Coluna Bernadete Alves - dia 29/06/2018

Heraldo Pereira é paraninfo de novos advogados do DF

A OAB-DF entregou carteiras a 68 novos advogados e advogadas. A solenidade aconteceu no auditório da seccional, no final da Asa Norte e contou com as presenças de ilustres convidados, dentre eles o jornalista Heraldo Pereira, que também é advogado, e a viúva de Maurício Corrêa, ex-presidente da OAB-DF, Alda Corrêa.

Ao dar boas vindas aos mais novos colegas, o presidente da OAB-DF, Juliano Costa Couto, lembrou que o advogado é indispensável à administração da Justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei. O presidente falou que é necessário os advogados e as advogadas estarem cientes de seus deveres e prerrogativas legais para exercerem de maneira digna a profissão. A carreira está diretamente ligada ao sentimento de querer ajudar o próximo.

Costa Couto, expôs aos novos advogados que a advocacia necessita de modernização mantendo, entretanto, a tradição. “O advogado deve ter impetuosidade e coragem para mudar, para inovar. Não é possível conseguir o sucesso estando sentado em uma cadeira. O sucesso só vem com o primeiro passo. O que para muitos é comum, nós, advogados, precisamos fazer diferente”, declarou o presidente.

Em nome dos novos advogados,o orador Edvaldo de Souza relatou que a advocacia se equipara a independência da sociedade. “Hoje nos comprometemos com a defesa intransigente da liberdade. Liberdade, que é um dos bens mais preciosos, mais desejados pelo ser humano, não sem razão, já se lutou, e ainda se luta, para que ela seja preservada.”

O jornalista e advogado Heraldo Pereira destacou a importância da família na vida dos jovens. “Vocês foram mais importantes do que os livros, do que os professores. Sem vocês esses jovens não estariam aqui. A coisa mais importante dessa conquista foi a solidariedade de vocês”.

O paraninfo fez questão de falar junto ao público e percorrendo todo o auditório. Heraldo Pereira falou a respeito da responsabilidade assumida por eles a partir do recebimento do número da OAB. “Vocês é que estão fazendo o Brasil. O Brasil somos todos nós brasileiros e a advocacia faz grande parte do movimento. Sejam responsáveis com essa carteira”, alertou.

Participaram da cerimônia de entrega das novas carteiras, o secretário-geral adjunto, Cleber Lopes; o conselheiro federal, Manuel Dantas; o ouvidor da OAB/DF, Paulo Alexandre; o secretário-geral da CAADF, Maxmillian Patriota; os conselheiros Seccionais: Alessandra Camarano, Erich Endrillo, Ewan Teles, João Paulo Amaral, Silvestre Rodrigues; o presidente da Subseção de Ceilândia, Edmilson Francisco; o presidente da Subseção de Samambaia, Jose Antonio; o secretário-geral da Subseção de Ceilândia, Newton Rubens e o conselheiro da Subseção de Taguatinga, Paulo Jozimo.

Também estiveram na sede OAB-DF o secretário-geral do Conselho Jovem, Emmanuel Sales; a secretária-geral adjunta da Comissão de Ciências Criminais, Ludmilla Vieira; a vice-presidente do Conselho Jovem, Marcela Furst; o membro da Comissão de Ciências Criminais, Emanuel Farias; a vice-presidente do Conselho Jovem, Marcela Furst; o membro da Comissão de Ciências Criminais, Emanuel Farias; o ex-presidente da Subseção do Gama, José Adilson; o ex-presidente do Tribunal de Ética e Disciplina, Max Telesca; a conselheira da Subseção de Taguatinga, Helena Moreira; e a membro da Associação Brasileira de Advogados Criminalistas do Goiás, Amanda Alves.

Parabéns aos novos integrantes da OAB seccional do Distrito Federal. Portar a carteira da Ordem representa o início de uma nova caminhada na vida profissional. Um verdadeiro operador do direito deve aprender que a profissão requer dedicação, amor, coragem para não esmorecer diante aos obstáculos, não colocar em risco a probidade e o nome da instituição OAB.

Há 60 Anos o Brasil levantava a Taça da Copa

No dia 29 de junho de 1958, um domingo em Estocolmo o futebol brasileiro conquistava o mundo pela primeira vez. O Brasil venceu a Suécia, dona da casa, por 5 a 2, de virada, na final da Copa do Mundo.

Pelé iniciou um gol eternizado na história das Copas do Mundo: matou a bola no peito dentro da área da Suécia. Ela pingou uma vez no chão antes do craque chapelar o zagueiro Gustavsson e concluir no canto do goleiro Svensson.

A partida mostrou que a taça Jules Rimet, que premiava o melhor selecionado do planeta, merecia outro país como dono depois de uruguaios, italianos e alemães. A primeira das cinco conquista teve a participação de Vicente Feola (treinador), Djalma Santos, Zito, Bellini, Nilton Santos, Orlando e Gilmar. Garrincha, Didi, Pelé, Vavá e Zagallo.

Bellini, o capitão, foi o encarregado de receber o troféu de campeão. Incomodada por não conseguir as melhores fotos no meio da comemoração, a imprensa pediu para que o zagueiro levantasse a Jules Rimet acima da cabeça, em um gesto nunca antes feito pelos vencedores. E foi assim que, com numeração confusa, uniforme improvisado e um craque de 17 anos, o Brasil ergueu, literalmente, sua primeira taça da Copa do Mundo.

Sessenta anos depois o Brasil disputa mais uma Copa do Mundo. Vamos torcer para que os craques comandados por Tite consigam avançar e fazer história mais uma vez.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 28/06/2018

Seleção Feminina de Vôlei está na semifinal da Liga das Nações

A seleção brasileira feminina de vôlei estreou na Fase Final da Liga das Nações com vitória sobre a Holanda por 3 sets a 0, com parciais de 25/16, 25/17 e 25/23, nesta quinta-feira, no Nanjing Olympic Sports Centre,em Nanjing, na China. A equipe do treinador José Roberto Guimarães comandou a partida desde o início.

O duelo teve inicio com: Adenízia, Roberta, Gabi, Amanda, Tandara e Ana Bia. Suelen atuou como líbero. A partida também marcou a volta de Jaqueline como ponteira. Ela, que começou a competição como líbero, por conta da lesão de Drussyla, foi colocada em sua posição de origem.

