Coluna Bernadete Alves - dia 17/07/2017

Contribuição sindical será opcional na nova Lei Trabalhista

A Reforma Trabalhista aprovada no Senado tornou opcional a contribuição sindical. Isso significa que os trabalhadores e as empresas não são mais obrigados a dar um dia de trabalho por ano para o sindicato que representa sua categoria.

A nova lei trabalhista, a maior alteração da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), desde sua criação, foi sancionada pelo presidente Michel Temer no dia 13 de julho e entrará em vigor em 120 dias. Ou seja, a partir de meados de novembro a contribuição não é mais obrigatória para empresas e trabalhadores formais. Portanto, o desconto não será automático em 2018.

A contribuição para os sindicatos era feita uma vez ao ano, obrigatoriamente, tanto para funcionários de empresas quanto para autônomos e liberais. Entre os trabalhadores, havia o desconto equivalente a um dia de salário. Esse débito era feito em abril, na folha referente aos dias trabalhados em março.

Para os empregadores, o imposto sindical também era obrigatório, mas com uma forma de cálculo diferente. Ele era cobrado sempre em janeiro, com base no valor da empresa no ano anterior. É calculado um percentual sobre o valor da empresa para determinar a quantia a ser paga como imposto sindical. Esse percentual diminui conforme aumenta o valor da empresa – ou seja, proporcionalmente, quanto menor a empresa, mais imposto era pago.

O valor é destinado às centrais sindicais que representam a categoria e coparticipantes. Do total arrecadado, 5% é destinado às confederações, 10% para as centrais sindicais, 15% para as federações, 60% para o sindicato de base e 10% para uma conta especial emprego e salário – uma conta mantida na Caixa Econômica Federal usada para custeamento de vários tipos de programas sociais. As empresas que não pagam o imposto sindical ficam impedidas de ter contratos com o poder público, participar de licitações e podem até ter o alvará de funcionamento negado.

A Contribuição Sindical foi instituida desde a epoca de Getúlio Vargas e se destinava a garantir a existência de uma estrutura sindical forte e independente. Agora o trabalhador paga o imposto sindical apenas se quiser. Se optar por fazer a contribuição, precisa informar ao empregador que autoriza expressamente a cobrança sobre sua folha de pagamento. A empresa só poderá fazer o desconto com a permissão do funcionário. O mesmo vale para o empregador. A contribuição também passa a ser facultativa para as empresas.

Enquanto o imposto sindical que beneficia trabalhadores e patronais foi extinta pela nova Lei Trabalhista, a contribuição compulsória ao Sistema S, cujo montante rende às entidades patronais cerca de R$ 20 bilhões por ano, ficou intocável. Pelo aspecto legal e pela ética houve questionamento de senadores. O senador Ataíde Oliveira do PSDB/TO, critica a contribuição compulsória e a arrecadação indireta. O senador reclama que o dinheiro do Sistema S, mesmo sendo um tributo e tendo destinação social, não entra no orçamento da União.

O senador apresentou duas emendas ao projeto de LDO para 2018 propondo incluir as receitas do Sistema S na Lei Orçamentária Anual e aprimorar as regras de transparência das entidades. Ambas as emendas foram rejeitadas. O senador Ataíde Oliveira também apresentou emenda ao Projeto da Reforma Trabalhista para acabar com a obrigatoriedade da contribuição. Mas, como de costume, a proposta não prosperou.

O deputado federal Miro Teixeira do PDT/RJ lembra que na Constituinte de 1988 tentaram mexer no Sistema S e que o poderoso lobby empresarial no Congresso impediu qualquer alteração no modelo. “Alguns dirigentes dessas entidades são mais poderosos do que muito político.Há um silêncio que protege o sistema”, declara o parlamentar.

A explicação do Sistema S ficado de fora da nova legislação trabalhista, está no fato da contribuição compulsória ou sindical, recolhida pelas empresas para os cofres do Senai e do Sesi tem amparo na legislação dos anos 1940, no Governo Vargas e corresponde a um percentual da folha de pagamento de empresas de vários setores. O percentual varia de 0,2% a 2,5% sobre o montante da remuneração paga aos empregados.

O Sesi e o Senai foram criados com a função de qualificar os trabalhadores da indústria e o Sesc e o Senac, os do comércio. Ambos tem o compromisso de também promover atividades de educação e cultura para os trabalhadores. A Confederação Nacional da Indústria que administra o Senai e o Sesi;e a Confederação Nacional do Comércio que administra o Sesc e Senac.

Ao longo dos anos o Sistema S cresceu e passou a contemplar Transportes (Sest e Senat), Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Setor Rural (Senar), Cooperativismo (Sescoop), Exportação (Apex) e Desenvolvimento (ABDI).

 
Coluna Bernadete Alves - dia 16/07/2017

Casca de coco tem potencial energético

O Brasil possui cerca de 100 mil hectares de coqueiro-anão, destinados à produção do fruto verde para o consumo da água-de-coco. As cascas do coco verde correspondem a 80% do peso bruto do fruto. No entanto, ao contrário das cascas de coco seco que são utilizadas tradicionalmente para a produção de pó e fibra, o resíduo do coco verde é descartado. O material vem sendo disposto em aterros e lixões, o que vem provocando um enorme problema aos serviços municipais de coleta de lixo, em função, principalmente, do grande volume.

Para amenizar este problema o físico Vadson Bastos do Carmo, em tese de doutorado na Unicamp sobre biomassas, resolveu pesquisar a casca do coco verde e descobriu que tem potencial energético. O pesquisador constatou que a casca do coco verde pode produzir eletricidade equivalente ao bagaço de cana, já utilizado em várias usinas de álcool.

Segundo Vadson Bastos do Carmo o uso da casca do coco, que é um dos maiores geradores de resíduos de alimentos nas grandes cidades brasileiras, poderia ser usado em geradores de energia urbanos. O pesquisador avaliou em seu estudo a viabilidade do uso de casca de coco e outros resíduos em um gerador da Ceasa Campinas, que liga o equipamento movido a óleo diariamente no final da tarde e início da noite para economizar energia.

“Com algumas adaptações, essa biomassa poderia ser usada nos grandes centros. Além de economizar energia para o consumidor, o uso desse sistema teria ganhos ambientais e poderia até diminuir o custo da energia elétrica em geral”, avalia. Essa energia de biomassa poderia substituir a cara eletricidade das termoelétricas a óleo diesel acionadas em época de estiagem.

Vadson calcula que se todas as usinas de açúcar do país começassem a gerar energia a partir do bagaço e outras biomassas, o que já ocorre em algumas, elas poderiam ter uma produção equivalente a 23% do que a usina Itaipu fornece atualmente.

Os brasileiros consomem a água de dois bilhões de cocos por ano, que geram toneladas de resíduos diariamente. São milhões de toneladas de casca descartadas na natureza. Como a casca do coco é composta de fibras muitos duras, difíceis de decompor, acabam prejudicando o meio ambiente.

A tecnologia de processamento das cascas de coco verde foi desenvolvida pela Embrapa Agroindústria Tropical e pode ser implementado em todas as áreas produtoras de coco no território nacional. Especialistas da Embrapa sugerem aproveitar estas cascas para preparar um composto usando técnicas e equipamentos específicos para o serviço. A transformação da casca de coco em composto orgânico, passa por um processo de compostagem diferente de resíduos de fácil biodegradação. Depois de pronto, o composto torna-se um produto rico em matéria orgânica para a recuperação do solo, adubação de pastagem, hortaliças, plantas medicinais e em qualquer tipo de lavoura.

