Coluna Bernadete Alves - dia 26/02/2018

Coleta Seletiva começa em dez regiões administrativas do DF

Teve inicio hoje a coleta seletiva feita por cooperativas de catadores de material reciclável. A informação foi dada hoje de manhã pelo governador Rodrigo Rollemberg, durante o início do programa Cidades Limpas no Paranoá. Também vão receber a Coleta Seletiva : Cruzeiro Velho, Itapoã, Lago Norte, Lago Sul, Riacho Fundo I, Riacho Fundo II, São Sebastião, Sobradinho e Varjão. Os dias e horários em que haverá coleta seletiva nas dez regiões serão informados pelo site do Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

“A gente está dando um passo importante para fazer uma Brasília cidadã, garantindo a esses brasilienses aqui dignidade, uma relação profissional com o Estado, em que vamos cobrar qualidade da coleta seletiva”, declarou Rollemberg. O governador destacou que este modelo de contratação é adotado desde maio de 2015 para parte da Candangolândia, do Núcleo Bandeirante, de Samambaia, de Santa Maria e de Brazlândia, regiões em que o serviço é feito por quatro cooperativas de catadores.

O chefe do Executivo local destacou que, na semana passada, o Tribunal de Contas do Distrito Federal liberou a licitação definitiva do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) que permitirá a coleta seletiva até o fim do ano em toda a área urbana do DF. Ressaltou, ainda, a atuação de organizações de catadores de material reciclável em galpões de triagem alugados pelo governo de Brasília.

A incorporação de catadores no mercado de trabalho de coleta seletiva e reciclagem faz parte das medidas do governo de Brasília para desativar o lixão da Estrutural, definitivamente fechado em 20 de janeiro deste ano.

A coleta seletiva é o termo utilizado para o recolhimento dos materiais que são possíveis de serem reciclados, previamente separados na fonte geradora, ou seja, nas nossas casas. Dentre estes materiais recicláveis podemos citar os diversos tipos de papéis, plásticos, metais e vidros. A separação do lixo evita a contaminação do solo e das pessoas.

Nas ruas, enquanto alguns profissionais recolhem o lixo seco, o responsável pela mobilização da comunidade bate nas portas dos moradores para sanar dúvidas relacionadas à separação dos resíduos e entregar informativos com as datas e os turnos da coleta seletiva. Os mobilizadores utilizam um aplicativo específico, desenvolvido pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), para marcar quais residências foram informadas acerca do novo modelo de coleta seletiva.

O SLU monitora o serviço por aparelhos GPS instalados nos caminhões de coleta. Além disso, conforme estabelecido no novo sistema, as associações são responsáveis pela triagem do lixo. Kátia Campos, diretora-presidente do SLU, comemorou o inicio da nova etapa. “A gente faz aqui um apelo para que a população separe com carinho aquilo que tem valor para reciclagem. Esse material está dando renda para muitas famílias no DF e aumentando a vida útil do aterro sanitário.”

É importante lembrarmos que alguns tipos de lixos devem ter descarte apropriado. Pilhas, baterias comuns e de celular também são separadas, pois quando descartadas no meio ambiente provocam contaminação do solo. Embora não possam ser reutilizados, estes materiais ganham um destino apropriado para não gerarem a poluição do meio ambiente.

Medicamentos não devem ser descartados junto com o lixo orgânico, pois possuem substâncias químicas que podem contaminar o solo e a água. Algumas redes de farmácias possuem pontos de coleta de medicamentos que não são mais usados.Lâmpadas fluorescentes também necessitam de descarte especial. Em seu interior, uma lâmpada deste tipo possui vapor de mercúrio, gás tóxico, que contamina o ar quando quebrada. Algumas lojas de materiais elétricos e de construção possuem pontos de coletas destes materiais.Os lixos hospitalares também merecem um tratamento especial, pois costumam estar infectados com grande quantidade de vírus e bactérias. Desta forma, são retirados dos hospitais de forma específica (com procedimentos seguros) e levados para a incineração em locais especiais.

O Paranoá é a segunda região administrativa a receber o programa Cidades Limpas em 2018. Os trabalhos são coordenados pela Secretaria das Cidades. A melhoria imediata do ambiente urbano por meio de ações de limpeza, conservação e urbanização contará com o apoio de 221 trabalhadores, de 18 órgãos do governo de Brasília. Estão previstas ações como poda de árvores, tapa-buracos, manejo ambiental e vistoria para combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, da febre amarela, do zika vírus e da chikungunya. Haverá ainda vacinação antirrábica gratuita de cães e gatos e a poda de árvores do Parque Vivencial do Paranoá, às margens da rodovia que liga o Setor de Mansões do Lago Norte à barragem do Paranoá.

O Programa Cidades Limpas proporciona mais qualidade de vida para a população. A coleta seletiva de lixo é também de extrema importância para a sociedade. Além de gerar renda para milhares de pessoas e economia para as empresa, também significa uma grande vantagem para o meio ambiente uma vez que diminui a poluição dos solos e nascentes. Este tipo de coleta é de extrema importância para o desenvolvimento sustentável não só do DF como do planeta.

Unicamp também vai ministrar “O golpe de 2016” como disciplina

O Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade de Campinas acaba de criar uma disciplina sobre o chamado 'golpe de 2016', assim como a Universidade de Brasília anunciou recentemente. O ato ocorre em solidariedade ao professor Luiz Felipe Miguel, da UnB, que ao anunciar a criação da disciplina caiu na desgraça do ministro da Educação Mendonça Filho. No dia 22 o ministro reagiu às notícias sobre a disciplina e anunciou que acionará o Ministério Público Federal para apurar suposto “ato de improbidade” por parte do docente da UNB. Ele afirmou que a universidade “não pode ensinar qualquer coisa”.

Para Mendonça Filho, “se cada um construir uma tese e criar disciplina, as universidades vão virar uma bagunça geral”. O ministro também disse que o Brasil é um país democrático e que o impeachment seguiu os ritos legais, de forma que a disciplina nada mais faria que “reverberar a tese petista”.

Tais declarações foram repudiadas pelos docentes da Unicamp que, em solidariedade ao colega da UnB, enviaram uma nota em nome do Departamento de Ciência Política da universidade, "em defesa da liberdade de cátedra e da autonomia universitária".

"O Departamento de Ciência Política da Unicamp vem a público manifestar irrestrita solidariedade ao professor e pesquisador Luis Felipe Miguel, da Universidade de Brasília, que ministrará neste semestre a disciplina 'O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil'. Repudiamos as declarações e ameaças do ministro da Educação do governo golpista contra nosso colega da UNB. Elas são a demonstração cabal de que vivemos em um contexto político autoritário, no qual a máxima autoridade federal no campo educacional infringe a liberdade de cátedra e a autonomia universitária contra um docente e cientista político que apenas cumpre seu dever de ofício: pesquisar, elaborar cursos sobre a realidade e ensinar. Manifestamos nossa mais profunda indignação contra os ataques à Universidade Pública e aos seus membros que temos assistido nos últimos meses no Brasil. Não é esse o caminho pelo qual transformaremos o Brasil em um país soberano, justo e livre. Estamos e estaremos juntos na luta para mudar a atual situação política do País."

O professor Luis Felipe Miguel rebateu em sua página nas redes sociais as críticas do MEC e os comentários do ministro Mendonça Filho. “O que causou reboliço foi o uso da palavra "golpe" já no título da matéria. Tenho razões muito sólidas para sustentar que a ruptura ocorrida no Brasil em se classifica como golpe", escreveu."Continuarei discutindo essas razões com estudantes e com colegas e com a sociedade civil. Não vou, no entanto, justificar escolhas acadêmicas diante de Mendonça Filho ou de seus assessores, que não têm qualificação para fazer tal exigência”, pontuou o professor da matéria 'golpe de 2016'.