José Roberto Guimarães é um craque, um líder que põe o time lá em cima. “Estou orgulhoso da maneira como o time se comportou na partida contra a Holanda. Jogamos bem em quase todos os fundamentos. A Liga das Nações está sendo uma longa jornada. Esta é a sétima semana sem voltar para casa. Todos estão trabalhando duro diariamente. A energia desse time continua incrível”, declarou o treinador.

Amanhã, às 9h30 (de Brasília), o Brasil encara a China para definir quem ficará na liderança do Grupo A. Estados Unidos e Sérvia definem os dois semifinalistas do grupo B.

FestFlorBrasil está no Centro de Convenções em Brasília

Começou hoje a Feira Nacional da Cadeia de Flores e Plantas Ornamentais, evento que movimenta a cadeia produtiva da floricultura e aproxima produtores e consumidores.

A FestFlorBrasil é coordenada pelo engenheiro agrônomo da Emater-DF, Cleison Duval e a abertura da 6ª edição contou com apresentação de arte floral com os floristas Carlos Weiis, do Rio Grande do Sul , e Juliana Hames, de Florianópolis, campeã de arte floral das Américas.

Cleison Duval disse que a FestFlor é realizada com objetivo de reunir toda a cadeia produtiva – agricultores, paisagistas, comerciantes, distribuidores, decoradores e consumidores. "É um evento que tem cumprido seu papel de motivar e fortalecer o setor, integrando a cadeia produtiva e capacitando produtores e técnicos", declara o coordenador.

Pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), aponta que o consumo per capita da cidade é de R$ 44,23 por ano, contra R$ 26,27 na média do País. Isso equivale a R$ 216 milhões movimentados anualmente no mercado de flores. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, comentou a potencialidade de expansão do setor. “Brasília tem uma grande vocação para receber os produtores. Nosso mercado é enorme e tem potencial para que eles possam expandir negócios aqui mesmo”, comentou. O Distrito Federal tem 139 agricultores atuantes nas áreas de floricultura, folhagem de corte, flores em vasos, plantas verdes em vasos e ornamentais, palmeira e gramas em 545 hectares, Brasília supre apenas 20% da demanda local.

A feira tem entrada franca e estará aberta de hoje até domingo, das 10 às 20 horas todos os dias. O visitante vai poder assistir palestras com dicas de paisagismo urbano ou mesmo como montar um telhado verde. Durante os cinco dias de eventos, serão apresentadas diversas espécies ornamentais, em exposição e à venda com valor diferenciado do praticado no mercado. Ao todo são 100 estandes com flores, acessórios, produtos e serviços para paisagismo, decoração, que oferecem atividades técnicas para profissionais, estudantes e comunidade em geral.

Além de passear por um lindo ambiente florido o público vai assistir shows, desfiles e concorrer a sorteio de arranjos florais.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 27/06/2018

Aliança Oncologia e Home firmam parceria

Os médicos Gabrielle Scapollin, Márcio Paes e Marcos Trindade, sócios da Aliança Instituto de Oncologia, receberam convidados no Lago Sul, para anunciar a parceria com o Hospital Home, da Asa Sul, para atendimento oncológico diferenciado aos pacientes de câncer.

O empresário Nabil El Haje, ao lado da filha Susie El Hage, do genro Dr. Paulo Lobo, Diretor do Instituto Paulo Lobo, da neta Dra. Gabriela Lobo, e da esposa Elenita Salomão El Haje, anunciou que o Hospital terá uma nova unidade da Aliança Instituto de Oncologia dentro das dependências do Hospital Ortopédico e Medicina Especializada.“Me orgulho do que fiz e compartilhei com a cidade”, declarou El Haje.

A renomada médica Dra. Luci Ishii falou da importância de um tratamento humanizado aos pacientes de câncer. A oncologista fundou o ABAC Luz, um exemplo de voluntariado organizado, vem há anos apoiando os pacientes durante todo o processo de tratamento.

Os fundadores da Aliança Oncologia informaram que em setembro vão lançar o Centro Médico Aliança no Pátio Capital Shopping, em Taguatinga e um centro de manipulação e distribuição de antineoplásicos, medicamentos usados para destruir células malignas, com a finalidade de inibir o crescimento de tumores.

Segundo os médicos Gabrielle, Márcio e Marcos, tudo com o objetivo de oferecer modernos conhecimentos médicos aplicados no combate e cura do câncer. Ideia aplaudida pelas integrantes da ONG Vencedoras Unidas.

O apresentador de televisão, Antônio de Castro, foi o responsável por dar as boas-vindas aos convidados. O encontro foi prestigiado pelo empresário Paulo Octávio, Bertha Pelegrino, Odilon e Sandra Costa, Rose Saboya, Elen Souza, Igor Morbeck, Cícero André, Marcelo Uchôa, Michelle Ruback, Alessandra Leite, Victor Hugo Cordeiro, Patrícia Schorn, Darleny Costa Daher e César Augusto Daher, Luiz Gustavo Guimarães, Priscila Mussi,Raquel Saraiva, Marcelo Chaves, Clayton Camargos, Caio Mendonça e Sergio Morum.

O requintado jantar foi no Buffet Renata La Porta lindamente decorado por Maria Tereza Cavalcanti.

Mike Pence visita abrigo de imigrantes venezuelanos em Manaus

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, esteve na manhã quarta-feira em Manaus, acompanhado da esposa Karen Pence, para conhecer à Casa de Acolhida Santa Catarina, na capital amazonense, onde estão abrigados 79 venezuelanos. O local é administrado pela Cáritas Arquidiocesana de Manaus em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

Os venezuelanos abrigados no local chegaram a Manaus pelo processo de interiorização promovido pelo governo brasileiro. O vice-presidente dos Estados Unidos foi recebido pelo padre Orlando Barbosa, vice-presidente da Cáritas. Pence fez um pequeno discurso no local e voltou a criticar o regime do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que acusou de “ditadura brutal” e de provocar o êxodo de 2 milhões de pessoas “obrigadas a fugir do país”. Pence ficou cerca de 1h30 na Casa de Acolhida Santa Catarina. Para garantir a segurança dos ilustres visitantes toda a área ao redor do centro humanitário foi fechada e a passagem de carros ficou proibida por cerca de 2 horas.

