Coluna Bernadete Alves - dia 30/07/2017

O Complexo Sistema de Comunicação dos cães

Assim como nós temos o nosso sistema de comunicação, os cães também se expressam de diferentes maneiras. Para descobrir mais sobre o que seu animalzinho tem a dizer em determinados momentos, especialistas explicam os significados das atitudes mais comuns dos cachorros. Como: o que o cão quer dizer quando lambe as mãos do dono, porque uiva no meio da noite, porque dá voltinhas em torno de si antes de deitar, e como reconhecer quando o animal está cansado ou nervoso.

Os bichinhos de estimação, entre um latido e outro, tentam mostrar aos donos as suas necessidades, carências e sentimentos. Alguns comportamentos, no entanto, passam despercebidos pelos humanos. Para desvendar as causas de determinadas atitudes dos cães, surgiram estudos para investigar o comportamento canino a fim de desvendar as causas de determinadas atitudes dos cãezinhos. Pra entender um pouco mais do que o fiel companheiro tem a dizer em alguns momentos, especialistas em psicologia canina e adestramento de animais desvendaram alguns dos hábitos mais comuns dos cachorros.

O olfato dos cães é tão importante que, ao nascer, os cães encontram as mamas da mãe para se alimentar através do faro, antes mesmo de abrirem os olhos. Com um olfato com mais de 200 milhões de receptores (cerca de 40 vezes mais do que o olfato os seres humanos), nada mais justo que os animais usem esse sentido também para reconhecem as pessoas e até outros cães. É por isso que o filhote cheira as pessoas antes de receber carinho e cheira por algum tempo o corpo do outro animal para se familiarizar.

A cauda do cão é similar ao corpo humano: quando estamos felizes, nos movimentamos mais para demonstrar felicidade; quando estamos tristes, é natural que fiquemos um pouco mais curvados e assim por diante. Para descobrir como está o humor do animal é só prestar atenção no movimento da cauda. Se o cão estiver com a cauda reta e para cima, ele está em alerta, pronto para uma ação. O famoso “rabo entre as pernas” significa, literalmente, certa submissão em um determinado instante. Agora se a cauda do animalzinho não para de se mexer ele está felicíssimo com a presença do dono. Em uma briga, por exemplo, quer dizer que perdeu e “entregou os pontos”.

Antes de dormir, os cachorros costumam dar pequenas voltinhas em torno de si mesmos e às vezes chegam até a arranhar com as unhas, os locais em que vão se deitar. Esse hábito é um resquício da era selvagem dos seus antepassados. Naquele tempo, os cachorros do mato precisavam amassar e afofar bem a grama ou terra sobre a qual deitavam, para que a cama “improvisada” ficasse mais confortável. As voltas que eles dão em torno de si mesmos orientam as direções norte ou sul.

Quando um cachorro vira de barriga para cima, significa duas coisas: Em uma briga, por exemplo, quer dizer que perdeu e “entregou os pontos” para outros cachorros. Quando está brincando com o dono e fica de barriga para cima é para receber carinho e demonstrar que está confiante. Em uma briga, por exemplo, quer dizer que perdeu e “entregou os pontos” para outros cachorros. Quando se inclina sobre as patas dianteiras com a parte posterior do tronco erguida, abanando o rabo sem parar, está convidando para brincar. E o pedido para a diversão pode ficar ainda mais evidente quando ele bate com as patas no chão ou começa a latir, tentando chamar a sua atenção. Quando o cachorro vira a cabeça e as orelhas para uma determinada direção é porque escutou algum barulho e quer tentar localizá-lo e identificá-lo.

Os cães são mais que fiéis companheiros. Eles prestam serviço e mudam a rotina das pessoas com necessidades especiais mais prática e feliz. Os tropeços, as quedas e a sensação de insegurança diminuem com a presença, os olhos e olfato do inseparável amigo labrador.

Esses cachorros são divididos por categorias e são treinados para ajudar autistas, deficientes visuais, diabéticos e cadeirantes, entre outros necessitados. Eles aprendem, por exemplo, como impedir uma criança autista de sair correndo ou como alertar alguém sobre uma crise alérgica ou um ataque epiléptico. É muito importante que os benefícios que um cão de serviço oferece sejam reconhecidos e respeitados.

Além do cão guia, a Polícia Federal tem cães que fazem a detecção de drogas e a detecção de explosivos e a Polícia Militar do DF trabalha com cães há 49 anos. O BPCães PMDF teve início no Batalhão Pioneiro da PM em 1967 e tem como principal missão o emprego do cão policial em atividades de segurança pública, atuando de forma preventiva. A unidade é subordinada ao Comando de Missões Especiais (CME) da Polícia Militar do Distrito Federal e está localizada no Setor Policial Sul. A parceria entre policiais e cães resulta em significativas apreensões de drogas, armas e explosivos. Ações de choque, intervenções táticas e o patrulhamento das ruas são outras ações realizadas pela unidade.

O Batalhão de Policiamento com Cães apoia diversas missões da Polícia Militar do DF, sejam elas nos processos a pé, motorizado, em embarcações ou aerotransportadas, onde quer que se torne necessário o policiamento cinotécnico, ele é empregado”,O Batalhão realiza ainda o trabalho conjunto com o BPChoque, no controle de distúrbios civis, nas operações em estabelecimentos prisionais, manifestações em praças públicas, além do policiamento em praças esportivas. É possível observar cães policiais em apresentações e demonstrações de eventos beneficentes, feiras, exposições, escolas e nas ações policiais.

BPCães PMDF também realiza palestras com intuito de orientar a população no manuseio, cuidados e criação de cães domésticos, colaborando com a difusão de técnicas apropriadas, além de palestras educativas que visam à prevenção e orientação quanto aos males causados pelo uso de drogas ilícitas.Os cães são comprados pela Polícia Militar por meio de licitações e passam por testes para que seja verificado se possuem perfil para o trabalho policial. A unidade trabalha também em conjunto com o Centro de Medicina Veterinária da PMDF que verifica constantemente a saúde dos cães. A rotina dos animais é composta por treinamentos para detecção de entorpecentes e explosivos. Atualmente, a unidade é referência internacional nas competições de detecção de substâncias com unidades policiais de outros países.

Vento e nevoeiro deixam Brasília com sensação de 5º graus

Brasília teve uma madrugada fria com os termômetros marcando 12,9 graus. No entanto, no início da manhã deste domingo a sensação térmica foi de 5 graus por conta de ventos. Segundo o Inmet o nevoeiro intenso que atingiu o Distrito Federal é resultado do contraste térmico entre o ar quente do período seco e as nuvens frias no inverno.

O Instituto Nacional de Meteorologia informa que o vento vai variar de moderado a fraco até o final do dia. O céu terá muitas nuvens durante o dia e nublado à noite. A temperatura varia de 13 a 22 graus e a umidade deve chegar a 35%. Meteorologistas explicam que a onda de frio que está na capital federal há semanas, vai continuar na próxima semana e deve ceder lugar ao calor só em meados de agosto.

 
RocketTheme Joomla Templates