Hoje a Unicamp informa que também terá uma disciplina de mesmo nome, que terá basicamente o mesmo conteúdo da oferecida pela UNB, sobre o ' golpe de 2016 '. Nessa matéria, os alunos serão submetidos a estudos a respeito dos "elementos de fragilidade do sistema político brasileiro que permitiram a ruptura democrática de 2016, com a deposição da presidente Dilma Rousseff”, como afirma o programa do curso. Em Campinas, cada docente dará uma palestra na disciplina.

O semestre letivo da UnB começará no dia 5 de março e a disciplina “Tópicos Especiais em Ciência Política 4: O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil”, ofertada pelo professor Luís Felipe Miguel, no curso de graduação de ciência política, está lotada e já tem lista de espera de mais 40 estudantes.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 25/02/2018

OAB/DF promove Diálogos Eleitorais com ministro do TSE e professor da UnB

A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal promoveu por iniciativa da Comissão de Direito Eleitoral, na noite do dia 21, mais uma etapa do projeto Diálogos Eleitorais, com a participação do ministro Tarcísio Vieira de Carvalho Neto, do Tribunal Superior Eleitoral, e do Doutor em Direito pela USP, Daniel Falcão, professor da USP e do IDP. O presidente da OAB/DF, Juliano Costa Couto, deu as boas vindas aos convidados e integrantes da Comissão de Direito Eleitoral e disse que era uma alegria receber tão ilustres juristas para sanar as dúvidas do pleito eleitoral de 2018.

O presidente da Ordem lembrou que desde a Constituição de 1988, o Congresso tem sido campo fértil de tentativas de reforma política e que só em 2017 aconteceu de forma complexa e com muitas lacunas. Para esclarecer o que muda nas regras do pleito eleitoral e a maior participação das mulheres no exercício dos direitos políticos a OAB recebe as renomadas autoridades. “Aqui é um ambiente em que se critica ideias e não pessoas”, disse Costa Couto, lembrando que a verdadeira reforma é na urna onde os brasileiros são todos iguais.

O presidente da Comissão de Direito Eleitoral, Bruno Rangel Avelino da Silva, lembrou que a reforma política traz mais indagações do que certeza. Dentre as mudanças o fundo bilionário com dinheiro público para financiar campanhas e desempenho eleitoral mínimo para que partidos tenham direito a tempo de TV e à verba do fundo partidário.

Rangel falou que a reforma fixou limites de gastos de campanhas para os cargos em disputa, que somente pessoas físicas poderão fazer doações eleitorais e que a lei permite aos candidatos o uso de financiamento coletivo a chamada "vaquinha", para arrecadar recursos de campanha. Para dirimir tantas duvidas sobre as novas regras e desafios do Financiamento de Campanha, a partir da Resolução/TSE n. 23.553, só com especialistas na matéria como o ministro Tarcísio de Carvalho e o professor do IDP e da USP Daniel Gustavo Falcão Pimentel dos Reis.

O ministro Tarcisio de Carvalho, do TSE, começou dizendo que o tema é realmente complexo. A reforma política alterou dispositivos da Lei das Eleições (Lei n° 9.504/97), da Lei dos Partidos Políticos (Lei n° 9.096/95) e do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/65), que disciplinam todo o processo eleitoral. E afirmou que a questão econômica vai comprometer as eleições deste ano. “Não há eleição sem dinheiro”. E acrescentou: “a Legislação Eleitoral é revestida de armadura”.

O ministro lembrou que um ano antes da eleição, em 06 de outubro de 2017, foi aprovada, quase que por imposição, a Reforma Política (Lei n° 13.487), um pacote de medidas contraditórias entre si em diversos pontos. A questão do autofinanciamento foi ainda pior porque atinge mais as campanhas majoritárias. E que em 15 de dezembro de 2017 caiu o veto de Temer ((Lei nº 13.488) a menos de um ano e com isso surgiu uma insegurança jurídica. “Duas leis com praticamente o mesmo número”. Para ele esta reforma não é integral. Todas são tormentosas. “Vão surgir discursos moralistas devido as desinformações”, declarou. O palestrante disse que “igualdade sobre matéria eleitoral não existe”.

O professor Daniel Falcão perguntou que tipo de sistema eleitoral queremos para o Brasil. E assegurou que a legislação eleitoral foi feita para que os políticos atuais se mantém e que o núcleo duro da política vai se eleger quase sempre por causa do Fundo Partidário. “Um convite aberto para o Caixa 2. E como controlar o Caixa 2? Só com um modelo que funcione. As reformas não buscam a igualdade real ao distribuir de forma desigual os recursos públicos. Basta ver a distribuição do Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos.

O professor da USP disse que embora o sistema seja ruim não é inconstitucional. “A legislação foi adaptada de forma ajambrada porque o Congresso Nacional só faz experimentos em campanhas municipais. Nosso sistema eleitoral faz com que as campanhas sejam caras. Em um país continental nem todos podem bancar o marketing político porque o limite de gasto importo pela lei limita a competência de arrecadar bem”.

Daniel falou que embora as mídias sociais tem poder de propagar rapidamente informações, mais da metade da população não tem acesso a internet e que a TV vai ser o primeiro fator para levar informação até os lugares mais longínquos. O advogado lembrou que menos tempo de propaganda política na televisão vai prejudicar os novos políticos e que as regras vieram para beneficiar o núcleo duro da política.

“A Reforma Política aprovada em 2017 favoreceu as cúpulas partidárias, que terão ainda mais poder sobre as candidaturas. A comissão executiva de cada partido é que vai definir como será a divisão interna do fundo eleitoral entre seus candidatos”, declarou o Doutor em Direito.

O advogado Sidney Sá das Neves, integrante do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral, questionou sobre a arrecadação de campanha, o autofinanciamento e a distribuição desigual dos recursos públicos. “A reforma eleitoral é um divisor de águas e a que mais atrai a judicialização”, declarou. Ele também questionou ao ministro do TSE sobre alianças entre partidos, capacidade de competição reduzida devido ao desequilíbrio financeiro entre os candidatos, substituição de candidato e a propaganda eleitoral na internet.

A advogada Georgia Nunes, coordenadora-geral da Academia de Direito Eleitoral e Político, disse que é preciso mais transparência com relação a distribuição de recursos do Fundo Partidário às legendas. A Mestra em Direito Público afirmou que não há estímulo a campanhas femininas e sugeriu que o Tribunal Superior Eleitoral realize campanha institucional de incentivo à participação feminina na política e também para estimular a participação eleitoral dos jovens.

O magistrado Tarcísio de Carvalho disse que “a repartição interna dos valores será o maior problema da distribuição do Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos”. Pela lei, a distribuição do Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos, para o primeiro turno das eleições de 2018, ficará assim: 2% divididos igualmente entre todos os partidos com registro no TSE; 35% divididos entre as legendas com pelo mesmo um integrante na Câmara dos Deputados, na proporção dos votos conquistados por eles na última eleição geral para a Câmara; 48% divididos entre os partidos proporcionalmente ao número de deputados na Câmara, consideradas as legendas dos titulares; e 15% divididos entre os partidos proporcionalmente ao número de senadores, consideradas as legendas dos titulares.

Tarcísio de Carvalho, ministro do TSE e presidente da Escola Judiciária Eleitoral, explicou que o Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos, denominado Fundo Partidário, é constituído por dotações orçamentárias da União, multas, penalidades, doações e outros recursos financeiros que lhes forem atribuídos por lei. Os recursos do Fundo Partidário estão dentro da previsão orçamentária da União aprovada pelo Congresso Nacional. De acordo com a lei, 5% do total do Fundo Partidário são distribuídos, em partes iguais, a todos os partidos que tenham seus estatutos registrados no TSE, e 95% do total são distribuídos às legendas na proporção dos votos obtidos na última eleição geral para a Câmara dos Deputados.