A visita de Pence ao Brasil foi iniciada ontem por encontro com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto. Após reunião bilateral com o presidente da República, Michel Temer, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, anunciou que o país destinará mais US$ 10 milhões para o suporte de imigrantes venezuelanos, sendo US$ 1 milhão diretamente para o Brasil.

“Obrigado por apoiar mais de 50 mil venezuelanos que chegaram ao País para escapar da crise que ocorre em sua terra natal”, disse Pence a Temer, em declaração à imprensa, nesta terça-feira (26). De acordo com o vice-presidente dos EUA, o valor integra os mais de US$ 60 milhões de recursos repassados para os países que atuam na crise humanitária.

Pence elogiou a força-tarefa do Governo do Brasil para acolher os imigrantes e a atuação do País na relação com a Venezuela, como no movimento de suspender o país do Mercosul. “O Brasil é um aliado forte de todas as nações que querem a liberdade […] Obrigado pelo apoio aos venezuelanos e pela liderança ao enfrentar regimes autoritários”, defendeu o vice-presidente estadunidense.

O vice de Donald Trump cobrou de Michel Temer uma postura de maior firmeza contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.Para Temer, o assunto é ponto de convergência entre os países, que defendem a retomada da democracia no país vizinho. “Ambos lamentamos a crise humanitária que atravessa a Venezuela. Falei sobre os venezuelanos que buscam melhores condições de vida no Brasil e sobre nosso empenho em recebê-los com muita dignidade.

A visita de Pence ocorre no momento em que os Estados Unidos pretendem reforçar as relações com o Brasil, ante o avanço da China nas relações com a principal economia da América Latina.

Os serviços pastorais do Migrante Nacional e da Arquidiocese de Manaus divulgaram nota manifestando indignação e tristeza com a visita do vice-presidente norte-americano. Para as entidades, Mike Pence “representa um governo que constrói muros, separa crianças de seus pais e que pretende se apresentar ao mundo como defensor de migrantes e refugiados”. A nota afirmou ainda que “esse gesto do governo Trump está longe de ser humanitário e de preocupação com os direitos humanos e que remete a uma política de controle e colonialismo constante dos Estados Unidos com a América Latina”.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 26/06/2018

Flay Leite brinda a vida com festa no Lago Sul

A modelo Flay Leite celebrou o dom da vida cercada de ternura e amor das amigas e familiares ao som do DJ Matheus Hartmann, na mansão do namorado, o empresário Eduardo Lira, na Península dos Ministros, no Lago Sul.

A aniversariante recebeu as convidadas com a elegância e alegria de sempre e lindamente vestida de Dolce & Gabbana e joias da Grifith, ao lado da sogra Gitana Lira e da cunhada Isabela Lira.

A comemoração dos seus 27 anos, ao cair da tarde, teve bolo e doces de Maria Amélia, regado a champanhe e drinques criativos do bar Mix”zz e delicias do Crep’s.

A vida é um milhão de novos começos movidos pelo desafio de viver e fazer todo sonho brilhar. E é o que Flay faz sempre. Abraça os desafios com garra e determinação. Ela é embaixadora da Grifith e colunista e diretora de estilo da GPS/Lifetime, da jornalista Paula Santana.

Flay esbanja energia do bem, sorriso cheio de generosidade e alegria contagiante. Parabéns pela sua linda existência e palmas pelas suas vitórias pessoais e profissionais. Que Deus a ilumine e abençoe sempre!

Fotos: Kléber Lima e Luara Baggi.

Dia Internacional de luta contra a Tortura

A data tem por objetivo mobilizar a sociedade civil organizada e todos os órgãos do poder público em uma luta constante para erradicar de vez este crime no nosso país.

O inciso III do artigo 5.° da Constituição brasileira de 1988 estabelece que “ninguém será submetido à tortura nem a tratamento desumano ou degradante” e o inciso XLIII considera a tortura um crime inafiançável¹, insuscetível de graça ou anistia.

O crime de tortura somente foi definido em 1997 quando entrou em vigor a lei n.° 9455. Segundo o artigo 1º desta lei, a tortura consiste em:

I - constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental:

a) com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira pessoa;

b) para provocar ação ou omissão de natureza criminosa;

c) em razão de discriminação racial ou religiosa;

II - submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo.

A data de hoje é importante porque mesmo previstos na lei, a luta pela garantia dos direitos humanos e pela observância da inviolabilidade da vida humana no Brasil, nunca atingiu um ponto satisfatório. É preciso apoiarmos as vítimas dessa repulsiva prática e combater a execução de atos de tortura por parte dos órgãos repressivos dos Estados.

Este apoio consiste em criar condições de amparo solidário, material e psicológico às vitimas de torturas e maus-tratos, principalmente através de apelos para que os Estados se prontifiquem a atuar para a erradicação dessa prática. Para incentivar a erradicação da tortura no Brasil foi instituída a Comissão Nacional da Verdade,no governo Dilma Rousseff.

Segundo a ONU, todos os dias, mulheres, homens e crianças são torturadas ou maltratadas com a intenção de destruir sua dignidade e seu sentimento de valor humano. Em alguns casos, isto faz parte de uma política de Estado para fomentar o medo e intimidar a população.

Apesar de ser combatida, a tortura ainda é praticada em diversos países e também contra animais. Precisamos continuar vigilantes. Não podemos admitir a desumanização ou tratamento degradante em nenhuma hipótese.

Brasileiro é novo solista do Balé Bolshoi

O bailarino David Motta, 21 anos, tornou-se solista do Ballet Bolshoi.

David Motta Soares nasceu em uma família humilde em Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio. Assim como tantos jovens que saíram do Brasil rumo à Europa para fazer carreira no futebol, David também utilizou o talento com as pernas e pés para alcançar seu sonho: ele foi o primeiro brasileiro a se formar na sede do Teatro Bolshoi, em Moscou, na Rússia. David dançava escondido dos pais e agora faz história no palco mais tradicional do mundo, o Teatro Bolshoi, de Moscou

O brasileiro está em Moscou desde os 13, e é o primeiro estrangeiro a conseguir um papel principal na renomada companhia. A vitória foi conquistada com muita disciplina, determinação e persistência. Com nove meses na companhia David veio o convite para dançar Albrecht, o papel principal masculino de "Giselle". “Aquele convite foi muito inesperado. Meu professor e eu estávamos preparando outra parte, outro papel, um papel mais abaixo do bailarino principal. Tínhamos conversado sobre Albrecht, de "Giselle", e a gente tinha comentado que ainda era muito cedo, que ainda tinha muito trabalho a fazer e que precisaríamos de mais tempo para trabalhar em cima desse papel".

