Coluna Bernadete Alves - dia 10/09/2017

Setembro Amarelo em prol da vida

Setembro AmareloSetembro Amarelo

A vida é maravilhosa, mas viver não é uma tarefa simples. Somos testados constantemente e sofremos com as frustrações do cotidiano. Se não estivermos fortalecidos mentalmente e emocionalmente, vai ser difícil resistir às decepções e contrariedades, comuns a todas as pessoas. Para construir uma habilidade social para a vida é preciso ter resiliência.

Quem não estiver preparado para as pressões começa a se isolar socialmente e fica sem perspectiva. A pessoa tende a achar que é um fardo para seus amigos e sua família. Fica desinteressada pelas atividades que sempre foram prazerosas, é tomada por um sentimento de inutilidade e de culpa, sente cansaço extremo, irritabilidade, dificuldade de concentração e de tomar decisões, insônia e perda de peso, são comportamentos de alerta.

Setembro AmareloSetembro Amarelo

Para ajudar a pessoa em crise, cuidar e tratar a saúde mental a Associação Internacional para Prevenção do Suicídio, com o apoio da Associação Brasileira de Psiquiatria , do Centro de Valorização da Vida, do Conselho Federal de Medicina , criou o Setembro Amarelo, campanha que busca vivificar reflexões sobre saúde mental e valorização da vida. Com isso o suicídio, que espelha fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociais e também culturais, tem sido desvendado, nos últimos quatro anos, pela campanha.

Setembro AmareloSetembro Amarelo

Familiares e amigos devem compreender que a depressão e o suicídio não são uma estratégia infantil da pessoa para chamar a atenção, nem frescura. Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, em geral, a vontade de acabar com a própria vida é provocada pela falta absoluta de perspectiva e uma enorme sensação de desamparo e angústia. O que não se destaca é que, na maioria dos casos, o radical desejo é gerado por um quadro de transtorno mental tratável, como depressão, transtorno bipolar afetivo, esquizofrenia, quadros psicóticos graves e transtornos de personalidade.Colegas de trabalho também podem e devem representar um ponto de socorro.

Setembro AmareloSetembro Amarelo

A Organização Mundial de Saúde estima que ocorram, no Brasil, 12 mil suicídios por ano. No mundo, são mais de 800 mil ocorrências. Relatório mundial sobre o tema, divulgado pela OMS, em 2014 apontou uma morte a cada 40 segundos. Esta triste constatação pode ser mudada com a campanha Setembro Amarelo, de conscientização a prevenção do suicídio, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do suicídio.

Neste Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio vamos todos nos unir pela vida!

Karla Osorio inaugura galeria com seu nome e artista internacional

Karla OsorioKarla Osorio

A conhecida e respeitada galerista Karla Osorio que privilegia a produção mais inovadora em arte inaugurou a Galeria Karla Osório, no Setor de Mansões Dom Bosco, no lugar da galeria Gabinete de Arte K2o, criada em 2013, com a exposição “A semântica do vazio” do artista holandês-americano Roland Gebhardt. Ela recebeu os convidados ao lado do marido Guilherme Magaldi.

Karla OsorioKarla Osorio

“Roland Gebhardt preenche uma lacuna na história do minimalismo e é um dos autênticos renascentes de seu grupo. A obra de Gebhardt nos obriga a repensar a nossa identidade em relação ao vazio”, declarou a anfitriã neste novo momento de sua vida. Além das obras produzidas nas décadas de 1970 e 1980, o artista também apresentou trabalhos inéditos produzidos durante a residência artística no espaço Karla Osorio. Gebhardt já expos ao lado dos artistas famosos como Agnes Martin, Richard Serra, Donald Judd e Carl André.

Karla OsorioKarla Osorio

Gebhardt usou materiais como zinco, alumínio, papel museológico, madeira, mármore e pedras. O uso do vazio (void) tem sido o eixo central de sua pesquisa e produção por décadas. Mas, para Roland, o corte é elemento de união, substitui a linha e o traço tradicional. A tridimensionalidade é também característica marcante de sua obra, mesmo em esculturas efêmeras e até mesmo feitas com frutos e vegetais.

Karla assegura que a galeria que leva o seu nome vai manter e reforçar os ideais de sua criação, para inserção de artistas contemporâneos no mercado e na cena institucional. Vai apoiar pesquisas e projetos inovadores, e promoverá cursos, palestras e intervenções no espaço público.

Karla OsorioKarla Osorio

Karla Osorio participa de feiras de arte em vários países, sendo a única galeria de Brasília em algumas das melhores feiras do mundo como Basiléia, Miami, Nova York e Chicago. A galerista representa artistas brasileiros e estrangeiros, tanto a nível nacional, quanto internacional.

A exposição Roland Gebhardt – Semântica do Vazio pode ser visitada até o dia 13 de outubro de segunda a sexta das 9h às 18h30, mediante agendamento pelo telefone 3367-6303. A Galeria Karla Osorio fica na SMDB conjunto 31 lote 1B, Lago Sul.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 09/09/2017

Gracia Cantanhede é prestigiada em noite de autógrafos

Gracia CantanhedeGracia Cantanhede

A escritora Gracia Maria Baldoni Cantanhede, reuniu no Carpe Diem, centenas de representantes de vários setores da sociedade de Brasília e do mundo jurídico para apresentar seus dois novos livros: Bacia das Almas e Madona Chegou. A escritora recebeu os convidados ao lado do marido Getúlio e dos filhos Thiago e Gabriel Cantanhede.

Gracia Cantanhede

Gracia é formada em Direito e exerceu o cargo de Procuradora Federal, lotada no IBAMA. Escreveu crônicas para o Caderno Mulher do Jornal “Correio Brasiliense”, de 1991 a 1994. Colaboração em Jornais e Revistas e participou de antologias de contos, crônicas e poesias. Trabalhos que lhe conferiram vários prêmios, troféus e comendas Belo Horizonte e na capital federal.

Gracia Cantanhede

Nessa conturbada crise econômica, política e moral e suas implicações, o escritor tem um papel importante na sociedade. Além de nos despertar para o pensamento nos faz pensar no nosso papel como cidadão. Em uma sociedade onde tudo está à venda e tudo pode ser comprado, inclusive a decência humana e a honradez, o livro contribui para aliviar as agruras do cotidiano.

Gracia Cantanhede

Além de dar vida aos contos, poesias, romances e tudo que diz respeito a palavra escrita, Gracia Cantanhede, produz cultura, proporciona uma boa leitura e como cidadã se posiciona sobre os mais variados temas. Principalmente tudo que toca a alma como a paz, o amor, a alegria, a esperança e Brasília.

Gracia Cantanhede

As obras de Gracia são democráticas e ficam bem em qualquer companhia. “São realizações muito importantes para mim. Livros são como filhos e como me orgulho dos dois e não faço distinção entre eles, vou apresentá-los na mesma ocasião”, explica Gracia Cantanhede.

Gracia Cantanhede

Vivemos em uma época em que a poesia que vem da alma é silenciada pelas preocupações do cotidiano. Que bom que Gracia conseguiu transpor os obstáculos e dividir conosco suas lindas e profundas poesias. Ela mostra que a vida é uma eterna experiência criativa. Compartilhar suas obras desperta bondade.

Gracia Cantanhede

“Bacia das Almas” é bem mais que um livro de poesias. É um livro de raciocínio, com a presença de um forte conceito criativo. E poemas bem escritos são poderosos. Conquistam pessoas, mudam estórias. Afinal, somos peregrinos da esperança!

Em “Madona Chegou” a autora valoriza as emoções e percepções dos adolescentes e estimula-nos a lembrar a vida no interior, compreender mais as relações familiares e a embarcar numa fantástica aventura e descobrir os segredos e mistérios de um antigo casarão.