A Embrapa oferece gratuitamente a cartilha “Tecnologia para Biodegradação da Casca de Coco Seco e de Outros Resíduos do Coqueiro”.

Nevasca incomum do Chile deve chegar ao Brasil amanhã

Santiago, capital do Chile, foi atingida por uma forte nevasca, em praticamente todos os bairros, com quedas de árvores, acidentes de trânsito e interrupção de energia de 202,000 clientes. A cidade chilena amanheceu coberta por um manto branco, com até 10 centímetros em algumas regiões, após a intensa tempestade de neve que caiu durante a madrugada, formando uma paisagem incomum para os 7 milhões de habitantes. A previsão para os próximos dias é de que não haverá mais neve na zona central do Chile, mas os termômetros continuarão com temperaturas abaixo de zero.

Nas redes sociais, enquanto chilenos publicavam imagens da neve inesperada, brasileiros comemoravam: há possibilidade de que a massa polar que causou o fenômeno inesperado chegue ao país. Segundo dados do Climatempo, em Santa Catarina, a neve já cobre a estrada em Urubici, na Serra Catarinense. O local foi um dos mais afetados pelas baixas temperaturas.

Para amanhã a previsão é de neve a qualquer hora do dia e da noite na segunda-feira, na cidade de Urupema, São Joaquim, também no estado, terá mínima de -3ºC negativos no início da semana.

A previsão do Inmet para Brasília é de frio ao longo da semana, devido a uma massa de ar polar que está se deslocando da Argentina e fará com que a temperatura mínima no DF seja de 10º C.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 15/07/2017

Cafeína pode melhorar função respiratória de bebês prematuros

Análise feita por cientistas do Royal Women’s Hospital, em Melbourne, na Austrália, comprovou que os bebês prematuros que recebem o componente químico apresentam um desempenho significativamente melhor em testes que medem sua capacidade respiratória durante a infância.

Os pesquisadores analisaram 142 jovens de 11 anos que foram previamente matriculados no estudo intitulado 'Cafeína para Apnéia da Prematuridade'. O resultado comprovou que os bebês que foram tratados com cafeína tiveram melhores respostas do aparelho respiratório do que os que não receberam a substância.

Todos os participantes do estudo nasceram com as características de bebês prematuros muito debilitados. A partir daí, eles foram separados em dois grupos onde alguns foram tratados com cafeína e outros com placebo por 43 semanas.

Dr. Lex Doyle, autor principal da pesquisa, explica como o componente químico é capaz agir. "Estudos anteriores mostraram que essa substância, que pertence a um grupo de drogas conhecidas como metilxantinas, reduz a apneia da prematuridade, uma condição em que o bebê para de respirar por vários segundos”.

Pesquisas já apontavam, que a cafeína pode melhorar a função pulmonar na vida adulta, quando ingerida nos primeiros dias de vida. E que a substância atua como um estimulante capaz de melhorar as taxas respiratórias de curto prazo e a capacidade de alongamento e expansão dos pulmões. Esses benefícios foram associados a uma necessidade reduzida de uso de aparelhos eletrônicos que auxiliam a respiração.

O cientista Doyle também ressalta que as análises com o estudo da cafeína deverão continuar para "identificar os participantes com maior risco de desenvolver distúrbios respiratórios graves na idade adulta”.

Depois de um estudo comprovar que beber café pode ajudar a prolongar a vida, agora é a vez de a ciência mostrar que a substância contida na bebida também tem seus benefícios para os bebês. Mais especificamente, os prematuros.

Pessoas com necessidades especiais ganham estação de ginástica

O governo de Brasília inaugurou hoje no Parque da Cidade uma estação de ginástica ao ar livre para pessoas com deficiência. O objetivo é proporcionar bem-estar e condicionamento físico para as pessoas com necessidades especiais. Isso foi possível graças a parceria da Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer com o Banco Santander.

A estrutura, que fica próximo ao Estacionamento 13 e ao Quiosque do Atleta no Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, foi revitalizada com piso de borracha, calçamento com acessibilidade e conjuntos de mesa e banco. A inauguração teve uma mesa de café da manhã, DJs e aulão de crossfit.

Batizada de Mude (Mobiliário Urbano Desportivo), Periodicamente, um furgão equipado estacionará no espaço para oferecer aulas gratuitas de treinamento funcional. Os horários poderão ser vistos no aplicativo Mude, no qual será possível agendar a participação.

Segundo o sócio fundador da Mude, Marcus Moraes, esse espaço receberá, a partir da próxima segunda-feira (17), aulas gratuitas de treinamento funcional. “Além de poder se exercitar sozinho, a pessoa vai poder ter um local com contato com profissional de educação física, que pode orientá-la”, explicou.

As aulas são inclusivas e ministradas por profissionais especializados. Os interessados podem consultar os dias e os horários pela internet e ir ao local ou fazer a reserva pelo aplicativo da empresa para celular. Brasília é a segunda região do País a receber a iniciativa, que já ocorre no Rio de Janeiro e será expandida para outras três capitais.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, diz que outras seis estações adaptadas serão instaladas em outros locais a serem definidos. “Temos buscado cada vez mais intensificar as nossas relações com a iniciativa privada, e isso aqui é um exemplo disso”, disse o secretário adjunto de Turismo, Jaime Recena.

Brasileiro Marcelo Melo conquista Wimbledon

O sonho do mineiro Marcelo Melo, 33 anos, 2,03 metros de altura, era vencer Wimbledon o torneio mais antigo e prestigioso do esporte. O sonho do número um do mundo se tornou realidade neste sábado depois de uma dramática final que durou 4 horas e 39 minutos. Melo e Kubot venceram o austríaco Oliver Marach e o croata Mate Pavic na mais longa decisão de duplas desde 1992.

A parceria entre o brasileiro e o polonês Lukasz Kubot impressionou a crítica internacional. A dupla já era a melhor da temporada antes de Wimbledon e agora se distancia mais dos rivais do tênis depois desta espetacular vitória. Melo e Kubot tiveram domínio total nos torneios de grama: três títulos e 14 vitórias seguidas.

O brasileiro dono de dois troféus de Grand Slam fica atrás apenas de Maria Ester Bueno e de Guga em relevância histórica para o tênis brasileiro. A conquista de hoje representa o fim de um jejum de 51 anos para o Brasil. Maria Esther Bueno, dona de oito troféus no Slam britânico (três em simples), venceu pela última vez em 1966, nas duplas femininas. A melhor campanha em simples entre os homens foi quartas de final, por quatro vezes. A última delas com André Sá, em 2002.

“Não tenho palavras para descrever o sentimento depois do jogo. Ainda vou precisar de um tempo para digerir este grande feito que eu tive a sorte de conquistar”, declarou o campeão. Melo ostenta 27 títulos de duplas em sua carreira.

O tenista Marcelo Melo é um orgulho para o Brasil! Parabéns!

 
Coluna Bernadete Alves - dia 14/07/2017

França usa fezes para combater bactéria Clostridium

A França vem desde 2013 utilizando procedimento com fezes para combater a bactéria Clostridium difficile, responsável por provocar fortes diarreias e dores de barriga. Mesmo parecendo estranho, a técnica já é reconhecida pela Agência Nacional de Medicamentos francesa, e faz parte dos procedimentos normais em 30 hospitais do país. O chamado “transplante de fezes” funciona a partir do recolhimento de amostras de cerca de 100 bilhões de microrganismos que fazem parte da flora intestinal de pessoas saudáveis e, com isso, é realizada a introdução dessas substâncias no tubo digestivo dos doentes por uma colonoscopia.