"Me sinto privilegiado por ter sido o primeiro brasileiro a se formar na sede do Bolshoi em Moscou. Para mim, é simplesmente maravilhoso representar o meu país. Eu estou orgulhoso de trabalhar nesse teatro que conta com artistas e professores incríveis", afirma David, emocionado.

Talentoso, David diz que não se abala com as críticas nem com a inveja. “Acho que em qualquer profissão, sempre tem aquela pessoa que não quer que você consiga, não quer que você alcance. Mas sempre há pessoas que vão estar do seu lado”, diz o artista. Sobre ser solista ele fala: “É como ganhar a Copa”.

A companhia de balé do Bolshoi foi fundada em 1776 e inaugurada em 1825. A sede atual tem sua fachada imortalizada nas notas de 100 rublos. O Bolshoi é símbolo máximo da arte e da cultura russas.

Foto: Elena Fetisova/Bolshoi

 
Coluna Bernadete Alves - dia 25/06/2018

O batizado de Maria Leão Abi-Ackel May Valadares

As famílias Leão, Bittar, Abi-Ackel, May e Valadares reuniram amigos no Dia de São João, na Mansão Flamboyant, para celebrar o batizado de Maria Leão Abi-Ackel May Valadares, de seis meses, primeira filha da estilista Nath Abi-Ackel e do advogado Pedro Henrique Valadares.

Os convidados, vestidos de branco, foram recebidos em um bosque lindamente decorado pela empresária Valéria Leão, avó de Maria e pela bisavó Moema Leão, proprietária da mansão no Park Way, com flores em tecido, chapéus e bandeirinhas.

O almoço típico mineiro e em clima de festa junina foi muito apreciado assim como os doces e bolo de Maria Amélia.

Dentre os convidados Isadora Campos e Jorge Paulo Palhares; Eliane Martins e Marcos Chaien; Cláudia e César Canhedo; Lucia Bittar e Badalou Homsi; Cláudia Bittar e Luiz Henrique Elbel; Claudia Valadares e Guto Valadares, Moema e Celso Martins.

O sacramento de batismo foi na Catedral Metropolitana de Brasília, com o diácono Francisco Polleto, na tarde de sábado onde a pequena Maria teve como padrinhos os tios Luiza Bittar e João Marcelo Valadares e a tia Isabella Bittar como madrinha de consagração.

Aliou Cissé, de capitão a treinador de seleção da Copa

O treinador do Senegal, Aliou Cissé, é o único negro a comandar uma seleção nesta Copa e também o que tem o pior salário dentre os demais. Ele ganha 200.000 euros anuais (cerca de 870.000 reais). Ontem, contra o Japão, Cissé se transformou no segundo treinador africano a chegar às oitavas de final de uma Copa do Mundo. Aliou destacou a relevância da vitória de Senegal: "Representamos o continente".

Aos 42 anos o ex-jogador procura comandar a equipe do Senegal no mesmo nível que alcançou em 2002 quando era o capitão e comandado por Bruno Metsu, jogador da França, chamado de "leão branco" que se aposentou nos anos 80.Na segunda vez que o Senegal vai para a vitrine do futebol mundial, o ex-meio-campista, Cissé, faz história em 2018 como o mais jovem treinador.

"Sou o único treinador negro da Copa, mas a verdade é que estes debates me incomodam. O futebol é um esporte universal e a cor da pele pouco importa. Só espero que se somem mais companheiros no futuro e possam dar o passo que dei porque já vemos muitos jogadores africanos nos melhores campeonatos”, explicou Cissé. Ele está há três anos à frente do Senegal, depois de substituir o mítico ex-meio-campista francês Alain Giresse.

"Acho que estou muito preparado taticamente e procuro entender que por trás de um jogador há sempre uma pessoa. Somos africanos, queremos viver bem juntos, sentir o prazer de desfrutar de tudo o que fazemos. Essa é nossa história e nossa cultura”, declara o treinador.

Na Copa da Rússia, Cissé tem na sua equipe três ex-companheiros daquela epopeia de 2002, Tony Silva, Lamine Diatta e Omar Daf. Torcedores da seleção do Senegal apoiaram a equipe durante os 90 minutos e fizeram a festa nas arquibancadas.

Aqui no Brasil os senegaleses se reuniram na praia de Copacabana no Rio de Janeiro para comemorar a participação na Copa do Mundo da Rússia.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 24/06/2018

Mulheres Sauditas ganham direito de dirigir e de competir

O circuito de Le Castellet foi o local escolhido para a comemoração da suspensão da proibição que impedia mulheres de dirigirem no país saudita. A escolhida para representar as mulheres foi Aseel Al Hamad,a primeira membro mulher da Federação de Esporte a Motor da Arábia Saudita e da Comissão Mundial de Esporte a Motor (WMC, na sigla em inglês), um órgão da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

Antes do GP da França, neste domingo, Aseel dirigiu um carro de Fórmula 1 em todo o circuito de Le Castellet. Aseel dirigiu um Renault 2012 como parte de um desfile de veículos da montadora francesa, em comemoração à volta da organização da corrida. Com esse carro, Kimi Raikonen ganhou o GP de Abu Dhabi de 2012.

“Eu sempre gostei de automobilismo e dirigir um Formula 1 vai muito além das minhas expectativas", disse ela. “Eu espero que o fato de eu ter pilotado no dia em que a proibição de mulheres dirigirem na Arábia Saudita foi revogada mostre a elas o que é possível fazer quando se tem paixão e espírito sonhador.”

A primeira vez que ela dirigiu o carro foi em uma sessão de treinos, no mesmo circuito, em 5 de junho. “Hoje não é só uma celebração de uma era de mulheres ao volante, mas também o nascimento de uma era de mulheres no esporte a motor na Arábia Saudita", disse Hamad.“O que mais espero é ver uma próxima geração de jovens garotas experimentando os esportes a motor. Eu gostaria de vê-las treinando e levando o esporte a sério como carreira. Essa vai ser, de verdade, a minha maior conquista.”