Gracia Cantanhede

A procuradora Gracia Baldoni Cantanhede respira arte e cultura 24 horas por dia. É uma figura querida na sociedade, que no afã de ser útil e servir empenhou-se com entusiasmo na promoção dos talentos da cidade atavés da Pró-Arte, entidade que fundou e presidiu e também por meio da palavra escrita.

Gracia Cantanhede

Gracia não para por aí. Em breve teremos mais obras porque ler e escrever fazem parte da rotina da mineira brasiliense. “Vivo em uma casa com mais de vinte mil livros. Ler, para mim, é prazer inigualável", declara a advogada.

Gracia Cantanhede

Conheço a Gracia desde que a entrevistei em 1987 e passei a admirá-la pela sua postura respeitável, alto astral e lições de sabedoria. Para quem desiste dos sonhos ela diz “Fique em pé e orgulhosa de si. Nunca esqueça suas raízes e valorize o quanto você vale”.


Gracia Cantanhede

Gracia Cantanhede 

 
Coluna Bernadete Alves - dia 08/09/2017

“Era uma Vez Brasília” concorre no Festival de Cinema

O Momento político brasileiro vai estar em cartaz no 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, no dia 22 deste mês na telona do Cine Brasília, na 106/107 Sul. Em cenários noturnos, com imagens documentadas durante as manifestações populares de 2016, o diretor Adirley Queirós, apresenta uma construção que não segue uma narrativa temporal, mas que tem a realidade atual como base.

“O Brasil pós-golpe vive um processo nebuloso, uma atmosfera apocalíptica. É isso que queremos materializar”, defende o goiano radicado no DF desde 1975. Aos 47 anos de idade, Adirley vive há 40 em Ceilândia. De acordo com ele, o cenário sombrio onde atua o elenco é uma forma de expressar a ideia de que o sol nunca mais nasceu no País. “Temos clareza sobre o movimento que ocorre no Brasil, em que os direitos das classes populares e da periferia são ceifados”, argumenta o diretor.

Era uma Vez Brasília, filme que trabalha a perspectiva política do país desde 2015, tem a participação de Wellington Abreu, Andreia Vieira, Marquim do Tropa e Franklin Ferreira, atores de Ceilândia. “Propus a eles que criassem uma história para os personagens de forma livre”, destaca o diretor sobre o processo de criação. O filme será o representante do Distrito Federal na mostra competitiva do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro que acontece de 15 a 22 deste mês.

Adirley é veterano na competição do Troféu Candango. Em 2015 ganhou os prêmios principais dos júris oficial e popular com o curta “Rap, o canto da Ceilândia”. Em 2014, ele venceu na categoria principal do 47º Festival de Brasília com “Branco Sai, Preto Fica”, seu segundo longa-metragem. O cineasta considera a mostra local a mais importante do País. “O Festival de Brasília se distingue dos outros porque abre uma janela política, tem potência de agregar conhecimento e de se transformar em um espaço de reflexão.”

Uma nave aterrissa na capital federal. A bordo, um agente intergaláctico que recebeu uma missão peculiar em 1959. Ele devia descer à Terra e matar o presidente Juscelino Kubitschek no dia da inauguração de Brasília. Perdido no espaço por anos, o protagonista dessa história acaba caindo em Ceilândia, em 2016. Desnorteado, agora ele se encarrega da tarefa de “acabar com os monstros que tomaram o poder no Brasil”, como define o diretor Adirley Queirós, a mente por trás dessa ideia.

A estreia mundial de Era uma vez Brasília ocorreu no Festival Internacional de Cinema de Locarno, na Suíça, onde recebeu menção especial do júri. No Brasil, a primeira exibição será em 22 de setembro, às 21 horas, durante o Festival de Brasília que acontece de 15 a 24 deste mês. O evento tomará não só o Cine Brasília, palco tradicional das mostras, mas passará por outras 11 regiões administrativas.

Papa pede para igreja católica sair da zona de conforto

O Papa Francisco, em sua visita à Colômbia, pediu neste sábado para a Igreja Católica se renovar e os padres se envolverem na promoção da paz e da 'reconciliação' de um país marcado por um passado violento. “A Igreja na Colômbia está convocada a se empenhar com mais ousadia na formação de discípulos missionários”, declarou o Papa diante de um milhão de fiéis em Medellín.

“Como Jesus ‘chacoalhava’ os doutores da lei para que saíssem da inércia, agora também a Igreja é ‘chacoalhada’ pelo Espírito para que deixe sua zona de conforto e seus apegos. A renovação não nos deve causar medo”, disse o pontífice durante a missa em Medellín, antiga capital do narcotráfico. “Na Colômbia, há várias situações que reclamam dos discípulos o estilo de vida de Jesus, principalmente o amor convertido em feitos de não violência, reconciliação e paz”, assinalou o pontífice de 80 anos.

Francisco ao chegar em Bogotá no dia 06 recebeu uma pomba branca de Emanuel de 13 anos, nascido na selva quando sua mãe, a política Clara Rojas, era refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. O pontífice de 80 anos foi recepcionado pelo presidente Juab Manuel Santos e sua mulher María Clemente. “A viagem para a Colômbia é especial porque servirá para ajudar a Colômbia a seguir adiante em seu caminho pela paz”, declarou o Papa.

Brasília participa da WorldSkills em Abu Dhabi

O campeão brasileiro na modalidade de drywall em 2016, o brasiliense Wanderson dos Santos, treinado pelo Serviço Nacional da Indústria, participa da 44ª edição da WorldSkills, a maior competição de educação profissional do mundo, que acontece entre os dias 15 e 18 de outubro em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes. Os troféus das 51 modalidades serão disputados por 1.264 estudantes de 68 países.

Wanderson Carlos Coimbra dos Santos tem 21 anos e vai representar o Brasil nesta competição internacional nos Emirados Árabes. Em busca da medalha de ouro, Wanderson treina seis dias da semana, das 8h30 às 19h, para se aprimorar tecnicamente na técnica que prevê a correção de imperfeições após pronto o reboco.

O estudante do curso Técnico em Segurança do Trabalho, no Senai, Wanderson Carlos fala orgulhoso de representar Brasília e o Brasil em uma competição internacional. “Estou muito feliz em saber que vou viajar e representar a nação lá fora. Sei que a concorrência é grande, mas só de estar lá representando o país, já estou satisfeito. Para completar essa felicidade, só trazendo a medalha“, declara.

Wanderson conta que o seu pai é o responsável por tudo. Ele trabalha em obras há muito tempo e mesmo sem formação específica, faz uso do drywall. “Sempre acompanhei meu pai durante os serviços e foi com ele que aprendi a usar a técnica. É graças à ele que trabalho com isso”. Wanderson mora com o pai na Estrutural desde 2012, quando os pais se separaram. A mãe e a irmã residem em Tocantins.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 07/09/2017

Dia 7 de Setembro é marcado por homenagem à natureza e acrobacias da Esquadrilha da Fumaça

O desfile em comemoração aos 195 anos da Independência do Brasil aconteceu em uma manhã de sol intenso e clima bastante seco em Brasília, na Esplanada dos Ministérios, com um forte esquema de segurança que contou com cerca de 830 policiais militares do Distrito Federal.

No alto de 17 prédios dos ministérios enormes painéis, com texto e imagem, de euforia e ufanismo mostrando um Brasil feliz e convidando o povo a viver sua independência, viver seus sonhos, viver suas ideias e viver suas vitórias. Nesta data histórica o Palácio do Planalto celebra que é a partir de 7 de Setembro que "nos consolidamos enquanto Nação e nos fortalecemos enquanto povo".

As celebrações da Independência tiveram início pontualmente às 9h10, com a chegada do presidente Michel Temer em carro fechado, à Esplanada. Os dragões da Independência estavam perfilados em frente ao palanque das autoridades no momento em que o presidente da República chegou ao palanque oficial das autoridades acompanhado pela primeira-dama Marcela Temer e pelo seu filho caçula, Michelzinho, para assistir ao desfile cívico.