O gastroenterologista francês Harry Sokol, fundador do Grupo Francês do Transplante de Fezes, disse em entrevista à agência RFI, que o procedimento é eficaz e que a taxa de cura para quem sofre com a bactéria Clostridium é de 90%. “Na prática, usamos as fezes de um doador, que será selecionado. Essa é a etapa mais complicada: achar o bom doador. Vai depender de sua história, seus antecedentes, dos remédios que toma. Depois faremos vários exames, para procurar agentes infecciosos no sangue e nas fezes. Depois disso, as fezes são misturadas ao soro fisiológico e os resíduos são filtrados. O resultado pode ser usado na mesma hora, ou congelado a uma temperatura de -80º. Assim, o transplante pode ser feito por meio de uma colonoscopia ou sonda que vai até o duodeno e deposita o conteúdo”.

Sokol afirma que o transplante de fezes é a alternativa que promete fazer uma grande revolução na vida de muitos pacientes. A técnica poderá servir também para cuidar do organismo que sofre de doenças digestivas mais graves. “Atualmente, é preciso que a pessoa seja internada para receber a substância, mas a ideia é que, em breve, o tratamento seja uma questão ambulatorial”. De acordo com o especialista, o método é bem aceito pela população que, inclusive, costuma solicitar o tratamento.

A novidade francesa já está sendo testada para curar patologias como a doença de Crohn, que é conhecida por um inflamação grave no intestino, capaz de causar necrose e é mais comum em jovens.Os médicos estão animados para que as respostas ao transplante sejam positivas. “Teremos os primeiros resultados dos estudos no fim do ano. Mas, infelizmente, embora as pesquisas mostrem um resultado positivo no caso da doença de Crohn, para que o tratamento seja validado e possa ser usado no cotidiano precisamos de tempo”, pondera o gastroenterologista Harry Sokol.

Outros 155 estudos relacionados à flora intestinal estão sendo feitos no mundo envolvendo outras doenças, como diabetes, obesidade, síndrome do intestino irritável e efeitos da quimioterapia no intestino ou patologias autoimunes. Uma esperança para milhares de pacientes.

Record volta à “guerra” com rede de televisão consagrada

A rede Record do Bispo Edir Macedo promete levar ao ar no próximo domingo, dia 16, uma reportagem que pode colocar a Globo no meio da operação Lava Jato. “O ‘Domingo Espetacular’ vai mostra os detalhes da delação premiada que pode revelar a participação de uma emissora de TV no meio do escândalo da Operação Lava Jato”, diz a Record em seu site.

Âncora do jornalístico dominical da emissora, Paulo Henrique Amorim anuncia a reportagem na TV, mas sem citar nomes. “Os detalhes da delação premiada que pode colocar um grande grupo de comunicação no meio do escândalo da operação Lava Jato. O ex-ministro Antonio Palocci negocia contar tudo ao juiz Sergio Moro”, diz o jornalista, enquanto mostram imagens da Globo. A reportagem tem cerca de 30 minutos que, além das supostas acusações da delação de Palocci, fala sobre suposto envolvimento da poderosa emissora de televisão em ilegalidades na Copa do Mundo realizada no Brasil em 2014.

A comunicação em todos os setores da atividade humana vem adquirindo importância estratégica e não é diferente na televisão.É primordial manter a clareza das informações, a fidelidade e o compromisso ético com a sociedade. O direito a informação vem se consolidando como um valor dentro das sociedades democráticas e os cidadãos estão reconhecendo essa conquista. O que não pode é fazer sensacionalismo em cima da expectativa do telespectador.

Detran-DF oferece curso gratuito de mecânica

O Núcleo de Formação e Cursos de Trânsito, do Departamento de Trânsito do DF, oferece gratuitamente um curso de mecânica para que os condutores possam aprender mais sobre o funcionamento de veículos. O Detran-DF proporciona há dez anos o Curso de Mecânica para Mulheres e agora amplia sua oferta para todos os motoristas interessados.

O curso do mês de julho começa na segunda-feira, dia 17e as vagas estão esgotadas. As matrículas para as turmas de 7 a 11 de agosto, estão abertas e podem ser feitas pessoalmente na Escola Pública de Trânsito, na 706/906 Sul das 7h30 às 18h30. É preciso levar documento oficial com foto. O Detran-DF disponibiliza 30 vagas e o curso vai das 18h30 às 22 horas.

A carga horária corresponde a 20 horas/aula. No curso, os alunos aprendem noções básicas da mecânica de um carro, como conhecer as peças e identificar possíveis barulhos no veículo.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 13/07/2017

Senado valida os incentivos fiscais concedidos pelos estados e DF

Após três anos de tramitação, o Plenário do Senado aprovou, por 50 votos a favor e nenhum contra, na noite de ontem, o substitutivo nº 5/2017 da Câmara dos Deputados que prevê a convalidação de incentivos fiscais concedidos pelos estados e o Distrito Federal a empresas e indústrias. Originalmente encaminhado no início de 2015, o PLS 130/2014-Complementar, de autoria da senadora Lúcia Vânia, passou por modificações nas mãos dos deputados, que o aprovaram na forma de um substitutivo (SCD 5/2017), agora confirmado pelos senadores. O texto permite que os estados e o DF possam dar incentivos convalidados por outra unidade da mesma região. A matéria segue para a sanção presidencial.

O projeto trata da regularização de incentivos, isenções e benefícios fiscais oferecidos pelos estados ao longo dos anos em desacordo com a legislação vigente. As unidades da Federação buscaram, com isso, atrair empresas e indústrias para gerar empregos e crescimento econômico. A competição entre os estados por esses investimentos, com o uso dos incentivos como instrumento, passou a ser conhecida como "guerra fiscal". A proposta tem o objetivo de dar fim à guerra fiscal, criando regras mais flexíveis para esses incentivos fiscais, e, ao mesmo tempo, garantir aos estados que já contam com empreendimentos atraídos através dessa prática a sua continuidade.

De acordo com o texto aprovado, não é mais necessário que um estado obtenha concordância unânime de todos os membros do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para conceder um incentivo fiscal. A partir de agora, será necessária a anuência de dois terços dos estados. Esse total deverá ser distribuído nacionalmente, com pelo menos um terço dos estados de cada região do país concordando com a concessão.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, celebrou a aprovação e disse que a liberação dos incentivos será positiva para as populações dos estados beneficiados, que terão mais oportunidades para o desenvolvimento econômico. Ele lembrou o fato de que a matéria foi aprovada na última sessão deliberativa antes do recesso parlamentar. “Estou muito feliz porque o Plenário desta Casa, no encerramento do semestre, votou uma das suas matérias mais importantes”, afirmou o presidente.