As mulheres sauditas puderam começar a dirigir à meia-noite de sábado, encerrando a única sanção mundial pela proibição de mulheres ao volante, vista por muito tempo como um símbolo da repressão às mulheres no reino no país muçulmano. A suspensão da proibição, ordenada em setembro último pelo Rei Salman, é parte da pressão de seu filho, o príncipe Mohammed bin Salman, em uma tentativa de transformar a economia do maior exportador de mundial de petróleo, além de abrir um pouco sua fechada sociedade.

Antes da data de hoje, as mulheres do ultraconservador reino muçulmano, não podiam dirigir e precisavam contar com um motorista particular ou um familiar homem que as ajudasse em seus deslocamentos. Ativistas dos direitos das mulheres fizeram campanhas desde 1990 para acabar com a proibição e dezenas de sauditas foram presas por se atreverem a dirigir como forma de protesto.

Várias mulheres do Bahrein viajaram neste domingo para a Arábia Saudita ao volante dos seus carros para participar do dia histórico do país vizinho. Dezenas de mulheres cruzaram a ponte Rei Fahd, que liga os países, nas primeiras horas do dia, algumas acompanhadas de homens e outras, só de mulheres, segundo informaram fontes oficiais bareinitas. O Bahrein é um pequeno reino insulano que tem cerca de 50 quilômetros de extensão e que é ligado à Arábia Saudita por meio da ponte Rei Fahd.

Brasília sedia o Aloha Spirit 2018

O maior festival de esportes aquáticos da América Latina, o Aloha Spirit, está sendo disputado no Lago Paranoá, pelo terceiro dia consecutivo e pela primeira vez em água doce. A etapa Brasília é válida pelo Circuito Brasileiro de SUP Race, de acordo com a Confederação Brasileira de SUP e receberá o status de três estrelas. A programação gratuita encantou os brasilienses.

As modalidades disputadas na capital são: apneia, canoa havaiana, natação em águas abertas, paddleboard (em que o competidor fica de joelhos ou deitado na prancha e se impulsiona usando os braços), slackline, stand up paddle (SUP), surfski (caiaque aberto, longo e estreito) e Triathlon Waterman (triatlo aquático).

A Secretaria Adjunta de Turismo tem um espaço no evento para divulgação turística, com distribuição, por exemplo, de mapas e livretos com informações sobre pontos de visitação na capital. Há, ainda, a participação de artesãos cadastrados e selecionados por meio de edital da pasta, que expõem criações em um estande específico. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, esteve no local e parabenizou os organizadores pela qualidade do festival de esportes aquáticos.

O evento também oferece aos visitantes festival de cinema, aulas de ioga, espaço infantil, praça de alimentação e shows musicais, entre outras atrações. O Aloha Spirit pode ser apreciado no Pontão, no Parque Asa Delta e no Parque da Península Sul, graças a desobstrução da orla.

Ontem o Aloha Spirit celebrou uma década com vários shows musicais. Dos clássicos do rock internacional, como Beatles, U2, Elvis Presley, The Police, Led Zeppelin, entre outros, no show da banda O Gabba.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 23/06/2018

Clube Internacional de Brasília promove encontro de saúde

A presidente do Clube Internacional, Iara Corrieri de Castro, recebeu as associadas no Buffet Renata La Porta, com palestra do renomado oncologista Fernando Maluf, chefe da Oncologia do Hospital Santa Lúcia e do mastologista Guilherme Dantas, seguida do tradicional chá das cinco.

O médico Fernando Maluf apresentou o que há de mais inovador no tratamento humanizado do tumor e falou da importância em combater a doença. Ele informou que segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer deve atingir cerca de 600 mil brasileiros até o fim deste ano.

O médico disse que tratar o câncer requer cuidado e atenção especial não só com a doença, mas também com o ser humano e seus familiares. “No momento em que se percebe que a saúde está fragilizada, é preciso se preparar para os impactos físicos e psicológicos do tratamento. Por isso é muito importante ter uma relação de confiança com toda a equipe envolvida e estar em um ambiente positivo, respeitoso e acolhedor”.

O mastologista Guilherme Dantas falou sobre a importância da humanização no tratamento do câncer de mama. Guilherme lembrou ainda que o melhor é a prevenção, com bons hábitos e conhecendo o próprio corpo.“A mulher precisa se conhecer, ficar atenta e realizar exames periódicos.

O Clube Internacional de Brasília foi fundado em 1973 por Maria Albaneze Koplowitz, dos Estados Unidos, e pela brasileira Ana Maria Sarcinelli Garcia, com a finalidade de promover a integração social da mulher da sociedade brasiliense, o intercâmbio cultural e o patrocínio de atividades assistenciais e culturais. O clube reune mulheres de diferentes nacionalidades para superar dificuldades linguísticas e culturais.

Criado em vários países no pós-guerra, oferece um extraordinário lugar de encontro para mulheres onde ideias e entusiasmo são fraternalmente compartilhados, fazendo renascer a esperança de construir um mundo mais próximo da paz, na medida em que crescem a amizade e compreensão.

Governo começa mutirão para combate ao crime organizado

A segurança no Brasil sempre foi responsabilidade dos estados, com participação residual da União e dos municípios de acordo com o Artigo 144 da Constituição de 1988. Cada estado define sua estratégia, sem o direcionamento de uma política nacional de segurança pública. Com o avanço do crime organizado país afora, o governo federal aposta no Sistema Único de Segurança Pública (Susp) para tentar reverter o clima de insegurança que atinge a população brasileira.

O novo modelo, que passa a vigorar a partir de 11 de julho, coloca a União no comando das ações de segurança, integra os esforços dos governos federal, distrital, estaduais e municipais, além de disponibilizar recursos para o combate à violência. Os resultados não serão imediatos e devem ser percebidos a partir de 2019. A base do sistema de segurança pública é a atuação conjunta, coordenada, sistêmica e integrada da União, dos estados, do Distrito Federal (DF) e dos municípios, em articulação com a sociedade.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann,disse que a partir da nova legislação, governadores e prefeitos só terão acesso aos recursos federais se aderirem ao Susp e acertarem metas de redução das taxas de criminalidade, de formação e qualificação de policiais, além de abastecerem o banco de dados nacional sobre segurança.

Jungmann acredita que a adesão ao Susp será impulsionada pelo financiamento das ações de combate à violência. "Quem não aderir não receberá nenhum tipo de recurso. Ou seja, a regra para poder receber é participar do Susp. Aliás, qualquer governante que resolver não aderir vai ter que dar uma explicação muito clara à sua população por que não está integrando esse mutirão que reúne todos e todas no combate ao crime organizado."