Junto com o presidente Temer, estavam também os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Acompanham ainda o desfile, no palanque de autoridades, os ministros da Defesa, Raul Jungmann; de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho; da Casa Civil, Eliseu Padilha; da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco; além do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.

A parada cívico-militar começou com a execução dos hinos Nacional e da Independência. Em coro regido pela fanfarra do 1º Regimento de Cavalaria de Guardas, o público cantou o Hino Nacional Brasileiro. Em seguida, o regimento tocou o Hino da Independência, acompanhado por alunos do Colégio Militar de Brasília.

O Fogo Simbólico da Pátria foi apresentado pelo atleta e medalhista olímpico Vicente Lenílson, prata nos Jogos Olímpicos de Verão de 2000, em Sydney, e ouro no Jogos Pan-americanos de 2007, ambas provas no revezamento 4×100 metros rasos. No céu da Esplanada a Esquadrilha da Fumaça escreveu a frase "Pátria Amada". Na sequencia o comandante das Forças Armadas em Brasília, general de Divisão Pereira Gomes, do alto de um blindado, pediu autorização ao presidente Temer para dar início ao desfile cívico.

Brasília fez homenagem aos quatro elementos da natureza: ar, água, terra e fogo. O objetivo da Secretaria de Educação do Distrito Federal , foi enaltecer a preservação do meio ambiente e os recursos naturais como forma de garantir o desenvolvimento sustentável da humanidade. Participaram do desfile 820 alunos das regionais de Ceilândia, do Gama, do Guará, de Planaltina, de Samambaia e de Sobradinho.

Coube aos alunos do Centro Educacional nº 619 de Samambaia abrir o desfile com as bandeiras das 27 unidades da Federação. Eles marcharam ao som da Banda Musical da Secretaria de Educação.Em seguida, estudantes do Centro de Ensino Médio 3 de Ceilândia apresentaram a coreografia País Tropical, do cantor Jorge Ben Jor, ao som da banda da regional de Planaltina.

A primeira escola a representar os elementos da natureza foi o Centro de Ensino Fundamental nº 1 de Sobradinho. Os alunos homenagearam os 65 anos da Esquadrilha da Fumaça, por meio do elemento ar. A importância da água foi mostrada pelos estudantes do Centro Educacional nº 1 de Planaltina. A fauna brasileira, por sua vez, foi tema das fantasias do Centro de Ensino Fundamental nº 1 do Guará.

O perigo das queimadas foi destaque do desfile do Centro Educacional nº 7 e a riqueza da flora brasileira, o dos alunos do Centro de Ensino Médio nº 9 de Ceilândia. Os servidores do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e funcionários das empresas associadas foram homenageados pelo Centro de Ensino Médio nº2 de Ceilândia. Integrantes do projeto Ginástica nas Quadras, no Setor O, desfilaram ao som de Sorte Grande, de Ivete Sangalo. A música foi tocada por integrantes da banda da regional do Guará.

Os colégios militares de Brasília deram um show na Esplanada dos Ministérios com a beleza das bandas e mensagens sobre valores éticos e morais, projetos sociais, brigada militar mirim e os projetos socioambientais. Temos que aplaudir a educação inovadora e cidadã.

As tropas motorizadas composta por Marinha, Exercito, Aeronáutica, Força Nacional, Polícia Civil, Policia Militar e Corpo de Bombeiros do Distrito Federal demonstraram o espírito cívico e patriótico com seus trajes de gala que a ocasião merece. Também foi comemorado os 37 anos de ingresso da mulher na Marinha do Brasil. A Marinha foi a primeira força criada.

Em frente ao palanque das autoridades foi instalado um palanque de seguranças para evitar o registro de cartazes e faixas de manifestantes com a imagem do presidente Michel Temer. O esquema de segurança e controle de entrada na Esplanada dos Ministérios neste feriado de 7 de Setembro foi bem rígido. As vias foram interditadas para carros desde as 22 horas de ontem e o trânsito só foi liberado no local na tarde de hoje. Para assistir ao desfile, o público, em torno de 20 mil pessoas, teve de passar por um controle de entrada e revista, para acompanhar o desfile de Independência.

Pirâmide Humana, do Batalhão de Polícia do Exército de Brasília, Bandas Marciais e Esquadrilha da Fumaça, empolgam o público do evento cívico-militar com desfile de aproximadamente 4,2 mil pessoas, 3 mil militares e 1,2 mil civis. Os grupamentos civis, das Forças Armadas (Aeronáutica, Exército e Marinha) e de outras instituições militares percorreram o trajeto da Via N1, na altura do Ministério da Justiça, até o da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Segundo a Secretaria de Comunicação da Presidência, a festa deste ano custou R$ 787,5 mil. No ano passado, foram gastos R$ 1,187 milhão. Michel Temer permaneceu na tribuna das autoridades até as 11h10, quando já havia sido encerrado o desfile e estava prestes a iniciar a apresentação acrobática da Esquadrilha da Fumaça, que marca o fim do evento.

As aeronaves da Força Aérea Brasileira desfilaram pelos ares de Brasília realizando uma série de manobras espetaculares, marcando o fim da parada militar de Brasília. Foi um show digno de 7 de Setembro e roubaram a cena do desfile que marca os 195 anos que o Brasil separou-se de Portugal,conquistando sua independência e deixando de ser colônia.

A apresentação de hoje foi especial para celebrar seus 65 anos de existência.Criado oficialmente em 1952, o grupamento de elite da Força Aérea já conta mais de 3.500 demonstrações pelo País e no exterior.

O 7 de Setembro é um dia de reflexão e avaliação sobre o quanto estamos comprometidos com o nosso país. A independência do Brasil é construída a cada dia com o nosso compromisso por uma educação melhor, mais igualdade social e respeito. Um país independente e forte depende de cada um de nós! Viva a brava gente brasileira! Viva as riquezas naturais, viva a mãe gentil! Pátria amada, Brasil!

 
Coluna Bernadete Alves - dia 06/09/2017

Prêmio Profissionais da Música 2018 vai homenagear Menescal

Gustavo Ribeiro de Vasconcellos, idealizador do Prêmio Profissionais da Música (PPM) receberá a imprensa, parceiros e formadores de opinião para lançar no dia 12 de setembro, no shopping Pier 21, a campanha da 4ª edição do evento. Na ocasião do brunch, ele contará com a presença do artista Roberto Menescal, ícone da Bossa Nova. Figura ilustre da música, Menescal será o grande homenageado do PPM 2018, que acontecerá de 16 a 21 de abril de 2018, em Brasília.

Além da apresentação das novidades do PPM 2018, o encontro terá, ainda, Roberto Menescal eternizando suas mãos na famosa Rua das Estrelas do Píer 21, shopping parceiro do evento e palco de diversas de suas atividades e atrações como workshops, palestras e shows.

Realizado pela GRV Media e Entretenimento, o PPM abrirá inscrições no dia 17 de setembro, contemplando 60 categorias de profissionais da música, subdivididos nos módulos Criação, Produção e Convergência.

Na 1ª edição (abril de 2015), o homenageado foi o poeta e artista Renato Russo. Na 2ª edição (abril de 2016), o autor e compositor mineiro Fernando Brant foi a personalidade reverenciada. Inclusive, seu nome batizou o troféu entregue aos profissionais do ano escolhidos de forma inédita através de votação apenas no site do evento (pela combinação dos votos dos profissionais inscritos), do público e, por último, pelo júri.

Já em 2017 o foco foi no coletivo, a partir do argumento de que uma associação é resultado de união e colaboração, permitindo expansão e evolução. Assim, a homenagem foi para os 15 anos da Associação Brasileira de Música Independente (ABMI), tendo como símbolos, três de seus ilustres fundadores: o músico e maestro Benjamim Taubkin, o produtor Pena Schmidt e o autor e publicitário Thomas Roth.

