dobro com a contratação do jogador brasileiro.

Nesta sexta-feira, dia da apresentação oficial, o atacante foi anunciado com direito a embaixadinhas no Parque dos Príncipes, protagonista na sala de imprensa e também na grande festa feita pela torcida no lado de fora do estádio.

“Nunca fui movido por dinheiro, mas por felicidade”, assegurou Neymar. Ele disse que estava feliz pelo PSC acreditar no seu potencial e que o projeto montado pelo time foi determinante para a sua decisão. “Pela ambição que esse clube tem, é alinhado com a minha. De querer vencer, de buscar algo maior, com grande desafio e foi onde meu coração pediu para ir e com toda felicidade do mundo estou aqui. Eu vou fazer o melhor para ajudar nossa equipe”, declarou. Quando perguntado pelo alto valor investido respondeu bem humorado: Não tenho pressão, continuo igual com os mesmos 69 quilos”.

O presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, sempre sorridente reafirmou que Neymar não foi caro. “Neymar está conosco para ganhar todos os troféus possíveis. Com ele, poderemos ganhar tudo, na mais bela cidade do mundo, que é Paris”, declarou o skeik.

Logo depois o craque brasileiro, foi apresentado aos colegas do elenco. Neymar Jr treinou pela primeira vez com os companheiros de PSG. Na coletiva, ele se colocou à disposição do técnico Unai Emery. O camisa 10 do Paris Saint-Germain, número herdado do argentino Pastore, ainda não sabe se poderá ir a campo na partida do Paris Sain-Germain contra o Amiens, amanhã às 12h15 (horário de Brasília), no Parque dos Príncipes. É que o PSG corre para regularizá-lo a tempo.

Durante o jantar, Neymar precisou ficar em pé na cadeira e falar algumas palavras - em espanhol, para que todos pudessem compreender. “Meu nome é Neymar Jr, tenho 25 anos, é um prazer estar aqui com vocês, uma honra. Jogar com jogadores que são muito bons, são craques... para mim, são ídolos”, declarou. Em seguida, Neymar puxou um pagode e a música escolhida é a do seu lema: "Ousadia e Alegria", do amigo Thiaguinho.

O momento de descontração foi registrado pelos brasileiros Thiago Silva e Marquinhos e até pelo francês Matuidi e compartilhado pelos jogadores nas redes sociais.

Em apenas 6 horas os fãs esgotaram as 10 mil camisas de Neymar, nas duas lojas oficiais do PSG, uma ao lado do estádio e a outra na Champs-Élysées. Em um curto espaço de tempo o clube faturou 1 milhão de euros com as camisetas do craque brasileiro. A camisa 10 de Neymar, assim como as de todos os outros jogadores, foi vendida a 100 euros cada, o equivalente a cerca de R$ 370, na cotação atual. Novas remessas serão disponibilizadas amanhã.

Festival CoMA estreia em Brasília

A primeira edição da Convenção de Música e Arte - CoMA, começa hoje em espaços culturais no Plano Piloto e vai domingo. A estrutura, montada no canteiro central do Eixo Monumental que engloba o Planetário, Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Clube do Choro e a Funarte, apresentará programação especial com cerca de 50 bandas, locais, nacionais e internacionais, vão se apresentar simultaneamente na capital federal.

O evento é uma inspiração em iniciativas internacionais como o Primavera Sound, de Barcelona, unindo música com empreendedorismo. A versão brasiliense montou, 5 palcos para shows, 36 painéis, uma área de DJs, mercadinho com itens de moda, arte e artesanato, além de uma ampla praça de alimentação com food trucks.

A Convenção de Música e Arte pretende traçar a relação de Brasília com o mercado da música e a conexão com o Brasil e o mundo e tem o apoio da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer do Distrito Federal. Os painéis são formados por palestras, oficinas, debates e discussões que vão colocar a música e o mercado musical em foco, além de um fórum para estimular o debate das políticas públicas relacionadas às cadeias produtivas da música.

Na programação estão Scalene, Emicida, Lenine, Clarice Falcão e Rico Delasam. De Brasília Dillo, Adriah, Lista de Lily, Bracunians, Sinco, Joe Silhueta, Esdras Nogueira, e músicos que ganharam visibilidade no Clube do Choro, e até o Bloco das Divinas Tetas, sucesso do carnaval candango. De fora do Brasil tem a banda O’Brother. Uma grande diversidade musical e cultural que vai do rock, choro, hip-hop à MPB como a banda Far From Alaska, de Natal, que faz parte do novo rock nacional.

O festival também apoia os grupos independentes de Brasília e do Brasil. As dez bandas do Brasília Independente farão shows nos palcos montados no gramado da Funarte, na Esplanada dos Ministérios. O Planetário e o Clube do Choro de Brasília, recebem Emicida, Fióti, Clarisse Falcão, Scalene, Rico Dalasam e o vencedor do Brasília Independente 2016, Marcelo Café. O ingresso varia de R$ 15 a R$ 80. Mais informações no site do festival www.festivalcoma.com.br.

 
RocketTheme Joomla Templates