A senadora Lúcia Vânia, do PSB-GO, autora da proposta original, destacou o papel do ex-senador Luiz Henrique (1940-2015), que foi o relator do texto primeiramente aprovado pela Casa. Luiz Henrique faleceu um mês após a primeira aprovação do projeto no Senado. Outra mudança efetuada pela Câmara garante que a desoneração garantida a empresas e indústrias pelos incentivos fiscais dos estados não será tributada de outra forma. Um dos dispositivos acrescentados estabelece que esses incentivos sejam considerados como subvenções para investimento. Dessa forma, eles não são computados dentro do lucro real das empresas, e, assim, não entram no cálculo da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg , foi um dos líderes da articulação da medida junto aos governos estaduais, e disse que a decisão dos senadores é “uma vitória histórica de Brasília”. Segundo o governador, a medida trará impulso econômico importante à economia local. “Me empenhei pessoalmente na aprovação dessa matéria. Agradeço aos senadores que votaram a favor. Isso significa mais investimentos no DF, mais empregos, mais qualidade de vida”, disse Rollemberg. “Isso é fundamental para evitar a saída de empresas de Brasília e permitir a volta daquelas que foram embora por não terem aqui os mesmos incentivos que recebem em outros estados”, concluiu Rollemberg.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 12/07/2017

Iceberg gigantesco se desprende da Antártida

A rachadura registrada em novembro de 2016, no segmento Larsen C, a maior plataforma de gelo da Antártida, se desprendeu totalmente neste 12 de julho de 2017, segundo comunicado dos especialistas do projeto Midas, da Universidade Swansea, do País de Gales. Eles afirmaram que o desprendimento aconteceu entre 10 e 12 de julho. A informação é da Agência Télam.

O iceberg de 5,8 mil quilômetros quadrados, pesa mais de um trilhão de toneladas, tem área 3,8 vezes maior que a cidade de São Paulo, e maior que todo o Distrito Federal, segundo os cientistas do Midas que vigiavam sua evolução. O iceberg de trilhões de toneladas é considerado um dos maiores da história e a ruptura altera o mapa do continente gelado. O desprendimento pode fazer com que a plataforma de gelo Larsen C se torne instável e, eventualmente, segundo os cientistas, colapse.

Rupturas de icebergs na Antártida fazem parte de um ciclo natural. O gelo constantemente avança sobre o oceano. Como resultado, a plataforma de gelo cresce em média 700 metros por ano. Em algum momento, uma parte dela se separa, reiniciando o ciclo. Por isso, cientistas afirmam que a formação deste novo iceberg não está necessariamente ligada às alterações climáticas. Eles lembram que ao norte, duas plataformas menores já passaram por esse processo.

A Larsen A desapareceu em 1995. Sete anos depois, a Larsen B entrou em colapso. Os cientistas atribuem esses dois colapsos e o recuo de várias plataformas de gelo da Antártida nas últimas décadas ao aquecimento global. "O colapso de Larsen A e de Larsen B foi associado ao aumento das temperaturas do oceano na Península Antártica", disse a geofísica Daniela Jansen, do Instituto Alfred Wegener de Pesquisa Polar e Marinha em Bremerhaven, na Alemanha. "A questão agora é se a tendência vai se espalhar para o sul e desestabilizará também a Larsen C”, acrecentou. Jansen disse que o iceberg não aumentará os níveis globais do mar. "É como cubos de gelo num copo de água. Eles não aumentam a quantidade de água no copo quando derretem.

"Embora o novo iceberg tenha pouco ou nenhum impacto imediato na região, na biodiversidade ou nos níveis do mar, os cientistas estão preocupados com os efeitos a longo prazo da separação. O iceberg está agora à deriva no Mar de Weddell. Os cientistas estão preocupados que o colapso das plataformas de gelo, assim como das camadas de gelo sobre a terra, possa desestabilizar as geleiras na Antártida Ocidental. A camada de gelo sobre a terra da Antártida Ocidental contém água congelada suficiente para aumentar o nível do mar em cerca de 6 metros caso derreta. As imagens são de John Sonntag/Nasa.

Senado aprova reforma trabalhista

Os senadores aprovaram no fim da noite de ontem, por 50 votos a 26, a reforma trabalhista depois de mais de 11 horas de sessão, marcada por tumultos em plenário. A oposição alegava que a reforma retira direitos e precariza as condições e relações de trabalho e por isso deveria ter algumas mudanças. Os parlamentares apresentaram três sugestões, para proibir que grávidas e lactantes trabalhem em locais insalubres, mas os senadores da base do governo rejeitaram.

Durante o encaminhamento da votação, parlamentares de oposição voltaram a criticar a reforma. A senadora Vanessa Grazziotin, do PCdoB-AM, alertou para a possibilidade de trabalhadores serem substituídos por pessoas jurídicas. Ela afirmou que a medida provoca a perda de direitos. O senador Benedito de Lira, do PP-AL, defendeu a proposta, argumentando que os direitos assegurados na Constituição não podem ser alterados por um projeto de lei, logo não seriam atingidos com a reforma.

O senador Eduardo Amorim, do PSDB-SE, criticou a reforma trabalhista. Amorim criticou diversos pontos da reforma, como a possibilidade de as negociações trabalhistas terem mais força do que a legislação, a figura do trabalho intermitente, e a possibilidade de mulheres grávidas trabalharem em ambientes insalubres, mediante autorização de um médico. “Por tudo isso é que com consciência e com coerência, senhor presidente, eu digo ‘não’ à reforma trabalhista que se tenta impor ao trabalhador brasileiro. Uma reforma trabalhista que consiste num retrocesso histórico enorme e que por isso mesmo não merece o nosso apoio”,disse o senador.

Como os destaques apresentados pela oposição foram rejeitados a reforma agora segue para sanção do presidente Michel Temer. Depois da publicação no "Diário Oficial da União", pela Presidência da República, haverá um prazo de quatro meses para a entrada em vigor das novas regras.

O texto base foi enviado pelo governo no ano passado, e muda parte da Consolidação das Leis do Trabalho e prevê dentre tantas mudanças que a negociação entre empresas e trabalhadores prevalecerá sobre a lei em pontos como parcelamento das férias, flexibilização da jornada, participação nos lucros e resultados, intervalo de almoço, plano de cargos e salários e banco de horas.

A jornada parcial poderá ser de até 30 horas semanais, sem hora extra, ou de até 26 horas semanais, com acréscimo de até seis horas. Neste caso, o trabalhador terá direito a 30 dias de férias. As férias poderão ser parceladas em até três vezes. Nenhum dos períodos pode ser inferior a cinco dias corridos e um deles deve ser maior que 14 dias. As férias não poderão começar dois dias antes de feriados ou no fim de semana.

O intervalo para o almoço, poderá ser reduzido em 30 minutos, se houver acordo coletivo ou convenção coletiva.Este tempo deverá ser descontado da jornada de trabalho. O trabalhador que almoçar em 30 minutos poderá sair do trabalho meia hora mais cedo.

As empresas poderão contratar autônomos e, ainda que haja relação de exclusividade e continuidade, o projeto prevê que isso não será considerado vínculo empregatício. A proposta também regulamenta o chamado home Office, o trabalho em casa. A contribuição sindical deixará de ser obrigatória. Caberá ao trabalhador autorizar o pagamento aos sindicatos das suas categorias.

Não poderão ser negociados o FGTS, salário mínimo, 13º salário, seguro-desemprego, benefícios previdenciários, licença-maternidade e normas relativas à segurança e saúde do trabalhador.