Para simbolizar toda a riqueza que o PPM deseja apresentar e compartilhar, será homenageado em 2018 Roberto Menescal, músico, autor, produtor, instrumentista e um dos grandes ícones da música brasileira.Sobre Menescal, vale lembrar que ele também foi homenageado no Grammy Latino de 2013 por sua contribuição e relevância artística no campo musical com o Prêmio à Excelência Musical da Academia Latina da Gravação. Um dos criadores da bossa nova, Menescal foi eleito por uma comissão julgadora da Junta Diretiva da Academia Latina, recebeu o troféu em uma cerimônia especial, restrita apenas para convidados, na véspera da cerimônia do Grammy Latino.

Com uma carreira de mais de 50 anos, ele é autor de clássicos como “O Barquinho”, “Você, Nós e o Mar” e “Rio”. O artista capixaba também participou de trilhas sonoras de filmes como Joana Francesa, Bye Bye Brasil e Sabor da Paixão, e tem quatro livros biográficos publicados. Aos 80 anos, Menescal continua se apresentando ao redor do mundo, além de atuar como produtor musical.

Categorias de profissionais agrupadas nas modalidades Criação, Produção e Convergência, podem se inscrever de 17 de setembro a 17 de dezembro de 2017, até às 23h59. Pela Criação podem participar do PPM : Autor, Autora, Cantor, Cantora, Instrumentista Popular, Instrumentista Erudito, Arranjador, Artistas | Intérpretes, Hip Hop & Rap, Instrumental, Rock, Blues, Hardcore, Groove & PoP, Raiz Regional, Cultura Popular, Samba , Choro e Eletrônico.

Pela Produção podem se inscrever : Editora [ Pessoa Jurídica], Produtor Musical, Produtor Artístico, Produtor Executivo, Produtor de Trilhas Sonoras para Cinema, Produtor de Trilhas Sonoras para Video Game, Selos e Gravadoras, Engenheiros de Gravação, Engenheiros de Mixagem, Engenheiros de Masterização, Designer, Fotógrafo, Agência de Comunicação, Diretores de Vídeo Clips, Produtor de Evento, Escritórios de Agenciamento de Artistas, Estúdios de Gravação e Mixagem, Estúdios de Masterização, Técnico de PA, Técnico de Monitor e Roadie.

Na categoria Convergência: Festivais de Música, Start Ups, DJs, Projetos Culturais Musicais, Canais de Divulgação de Música [ Facebook, Twitter, Instagram, Blog,Revista Digital, Coluna], Programas de WebTV, Web Rádio, VJs, Rádios Públicas e Privadas, Programas de Rádio, Canal de Youtube, Plataformas de Negócios e Escolas de Música. MAIS INFORMAÇÕES: Contatos: (61) 9-8173-0004 e (61) 9-8209-0005 Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. e www.ppm.art.br.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 05/09/2017

Zika pode destruir câncer cerebral

Cientistas da Universidade de Cambrigde, no Reino Unido, realizaram um estudo pioneiro, injetando o vírus Zika diretamente sobre o glioblastoma, forma mais agressiva de tumor cerebral. A injeção do vírus aplicada diretamente no tumor, matou as células-tronco do grave câncer cerebral em cobaias. A importante descoberta foi publicada hoje no “The Journal of Experimental Medicine”.

Para chegar a esta conclusão os pesquisadores dividiram cobaias com glioblastoma em dois grupos: 18 camundongos foram infectados com o vírus zika e outros 15 receberam uma solução salina sem vírus ativos. As injeções foram aplicadas diretamente no tumor. Nas cobaias que receberam o vírus zika, a injeção diminuiu o crescimento do tumor e prolongou significativamente a vida útil dos animais.

A preferência do vírus zika por neurônios tem um lado bom porque, ao mesmo tempo em que o zika pode provocar anomalias em crianças, o vírus também pode destruir um grave tumor cerebral em adultos: o glioblastoma, câncer em que pacientes vivem em média um ano após diagnóstico.

"Esperamos mostrar que o vírus Zika pode retardar o crescimento do tumor cerebral em testes de laboratório. Se pudermos aprender lições a partir da sua capacidade de atravessar a barreira hematoencefálica e atingir as células-tronco seletivamente, poderíamos ter na mão a chave para futuros tratamentos", explica o pesquisador Harry Bulstrode, da Universidade de Cambridge.

Bulstrode explica que os tratamentos existentes contra o glioblastoma são limitados por causa da incapacidade de atravessar a barreira hematoencefálica - estrutura que atua principalmente para proteger o sistema nervoso central - e do fato de que as doses devem ser mantidas baixas para evitar danos ao tecido saudável. “O vírus Zika, por sua vez, consegue atravessar a barreira hematoencefálica e poderia atingir as células cancerosas, poupando o tecido cerebral adulto normal e abrindo assim uma nova possibilidade de atacar a doença”.

"A infecção pelo Zika em bebês e crianças é uma grande preocupação para a saúde global, e o foco tem sido descobrir mais sobre o vírus para encontrar novos tratamentos possíveis. Estamos adotando uma abordagem diferente e queremos usar esses novos insights para ver se o vírus pode ser usado para combater um dos mais complexos tipos de câncer", diz Bulstrode.

O pesquisador Milão Chheda, também autor do estudo, explica que o tratamento para o glioblastoma envolve radioterapia e quimioterapia, mas sem efeitos prolongados. Mesmo com o tratamento, células-troncos associadas ao tumor sobrevivem e “driblam” o sistema imunológico e com isso o tumor volta cerca de seis meses depois. "É tão frustrante tratar um paciente tão agressivamente apenas para ver o seu tumor voltar alguns meses depois”, diz Chheda.

Como os adultos não são atingidos pelo vírus zika com a mesma letalidade que fetos, a ação do vírus no cérebro poderia ser utilizada no câncer como uma espécie de terapia-alvo. Nessa estratégia, a preferência do zika por células-tronco neuronais poderia ser utilizada "em nosso favor" para atacar somente o tumor cerebral. "Nós nos questionamos se a preferência do vírus zika por células neurais poderia ser usada contra as células do glioblastoma", diz Michael Diamond, pesquisador da Universidade de Washington, em nota.

Agora, pesquisadores planejam testes pré-clínicos para verificar como o organismo humano reagiria à infecção controlada do zika em terapias. Ainda, seria necessário definir um protocolo de tratamento. Os cientistas já sabem que qualquer tratamento com o zika deverá ser feito durante a cirurgia para que a injeção seja aplicada diretamente nas células tumorais. Isso porque, caso o zika seja aplicado em qualquer outra parte do corpo, ele poderia ter sua ação "terapêutica" bloqueada pelo sistema imune.

Tomara que a descoberta seja o caminho para vencer essa doença que ainda é um grande desafio para a comunidade científica.

Buriti em clima de Semana da Pátria

O Palácio do Buriti, sede do Executivo local, ganha as cores da bandeira do Brasil em homenagem ao Dia da Independência do País. O governo de Brasília vai deixar a iluminação, em verde, amarelo e azul, na fachada do monumento até sexta-feira, dia 08 de setembro.

Câmara aprovada alterações na Lei dos Registros Públicos

O plenário da Câmara dos Deputados, sob a presidência interina de André Fufuca,do PP/MA, aprovou hoje por 156 votos a 106, a Medida Provisória 776/2017, que estabelece mudanças nas certidões de nascimento e casamento dentre outras mudanças. O texto aprovado, que segue para a sanção presidencial, é um projeto de lei de conversão da senadora Regina Souza, do PT-PI, para a Medida Provisória 776/17, com duas emendas aprovadas pelos senadores.

Entre as alterações na Lei de Registros Públicos ( 6.015/73) está a possibilidade da certidão de nascimento indicar como naturalidade do filho o município de residência da mãe na data do nascimento, se localizado no País. A opção deve ser declarada no ato do registro do nascimento. Nos casos de adoção ocorrida antes do registro, poderá ser declarada naturalidade no município de residência do adotante. Atualmente, a lei prevê apenas o registro de onde ocorreu o parto como naturalidade da criança.