Além das ações do Susp, o governo federal criou a Câmara Interministerial de Prevenção Social e Segurança, que reúne os ministérios da área social para propor ações preventivas voltadas para as localidades com os maiores índices de criminalidade e os grupos mais vulneráveis, entre eles homens entre 15 e 24 anos – principais vítimas de mortes violentas no país. "Não vamos criar nenhum programa novo. Vamos aproveitar os bons programas que temos. É só focar as ações nesse grupo social e nesse território [apontados no Atlas da Violência 2018]", diz Jungmann.

Caberá ao Ministério da Segurança Pública a formação do conselho nacional e a elaboração do plano nacional, que servirão de parâmetro para os estados, o DF e os municípios. "Como nosso tempo é curtíssimo, nos importa muito deixar um legado. Esse legado está construído em forma de lei e vai prevalecer, não vai desaparecer", argumenta Jungmann.

Pesquisa recente do Ibope, encomendada pela Confederação Brasileira da Indústria, revela que a segurança pública, juntamente com desemprego, corrupção e saúde, está entre os principais problemas apontados pela população em 2016 e 2017. Retratos da Sociedade Brasileira, publicação da CNI, mostra ainda que, para os entrevistados, combater a violência, a criminalidade e as drogas deveria estar entre as prioridades dos governantes neste ano. Foram ouvidas 2 mil pessoas em dezembro passado, mas o estudo foi divulgado neste ano.

Márcia Witczak é Cidadã Honorária de Brasília

A comenda foi concedida pelo deputado distrital Cláudio Abrantes durante solenidade ocorrida no noite de ontem na Câmara Legislativa. A nova cidadã honorária de Brasília, Márcia Witczak, é apresentadora da Rede Globo de Brasília e promove a parte cultural da cidade há bastante tempo.

Márcia recebeu a homenagem ao lado do marido Luiz Alberto Horta, da filha Isadora Witczak, da mãe Elair Witczakda irmã Mariana Helena e do colega e amigo jornalista Antônio de Castro, âncora do DF, e o deputado Israel Batista.

 

A querida e competente apresentadora de televisão recebeu o carinho da dupla sertaneja Pedro Paulo & Matheus, o ator Rodrigo Cordon, Lorena Leando e o jornalista Thiago Malva, do site Finíssimo, dentre outros convidados.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 22/06/2018

Robô brasileiro vence campeonato internacional de lutas na China

A equipe brasileira Ogrobots, de Sorocaba, venceu o Clash Bots, um campeonato internacional de lutas de robôs, realizado na China. O torneio é um reality show transmitido pela plataforma de vídeos online iQiyi, que tem uma base de 500 milhões de assinantes. Para ganhar o prêmio de R$ 400 mil, o grupo de engenheiros brasileiros disputou com outros 34 robôs, sendo 21 chineses, além de competidores da Inglaterra, Estados Unidos, Índia e Rússia.

A Ogrobots foi montada em 2013, com egressos da Universidade Federal de Itajubá (MG) que participavam do circuito universitário de combate de robôs. Foram à China sete engenheiros: Murilo Marin ( 26 anos); Renan Rosa Martines (27 anos); Filipi Luz (25); Gustavo Marcelino da Silva (24 anos); Felipe Cagnani (34 anos); Expedito de Barros Junior (27 anos) e Vinicius Su Pei Cheny (24 anos).

O engenheiro mecânico Murilo Marin, diz que Dark Wolf, o robô brasileiro, participou de 14 lutas no total. Ele conta que o grupo tinha que se desdobrar para conseguir recuperar a máquina dos danos sofridos após cada duelo em tempo para a etapa seguinte. “Fizemos cinco lutas em dois dias seguidos. Lutas muito difíceis, onde o robô saiu avariado muitas vezes. Então tivemos cinco manutenções cansativas de 5 horas de duração cada. Muita tensão, gravando até de madrugada. Chegávamos às 8h da manhã e saíamos às 3h da madrugada do dia seguinte, exaustos”, relembra.

Além de levar para casa o prêmio equivalente a R$400 mil, a máquina Dark Wolf levou o título de "robô mais destrutivo", o que rendeu R$25 mil extras aos Ogrobots. O Dark Wolf pesa 110 kg, e é uma versão maior da máquina usada pela equipe para conquistar o segundo lugar no campeonato brasileiro, em 2016, e terceiro no prêmio mundial, em 2017. Assim como nas competições esportivas de luta tradicionais, os campeonatos de disputa com máquinas são divididos por categoriais de pesos. O torneio da China aconteceu na maior categoria existente. O Bugalele, robô anterior do grupo, é um peso leve, com 27,2 kg.

As lutas acontecem em uma arena cercada por vidro blindado em rounds de no máximo 3 minutos. As vitórias são por nocaute, quando um dos robôs perde a capacidade de se movimentar, ou por decisão dos juízes. Durante o embate, a máquina é operada por dois controladores, sendo que um cuida da locomoção e outro da arma. No caso do Dark Wolf, trata-se uma peça de 30 quilos (kg) de aço temperado com formato semelhante à de uma picareta, com a capacidade de girar a uma velocidade de 3.200 rotações por minuto. Foi com esse instrumento que os brasileiros derrotaram o robô chinês Toxic Fangs. O golpe certeiro lançou o adversário para o outro lado do ringue, levando-o a nocaute.

Brasília recebe o maravilhoso 'Disney on Ice'

Os brasilienses tem a oportunidade de conferir um espetáculo com muita aventura de hoje até domingo no Ginásio Nilson Nelson. “O Maravilhoso Mundo de Disney On Ice” encerra a turnê na capital do país. Nesta edição de 2018 serão encenados oito clássicos com mais de 50 personagens e também o sucesso dos cinemas "Procurando Dory". Neste espetáculo o público acompamha uma jornada de descobrimento e aprendezado com Dory, Nemo e Marlin,sobre o verdadeiro sentido da família.

Em Brasília haverá seis sessões em diferentes horários para atender o público. Mickey, Minnie, Donald e Pateta viajam pelo tempo numa colorida celebração repleta de magia, alegria e diversão para toda a família. A interação com a plateia é um componente que será muito explorado dentro da experiência da produção do espetáculo, de forma que os espectadores estejam imersos na produção.