O ministro do TSE informou, também, sobre os limites de gastos de campanha para os cargos em disputa. Presidente da República – teto de R$ 70 milhões em despesas de campanha. Em caso de segundo turno, o limite será de R$ 35 milhões. Governador – o limite de gastos vai variar de R$ 2,8 milhões a R$ 21 milhões e será fixado de acordo com o número de eleitores de cada estado, apurado no dia 31 de maio do ano da eleição.Senador – o limite vai variar de R$ 2,5 milhões a R$ 5,6 milhões e será fixado conforme o eleitorado de cada estado, também apurado na mesma data. Deputados Federal – teto de R$ 2,5 milhões;Deputados Estadual ou Deputado Distrital – limite de gastos de R$ 1 milhão.

Para entendermos mais a respeito do Fundo Partidário, a Lei Orçamentária Anual de 2018 prevê a distribuição de R$ 888,7 milhões de recursos do Fundo Partidário às legendas políticas com registro no TSE. Ao todo, serão distribuídos R$ 780 milhões aos partidos na forma de duodécimos e mais R$ 108 milhões a título de multas e penalidades aplicadas nos termos do Código Eleitoral. Os 35 partidos com registro no Tribunal Superior Eleitoral receberam R$ 62,9 milhões em duodécimos do Fundo Partidário relativos a janeiro de 2018.

Os valores repassados aos partidos políticos, referentes aos duodécimos e multas (discriminados por partido e relativos ao mês de distribuição), são publicados mensalmente no Diário da Justiça Eletrônico. O sítio eletrônico do TSE na Internet www.tse.jus.br mostra o quanto cada partido recebeu. PT R$ 8.426.611,88; MDB R$ 6.912.612,54; PSDB R$ 7.119.745,15; DEM R$ 2.685.372,37; PP R$ 4.172.965,91; PSB R$ 4.070.222,95; PDT R$ 2.212.519,21; PTB R$ 2.454.731,36; PR R$ 3.668.955,38; PPS R$ 734.075,43; PV R$ 1.220.190,11; PCdoB R$ 1.186.328,26; PSC R$ 1.654.858,83; Psol R$ 1.200.499,18; PMN R$ 351.003,05; PTC R$ 278.657,26; PHS R$ 691.329,71; PSDC R$ 363.256,98; Avante R$ 582.010,21; PRB R$ 2.900.700,90; PRP R$ 444.418,67; PSL R$ 537.708,64; PRTB (não recebeu); Pode R$ 551.799,60; PSTU R$ 212.496,49; PCB R$ 135.401,67; PCO R$ 101.129,27; PSD R$ 3.879.903,56; PPL R$ 182.533,36; PEN R$ 516.772,71 ; Pros R$ 1.152.963,91; SD R$ 1.777.012,87; Novo R$ 92.899,70; Rede R$ 390.420,44; PMB R$ 92.899,70.

Os repasses do Fundo Partidário podem ser suspensos caso não seja feita a prestação de contas anual pelo partido ou reprovada pela Justiça Eleitoral. Os valores repassados aos partidos políticos são publicados mensalmente no Diário da Justiça Eletrônico. Mais informações na aba Eleições 2018 do Portal do TSE.

Diálogos Eleitorais, promovido pela OAB/DF, sobre a reforma política foi um encontro qualificado e objetivo.Um importante aprendizado com a presença dos desembargadores Eleitorais Jackson Di Domenico e Flavio Eduardo Wanderley Britto e advogados especialistas em Direito Eleitoral. Como o tema é muito complexo várias questões ainda precisam ser esclarecidas. Em função disso a Escola Judiciária Eleitoral do TSE está oferecendo cursos a distância para todo o país, sobre a Aplicação do Fundo Partidário – participação feminina, para as agremiações partidárias. O curso objetiva oferecer uma visão geral quanto à aplicação de recursos do Fundo Partidário em programas de promoção e difusão da participação política das mulheres e comprovação na prestação de contas anual entregue à Justiça Eleitoral.

A OAB/DF vai continuar abordando temas de grande relevância sobre o pleito eleitoral deste ano principalmente as formas disfarçadas de campanhas que podem eleger inescrupulosos. Precisamos estar atentos para não entrar no jogo sujo e reproduzir conteúdos falsos nas redes sociais. Em tempo de espertezas é necessário ter certeza da veracidade da informação.

O TSE está atento ao impacto negativo de mentiras nas eleições e criou um grupo de inteligência para combater as chamadas ‘fake news’. A atuação de robôs na internet e a proliferação de notícias falsas é assunto na pauta do Ministério da Defesa, Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Polícia Federal.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 24/02/2018

Dia da Conquista do Voto Feminino no Brasil

A data comemorativa foi sancionada pela primeira mulher eleita para comandar o Poder Executivo, Dilma Rousseff, por meio da Lei 13.086/15, de autoria da deputada federal Sueli Vidigal, que institui o 24 de Fevereiro como o “Dia da Conquista do Voto Feminino no Brasil” por meio da Lei 13.086/15.A parlamentar justificou o seu Projeto de Lei relembrando a luta das mulheres pelo direito de escolha. "O voto feminino no Brasil foi assegurado, após intensa campanha nacional pelo direito das mulheres ao voto. Fruto de uma longa luta, iniciada antes mesmo da Proclamação da República."

Para que existam hoje os direitos políticos, o direito de votar e ser votado, de escolher seus governantes e representantes, as mulheres lutaram muito. E a descriminação não era só com elas. Na história política do Brasil, até 1934, mulheres, negros, pobres e analfabetos não tinham direito a voto. Hoje faz 86 anos que a mulher exerce o direito de escolher os seus representantes. Neste ano as mulheres devem lutar pela representatividade na política brasileira e conquistar mais cadeiras nos cargos executivos e legislativos. Lamentavelmente os três poderes ainda são espaços predominantemente masculinos. As mulheres precisam se unir para acabar com a exclusão da mulher do exercício dos direitos políticos e da própria cidadania cercada de preconceitos.

O dia 24 foi escolhido porque o então presidente da República Getúlio Vargas nesta data em 1932, por meio de um decreto concedeu a mulher brasileira o direito de votar nas eleições nacionais. Entretanto, a conquista não foi completa. O Código Eleitoral da época permitia apenas que mulheres casadas (com autorização do marido), viúvas e solteiras e com renda própria pudessem votar. Apesar de 1932 ter sido um importante ano para a participação feminina na vida pública, a luta começou muito antes.

Não era apenas por um voto que as mulheres, ao longo dos anos, lutavam. A grande insatisfação feminina, na verdade, era ser enquadrada como pessoa de segunda classe. Em 1934 as restrições ao pleno exercício do voto feminino foram eliminadas no Código Eleitoral e em 1946, a obrigatoriedade do voto foi estendida às mulheres.

Passaram alguns anos até que todas as restrições ao pleno exercício do voto feminino fossem retiradas e as mulheres pudessem exercer seus direitos de cidadãs plenamente no Brasil. Mesmo podendo votar e ser votada,ainda assim as mulheres são prejudicadas pela desigualdade entre homens e mulheres na política e no mercado de trabalho.

Neste 2018 vamos fazer desta conquista um meio para promover as transformações sociais que o país necessita. Não basta votar, é preciso fiscalizar os nossos representantes.

Temporal causa alagamentos e danifica carros

O Inmet alertou a população de que o sábado teria chuva e ventos fortes. E o temporal assustou a população em várias regiões do Distrito Federal. A tarde foi de pânico para quem transitava pela cidade e até o presidente Michel Temer levou um susto com raio na área do Palácio do Jaburu.

A Ponte do Bragueto, que liga Lago Norte a Asa Norte ficou completamente alagada nos dois sentidos. Nas tesourinhas e viadutos da 209 a 216 foi difícil passar devido a água acumulada. Taguatinga e Ceilândia tiveram vários prejuízos materiais devido a queda de árvores em carros e postes de luz.Os técnicos da CEB foram chamados para desligar a energia da região. A avenida do P.Sul, em Ceilândia, virou uma cachoeira. O Corpo de Bombeiros registrou vítimas com ferimentos leves.

O Instituto Nacional de meteorologia assegura que a chuva volta a cair no domingo e pede para a população tomar cuidado. “É imprescindível que as pessoas evitem passar por debaixo de árvores ou faça o uso de celular ligado na tomada. No trânsito é preciso ter cuidado redobrado e evitar frear bruscamente”, diz a meteorologista Maria das Dores de Azevedo.