Uma das emendas dos senadores prevê que os cartórios poderão prestar, mediante convênio, outros serviços remunerados à população em credenciamento ou em matrícula com órgãos públicos e entidades interessadas, como a emissão de carteiras de identidade ou de trabalho. O convênio deve ser firmado com entidades situadas na mesma região do cartório.

A outra emenda dos senadores mantém no atual texto da Lei de Registros Públicos dispositivo que torna obrigatório o registro de nascimento de criança de menos de um ano mesmo diante de óbito. A mesma emenda também mantém regras específicas para a cremação, como manifestação de vontade ou interesse público, além de atestado de óbito firmado por dois médicos ou por médico legista e, no caso de morte violenta, manifestação favorável da autoridade judiciária.

O texto aprovado pelos parlamentares neste 5 de setembro, permite o registro do falecimento na cidade de residência da pessoa, facilitando o processo de obtenção do atestado quando o óbito ocorrer em cidade diferente. Hoje, a lei prevê que apenas o oficial de registro do lugar do falecimento poderá emitir o atestado necessário ao sepultamento.

A partir de agora o Ministério Público não precisa mais ser ouvido antes da averbação de documentos em cartórios, salvo nos casos em que o oficial do cartório solicitar o parecer por suspeitar de algum tipo de fraude nas declarações ou documentação apresentadas. A nova lei dispensa também consulta ao Ministério Público a respeito de correção de erros que não precisem de questionamentos. Se o erro for cometido pelo oficial ou outros integrantes do cartório, não serão cobradas taxas dos interessados na documentação.

Maia sanciona lei que ajudará na recuperação das Santas Casas

O presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, sancionou o Projeto de Lei 7.606/17, de autoria do senador José Serra, do PSDB/SP, que cria o Programa de Financiamento Específico para Santas Casas e Hospitais Sem Fins Lucrativos (Pró-Santas Casas) que atendem o Sistema Único de Saúde. O programa prevê duas linhas de crédito em bancos oficiais, totalizando R$ 10 bilhões, que serão liberados entre 2018 e 2022. Os recursos poderão ser usados na reestruturação patrimonial das instituições em crise ou no incremento do capital de giro.

O projeto que cria o Pró-Santas Casas foi sancionado em cerimônia na Câmara dos Deputados da qual participaram ministros e parlamentares. Rodrigo Maia falou sobre o simbolismo de levar para dentro do Parlamento o ato de sanção de um projeto que ele disse ter tido o apoio de todos os partidos. “Não é um projeto do governo, da oposição. É um projeto da sociedade brasileira que foi aprovado no nosso Congresso Nacional.”

O presidente em exercício disse também que, para o país superar tantas crises, é preciso que os poderes Executivo e Legislativo governem juntos. Participaram também da solenidade o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), o presidente em exercício da Câmara dos Deputados, André Fufuca (PP-MA), e os ministros da Saúde, Ricardo Barros, da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, e o autor do projeto, senador José Serra (PSDB-SP).

Dados do Ministério da Saúde mostram que as entidades beneficentes são responsáveis por cerca de 50% do total de atendimentos no SUS. Em 927 municípios brasileiros, a assistência hospitalar é prestada unicamente por uma instituição beneficente. Serão liberados R$ 2 bilhões anuais consignados no Orçamento Geral da União. Inicialmente, o programa terá duração de cinco anos, começando em 2018, informou o Ministério da Saúde.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, declarou que o programa de financiamento ajudará na recuperação das Santas Casas, que enfrentem dificuldades financeiras e são responsáveis por parcela importante dos atendimentos feitos pelo SUS no país. “Estamos ajudando as Santas Casas em dificuldades e as que quiserem podem ter, gratuitamente, consultoria para melhorar a gestão e não passar mais pelas dificuldades que estão passando”, disse o ministro.

O presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, Edson Rogatti, falou que a linha de crédito dará fôlego às instituições. “Não é uma solução definitiva, mas uma alternativa viável para que o SUS continue atendendo a população.”

 
Coluna Bernadete Alves - dia 04/09/2017

Jackson Di Domenico é o novo Desembargador do TRE/DF

O advogado catarinense, Jackson Di Domenico, que reside em Brasília dede 1996, é o novo desembargador do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, na vaga deixada pelo juiz substituto Telson Luís Cavalcante Ferreira, que concluiu o biênio 2015/17. O jurista foi o primeiro da lista tríplice indicada pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios e a nomeação feita pelo Presidente Michel Temer foi publicada no Diário Oficial da União do dia 25 de agosto.

A posse no edifício sede do TER/DF foi prestigiada por centenas de pessoas dentre elas a Ministra do Superior Tribunal de Justiça, Assusete Magalhães; o Vice-Presidente do TJDFT, Desembargador Humberto Ulhoa; o Vice-Presidente do TJDFT, Desembargador JJ Carvalho, o presidente da OAB/DF, Juliano Costa Couto; o Ministro Aldir Passarinho, o Ministro José Delgado e o Ministro Cláudio Santos. Também estiveram presentes na solenidade o Desembargador Getúlio Moraes de Oliveira, o desembargador Roberval Belinati, o Desembargador Sebastião Coelho, o Desembargador James de Oliveira, a Desembargadora Ana Maria Amarante, o Desembargador João Batista Teixeira, entre outras autoridades.

O Presidente do Tribunal, Desembargador Romeu Gonzaga Neiva, disse que Jackson Di Domenico já demonstrou ser um profissional capacitado e merecedor do cargo. “Tenho certeza de que ele irá contribuir para o engrandecimento da Justiça ao desempenhar seu papel com a qualidade pela qual é conhecido” declarou o presidente do TER/DF.

O novo desembargador Jackson Di Domenico disse que vai pautar suas ações nos três pilares: justiça, paz e alegria. E lembrou que “é uma função de muita responsabilidade, que exige que o profissional consiga levar o direito e a Justiça ao mesmo tempo e transformar em uma solução jurídica que traga paz social e segurança jurídica”.

O presidente da OAB/DF, Juliano Costa Couto, disse que o novo desembargador tem todas as qualidades para ser um excelente magistrado. "Domenico fez muito pela advocacia enquanto esteve na Seccional como conselheiro e presidente da CAL. Não tenho dúvidas de que sua dedicação será exemplar enquanto desembargador, contribuindo muito para a prestação jurisdicional".

Após a posse o novo desembargador, ao lado da esposa, a cantora Nádia Santolli, recepcionou os convidados. Jackson Di Domenico é pós-graduado em Direito Eleitoral pelo UniCeub, é mestrando em Direito Constitucional pelo Instituto de Direito Público de Brasília (IDP),e fundador do escritório Domenico Advogados Associados, em 2003. Atualmente é secretário nacional da Comissão Especial de Acompanhamento Legislativo do Conselho Federal da OAB, presidente da Comissão de Assuntos Legislativos da OAB/DF, conselheiro da Ordem e Diretor do Instituto dos Advogados do Distrito Federal.

Duquesa Kate Middleton espera terceiro filho

A informação da chegada de mais um bebê real foi dada na manhã desta segunda-feira por comunicado do Kensington Palace, residência oficial do casal real William e Kate. “Os duques de Cambridge estão encantados em anunciar que a duquesa está esperando seu terceiro filho. A Rainha e os membros de ambas famílias estão igualmente encantados com a notícia”, informa um comunicado do palácio.

O príncipe William, segundo na linha de sucessão à Coroa britânica, se casou com Kate Middleton em abril de 2011 em cerimônia realizada na Abadia de Westminster. Os dois já têm o príncipe George, de 4 anos, e a princesa Charlotte, de 2 anos e agora a duquesa de Cambridge, Kate Middleton está grávida do seu terceiro filho.