Senadores que votaram contra a reforma trabalhista: do PMDB, Eduardo Braga (AM), Kátia Abreu (TO), Renan Calheiros (AL)e Roberto Requião (PR); do PSDB Eduardo Amorim (SE), do  PTC Fernando Collor (AL), do PV Álvaro Dias (PR), Sem partido Reguffe (DF), do PODEMOS Romário (RJ), do PSD Otto Alencar (BA), do PCdoB Vanessa Grazziotin (AM), do PDT Ângela Portela (RR), do PTB Telmário Mota (RR), da REDE Randolfe Rodrigues (AP), do PSB Antonio Carlos Valadares (SE), João Capiberibe (AP) e Lídice da Mata (BA), do PT Fátima Bezerra (RN), Gleisi Hoffmann (PR), Humberto Costa (PE), Jorge Viana (AC), José Pimentel (CE), Lindbergh Farias (RJ), Paulo Paim (RS), Paulo Rocha (PA)e Regina Sousa (PI).

O senador Cristóvam Buarque do PPS/DF votou a favor do texto-base da reforma trabalhista e o senador Hélio José do PMDB/DF não compareceu à sessão.

Paris e Los Angeles vão sediar os Jogos Olímpicos de 2024 e 2028

O Comitê Olímpico Internacional antecipou as cidades-sede que receberão os Jogos Olímpicos de 2024 e 2048, durante reunião em Lausanne, na Suíça, onde os membros do COI estiveram reunidos para ouvir a defesa das candidaturas por autoridades dos países interessados. A definição das novas cidades sedes aconteceu pois os membros do COI optaram por atribuir não apenas uma edição, mas duas, premiando as candidaturas que persistiram até o final do processo de disputa pelo evento de 2024.

Assim que Paris, na França, e Los Angeles,nos Estados Unidos, serão as próximas cidades-sede. Embora ambas as cidades já tenham ressaltado priorizar a realização dos Jogos de 2024, um acordo entre o COI e as administrações de Paris e Los Angeles não está descartado para que a escolha seja consensual. Assim uma das metrópoles receberia uma compensação financeira para aguardar até 2028.

A tendência é que Paris, que realizou os Jogos Olímpicos de 1924 seja escolhida para realizar o evento um século depois. O presidente da França, Emmanuel Macron,disse que o país está se engajando pela realização da Olimpíada de 2024, porque o local em que será construída a Vila Olímpica é um loteamento de apartamentos sociais, para população de baixa renda, e deverá ser construído e entregue nos próximos sete anos.

Segundo Macron, Paris tem a maior parte da infraestrutura esportiva já construída e os Jogos Olímpicos não gerarão custos excessivos. Além disso, lembrou a emergência de partidos extremistas, de movimentos xenofóbicos e de grupos terroristas que ameaçam os valores do Ocidente.“Vim apoiar a equipe e dizer a que ponto esses Jogos são importantes para a França. Por duas razões: a França está pronta e os valores olímpicos, que são os nossos, estão sendo ameaçados, e é um ótimo momento para defendê-los”, argumentou, para depois enfatizar:

“Os Jogos são um momento de tolerância, Justiça, de respeito ao meio ambiente, valores que Paris defenderá 100 anos após os Jogos Olímpicos de 1924 em Paris”, completou.O presidente da França, Emmanuel Macron, estava acompanhado da prefeita de Paris Anne Hidalgo e da ministra dos Esportes, Laura Flessel.

A confirmação definitiva acontecerá no dia 13 de setembro, em Lima, no Peru, durante a assembleia do COI. Na ocasião também será colocada em votação a indicação do sul-coreano Ban Ki-moon, ex-secretário-geral da ONU, para presidir a Comissão de Ética da entidade. Ban foi secretário-geral das Nações Unidas entre 2007 e 2016 e, segundo o COI, “é um forte defensor da importância do esporte para enfrentar os desafios globais” do planeta. O alemão Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico, elogiou o sul-coreano, em comunicado, garantindo que se trata de “um exemplo de integridade e transparência”.

Na última sexta-feira o Comitê Olímpico Internacional, anunciou o fim de uma parceria de 41 anos com o McDonald’s. A rede americana de fast-food deixou de ser patrocinador oficial dos Jogos Olímpicos, três anos antes do fim do contrato. O McDonald’s era patrocinador do COI desde 1976 e detinha os direitos exclusivos sobre “serviços de comida por varejo” em eventos da entidade. A última renovação de contrato tinha prazo de oito anos e o vínculo deveria ser encerrado somente em 2020, nos Jogos de Tóquio. A empresa decidiu antecipar o fim do patrocínio.

A empresa americana fazia parte do grupo de 13 patrocinadores que, juntos, injetam mais de 1 bilhão de dólares a cada ciclo olímpico, com contrato vigente até o fim dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang de 2018 e a Olimpíada de verão de Tóquio, em 2020.

De acordo com o diretor de marketing do COI, Timmo Lumme, o McDonald’s encerrou a parceria por “estar com foco em diferentes prioridades de negócio”. A entidade não revelou detalhes sobre o fim do contrato e afirmou que o acordo de término do vínculo é confidencial.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 11/07/2017

Dia Mundial da População chama atenção para saúde reprodutiva

Com o tema de 2017 "Planejamento Familiar: Empoderando Pessoas, Nações em Desenvolvimento", o Conselho Diretor do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento destaca a importância do acesso a métodos seguros de contracepção. Segundo dados da Federação Internacional de Planejamento Familiar/Região do Hemisfério Ocidental (IPPF/RHO), cerca de 225 milhões de mulheres em países em desenvolvimento, para evitar a gravidez utilizam métodos inseguros de contracepção. Muitas delas não têm acesso à informação ou a serviços em suas próprias comunidades. A maioria das mulheres nessas condições vive nos 69 países mais pobres do mundo.

As Nações Unidas ressaltam que o acesso ao planejamento familiar seguro e voluntário é um direito humano. Este é também um tema central para a igualdade de gêneros e a autonomia das mulheres, além de ser um fator-chave na redução da pobreza. Saúde e direitos reprodutivos são essenciais para o desenvolvimento sustentável e para a redução da pobreza. E investir no acesso à saúde reprodutiva é um investimento fundamental nas sociedades saudáveis e um futuro mais sustentável.

Dedicar um dia para comemorar a população surgiu quando a população mundial chegou a 5 bilhões de pessoas no dia 11 de julho de 1987. Aquele marco histórico motivou o Conselho Diretor do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) a criar, dois anos depois, o Dia Mundial da População. A partir daí é celebrado anualmente e a data alerta para a importância das questões populacionais no contexto dos planos e programas de desenvolvimento, e a necessidade de encontrar soluções para estas questões.

Este ano, a data coincide com a abertura do Encontro de Cúpula sobre Planejamento Familiar, realizado em Londres, no Reino Unido. A reunião é organizada pelo Departamento Britânico para Desenvolvimento Internacional, Dfid, a ONU, a Fundação Bill & Melinda Gates, e a FP2020, entre outros parceiros. O encontro em Londres neste Dia Mundial da População será o segundo da Iniciativa Planejamento Familiar 2020 ou FP2020. A meta da organização é levar o planejamento familiar a mais 120 milhões de mulheres até 2020.

A organização não governamental Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação - Cepia –,em parceria com a IPPF/RHO, divulgou, este ano, uma pesquisa inédita sobre o tema. O estudo mostra que o Brasil tem o pior desempenho em educação sexual, quando comparado a outros quatro países latino-americanos: México, Argentina, Colômbia e Chile. A pesquisa “Barômetro Latino-Americano sobre o Acesso das Mulheres a Métodos Contraceptivos Modernos,foi feita no final de 2015 e ouviu 20 especialistas de cada país, dos setores público e privado.