Em caso de emergência ligar para o Corpo de Bombeiros no número 193 e para a Defesa Civil no 199.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 23/02/2018

Governo de Brasília regulariza Instituto Cervantes

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e sua esposa, Márcia Rollemberg, colaboradora do governo, estiveram hoje na Embaixada da Espanha, no Setor de Embaixadas Sul, para entregar a escritura do terreno da sede do Instituto Cervantes, o centro cultural da Embaixada da Espanha.

O documento que garante a regularidade da situação fundiária da sede do Instituto Cervantes, na Asa Sul, foi entregue ao Embaixador Fernando María Villalonga Campos. Também participaram da cerimônia de entrega do documento o presidente da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Júlio César Reis, a diretora do Instituto Cervantes de Brasília, Rosa Sanchez e a embaixatriz Maria Josefa Villalonga.

O ato faz parte de acordo feito entre o Brasil e a Espanha em 1959, quando foi instalada a Casa do Brasil em Madri. À época do acordo com a Espanha, ficou estabelecido que a cessão de terreno para fixação da residência brasileira em Madri teria como contrapartida a concessão de terreno à Embaixada de Espanha no Brasil, para fins educacionais. O instituto oferece, além de atividades culturais, curso de língua espanhola para 2 mil pessoas.

“É motivo de muita alegria formalizar o terreno em que fica o Instituto Cervantes de Brasília. É um ato de reciprocidade produzido pela amizade e pelo desejo de ampliar os laços de integração cultural entre os dois países”, destacou o governador Rollemberg.

O embaixador do Reino de Espanha no Brasil, Fernando Villalonga, disse que Espanha e Brasil são sócios estratégicos, países irmãos, e compartilham raízes culturais. Além de promover os interesses da Espanha no Brasil a Embaixada desempenha papel importante no desenvolvimento, nos assuntos culturais e nos contatos com a imprensa local. O embaixador Fernando Villalonga está no Brasil desde junho de 2017.

O Instituto Cervantes é o órgão oficial do Governo da Espanha para a difusão da língua e da cultura em espanhol. A Associação Hispano-Brasileira Instituto Cervantes, foi inaugurada por S.A.R. o Príncipe Felipe de Borbón no dia 17 de julho de 2007, já conta com quase 2000 alunos que participam das aulas de espanhol e das atividades culturais que acontecem no Instituto.

A biblioteca oferece uma ampla seleção de literatura espanhola e latino-americana, filmes, materiais multimídia, música, revistas e jornais do mundo hispânico, assim como uma completa coleção da obra de Ángel Crespo, autor que dá nome à mesma. O Instituto Cervantes fica na 707/907 Sul, Bloco D, Fone 3242-0603.

Inspiração Caipira – a maestria de Almir Sater e Renato Teixeira

Tudo é paixão na sinfonia dos grandes cantores e compositores Renato Teixeira, 72 anos, e Almir Sater 61 anos, parceiros de longa data. Eles retratam as raízes brasileiras em suas composições. São os verdadeiros ícones da música caipira. Uma inspiração para as novas gerações. A combinação da destreza de Sater na viola com o lirismo de Renato Teixeira continua rendendo ótimos frutos. No novo trabalho +AR eles confirmam a maestria na criação de canções memoráveis. O disco estará disponível na próxima semana com dez novas composições. É só aguardar.

Almir Sater e Renato Teixeira têm suas obras protegidas pela ABRAMUS, trilharam carreiras solo e fizeram sucesso com parcerias em coposições. A união das duas feras rendeu hits como “Tocando em Frente”, “Boiada” e “Um Violeiro Toca”.

O paulista Renato Teixeira é autor de conhecidas canções, como “Romaria”, grande sucesso em 1977 na voz de Elis Regina, “Tocando em Frente”, em parceria com Almir Satter, gravada por Maria Bethânia, “Frete”, tema de abertura do seriado Carga Pesada, da Rede Globo. Em novembro de 2017 ele lançou em escala nacional pela gravadora Kuarup,sinfônica em Terra de sonhos, álbum gravado no Estúdio Inca (MT) por Teixeira com a Orquestra do Estado de Mato Grosso – sob a regência do maestro Leandro Carvalho.O cantor e compositor associado ao universo da música rotulada como caipira, criou, a bem da verdade, fino cancioneiro de acento folk enraizado nas tradições dos sertões do Brasil interiorano.

Renato Teixeira iniciou sua carreira em 1967 com a apresentação da música Dadá Maria (Renato Teixeira) nas vozes de Gal Costa e Silvio César no III Festival de Música Popular Brasileira (TV Record). Foi o apego apaixonado ao universo musical caipira que deixou a obra autoral de Teixeira com identidade tão forte, a ponto de ser reformatada pela Orquestra do Estado de Mato Grosso sem perder a essência folk. "Tudo é sertão, Tudo é paixão" até mesmo quando o violeiro cantador se junta com orquestra de tradicional atmosfera clássica como a Orquestra do Estado de Mato Grosso.

O violeiro, compositor, cantor e instrumentista, Almir Sater, começou sua carreira em 1981, quando gravou o disco “Estradeiro”. O mato-grossense é um dos grandes nomes do cenário musical brasileiro quando o assunto é a viola de 10 cordas. As músicas “Comitiva Esperança” e “Chalana” se destacaram bastante entre os fãs e admiradores do gênero.

Ao longo de suas carreiras, Sater e Teixeira atuaram por três décadas lado a lado na composição de canções. No final de 2015, os dois lançaram seu primeiro álbum conjunto. Intitulado “AR”, com as iniciais de seus nomes. O CD, gravado no Brasil e em Nashville, nos Estados Unidos, foi produzido pelo norte-americano Eric Silver.

Com uma pegada folk, “AR” fez tanto sucesso que foi eleito o “Melhor Álbum de Música de Raízes Brasileiras” no último Grammy Latino. A faixa “D de Destino” também foi indicada na categoria “Melhor Música em Língua Portuguesa”. Atualmente, a dupla segue fazendo shows que incluem o novo repertório e sucessos antigos. Em 2016, eles também se apresentaram algumas vezes com o grupo Tocando Em Frente, parceria com o músico Sérgio Reis. Com o +AR não será diferente.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 22/02/2018

Senado cria Subcomissão para discutir Fórum Mundial da Água

Brasília vai sediar de 18 a 23 de março o 8º Fórum Mundial da Água, um importante acontecimento para tratar sobre a escassez de água e as ameaças à estabilidade da ordem internacional. Dada a importância do acontecimento o Senado Federal criou nesta quinta-feira, uma subcomissão temporária para tratar do evento.

O colegiado terá nove membros titulares e nove suplentes e funciona a partir de hoje e fica dentro da Comissão de Relações Exteriores de Defesa Nacional, presidida pelo senador Fernando Collor (PTC-AL). Os parlamentares Jorge Viana (PT-AC) e Cristovam Buarque (PPS-DF) foram eleitos, respectivamente, presidente e vice-presidente da subcomissão.

O senador Jorge Viana, presidente da Subcomissão, falou da importância da preservação dos recursos hidricos.“Nosso País tem 12% da água doce do planeta e os dois grandes reservatórios subterrâneos do mundo: o aquífero Guarani [39 mil quilômetros cúbicos (km³)] e o aquífero Alter do Chão [162.520 km³], recentemente descoberto como o maior do mundo. E ainda assim passamos por dificuldades”, disse o senador. “Pretendemos ver como o Parlamento pode fazer boas leis para garantir o acesso à água”, declarou aos jornalistas.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, que já foi senador, participou da solenidade e da audiência pública e falou sobre as expectativas para o encontro internacional que a capital da República sediará e falou sobre as ações do governo de Brasília para enfrentar a crise hídrica na cidade e investimentos em questões ambientais.

“Teremos iniciativas pioneiras no fórum, como arena de parlamentares do mundo inteiro para avançar na legislação ambiental e encontro de juristas para debater o direito de todos à água e outro de governadores para expor as dificuldades de cada estado quanto aos recursos hídricos”, destacou Rollemberg.