Artista e cantora Rogéria, morre aos 74 anos

A atriz e cantora Rogéria morreu na noite desta segunda-feira, por volta das 22h15, no Rio de Janeiro, aos 74 anos. Rogéria estava internada desde 8 de agosto no Hospital Unimed-Rio devido a um quadro de infecção urinária. O Hospital Unimed-Rio informou que a artista estava com a saúde debilitada desde julho, quando chegou a ser internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) também com quadro de infecção urinária.

Segundo o amigo Mario Paschoal, o velório do Rogéria será realizado amanhã no Teatro João Caetano, Rio de Janeiro, a partir das 11h, para amigos e familiares. Às 13 horas será aberto para o público em geral. Está previsto um segundo velório em Cantagalo, cidade natal da artista, durante a madrugada da quarta-feira. Só depois acontecerá o enterro. A transformista foi iluminar outros palcos e espalhar alegria e arte em outra esfera.

Em 2016 a artista, ganhou uma biografia, Rogéria – Uma Mulher e Mais um Pouco (Sextante), de Marcio Paschoal. Recentemente, ela participou do filme Divinas Divas, que apresenta a primeira geração de travestis do Brasil. O documentário foi dirigido por Leandra Leal e lançado em 22 de junho deste ano.

Na televisão,Rogéria passou pelas novelas Tieta, Paraíso Tropical e Duas Caras, entre outras e participou das séries Sai de Baixo, Brava Gente e Pé na Cova. Seus últimos trabalhos foram em 2015, no programa de humor Tá no Ar: A TV na TV e na novela Babilônia, em que interpretou a personagem Úrsula Andressa, na rede Globo.

Rogéria nasceu no Cantagalo, no Rio de Janeiro, no dia 25 de maio de 1943, como Astolfo Barroso Pinto. Trabalhou como maquiador e usava o nome de Rogério. Época em que maquiou a atriz Fernanda Montenegro nos estúdios da TV Rio. Assumiu sua nova identidade quando vencer um concurso de fantasias de Carnaval, em 1964 e foi ovacionada por “Rogéria!”.Antes de se tornar Rogéria em definitivo, ouviu o conselho de Fernanda Montenegro, de que “Arte independe de sexo. Se você tem talento, não custa nada tentar”.

A partir daí foi só sucesso. Integrou o elenco de espetáculos como Alta Rotatividade e 7, O Musical. No cinema, fez filmes como O Homem que Comprou o Mundo (1968), de Eduardo Coutinho, O Gigante da América (1978), de Júlio Bressane, e Copacabana (2001), de Carla Camurati, em que interpretou ela mesma.

Rogéria era uma figura clássica do showbiz nacional, que conseguiu romper as fronteiras do gueto reservado aos chamados atores transformistas – antes de o LGBT ter sido inventado e sob a feroz repressão do governo militar, para brilhar no teatro, cinema e TV. Bem-humorada, se definia como a “travesti da família brasileira”.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 03/09/2017

A Festa do Morango de Brasília atrai olhares e paladares

É setembro e com ele acontece um dos eventos mais tradicionais do Distrito Federal: a Festa do Morango organizada pela colônia japonesa do Núcleo Rural Alexandre Gusmão. Desde sexta-feira a população celebra a colheita, saboreia os deliciosos morangos de Brazlândia e se diverte com as atrações musicais, gastronômicas, culturais e agronegócio.

Os organizadores esperam receber mais de 30 mil visitantes, na Associação Rural e Cultural Alexandre de Gusmão, no Km 13 da BR 080, onde acontece a festa. A entrada é gratuita. A primeira semana da Festa do Morango termina hoje mas volta no dia 08 com a abertura da 28ª Exposição Agrícola de Brazlândia, também na sede da associação, shows com artistas locais e a 2ª edição Colha & Pague, em que o público pode visitar uma propriedade e adquirir a fruta colhida diretamente da planta.

A 22ª Festa do Morango conta com a participação de 250 agricultores e vai até o dia 10 deste mês. A safra de 2017 promete aquecer a economia com o fruto que ganhou o gosto popular. Na Morangolândia são comercializados, além de morangos fresquinhos a preço de custo, geleias, tortas, doces, compotas, sorvetes e sucos. No local também pode-se saborear os deliciosos pratos da culinária japonesa como Yakisoba, Camarão, Tempurá, Okonomiyaki, Sushi, Guioza, Udon.

Por conta da escassez hídrica, o foco do encontro deste ano serão as técnicas mais econômicas de irrigação e armazenamento de água, indicadas para produção de hortaliça, classificação que também se aplica ao morango.“Teremos dia de campo, com a visita a propriedades que já implementam as técnicas”, conta o gerente do escritório local da Emater, Rodrigo Teixeira Alves.

Foram os japoneses, no inicio da década de 70, que trouxeram as primeiras mudas do morango para o Distrito Federal. Depois os brasilienses passaram a dominar a plantação da região e produzir o morango com qualidade. Graças a tecnologias implantadas pela Emater-DF, o cultivo do morango tornou-se viável para os agricultores da região mesmo durante o período de seca. O morango de Brasília tem sabor doce, tamanho médio e cor avermelhada. A variedade mais plantada no DF é a do morango Portola, considerada bastante versátil e que se adapta bem a dias com mais ou menos horas de luz. Outras, como a Camino Real e a Camarosa também encontram boa aceitação entre os agricultores. As frutas produzidas aqui abastecem o mercado interno e uma parte da produção segue para Goiânia, em Goiás, e Palmas, no Tocantins. Elas também são comercializadas em polpa, geleias e doces.

Brazlândia é a maior produtora de morangos do Distrito Federal com cerca de 70 hectares de plantação. São mais de 5 mil mudas produzindo 2.000 toneladas da fruta. Os morangos são colhidos de maio a outubro e proporcionam muitos empregos diretos e indiretos.Uma das razões para a cultura de morango ter se adaptado bem ao Planalto Central é a altitude, de cerca de 1,2 mil metros, segundo a Embrapa.

A Embrapa explica que o total da produção no país é de aproximadamente 120 mil toneladas destinadas principalmente para o mercado interno. Minas Gerais é o principal estado produtor seguido pelo Rio Grande do Sul, São Paulo, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Distrito Federal.

Uma produção que vem, em sua maioria, de regiões com inverno marcante, de temperaturas baixas a noite e calor durante o dia. Os pesquisadores explicam que os solos argilo-arenosos são mais indicados para a frutinha. A Embrapa registra que há grande migração para sistemas que não colocam o morango no chão. Outra influência que os brasileiros já seguem é a de polinização pelas abelhas para o cultivo do morango.

Segundo Sandro Bonow, pesquisador da Embrapa Clima Temperado e responsável pelo projeto de criação de um morango tipicamente brasileiro, a intenção é “investir em características que atendam às necessidades de mercado, não só por parte dos produtores, como também dos consumidores, como sabor doce, tamanho médio e cor avermelhada”. Além disso, a atenção tecnológica deste momento no país é para desenvolver tecnologias inovadoras na produção de morangos, com sistema de produção fora de solo recirculante para reduzir uso da água e fertilizantes.

Daniele Hypolito é ouro na Bulgária

A brasileira Daniele Hypolito fez bonito na etapa de Varna da Copa do Mundo, na Bulgária, neste domingo. A experiente atleta de 32 anos conquistou o ouro na trave com a nota 13.750. A britânica Georgia Fenton somou apenas 12.500 pontos e ficou com a prata e a búlgara Pamela Georgieva alcançou os 11.800 e ficou com o bronze.