Na ocasião foram avaliados fatores como o desenvolvimento de políticas e estratégias; a sensibilização geral sobre saúde e os direitos reprodutivos; bem como a educação integral de saúde e direitos sexuais e reprodutivos. Entre os itens observados, estão também a educação e o treinamento dos profissionais dos serviços de saúde; a prestação de aconselhamento individual e serviços de qualidade; a existência de planos de reembolso; a prevenção à discriminação e o empoderamento das mulheres por meio do acesso aos contraceptivos.

No Brasil, o Ministério da Saúde, disponibiliza gratuitamente para a população preservativo masculino e feminino, pílula combinada, anticoncepcional injetável mensal e trimestral, dispositivo intrauterino com cobre (DIU T Cu), diafragma, anticoncepção de emergência e minipílula. As autoridades de saúde dizem que a escolha do método contraceptivo deve ser feita conjuntamente com o médico, considerando as particularidades de cada mulher e respeitando as indicações. Para quem não pode usar os métodos hormonais, há ainda os de barreira (preservativo, diafragma, DIU de Cobre), os métodos naturais (coito interrompido, tabelinha, métodos de observação da fertilidade) e os definitivos ou cirúrgicos como a vasectomia e a laqueadura.

O Doutor em demografia, José Eustáquio Diniz Alves, professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas,diz que é preocupante saber que a população mundial deve crescer em 1 bilhão de pessoas entre 2017 e 2030 e pode crescer mais de 5 bilhões de habitantes no século XXI (era de 6 bilhões em 1999 e deve chegar a 11,2 bilhões em 2100). Mais preocupante ainda é saber que o padrão de produção e consumo vai crescer em nível superior. A manutenção do modelo “Extrai-Produz-Descarta” pode levar a civilização ao colapso, pois o nível de poluição dos solos, águas potáveis e oceanos é de tal ordem que pode gerar um holocausto biológico.

Neste 11 de julho, Dia Mundial de População, é uma ótima data para se discutir os problemas da gravidez indesejada e o crescimento populacional insustentável.

Governo de Brasília faz homenagem a pioneiros da saúde

Em homenagem aos 60 anos do primeiro espaço de saúde da capital, o Hospital Juscelino Kubitschek de Oliveira, que funcionava onde hoje está o Museu Vivo da Memória Candanga, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, comemorou o importante marco para a história de Brasília, com uma homenagem a funcionários pioneiros. A cerimônia foi organizada pela Subsecretaria de Patrimônio Cultural, da Secretaria de Cultura, e aconteceu na sede do museu que fica na Epia Sul, próximo ao Núcleo Bandeirante.

O Hospital Juscelino Kubitschek de Oliveira começou a ser construído em 1956 e foi fundado em 6 de julho de 1957. A unidade localizava-se entre os três principais acampamentos de pioneiros na época — Cidade Livre (Núcleo Bandeirante), Lonalândia (Candangolândia) e a invasão do IAPI (Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários).

Com 1.265 metros quadrados de área edificada em madeira, abrigava: ambulatório, centro cirúrgico, serviços gerais, administração, residência para médicos e funcionários com famílias e alojamentos para solteiros. A parte hospitalar, tinha 50 leitos, oito enfermarias dispostas em duas alas divididas em feminina e masculina, duas salas cirúrgicas, aparelhos de raio-x, laboratório de análise clínica, sala de ortopedia, maternidade, berçário, farmácia e gabinete dentário com raio-x. Funcionava funcionava 24 horas por dia, até encerrar suas atividades em 1974.

“O Hospital Juscelino Kubitschek de Oliveira apresenta uma característica muito singular da época, que era a simplicidade e a funcionalidade das coisas. Uma obra simples, mas que serviu muita gente e cumpriu uma missão muito importante”, declarou o governador Rodrigo Rollemberg. Ele estava acompanhado da primeira-dama Máricia Rollemberg e do secretário de Cultura, Guilherme Reis.

A diretora do Museu Vivo da Memória Candanga, Rosane Stuckert, disse que a entrega do certificado de honra aos funcionários do hospital é um gesto de reconhecimento pelos serviços prestados aos candangos. Entre os 30 homenageados estava o primeiro diretor, o médico Edson Porto. Hoje com 85 anos de idade, ele ajudou a construir o lugar em 1956.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 10/07/2017

Zveiter pede que Câmara aceite denúncia contra Temer

O deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) relator do processo que analisa a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República, contra o presidente da República Michel Temer, apresentou hoje na CCJ parecer favorável à admissibilidade da denúncia pelo crime de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. Zveiter defendeu a admissibilidade da denúncia e disse haver "indícios suficientes" de materialidade e autoria de cometimento do crime de corrupção passiva que necessitam ser investigados mais profundamente.

"Por ora, temos indícios que são por si só suficientes para ensejar o recebimento da denúncia. Estamos diante de indícios suficientes de materialidade. Não é fantasiosa a acusação, é o que temos e deve ser investigada", disse Zveiter. O relator reiterou que aos deputados cabe apenas o papel de autorizar, ou não, a admissibilidade do processo e não julgar o presidente.

"Em face de suspeitas e eventuais ocorrências criminais, não podemos silenciar, estamos tratando tão somente de um pedido para aceitação, ou não, da instauração de um processo", acrescentou. A leitura do voto do relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania é a primeira etapa do trâmite da denúncia na Câmara dos Deputados.

Ressaltando que não cabe à Câmara dos Deputados absolver ou condenar o presidente, e sim admitir a autorização para que ele seja processado, o relator enumerou os indícios que, segundo ele, devem ser apurados pelo Judiciário: a gravação da conversa de Temer com o presidente do Grupo JBS, Joesley Batista, o possível recebimento de R$ 500 mil pelo ex-assessor do presidente, Rodrigo Rocha Loures e a regularidade dos encontros de Temer com o empresário.

"Quanto à gravação, [é necessário] descortinar se seu conteúdo e diálogos que contém são verídicos e se as provas são concretas. Por ora temos indícios. Só ao final da instrução processual, com direito ampla defesa e contraditório, poderão ligá-lo ou não á prática delitiva", disse, durante a leitura. Quanto à legalidade da gravação feita por Joesley Batista, o deputado afirmou que provas consistentes em gravação ambiental são lícitas. "Não sou eu que estou dizendo. É o Supremo Tribunal Federal que vem decidindo reiteradamente, há 20 anos", argumentou.

Ao concluir a leitura do voto favorável a autorizar o STF a processar Temer por crime comum, o relator declarou que todos os requisitos foram atendidos para análise da admissibilidade da denúncia e que, caso ela seja aceita, o acusado terá garantidos o contraditório e a ampla defesa. “Recomendo aos colegas o deferimento da autorização com a tranquilidade de que esse caminho não representa qualquer risco ao Estado Democrático de Direito, até porque a Consituição indica claramente a solução decorrente de tal hipótese”, encerrou.

Após a apresentação do relatório de Sergio Zveiter (PMDB-RJ) pela admissibilidade da denúncia contra Temer, o advogado Antônio Cláudio Mariz, desafiou a Procuradoria-Geral da República (PGR) a apresentar provas que atestem que o presidente cometeu o crime de corrupção passiva. Aos deputados da Comissão de Constituição e Justiça, o advogado de Temer disse que “a acusação tem motivações políticas e o processo foi acelerado pela PGR sem a checagem adequada das provas. “Após o desabafo, eu gostaria de mostrar o açodamento do processo, possivelmente motivado por interesses políticos inconfessáveis ou desconhecidos na melhor das hipóteses”, declarou Mariz.