Andresa Spagnolo, coordenadora de produção da turnê, disse que o espetáculo está viajando com 100 pessoas de todo o Brasil. " Para Brasília, estamos preparados. Já fizemos este show nos lugares mais inusitados. Temos bons profissionais para fazermos um show de qualidade onde quer que passemos".

No Brasil, a realização da nova montagem de Disney On Ice é de Feld Entertainment e Opus Promoções. Os espetáculos acontecem no Ginásio Nilson Nelson, hoje às 19h30, sábado às 11h e 19 horas e no domingo às 10h e 14 horas. Ingressos a partir de R$40 (www.uhuu.com)

 
Coluna Bernadete Alves - dia 21/06/2018

Começou hoje o solstício de junho: O inverno no Brasil

Neste 21 de junho de 2018, começa no Hemisfério Sul o solstício de inverno, o momento em que a Terra está mais distante do Sol. Tecnicamente, o verdadeiro solstício de junho marca o momento no qual o sol está diretamente sobre o Trópico de Câncer. Um evento celestial que marca o inicio do Inverno que aconteceu às 11:07 UTC (08:07 no horário de Brasília). No Hemisfério Norte tem o dia mais longo do ano, porque lá acontece o solstício de verão.

Esse fenômeno acontece porque o eixo de rotação da Terra não é exatamente perpendicular a seu plano orbital, sendo assim, pela metade do ano o Hemisfério Norte fica levemente inclinado em direção ao sol e, na outra metade, o Hemisfério Sul fica similarmente inclinado.

No Hemisfério Sul, onde está localizado o Brasil, esta estação é caracterizada pelas temperaturas baixas, dias mais curtos e noites mais longas. As regiões Sul e Sudeste do país são as mais afetadas com características típicas do inverno, sendo o restante do Brasil marcado por temperaturas mais equilibradas, com pouca variação térmica.

O solstício é um fenômeno astronômico que acontece duas vezes no ano: em junho e em dezembro. Esse evento marca o dia mais curto e a noite mais longa do ano, ou vice-versa. No Hemisfério Norte, o dia mais longo do ano acontece em junho e o mais curto em dezembro; no Sul, temos o inverso disso. A palavra ‘solstício’ deriva do latim ‘solstitium’, que significa ‘o sol fica parado’. Nesse dia, o sol se move tão devagar que parece não se mexer.

O pesquisador Ari Laakso explica que neste solstício de junho, o círculo ártico pode ter um sol que nunca se põe. Durante o mesmo período, a polar acontece no círculo antártico. No Ártico, o sol da meia noite pode acontecer em países como Noruega, Finlândia, Islândia, Suécia e Canadá. No Antártico, o fenômeno só acontece na Antártica. A luz do sol ilumina o céu durante a noite.

Laakso registrou a paisagem a bordo do navio quebra-gelo MSV Nordica, que atravessa a Passagem do Noroeste, pelo Arquipélago Ártico Canadense.O monumento Stonehenge, no Reino Unido, é um destino popular para acompanhar tanto o solstício de verão quanto o de inverno, graças às suas ligações com os bretões que faziam rituais de adoração ao sol ali.

A posição do sol em relação à Terra tem um grande impacto na agricultura tanto no Brasil como em várias partes do mundo. Os índios Aymara, da Bolívia,por exemplo, celebram o começo de um novo ciclo agricultor a cada solstício de junho.

O fim do inverno é também marcado por outro fenômeno astronômico: o equinócio de setembro, período quando o Sol incide com maior intensidade nas regiões próximas à linha do Equador. No Brasil e em todo o hemisfério Sul, o equinócio acontece em 22 de setembro de 2018, marcando o fim do inverno e começo da primavera. No equinócio, o dia tem a mesma duração no hemisfério Norte e no hemisfério Sul.

Brasília retratada em forma de dança e concreto

A Street Jam Cia. de Dança, uma das maiores companhias da dança Hip Hop do DF, estreia, amanhã, dia 22 de junho, o espetáculo "Candangus – Dança e Concreto". Trata-se de uma homenagem à capital do país, cujo conjunto urbanístico modernista é Patrimônio Cultural da Humanidade.

Com direção e coreografia de Giovanni Carvalho, o espetáculo se utiliza de dança e música para celebrar os trabalhadores anônimos que construíram Brasília. O nome do espetáculo, inclusive, faz uma relação entre o nome científico em latim da borboleta Ouleus fridericus candangus, endêmica do bioma cerrado, e o apelido dado aos construtores, chamados de candangos. Os protagonistas do espetáculo interpretam estes guerreiros, vindos de todos os estados para erguer a nova capital.

As coreografias marcantes mostram a criação do Plano Piloto, remetendo à Juscelino Kubitschek e aos monumentos da capital federal. O espetáculo faz, ainda, uma passagem para as cidades satélites que desenvolveram-se depois, as regiões administrativas, ressaltando também a difusão do hip hop para as mesmas.

CANDANGUS – DANÇA E CONCRETO, Teatro Sesc Paulo Autran (CNB 12, AE 2/3, Taguatinga Norte), nos dias 22, 33 e 24 de junho,entrada franca mediante 1 kg de alimento não perecível. Mais informações: 3451-9103.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 20/06/2018

Rosa Weber é eleita para presidir o TSE

A ministra do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber, foi eleita por seis votos a um, presidente do Tribunal Superior Eleitoral e assume a partir de 14 de agosto. A chegada de Rosa Weber à presidência se dará no exato momento em que a Corte Eleitoral começará a analisar os registros de candidaturas presidenciais. Rosa Weber será a primeira mulher a presidir o TSE em uma eleição presidencial.

A equipe da ministra, atual vice-presidente, já está tratando com a equipe do presidente Luiz Fux sobre a transição há meses. Em pronunciamento, a ministra Rosa Weber disse: “sei da enorme responsabilidade que me aguarda neste ano de 2018, em que o país se encontra em meio a uma disputa tão acirrada, com tantas divisões”.

O ministro Luís Roberto Barroso foi eleito vice-presidente. O TSE é formado por sete ministros: Três do Supremo Tribunal Federal; Dois do Superior Tribunal de Justiça; Dois juristas membros da advocacia, nomeados pelo presidente da República, completam a composição. A presidência é ocupada por ordem de antiguidade entre os três ministros do STF.