Além de Daniele, Caio Souza, na barra fixa, e Thaís Fidelis, no solo, levaram o Brasil ao lugar mais alto do pódio em mais duas oportunidades. No solo, a brasileira Thaís Fidelis somou 13.500 pontos e conquistou o ouro. A atleta vai representar o Brasil no Mundial no Canadá. No masculino, Caio Souza primeiro garantiu a medalha de bronze nas paralelas, com 14.450. Na sequência, voltou a competir na barra fixa e garantiu o lugar mais alto do pódio, com 14.200 pontos. No salto, Arthur Nory ficou em quarto (14.225).

Rebeca Andrade conquista dois ouros

A finalista olímpica na Rio 2016, Rebeca Andrade, fez bonito em Varna e conquistou o lugar mais alto do pódio na Bulgária na disputa do salto e nas barras assimétricas. A brasileira mostrou que está mesmo em grande fase e confirmou o ótimo rendimento com a conquista de dois ouros ontem. No salto Rebeca obteve 14,800 pontos e nas barras assimétricas fez a melhor apresentação com 14,050 pontos. O ouro veio com larga vantagem para a segunda colocada, Farah Hussein, do Egito (12,800). O bronze também ficou com o Brasil, com Thais Fidelis, que somou 12,450 pontos.

Arhtur Nory levou a bandeira verde e amarela de volta ao pódio. Com 14,450 pontos, o medalhista olímpico da Rio 2016 conquistou o bronze em Varna, ficando atrás do chileno Tomas Gonzles, que levou o ouro com 14,700, e do ucraniano Petro Pakhniuk, que foi prata com 14,550.

A Seleção Brasileira encerrou a participação na etapa de Varna da Copa do Mundo com cinco ouros e três bronzes. Um ótimo desempenho segundo o coordenador técnico brasileiro, Marcos Goto. “Os resultados mostram que, com notas de partidas altas, somos muito competitivos. Necessitamos melhorar nossa execução e assim alcançar resultados ainda melhores, pois no Campeonato Mundial vamos competir com o que cada país tem de melhor”, declarou Goto à Confederação Brasileira de Ginástica.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 02/09/2017

Uso consciente de água marca o lançamento da Virada do Cerrado 2017

A Praça dos Três Poderes foi palco, na noite de ontem, do lançamento oficial da Virada do Cerrado 2017 com música, teatro, artesanato e muitas atividades com foco no uso consciente da água e da sustentabilidade. O Maria Sabina & a Pêia, agitou o público presente com uma apresentação que mistura rock com ritmos brasileiros, a exemplo do samba, brega e baião. Depois passaram pelo palco os grupos Pé de Cerrado, Dillo e Mamulengo Presepada. Esta é a terceira edição do programa, que termina amanhã com atividades simultaneamente no Plano Piloto e em outras 27 regiões administrativas.

Além das ações socioambientais, os brasilienses poderão participar de projetos nas áreas educativa, esportiva e cultural com foco na recuperação e conservação de nascentes.“A Virada do Cerrado é um evento transformador, pois cria nas pessoas uma consciência que contribuirá para garantir uma cidade melhor para os nossos filhos”, declarou o governador Rollemberg. governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

A Virada do Cerrado é um programa colaborativo promovido pela Secretaria do Meio Ambiente em parceria com instituições e administrações regionais que promovem ações continuadas de capacitação e sensibilização em torno da sustentabilidade ambiental. André Lima, secretário do Meio Ambiente, destacou o envolvimento da população neste ano. “Percebemos que a sociedade se engajou bastante, com uma consciência ambiental comovente. Será uma edição marcante”, declarou o titular da pasta.

Na manhã deste sábado aconteceu o lançamento do projeto “Como Pode um Peixe Vivo”, que tem como objetivo recuperar rios, riachos, ribeirões e córregos das bacias hidrográficas do Distrito Federal. O nome do projeto refere-se a um clássico homônimo do cancioneiro brasileiro que virou referência a Juscelino Kubitschek após seu retorno do exílio na década de 1970.

O símbolo do projeto é o peixe pirá-brasília, espécie que vive exclusivamente no ecossistema do Distrito Federal e que sofre ameaça de extinção devido à degradação dos rios. “Como Pode um Peixe Vivo”, faz parte da programação da Virada do Cerrado e a cerimônia de lançamento ocorreu no Parque Ecológico e Vivencial do Riacho Fundo I, área de preservação ambiental que abriga o maior conjunto de nascentes do Ribeirão Riacho Fundo.

O governador Rodrigo Rollemberg disse que o projeto será um modelo para outras comunidades. “Tenho certeza que o resto do mundo vai ver no Fórum Mundial da Água um exemplo de como a mobilização social e a conscientização podem transformar nossa cidade em um lugar melhor.”

Jane Vilas Bôas, presidente do Ibram, disse que o trabalho de preservação envolve etapas de mobilização social, educação ambiental e melhorias físicas na malha de cursos d’água do DF. “O projeto Peixe Vivo vai melhorar as condições da água, das margens do rio Ribeirão Riacho Fundo e, principalmente, mobilizar a população para ter consciência de ser dona de uma riqueza, porque água é riqueza”, declarou a presidente do Ibram.

Mayra Aguiar é bicampeã do mundo no Judô

Mayra Aguiar ouroMayra Aguiar ouro

A gaúcha de 26 anos, Mayra Aguiar, torcedora do Grêmio, venceu a japonesa Mami Umeki, no "golden score" na final da categoria meio-pesado, até 78 quilos, e conquistou o lugar mais alto do pódio no Mundial de Budapeste.Para chegar ao ouro, Mayra Aguiar já havia passado pela eslovena Klara Apotekar, pela austríaca Bernadette Graf, pela francesa Audrey Tcheuméo e pela japonesa Ruika Sato.

A atleta da Sogipa foi campeã em 2014. Mayra é a primeira mulher da história do esporte do Brasil a ter dois títulos mundiais em uma modalidade individual. Com o segundo ouro ela se iguala ao atleta João Derly e se torna a segunda brasileira a ser bicampeã do mundo no judô.

Mayra Aguiar ouro

Além das medalhas de ouro de 2014 e agora em 2017, Mayra Aguar tem uma de prata, conquistada em 2010 e duas de bronze, em 2011 e 2013, em Mundiais. A atleta também conquistou duas medalhas de bronze olímpicas em 2012 e 2016.

Mayra Aguiar é um orgulho para o Brasil. Parabéns, supercampeã!

 
Coluna Bernadete Alves - dia 01/09/2017

Brasília vista pela Estação Espacial Internacional

Brasilia Brazil ISS

A bordo da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), que está a cerca de 410 Km da superfície, o astronauta russo Sergey Ryazanskiy, de 42 anos, que comanda a missão atual, postou em sua conta no Instagram @sergeyiss, uma linda homenagem a Brasília.

‘Lembra um avião’, comentou o cosmonauta. “A incrível cidade de Brasília do espaço. Imagine, há 60 anos no lugar onde esta enorme cidade se encontra não havia mais nada do que a savana brasileira. Foi construída em apenas 41 meses para substituir o Rio de Janeiro como capital do Brasil. De tal altura é claramente visível um layout incomum da cidade", como um avião, certo?

A foto de Sergey mostra o Plano Piloto de Brasília, elaborado em 1957 pelo arquiteto Lúcio Costa, inicialmente inspirado pelo sinal da cruz. Popularmente, ficou conhecida por ser comparada a um avião. A imagem também mostra o Lago Paranoá e monumentos da área central.

Brasília é dividida em dois eixos: rodoviário e monumental. O Eixo Rodoviário é formado pelas asas Sul e Norte e pela parte central. As asas são áreas compostas basicamente pelas superquadras residenciais, quadras comerciais e entrequadras de lazer. O Eixo Monumental é formado pela Esplanada dos Ministérios e pela Praça dos Três Poderes.

Riocentro sedia a 18ª Bienal Internacional do Livro Rio

A Bienal do Livro Rio é o maior evento literário do país, um grande encontro que tem o livro como astro principal. Uma excelente oportunidade de fazer uma viagem pelo mundo do conhecimento e de conhecer autores consagrados e jovens talentos.