Mariz destacou que não há nenhum dos elementos necessários para comprovar a configuração de crime de corrupção. “O presidente da República não pediu nada, não recebeu nada, não agiu em nome de ninguém e não facilitou nada para ninguém. Não houve recebimento, não houve solicitação, e também nenhum tipo de ajuste em prol de alguma empresa como deseja a denúncia.

Na sexta-feira dia 07, a Policia Federal encaminhou ao Supremo, documento em que os peritos reforçam que os elementos indicam que não houve alteração no áudio para inclusão ou supressão intencional de trechos. A confirmação da veracidade do áudio, pela segunda vez, é porque houve um questionamento da defesa do presidente da República, Michel Temer, sobre a perícia realizada pela Polícia Federal no áudio da conversa gravada pelo empresário Joesley Batista. Os advogados de Temer alegaram que a perícia não teria respondido a questões específicas da defesa.

Partidos aliados ao Palácio do Planalto trocaram vinte membros da CCJ para conseguir votos contra a denúncia. Os aliados garantiram em discurso que vão derrubar a denúncia. A oposição diz que o governo Temer acabou. Depois de trocas de “elogios” entre os líderes dos partidos a Comissão foi suspensa com pedido de vista coletiva.

Segunda parcela do IPTU 2017 deve ser paga a partir de hoje

A partir de hoje, 10 de julho, inicia-se o vencimento da segunda cota do IPTU e da Taxa de Limpeza Urbana (TLP), exercício de 2017, para os imóveis com inscrições de final 1e 2. Os imóveis de final 3 e 4 vencem no dia 11, os de final 5 e 6, devem ser pagos no dia 12, os com inscrições de final 7 e 8 vencem dia 13 e os imóveis com final 9, 0EX devem ser pagos até 14 de julho.

A primeira parcela do Imposto Predial e Territorial Urbano venceu em 12 de junho, e segundo a Secretaria de Fazenda, 330.798 mil pessoas estão em débito com o governo do Distrito Federal. Em 2017, o DF espera arrecadar R$ 924 milhões com o IPTU e com TLP. Desse total, R$ 648,3 milhões já entraram nos cofres do Executivo por meio do pagamento da primeira parcela ou da cota única.

Quem ainda não pagou o tributo pode emitir a 2ª via do Documento de Arrecadação (DAR), atualizada, no portal da Secretaria de Fazenda, nos postos do Na Hora, nas lojas do BRB Conveniência ou ainda nas agências da Receita do Distrito Federal.

Os recursos arrecadados com o IPTU podem ser usados pelo governo de Brasília para qualquer finalidade, como pagamento de salários de servidores, pavimentação de ruas e reformas de equipamentos públicos. Já a TLP, por trata-se de verba vinculada, deve ser revertida exclusivamente em projetos que envolvam serviços de limpeza pública.

O contribuinte que atrasar o pagamento em até 30 dias paga multa de 5% do valor do IPTU e também pode ter o nome inscrito na dívida ativa e ser alvo de protesto judicial, ficando sujeito a perder a propriedade.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 09/07/2017

Tempo seco e frio danifica mais a pele do rosto

Em tempo seco e com baixas temperaturas como as que estão acontecendo aqui em Brasília, é importante cuidar do principal cartão de visita, que é o nosso rosto. Neste período a pele fica sensível, enrugada e ressecada, e, em pouco tempo, pequenas rachaduras nos lábios começam a surgir. Segundo o dermatologista Francisco Leite isso ocorre porque o rosto, por ser uma região que fica mais exposta sente bastante a mudança do tempo e o impacto do inverno.

Para evitar estes transtornos é necessário tomar alguns cuidados como: só lavar a pele com água morna e fria. Nunca quente e evitar lavar o rosto no banho, muitas pessoas acabam usando o sabonete do corpo no rosto e isso contribui para um maior ressecamento da pele ou o aumento da oleosidade, já que o rosto pode ter uma necessidade específica e diferente do corpo.

Ainda que possamos ter preguiça é fundamental remover a maquiagem antes de dormir para evitar problemas cutâneos e para que a pele possa respirar e se regenerar durante o período de descanso. O primeiro passo é uma lavagem rápida com água fria e sabonete neutro para eliminar as impurezas que se aderem à pele após um dia inteiro usando maquiagem. Evite o uso de água quente, porque ela tende a alterar a produção natural de óleos e pode causar ressecamento. Depois pode-se usar toalhinhas demaquilantes para retirar toda a maquiagem. Elas retiram os restos de cosméticos e o excesso de sebo que vai ficando acumulado nos poros.

O rímel e o lápis de olhos costumam ser produtos de longa duração que não são eliminados com facilidade durante o enxágue e o uso de toalhas demaquilantes. Para removê-los de forma rápida a dica é, untar o dedo indicador com um pouco de vaselina e esfregar lentamente em ambos os olhos,com cuidado para não cair dentro. Retire os excessos com um pano suave. Farmacêuticos dizem que o produto não só removerá os cosméticos como também proporcionará umidade natural aos cílios e potencializará seu crescimento.

Outra dica é cuidar dos lábios todos os dias. A pele dos lábios é diferente da do restante do nosso corpo e não possui melanina, composto que auxilia na proteção às mudanças de temperatura, aos raios solares e aos efeitos do tempo frio e seco.

Não fique molhando os lábios com saliva. Passar a língua nos lábios pode dar a sensação de alívio a curto prazo, mas piora o estado dos lábios ressecados porque a saliva, por ser ácida, irrita os ferimentos já formados. A água presente na saliva evapora rapidamente e o efeito de secura nos lábios volta muito rapidamente. O certo é hidratá-los com produtos recomendados pelos dermatologistas e limpá-los na hora de remover a maquiagem.

Mesmo que o batom tenha saído ao longo do dia, em geral ficam rastros que não são tão visíveis. Coloque um pouco de óleo ou creme limpador em um algodão e esfregue com cuidado da parte externa para a interna. Depois de retirar os cosméticos do rosto e o batom dos lábios é conveniente usar um tônico facial hidratante pra selar os poros e refrescar a pele. Este produto prepara o rosto para o descanso e diminui o risco de acne e cravos.

No inverno a pele oleosa fica mais oleosa, enquanto a seca, muito mais ressecada. Quem tem pele oleosa, recomenda-se utilizar loções e sérum com ativos que controlem a oleosidade e que também hidratem, pois pele oleosa possui pouca quantidade de água e nutrientes.

Para as peles normais e secas, a dica dos especialistas é usar produtos mais espessos e ricos em ácido hialurônico, aminoácidos, silicones, vitamina E, Vitamina C e ácido ferúlico, excelente antioxidante que auxilia no combate ao envelhecimento. Produtos à base de manteiga de karité, manga e cupuaçu, amêndoas, proteína do leite, vitaminas C e E, óleos nobres como de árgano e canola, contém grande quantidade de glicerina e ácido hialurônico que ajudam a manter a hidratação natural da pele.

Esfoliar o rosto só uma vez por semana para remover as células mortas e potencializar os efeitos dos hidratantes. Mais do que isso retira a hidratação natural e deixa a pele vulnerável aos efeitos do clima.