Participaram da sessão especial no Plenário do Senado, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes; o diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) e secretário-executivo do 8º Fórum Mundial da Água, Ricardo de Andrade; e o diretor-presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa), Paulo Salles.

O Fórum Mundial da Água foi criado em 1996 pelo Conselho Mundial da Água, para estabelecer compromissos políticos acerca dos recursos hídricos.

O fórum ocorre a cada três anos e já passou por: Daegu, Coreia do Sul (2015); Marselha, França (2012); Istambul, Turquia (2009); Cidade do México, México (2006); Kyoto, Japão (2003); Haia, Holanda (2000); e Marrakesh, no Marrocos (1997). A escolha de Brasília como sede da 8ª edição se deu em 26 de fevereiro de 2014, durante reunião de governadores do Conselho Mundial da Água, na Coreia do Sul. Será o primeiro fórum a ocorrer no Hemisfério Sul. Em Brasília, o evento é organizado pelo Conselho Mundial da Água, pelo governo local, representado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do DF (Adasa) e pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio da Agência Nacional das Águas (ANA).

Grêmio é Bicampeão da Recopa Sul-Americana

Marcelo Grohe foi mais uma vez a estrela do Grêmio na disputa com o Independiente da Argentina pela Recopa 2018 nos pênaltis. Grohe defendeu a última cobrança executada por Benitez e garantiu o bicampeonato para o Imortal Tricolor comandado por Renato Portaluppi.

A Dupla de zaga do Grêmio, Geromel e Kannemann, a mistura entre Brasil e Argentina, manteve o alto nível de atuação assim como atacante Luan, o campeão olímpico. Mesmo sendo o melhor o tempo todo, precisou das penalidades para conquistar o titulo.

O Grêmio foi campeão da Copa do Brasil em 2016, campeão da Libertadores em 2017 e agora campeão da Recopa Sul-Americana em 2018, e de novo em cima do Independiente, como em 1996 quando o Tricolor venceu por 4 a 1.

A conquista da Recopa Sul-Americana é parte de um período vitorioso recente vivido pelo Grêmio. Dominante na década de 1990, os gaúchos tiveram um período de vacas magras desde o início dos anos 2000 e ficaram 15 anos sem um título importante. O Grêmio de Renato quebrou esse jejum, já atingiu conquistas importantes e pode se juntar mais rápido do que o imaginado na mesma prateleira de sucesso.

A equipe gaúcha criou, durante a partida de ontem, as melhores oportunidades com Luan, Everton e Alisson, mas o gol não saiu. O jogador Amorebieta, do clube argentimo, foi expulso por agressão em Luan, flagrada pelo árbitro de vídeo. O zero a zero se manteve no segundo tempo e também na prorrogação graças a Campaña, goleiro do Independiente, que fez três grandes defesas.

Renato Gaúcho assumiu o Grêmio em setembro de 2016 para iniciar sua terceira e mais vitoriosa passagem pelo clube. Ídolo tricolor, Renato chegava sob certa desconfiança. Já tinham se passado dois anos desde seu último trabalho como treinador e vivia uma fase em baixa na carreira. As passagens anteriores no próprio Grêmio foram marcadas por um início positivo, mas que não se sustentavam a longo prazo.

E logo no início tudo quase deu errado. A estreia foi na partida de volta da Copa do Brasil diante do Atlético-PR na Arena. A vantagem conquistada fora foi desfeita em casa e a decisão foi para os pênaltis com Marcelo Grohe se tornando herói - em um momento que seria recorrente dali em diante.

Desde então, o time se encaixou. Com prioridade total no torneio mata-mata, o Grêmio melhorou o desempenho dentro de campo e atingiu o objetivo principal: foi amplamente superior na decisão diante do Atlético-MG e conquistou seu 5º título da Copa do Brasil, encerrando um jejum de 15 anos sem conquistas nacionais (a última havia sido o treta da Copa do Brasil em 2001).

A preferências pelas Copas foi vista já desde o início da temporada. Renato não escondeu que a prioridade seria a Libertadores e Copa do Brasil, deixando em segundo plano a disputa do Campeonato Brasileiro. Ainda que contestada durante a disputa do campeonato nacional, a estratégia se mostrou acertada no fim do ano. O bicampeonato da Copa do Brasil esteve muito perto de acontecer ao esbarrar nos pênaltis contra o Cruzeiro, mas o sucesso veio na Libertadores com a conquista da terceira taça.

A Recopa faz Renato Gaucho se igualar a Felipão em títulos internacionais no Grêmio.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 21/02/2018

TST entrega Prêmio Gabinete Legal

Com o objetivo de incentivar a produtividade e a qualidade das decisões judiciais o presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Ives Gandra Filho, criou em 2016 o Prêmio Gabinete Legal. A iniciativa abrange o estímulo, a identificação e a premiação dos gabinetes que demonstrarem maior empenho no incremento da produtividade, o incentivo à otimização das práticas de gestão do acervo processual, a ampla divulgação da produtividade e a replicação das boas práticas gerenciais. As categorias têm relação com as metas de natureza judiciária previstas no Plano Estratégico 2015-2020 do TST.

Nessa edição, além das sete categorias, foi criada uma nova, que tem como critério de premiação o somatório combinado das posições alcançadas nos seguintes pontos: maior número de processos julgados no ano, menor percentual de recursos internos por processo julgado, menor acervo processual e menor percentual de horas extras realizadas. O vencedor dessa categoria foi o gabinete da ministra Maria de Assis Calsing.

Gabinete maior número de processos julgados no ano: Gabinete Ouro – Ministra Delaíde Miranda Arantes; que em 2017 julgou 16.910 processos. Gabinete Prata – Ministra Maria Helena Mallman; Gabinete Bronze – Ministro Hugo Carlos Scheuermann.

Gabinete com maior número de processos julgados por processos recebidos: Gabinete Ouro – Ministro Waldir Oliveira da Costa; Gabinete Prata – Ministra Delaíde Miranda Arantes; Gabinete Bronze – Ministro Hugo Carlos Scheuermann.

Gabinete com menor percentual de recursos internos: Gabinete Ouro – Ministro Fernando Eizo Ono/ Desembargadora Cilene Amaro Santos; Gabinete Prata – Ministro Breno Medeiros/Antônio Barros Levenhagen/Desembargador Nóbrega de Almeida Filho; Gabinete Bronze – ministra Maria de Assis Calsing.

Gabinete com menor tempo médio de processos concluídos: Gabinete Ouro - ministra Maria de Assis Calsing; Gabinete Prata – Ministro Aloysio Corrêa de Veiga/ Desembargadora Cilene Amaro Santos; Gabinete Bronze – Ministro João Oreste Dalazen/ Desembargador Altino Pedrozo dos Santos.

Gabinete m menor acervo processual: Gabinete Ouro – Ministra Dora Maria da Costa; Gabinete Prata – Ministro Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira: Gabinete Bronze - Ministro Aloysio Corrêa da Veiga/Desembargadora Cilene Amaro Santos.

Gabinete com menor percentual de processos antigos: Gabinete Ouro - Ministro Aloysio Corrêa da Veiga/ Desembargadora Cilene Amaro Santos; Gabinete Prata - ministra Maria de Assis Calsing; Gabinete Bronze - Ministra Dora Maria da Costa.

Gabinete com menor somatório combinado das posições alcançadas nos quesitos:maior número de processos julgados no ano; menor percentual de Recursos Internos (Embargos de Declaração e Recursos Internos); opostos e interpostos por processo julgado; menor acervo processual; e menor percentual de horas extras realizadas. Gabinete Ouro - ministra Maria de Assis Calsing; Gabinete Prata – Ministra Dora Maria da Costa; Gabinete Bronze – Ministro Alberto Luiz Bresciani de Fontan Pereira.

Os três gabinetes com melhor colocação em cada categoria foram premiados com medalhas, e os servidores com diplomas e elogios registrados em seus assentamentos funcionais.