O prefeito Marcelo Crivella disse que a Bienal do Livro Rio é um evento que enobrece, dignifica e engrandece a cidade do Rio de Janeiro. “Aqui, neste ambiente amplo e espaçoso, com esses estandes muito bem elaborados, vão se encontrar 700 mil pessoas em busca de livros, de autores, de poesias, de contos.Isso é fantástico. Daqui surgirão muitas ideias, novos planos de um futuro melhor do que temos hoje. O Rio aplaude e apoia essa iniciativa”, declarou o prefeito, que estava acompanhado da primeira-dama, Sylvia Jane Crivella.

A escritora Ana Maria Machado, imortal da Academia Brasileira de Letras e ícone da literatura infantil no país, foi homenageada neste 1º de setembro, em cerimônia de comemoração dos 80 anos da Política Pública do Livro. Outro homenageado foi o ex-ministro da Educação e Cultura Eduardo Portella, falecido há quatro meses. Participaram da cerimônia os ministros da Educação, Mendonça Filho, e da Cultura, Sérgio Sá Leitão, o presidente da Academia Brasileira de Letras, Domício Proença Filho, e Célia Portella, viúva do ex-ministro.

Ana Maria pediu a retomada de políticas públicas que incentivem a leitura no país. Ela citou programas implementados e já extintos, como o Literatura em Minha Casa, do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), que em 2002, pela primeira vez levou livros para muitas famílias do interior. “A literatura abre os horizontes, porque não está preocupada só em ensinar, em dar informação. Ela torna cidadãos mais conscientes, pessoas mais felizes, mais solidárias com os outros, entendendo a diversidade alheia, o que os outros sentem, sofrem, querem, temem. Porque a literatura permite a você entrar no papel de outro personagem. Isso enriquece muito a experiência da gente, muito mais do que apenas o livro didático.”

“Estamos articulando com os deputados e senadores para que possamos aprovar o Plano Nacional do Livro e da Leitura, que traz uma série de diretrizes, metas e ações. Boa parte delas, a ser executada pelo Ministério da Cultura, mas isso vai nos dar uma base legal para que possamos realizar esse papel importante, que o ministério tem que ter numa política de incentivo ao livro e à leitura. Certamente vai ser um instrumento muito importante para incentivarmos o livro e a leitura no país”, declarou o ministro da Cultura Sá Leitão.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou que além dos livros didáticos enviados às escolas de todo o país, o MEC também investe em livros literários. “Temos um programa nacional de livros paradidáticos e literatura. No ano passado, investimos R$ 100 milhões em livros dedicados ao Programa Nacional na Idade Certa e queremos soltar brevemente novo edital de aquisição de livros de literatura, para estímulo da leitura nas escolas públicas de todo o país. Essa é a política principal.”

Durante onze dias, o Riocentro sedia a festa da cultura, da literatura e da educação. Nos espaços dedicados às atrações, o público pode participar de debates, bate-papos com personalidades e escritores, além das atividades culturais que promovem a leitura. Não se nasce leitor, torna-se. Tudo é construção.

Os organizadores prometem uma programação 40% maior do que a edição anterior, em 2015, com destaque para a literatura nacional. A expectativa é receber um público de cerca de 700 mil pessoas durante os onze dias do evento. Dos 330 autores, a maioria brasileiros como Mauricio de Sousa, Ana Maria Machado, Thalita Rebouças e Frei Betto. Eles participam de mais de 350 horas de atividades de incentivo à leitura e bate-papos, nos espaços batizados de Café Literário, Espaço Jovem, Encontro com autores e Conexão Jovem.

Mesmo com foco nacional, fãs de literatura estrangeira têm à disposição onze autores de best-sellers internacionais que participarão de debates e sessões de autógrafos. Entre eles, a britância Paula Hawkins, autora de A garota do trem, as norte-americanas Karin Slaughter, que escreveu Cega, e Victoria Schwab, de Um tom mais escuro de magia. A portuguesa Sofia da Silva divulgará seu livro Sorrisos Quebrados e a australiana Leisa Rayven vem lançar Mister Romance, primeiro volume de uma nova série.

Na abertura da Bienal o presidente do Sindicato Nacional de Editores de Livros, Marcos Pereira, revelou uma queda "drástica" no número de leitores no país. “ A indústria editorial vive um dos momentos mais dramáticos na sua história. Entre 2015 e 2016, a venda de livros caiu 20%, significando 50 milhões de exemplares a menos nas mãos dos leitores”. Segundo o sindicato, o Brasil é o país latino-americano com o menor número de livros e de livrarias por pessoa.

Com o objetivo de resgatar a literatura como negócio, a feira abre espaço ainda para quem trabalha com literatura, por meio do Encontro Internacional de Profissionais do Livro e o Fórum de Educação, em parceria com outras instituições.

A Bienal do Livro Rio começou há 36 anos nos salões do Hotel Copacabana Palace, e hoje é um evento literário que mobiliza o país e que permite uma maior visibilidade ao mercado editorial brasileiro. A cada edição, o evento supera expectativas de público, vendas e mídia.

A Bienal do Livro Rio 2017 vai até o dia 10 de setembro. Vale a pena conferir porque é diversão para toda a família!

Alan Ruschel marca seu primeiro gol após a tragédia

Roma x ChapecoenseRoma x Chapecoense

O amistoso entre Roma e Chapecoense, realizado hoje no Estádio Olímpico de Roma marcou a volta do sobrevivente do acidente aéreo, Alan Ruschel, aos gramados da equipe, desde novembro de 2016 quando morreram 71 pessoas. O lateral da Chape fez seu primeiro gol aos 10 minutos do segundo tempo na cobrança de pênalti sofrida por Dodô. Ruschel cobrou no canto esquerdo do goleiro Lobont, que não conseguiu defender.

A boa atuação durante o amistoso e o gol simboliza a vitória da vida e uma homenagem as vítimas da tragédia aérea. Além de ser mais uma grande superação para a lista do guerreiro mostra ainda que a Chapecoense pode e se reerguer, mesmo sofrendo tecnicamente diante de gigantes do futebol mundial como o Barcelona e hoje o Roma.

Ao ser substituído, foi muito aplaudido pelos torcedores italianos e ficou emocionado pelo carinho que recebeu em Roma. “Deus vem me abençoando para que isso possa acontecer. Sou grato por me permitir que eu possa fazer o meu melhor sempre”, declarou Alan Ruschel.

“Passa um filme nos milésimos de segundo antes de bater o pênalti. Passa um monte de coisa na cabeça, mistura muitos sentimentos. Estou feliz por ter conseguido converter. O resultado hoje era o que menos importava. Estou feliz pela minha atuação e pelo momento que estou vivendo”, declarou ao Globo Esporte, após o jogo com o Roma.

O gaúcho disse que quer mais e que o próximo passo é brigar pela posição de titular na Chape e ajudar o time a sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.“Vou dando um passo de cada vez, hoje pude atuar um pouco mais. Fui presenteado com o gol. Acredito que estou apto a competir de novo. Agora vou buscar no dia a dia o meu espaço no grupo da Chapecoense, pois a gente precisa se reabilitar no campeonato. O meu foco é esse: treinar bastante e buscar meu espaço no time para poder jogar e ajudar a Chapecoense”.

Roma x Chapecoense

Alan Ruschel foi o capitão do time na partida de hoje e entregou uma camisa 10 da Chapecoense para o ídolo do Roma, Francesco Totti, campeão mundial em 2006. Ruschel foi um dos seis sobreviventes da queda do voo da Lamia, no dia 29 de novembro de 2016 quando a equipe da Chapecoense viajava para Medellín, na Colômbia, para a disputa da final da Copa Sul-Americana. O jogador voltou aos gramados após a tragédia no amistoso com o Barcelona por apenas poucos minutos.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 8 de 225
RocketTheme Joomla Templates