Dr. Francisco Leite alerta que os efeitos do sol podem ser ainda mais nocivos no inverno, período em que muitas pessoas dispensam o uso do protetor solar e fazem exercícios nos horários impróprios. A recomendação é usar protetor de longa duração, com fator 30, pelo menos, aplicando-o antes da maquiagem ou após hidratar a pele.

De nada adianta seguir todos estes cuidados se não tomarmos pelo menos 2 litros de água todos os dias. A hidratação da pele também vem de dentro.

França vence a Liga Mundial e Brasil é vice no Vôlei

O Brasil, maior campeão da Liga Mundial de Vôlei com nove títulos, não conseguiu vencer a França e agora está há sete anos sem o cobiçado título em 16 participações em disputas finais. Os nossos campeões nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016 deram o máximo, mas os franceses estavam dispostos a levar a Taça. A decisão foi no estádio do Atlético Paranaense ontem à noite. Mesmo com temperatura baixa o confronto entre Brasil e França foi acompanhado por 23.149 pessoas.

A seleção brasileira masculina de vôlei, comandada por Renan Dal Zotto, mesmo com o apoio da torcida que lotou a Arena da Baixada, em Curitiba, perdeu para a França por 3 sets a 2, com parciais de 21/25, 25/15, 25/23, 19/25 e 15/13, em 1 hora e 36 minutos. O herói da conquista francesa foi Earvin Ngapeth ao marcar 29 pontos na final. Os brasileiros Wallace e Lucarelli fizeram 22 pontos cada.

As seleções do Brasil e da França foram as melhores desde o começo da Liga Mundial e as equipes repetiram esta superioridade técnica nas suas chaves. Os franceses se classificaram à fase final com uma campanha praticamente perfeita, de oito vitórias e apenas uma derrota, sendo seguidos pelos brasileiros, com seis triunfos.

França e Brasil foram cabeças de chaves, posteriormente vencendo nas semifinais, até se encontrarem na decisão de ontem à noite. E a conquista ficou com a equipe de melhor campanha, a França, que também havia sido campeã da edição anterior da Liga Mundial, também no Brasil, em 2015. A França conseguiu os dois títulos da Liga Mundial em quadras brasileiras.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 08/07/2017

Esponja de cozinha acumula milhões de bactérias e fungos

Pesquisadores da Faculdade DeVry Metrocamp, que pertence a um grupo educacional dos EUA, localizada em de Campinas, São Paulo, testaram amostras de esponjas usadas para lavar as louças e concluíram que uma única e simples esponja de lavar louças pode acumular 680 milhões de bactérias e fungos em apenas quinze dias de uso. Isto acontece porque a esponja de cozinha fica em contato direto com germes e bactérias contidos na pia. Como o uso é frequente, essas bactérias se espalham pelo corpo sem que a pessoa perceba deixando o organismo mais suscetível à contaminação de doenças.

Segundo o estudo até as esponjas sem uso já estão contaminadas. Os pesquisadores ressaltam que boa parte dos micro-organismos encontrados nas esponjas, já estão presentes no nosso corpo e no ambiente e que só geram doenças quando se trata de uma quantidade excessiva deles. O simples contato da esponja com os talheres e pratos faz com que um objeto se contamine, podendo estender tal contaminação aos alimentos.

Para deixar a esponja livre dos micro-organismos, os pesquisadores lembram que após utilizá-la é preciso remover qualquer resto de comida que ficou preso. Além da comida as bactérias gostam de umidade e por isso é necessário torcer a esponja para retirar toda a água para deixá-la secar bem antes do próximo uso.

Uma dica é colocá-la no micro-ondas com um pouco de água e em cima de um recipiente de vidro, ou de um papel toalha úmido, em potência alta por 2 minutos. Segundo estudo do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos grande parte das bactérias vivas são exterminadas com mais facilidade com esse método do que com outros tipos de técnicas. Feito esse processo, retire a esponja e a deixe esfriando em um local seco e arejado antes de usá-la. Não esprema a esponja antes de resfriá-la para não causar queimaduras.

Outra dica é deixar a esponja imersa em uma solução na proporção de duas colheres de água sanitária para 1 litro de água. A esponja deve ficar ali por dez minutos. Para os ambientalistas a água sanitária não é bom para a natureza, então a dica é substituí-la por água oxigenada de 10 volumes, ou peróxido de hidrogênio misturado com água, em quantidades iguais: deixe a esponja nessa mistura por 15 minutos. O importante é fazer esse procedimento a cada semana. Também é importante não deixar a esponja em potes de sabões em pasta ou úmidas, pois quanto mais úmida, mais contaminada ela fica.

As esponjas sintéticas tradicionais, de espuma, na verdade são compostas por plástico poliuretano, material baseado em petróleo e outros componentes químicos sintéticos e de difícil reciclagem, o que faz com que sua substituição por buchas vegetais seja uma boa iniciativa, porque além da maior durabilidade, sua matéria-prima é natural e totalmente biodegradável. Inclusive existe no Brasil o Programa Nacional de Reciclagem, das esponjas scotch-Brite, utilizadas no nosso país há mais de 50 anos.

Acordo de Paris é irreversível, decidem líderes do G20

Os representantes políticos das 20 maiores economias mundiais,reunidos em Hamburgo, na Alemanha, para discutir os principais desafios econômicos globais, em documento final da cúpula do G20, reafirmaram a determinação de enfrentar conjuntamente questões como a pobreza, mudanças climáticas, o desemprego, o deslocamento forçado das populações, a desigualdade de gêneros e o terrorismo.

Ao abordar a questão ambiental, no entanto, o comunicado final do encontro deixou evidente a divergência entre os Estados Unidos e os demais membros do G20, com críticas à saída dos norte-americanos do Acordo de Paris, firmado em 2015, pelo presidente Barack Obama, durante a 21ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21) com compromissos globais de enfrentamento às mudanças climáticas. Em junho deste ano, Donald Trump, decidiu retirar o apoio dos Estados Unidos à iniciativa.

“Os líderes dos outros membros do G20 afirmam que o Acordo de Paris é irreversível e reiteram a importância de que sejam cumpridos os termos da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima”, diz o documento, em nome dos 19 países do grupo. O texto também destaca a importância das potências econômicas ajudarem financeiramente os países mais pobres a implementarem ações que os ajudem a se desenvolver economicamente preservando ao máximo o meio ambiente.

Com relação ao terrorismo os países também se comprometem, segundo a declaração, a facilitar a troca de informações entre os serviços de inteligência nacionais e a fortalecer a cooperação internacional a fim de detectar a movimentação de suspeitos de terrorismo, entre outras medidas de segurança. Os líderes do G20 divulgaram uma declaração conjunta condenando os ataques terroristas e o financiamento destes “atos abomináveis que reforçam nossa determinação de cooperar para melhorar nossa segurança e para protegermos nossos cidadãos”. No texto, os países defendem a eliminação dos “refúgios terroristas” de todos os países, mas destacam a importância do respeito ao direito internacional, incluindo os direitos humanos.

O encontro do G20 foi marcado por protestos. Hoje uma multidão de 22 mil pessoas se reuniu no centro de Hamburgo, na Alemanha, neste último dia do encontro dos líderes das vinte maiores potências mundiais. “Solidariedade sem fronteiras em vez de G20!”, pediam os manifestantes. Os episódios violentos tiveram início no protesto chamado “Bem-vindo ao Inferno”, na quinta-feira, e voltaram a se intensificar na sexta à noite, segundo a agência de notícias alemã DPA.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 8 de 219
RocketTheme Joomla Templates