O ministro Ives Gandra Martins da Silva Filho, disse que o prêmio contribui para a conquista pelo TST, do Selo Diamante do CNJ, voltado para a excelência da gestão da informação, em 2017, pelo terceiro ano consecutivo. “Houve ganho do ponto de vista de produtividade, maior desempenho no ponto de vista de redução de estoque, do ponto de vista de celeridade e, principalmente, de qualidade”, afirmou o presidente do TST.

O idealizador do Prêmio Gabinete Legal, diz que “o esforço no aumento produtivo e na redução de estoques de processos a julgar, em benefício do jurisdicionado, é trabalho conjunto de ministros e servidores”. Para o ministro Ives Gandra, o prêmio visa a aumentar a eficiência da Corte e o cumprimento das metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 
Coluna Bernadete Alves - dia 20/02/2018

Haloterapia: o tratamento milenar para problemas respiratórios

O médico Feliks Boczkowski, há mais de 2000 anos, percebeu que operários das minas de sal da Polônia tinham uma saúde respiratória muito melhor do que a da maioria da população. Então, começou os estudos sobre as propriedades medicinais do sal. Assim nasceu a Haloterapia, tratamento milenar para problemas respiratórios e da pele.

A Haloterapia, que surgiu no século XlX, está no Brasil há sete anos e propõe sessões de muito sal no ar e relaxamento. José Ervolino Neto, presidente da Associação Brasileira de Haloterapia - Terapias Integrativas e Complementares e responsável por trazer o método para o País, diz que existem alguns princípios terapêuticos na Haloterapia: a higienização do sistema repiratório através das biocidas, capacidade anti-inflamatória, melhoria do conforto respiratório e diminuição de problemas de pele como dermatite e psidoríase. "Isso tudo acontece graças à capacidade do sal de matar fungos e bactérias e diminuir o edema e o inchaço das mucosas nasais. Também temos a liberação de íons negativos, que causam relaxamento”, declara Ervolino.

A Haloterapia, segundo José Ervolinao, promete ser uma alternativa natural no tratamento da sinusite, rinite alérgica, gripe, bronquite, asma e tosse. “Dermatites e outras inflamações na cútis também são beneficiadas pelo procedimento. Porém, quem está passando por fases agudas de doenças (febre, conjuntivitive e mesmo asma e gripe), está com o sistema imunológico debilitado por quimioterapia e indivíduos com hipertensão não devem lançar mão da técnica”, explica o presidente da Associação Brasileira de Haloterapia.

A Haloterapia ou Terapia do Sal é 100% natural, livre de drogas, sem contra indicação e clinicamente comprovada para dar alívio a diversos problemas respiratórios e dermatológicos. As salas de sal são recomendadas para: Resfriados frequentes, Sinusite, Bronquite, Rinite, Otite, Amigdalite, Faringite, Laringite, Asma, Alergias, Psoríase, Dermatite Oleosa, Eczemas, Estresse, Fibrose Cística, Ansiedade e Insônia.

Segundo Ervolino, a Haloterapia consiste na saturação do ambiente de uma sala ou cabine com partículas de sal ionizado (0.5-15 mg/m3), o que permite à pessoa estar exposta e respirar essas mesmas partículas de sal. É um dos métodos mais eficazes para prevenir, complementar tratamentos e reabilitar doenças respiratórias removendo obstruções, tornando mais fácil a respiração. É também indicada para fumantes e desportistas.

As salas de haloterapia reproduzem um ambiente natural que se assemelha a uma caverna de sal, onde, paredes, teto e chão são totalmente cobertos com várias camadas de sal. A sala é um espaço seco, estéril e hermético, cuja variação da temperatura oscila entre 18° e 24° com umidade de 45% a 60%, e possui um aparelho micronizador que dispersa no ar micro partículas de sal, que virão por sua vez inaladas pelos pacientes acomodados confortavelmente. A sala possui música ambiente relaxante e luzes de cromoterapia, o que permite aos pacientes a possibilidade de ler um livro ou simplesmente repousar durante o tempo da sessão, com duração de 45 minutos. Ao término o aparelho se desliga automaticamente acendendo as luzes dentro da sala.

Rainha Elizabeth prestigia Semana da Moda em Londres

A realeza britânica participou da Semana de Moda de Londres. A rainha Elizabeth II, de 91 anos, usou um conjunto de saia e jaqueta azul pastel, assinado por Angela Kelly, designer de moda que desde 2002 veste a rainha. A realeza assistiu o desfile ousado do estilista Richard Quinn e entregou o Prêmio Rainha Elizabeth II para designers britânicos.

O prêmio foi criado em reconhecimento ao papel que a indústria da moda desempenha na sociedade e na diplomacia: “Ele irá contemplar anualmente um designer de moda britânico que mostre talento e originalidade, além de valores para a comunidade e/ou fortes práticas sustentáveis”, declara o Palácio de Buckingham, em comunicado.

O primeiro Prêmio Rainha Elizabeth II para designers britânicos foi criado pela stylist pessoal da monarca, Angela Kelly, foi entregue ao estilista Richard Quinn. Quinn lançou a sua marca em 2016, após se formar na Central Saint Martins, escola reconhecida como a melhor faculdade de moda do mundo e tem se destacado pela utilização de padrões arrojados.

Ao público a Rainha afirmou que a indústria da moda do Reino Unido “é mundialmente reconhecida pela sua altíssima qualidade” e que “continua a produzir têxteis de qualidade mundial”. “Como forma de homenagear esta indústria, e como forma de mostrar o meu apreço a todos os que contribuem para a moda britânica, entrego o prémio a este jovem e inovador estilista.”

Considerada pelo British Fashion Council como uma “ícone da moda”, a Rainha afirmou que “foi um enorme prazer” assistir ao desfile da jovem promessa que apresentou uma colecção plena em padrões coloridos e lenços para a cabeça, peças que foram descritas como “um cruzamento do castelo de Balmoral e o bairro de Peckham.” Segundo o site da Elle norte-americana, Elizabeth achou as peças “maravilhosas”.

Richard Quinn declarou que foi surreal. “Só soubemos que ela vinha há alguns dias e decidimos juntar uns ‘toques à Rainha’ nos lenços para a cabeça e nos padrões. Já tínhamos isto planejado , mas tivemos de acelerar”, declarou o homenageado. “Ela disse que tinha muito prazer em apoiar jovens estilistas. Não tenho dúvida que ela é um ícone de moda. Afinal, foi a primeira monarca a usar calças, acho”, declarou Quinn.

Caroline Rush, a responsável pelo British Fashion Council (BFC) afirmou: “Sua Majestade, é uma verdadeira honra ter-se juntado a nós a mostrar o seu apreço pela moda britânica.” Caroline destacou a o papel importante da Rainha no mundo da moda, tendo “sempre apoiado a indústria” e “usado o seu poder diplomático como forma de comunicar com outras culturas e nações”.

Nesta temporada outono/inverno 2018, além dos desfiles teve uma exposição fashionista organizada dentro do Palácio de Buckingham. Na primeira fila ao lado da rainha Elizabeth estava a editora-chefe da Vogue, Anna Wintour, de óculos escuros. Ela esqueceu que a etiqueta sugere tirar o acessório perto de membros da família real. A correspondente da família real no jornal The Daily Mail, Rebecca English, registrou os melhores momentos fashion da rainha que roubou a cena e surpreendeu os súditos.

Ontem um grupo, considerado o pilar da nova vanguarda de estilistas em Londres, defendeu seu espaço no penúltimo dia da Semana de Moda britânica. A fantasia e os pastéis de Roksanda, o couro e as lantejoulas de David Koma, as transparências e a renda de Christopher Kane deram vida a seus diferentes estilos nas passarelas.

Organizado em uma igreja em pleno coração de Londres, o desfile contou com uma constelação de estrelas, como as modelos Lara Stone e Jourdan Dunn na primeira fila. Fiel a seu DNA, o criador propôs uma coleção elegante e sexy, pensada para a noite. Os vestidos são curtos, decotados e transparentes. Justos na cintura, amplos nos quadris, de couro, seda ou algodão, cobertos com estampas de plumas e lantejoulas.

OAB/DF mostra a essencialidade da advocacia

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal, Juliano Costa Couto, não mede esforços na defesa das prerrogativas profissionais e da valorização da advocacia. Para tanto a OAB/DF vai lançar campanha de conscientização da sociedade acerca da essencialidade da advocacia. “O principal objetivo é mostrar que o advogado é essencial à Justiça e a boa aplicação das leis”, disse Juliano.

A este trabalho soma-se agora o Conselho Jovem da Seccional uma vez que a conscientização da sociedade da necessidade do advogado aumentará a procura pelos juristas no Distrito Federal. A secretaria-geral adjunta do Conselho, Marcela Furst Signori Prado, disse que a sociedade precisa conhecer a importância do trabalho do advogado na defesa das pessoas. “Queremos que a sociedade se sinta segura em buscar um advogado caso ela tenha algum problema, seja na questão contratual, administrativa, trabalhista, enfim. Queremos respaldar os cidadãos”, declarou.

O presidente do Conselho Jovem, Camilo Noleto, aproveitou a reunião com o presidente Costa Couto e o diretor tesoureiro Antônio Alves, apresentou denúncia sobre uma empresa que está oferecendo salário abaixo do piso do advogado, para analista jurídico. A Seccional já oficiou a empresa para que ela cumpra os parâmetros estipulados na Lei Distrital n. 5.368/2014 e acompanhará de perto o caso.

O presidente Juliano Costa Couto disse que o início de uma carreira não é fácil e que o interesse dos membros do Conselho Jovem é trabalhar em busca de soluções para melhorar o exercício da profissão. “A advocacia deve ser valorizada e reconhecida. Somente pelo intermédio de um advogado é possível se fazer justiça. Estamos juntos nessa luta”, enfatizou o presidente.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 19/02/2018

Vacina contra febre amarela fracionada é mais eficaz

As doses fracionadas da vacina contra a febre amarela geram anticorpos contra a doença em 98% dos casos, de acordo com um novo estudo financiado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, com o objetivo de avaliar a resposta imune à dose fracionada em uma campanha de vacinação em larga escala. A conclusão foi publicada na revista científica New England Journal of Medicine.

Segundo os autores da pesquisa, divulgada recentemente os resultados colocam o fracionamento da vacina como uma abordagem adequada para combater as epidemias. O estudo avaliou a mesma vacina fracionada que vem sendo aplicada no Brasil.

Os estudo foi realizado a partir de um programa de vacinação realizado em 2016, durante epidemia de febre amarela na República Democrática do Congo. De acordo com o artigo divulgado, como o suprimento disponível da vacina era insuficiente para uma campanha de tal dimensão, o governo congolês seguiu uma recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e vacinou 7,6 milhões com uma dose fracionada da vacina produzida pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fiocruz (Biomanguinhos), que é equivalente a um quinto da dose padrão.

Os cientistas avaliaram os testes de anticorpos neutralizantes contra a febre amarela em amostras de sangue obtidas antes da vacinação e de 28 a 36 dias após a vacinação. Entre os 716 participantes, 98% tinham anticorpos após a vacinação. Entre os 483 participantes que eram soronegativos antes da vacinação, 98% apresentaram anticorpos. Dos 223 participantes que já eram soropositivos antes da vacinação, 66% apresentaram resposta imune.

“Uma dose fracionada de vacina contra a febre amarela foi efetiva para induzir a soroconversão na maioria dos participantes. Esses resultados apoiam o uso de uma vacinação com doses fracionadas para controle de epidemias”, concluíram os cientistas. De acordo com o estudo, a proporção de pessoas que apresentaram anticorpos com a vacina fracionada é semelhante à que é observada quando os pacientes recebem a dose padrão. Segundo os cientistas, isso prova que a dose fracionada é uma abordagem viável para fornecer imunidade e conter surtos da doença.Diversos estudos anteriores já sugeriam a eficácia da vacina fracionada.

Segundo o Ministério da Saúde, para o fracionamento, é utilizada a mesma vacina produzida pela Fiocruz desde 1937. “A única diferença entre as doses está no volume, que é menor na dose fracionada. A vacinação fracionada foi utilizada em mais de 7,8 milhões de pessoas na África por recomendação da OMS e resultou na interrupção do surto da doença.”

Em nota o Ministério da Saúde informa que o resultado é importante e mostra que o país está certo em ter adotado a dose fracionada para controlar a epidemia. De acordo com a pasta a própria OMS recomendou o fracionamento da vacina quando há risco de expansão da doença em cidades grandes que não tinham recomendação para imunização anteriormente.

A decisão de fracionar a vacina teve base em um estudo realizado por Biomanguinhos que apontou a presença de anticorpos contra febre amarela oito anos após a aplicação da dose fracionada. “Em 2009, uma pesquisa avaliou 319 militares vacinados com a dose fracionada. Em 2017, ou seja, após oito anos, verificou-se a presença de anticorpos contra a doença em 85,3% dos participantes, semelhante ao observado na resposta imune da dose padrão neste mesmo período (88%). Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período”, informou o Ministério da Saúde.

“O Ministério da Saúde reitera a segurança e eficácia da medida de fracionamento de doses da vacina para febre amarela. A estratégia de fracionar as doses é recomendada pela OMS quando há necessidade de vacinar um grande número de pessoas em um curto espaço de tempo, como medida excepcional. A decisão (de fracionar a vacina) foi tomada em comum acordo entre o Ministério da Saúde, estados e municípios que participam da campanha. A OMS foi consultada e informada sobre a realização da medida”, informou a pasta em nota.

Operação Volta às Aulas teve teatro e noções de segurança

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o Departamento de Trânsito (Detran-DF) e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF) deram início hoje à operação de volta às aulas nas Escolas Públicas. A ação aconteceu em frente ao Centro de Ensino Fundamental Polivalente, na 913 Sul. O ano letivo na rede pública do Distrito Federal teve inicio na quinta-feira, dia 15. Neste ano 461.599 alunos estão matriculados nas escolas públicas do DF. A partir desta segunda-feira diversas ações de educação de trânsito serão promovidas pelos órgãos do Executivo local no Plano Piloto e nas administrações regionais.

A abertura das atividades foi no Centro de Ensino Fundamental Polivalente (SGAS 913), às 6h30. O Batalhão de Aviação Operacional fez o patrulhamento aéreo nos pontos em que há fluxo mais intenso de veículos e pedestres. As ações serão intensificadas nas imediações de escolas para orientar pais, alunos e condutores de transporte escolar sobre trânsito seguro. Nas abordagens serão distribuídos materiais educativos. As atividades da PMDF, na segunda fase de operação, contarão com apoio do Teatro Rodovia, do Programa de Educação Ambiental Lobo-Guará, da Banda de Música, de equipes de policiamento de trânsito e do Batalhão de Policiamento com Cães.

O palhaço Seriguela e a Faixa orientaram a travessia dos que passavam logo cedo por ali. A apresentação lúdica foi dos atores que fazem parte do Teatro Rodovia, da Polícia Militar do Distrito Federal. “Por meio da brincadeira, a gente traz o cidadão para a faixa e mostra como tem que ser feito: olhar para um lado, para o outro, fazer o sinal de vida e atravessar andando”, pontuou o segundo-sargento Márcio Brito, intérprete de Seriguela e um dos criadores do teatro.

Os alunos e professores foram recepcionados pela Banda de Música da PMDF que também executou o Hino Nacional no momento cívico, no pátio do Polivalente. Depois os militares do Batalhão de Policiamento com Cães mostrarem como os animais ajudam nos trabalhos da corporação. Os cachorros farejaram e encontraram objetos escondidos pelos policiais entre mochilas e armários.

Além das atividades teatrais, policiais militares entregaram fôlderes com dicas de segurança. No ar, o Batalhão de Aviação Operacional fez o patrulhamento aéreo.“Temos de reforçar sempre isso na criança para que ela não se acidente, porque infelizmente ainda vemos vários casos de atropelamentos em faixas de pedestre”, destacou o subcomandante do 1º Batalhão Escolar, capitão Ramon Carvalho.

O secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, acredita que abrir o ano letivo dessa forma é importante para romper preconceitos em relação ao trabalho policial. “É um trabalho sério, cooperativo, não só repressivo. Muito pelo contrário, é preventivo, sobretudo de orientação, para que eles [os alunos] não se envolvam com questões que os colocarão em risco.”

As atividades da PMDF, nesta segunda fase de operação, além do apoio do Teatro Rodovia, tem o Programa de Educação Ambiental Lobo-Guará, da Banda de Música, de equipes de policiamento de trânsito e do Batalhão de Policiamento com Cães.

Trânsito seguro depende das nossas atitudes. Para os motoristas: Dê preferência sempre ao pedestre na travessia sobre a faixa, exceto nos locais onde há semáforo; Em frente às escolas, redobre a atenção e para embarque ou desembarque de passageiros, aproxime o veículo da calçada. Para os pedestres: Sempre atravesse na faixa. Caso não haja uma por perto, cruze a pista em linha reta em direção à calçada; Acompanhe as crianças na hora da travessia e para embarcar e desembarcar, use sempre o lado do veículo próximo à calçada. Para os pais e responsáveis: Tenha o máximo de cuidado ao escolher o transporte escolar dos filhos; Verifique se o veículo está cadastrado no Detran-DF e em perfeitas condições de circulação; e confirme se o motorista tem autorização para conduzir vans escolares.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 18/02/2018

Cuidado com o “tecnoestresse”

O uso contínuo de redes sociais e apps e as adaptações constantes as novas tecnologias, está comprometendo a produtividade, afirma pesquisa feita pela Microsoft. O estudo foi realizado com 20 mil trabalhadores da Europa e aponta que o volume e a persistência dos e-mails, mensagem de texto e posts nas redes sociais distraem e estressam as pessoas.

Esse estresse causado pela chamada disrupção digital é devida a constante mudança mental de um meio de comunicação para o outro. E isso só vai se agravando porque o estudo comprovou que o tempo gasto nas redes sociais pelos usuários sobe a cada dia, enquanto que o tempo gasto de forma produtiva no trabalho só diminui.

Segundo os estudiosos a solução está na mudança de cultura dentro das empresas. A dica é: colocar limites nos e-mails e não enviar e nem responder depois do horário de trabalho; barrar o uso de smartphones em reuniões; gerenciar o uso de redes sociais durante o expediente; encorajar os funcionários a preferir a comunicação em pessoa, em vez de meios digitais.

O estudo apontou que os funcionários de cargos técnicos são os que apresentam menos chances de sofrer de tecnoestresse. Embora esse efeito psicológico negativo causado pelo uso excessivo da tecnologia, pode soar como um capricho, uma buzzword sem muita importância, a pesquisa aponta como um grande problema para o crescimento da empresa e para a saúde mental dos funcionários.

Síndrome de vibração fantasma, insônia causada pela tela do celular,ansiedade compulsiva de publicar selfies, distração causada pelas redes sociais, são alguns dos problemas apontados pelo estudo.

O tecnoestresse é causado pelas mudanças na tecnologia e como o ritmo desses avanços só tende a continuar com a internet das coisas, realidade virtual e inteligência artificial, os danos só tendem a crescer. A hora de lutar contra esta síndrome causada pela tecnologia é a partir de agora.

Além do avanço da tecnologia, também contribuem para a condição estressante a competitividade, transformações contínuas, pressão de consumo, ameaça de perda de emprego e diversas outras situações do dia-a-dia. Para amenizar este estresse o ideal é fazer as pausas que lhe são permitidas durante a jornada de trabalho. O simples fato de se levantar e caminhar para tomar água sem levar o celular, já é um grande aliado assim como os exercícios de relaxamento. No retorno para casa desligar o celular e curtir a família.

Corpo de Bombeiros do DF tem novo comandante

O coronel Luiz Cláudio Barbosa e Castro assumiu o comando-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, durante solenidade na noite do dia 15. Ele substitui o coronel Hamilton Esteves Júnior. A cerimônia de passagem do comando-geral ocorreu na Academia do CBMDF, no Setor Policial Sul, e contou com a presença do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

O coronel Luiz Cláudio é carioca e pós-graduado em gestão estratégica corporativa e tem MBA em gerência de Saúde pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Luiz Cláudio concluiu os cursos de formação de oficiais e de perícia de incêndio nos bombeiros do DF, de segurança de autoridades do Exército Brasileiro( onde fez estágio de comunicação) e de técnico em emergências médicas dos bombeiros de Pernambuco. Depois seguiu carreira em Brasília. “Ser bombeiro é uma profissão muito nobre. Esses homens e mulheres protegem vidas e o patrimônio alheios”, declarou o coronel Luiz Cláudio.

O coronel Hamilton Esteves Júnior esteve à frente do Corpo de Bombeiros por três anos e meio. “É o orgulho da minha vida ter comandado heróis e heroínas da nossa corporação, que colocam as seguranças em perigo para oferecer o melhor atendimento à população”, disse Hamilton Esteves.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, agradeceu os serviços prestados pelo coronel Hamilton e destacou as ações desenvolvidas por ele nos Jogos Olímpicos de 2016 e no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus.“O oficial demonstrou elevado grau de profissionalismo, competência e, principalmente, lealdade, umas das maiores virtudes militares”, diz o documento lido na solenidade.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 17/02/2018

Ana Maria Gontijo festeja a vida com estilo

A talentosa empreendedora Ana Maria Gontijo, aniversariante do dia 21 de janeiro, festejou sua linda vida no Rio de Janeiro, onde também tem residência, com um requintado almoço em Ipanema junto com o marido José Celso e familiares. De volta a Brasília a elegante Ana Maria abriu as portas da sua linda residência no Lago Sul para receber o carinho das centenas de amigas.

Ana Maria é uma das anfitriãs mais animadas da corte brasiliense. Sofisticada e querida, demonstra prazer em receber suas amigas e respeito aos profissionais que cuidam das suas recepções impecáveis.

Ana transita com desenvoltura entre a sociedade local e a Brasília política. Cativa a todos pela elegância, beleza e alto astral. Estar em sua companhia é uma disputa permanente pelo aprendizado que proporciona.

Ao lado das filhas Melissa e Isabella e das netas Ana Cecília e Ana Maria, filhas de Melissa, a aniversariante recebeu as amigas de longa data, ao som de jazz e bossa nova. A filha Tamara, que mora em São Paulo, não pode comparecer, mas enviou uma linda mensagem para a dedicada mãe.

A mansão da família Gontijo foi decorada por Maria Tereza Cavalcanti com belíssimos arranjos florais em tons de rosa e orquídeas maravilhosas. O bolo de aniversário ostentou orquídeas naturais na cor Marsala.

As variadas delícias servidas foram do chef Sérgio Dias e os deliciosos doces de Maria Ivone. Uma recepção privê com pompa e circunstância, como tudo que faz a empresária Ana Maria Gontijo.

Ana Maria é querida por todos e retribuiu o afeto com a sinceridade de seu coração. Para ela fazer aniversário é colecionar memórias e reunir as pessoas do coração e viver com amor e respeito. “Quanto mais a gente se organiza do lado de dentro, mais a vida se organiza do lado de fora”, fala Ana.

O aniversário é um momento especial de renovação e celebração. De olhar para trás com gratidão e para a frente com fé. E Ana Maria sabe bem disso. Quando a gente acredita, de verdade, as coisas acontecem. A gente é o que faz e não o que fala.

Parabéns, Ana Maria! Você tem uma alegria interior intensa. Está sempre entusiasmada, é generosa com quem precisa e deixa sempre florir a vida nas terras do coração! Feliz aniversário, saúde e vida longa!

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 10 de 244
RocketTheme Joomla Templates