A nova presidente do TSE, saudou o ministro Luís Roberto Barroso: “Eu tenho o alento e me sinto abençoada de contar, no exercício de um papel importante, com a iluminada companhia do ministro Luís Roberto Barroso, na condição de vice-presidente”, declarou a ministra Rosa Weber.

O atual presidente, ministro Luiz Fux, ficará no comando até o dia 14 de agosto. Com a saída de Fux, será efetivado o ministro Edson Fachin, atual ministro-substituto.os novos ministros-substitutos do TSE serão Alexandre de Moraes, Marco Aurélio Mello e um terceiro que vier a ser eleito. Este futuro ministro-substituto deverá ser o ministro Ricardo Lewandowski, considerando os critérios para compor o TSE, que priorizam os ministros do Supremo que ainda não fizeram parte do tribunal e, caso todos já tenham feito parte, levam em conta a antiguidade na Suprema Corte.

Rosa Weber é ministra do Supremo Tribunal Federal e permanecerá no cargo até 25 de maio de 2020. A ministra nasceu em Porto Alegre e fez carreira como magistrada da Justiça do Trabalho.

O cinema de Hong Kong está em cartaz no CCBB

A mostra "Cidade em chamas: O cinema de Hong Kong" está em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil Brasília. O cinema de Hong Kong é um dos mais inventivos e influentes da história da sétima arte, sobretudo no que diz respeito aos filmes de ação. A programação, com curadoria de Filipe Furtado, ressalta um passeio histórico peculiar. Tudo inicia nos anos de 1960 e 1970 com as produções da Shaw Brothers, passa pelo cinema novo de Hong Kong do começo dos anos 1980 e culmina em projetos produzidos até 1997, ano em que a ilha foi devolvida à China.

A mostra traça um panorama da cinematografia produzida na ex-colônia britânica de Hong Kong com a exibição de mais de 20 filmes, alguns em formato de película, filmes cult de diretores e atores chineses. Serão exibidos gêneros como as artes marciais, comédias, musicais, filmes policiais, de horror e de fantasia, com destaque para "Nômade", de Patrick Tam, "Sonhos da Ópera de Pequim", de Tsui Hark, "O Arco", de Cecile Tang, um dos primeiros filmes orientais dirigido por uma mulher.

Hoje, dia 20, às 17h tem Ho, o Sujo, às 19h15 – Pedicab Driver (sessão gratuita); Dia 21 às 17h – Golden Swallow e 19h15 – Alvo Duplo; Dia 22 às 17h – Não Brinque com Fogo e às 19h15 – Nômade; No Sábado dia 23 tem três sessões: 15h – Made in Hong Kong; 17h – Project China; e 19h – Police Story. No Domingo dia 24 a sétima arte começa às 14h – Arco; às 16h – Rouge; e às 18h – Companheiros, quase uma história de Amor (sessão gratuita).

Ho, o Sujo, conta a história do principe Wang (Liu) mantém incógnito como um reles mercador. Ele se torna amigo do ladrão vagabundo Ho (Wong) e o transforma no seu guarda costas. Quando o príncipe se torna alvo de assassinos, Ho precisa se transformar num guarda costas de verdade. Um dos mais suntuosos filmes de artes marciais feitos com excepcional coreografia do mestre Lau Kar Leung.

Pedicab Driver tem ação, romance, comédia e tragédia. Um pouco de tudo nessa história sobre dois motoristas de bicicleta-taxi apaixonados, suas novas paixões e os perigosos chefes delas.Pedicab Driver inclui algumas das mais radicais mudanças de clima do cinema local e as duas principais sequencias de luta são o ponto alto da carreira de coreografo de Sammo Hung.

Na outra sessão gratuita, o público vai conferir ‘Companheiros, quase uma história de Amor”. Jun (Leon Lai) é um jovem interiorano da China continental que chega a Hong Kong em 1986 em busca de melhores perspectivas para poder finalmente se casar com a namorada de longa data. Ele conhece Quiao (Maggie Cheung), outra jovem chinesa, já habituada a correria e ambições que marcam a vida cosmopolita de Hong Kong. Ela será sua guia, amiga, amante, e, ao longo de dez anos, suas vidas vão se entrelaçar, se encontrar e se afastar múltiplas vezes, enquanto a colônia se aproxima da sua devolução a China.

O filme "Projeto China" leva o expectador a fazer uma viagem no final do século XIX,na colônia britânica de Hong Kong que está às voltas com piratas. Oficiais corruptos seguem frustrando a guarda costeira local, mas Dragon Ma (Jackie Chan) não descansará até trazer paz às águas locais.Este filme terá sessão inclusiva, com LIBRAS e Audiodescrição. A sessão ocorre no dia 29 de junho (sexta-feira) às 11 horas, com entrada franca, mediante retirada de senhas, 1h antes da sessão, na bilheteria do CCBB.

Além da exibição dos filmes haverá um curso e um debate. O Debate ocorre no dia 21 de junho (quinta-feira), às 19 horas, e conta com as participações de Júlio Bezerra, Filipe Furtado e Felipe Moraes. O Debate vai contar com tradução em LIBRA. Para se inscrever no curso, basta enviar email para: Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. . O cinema de Hong Kong fica em cartaz no CCBB até o dia 08 de julho. Ingressos: R$ 10 e cinco (meia), no local.

OMS deixa de considerar Transexualidade como transtorno mental

A Organização Mundial da Saúde publicou no dia 28 a nova edição da Classificação Internacional de Doenças. A novidade é que a transexualidade deixou de ser considerada como um transtorno e mental e o vício em videogames passou a ser classificado como um distúrbio de comportamento. Durante a última década, especialistas analisaram as informações científicas mais recentes para criar um novo padrão que pudesse ser usado por profissionais da saúde do mundo inteiro. A última revisão ocorreu há 28 anos.

A partir de agora cada país precisa se adaptar à nova CID, com prazo até 1º de janeiro de 2022. CID é uma codificação padronizada de todas as doenças, distúrbios, condições e causas de morte. Essa norma serve para que os países obtenham dados estatísticos e epidemiológicos sobre sua situação sanitária e possam planejar programas de acordo com isso.

Até agora, as pessoas que não se identificavam com o sexo que lhes foi atribuído ao nascer eram consideradas doentes mentais pelos principais manuais de diagnóstico, devido à classificação da OMS. As entidades LGTBI passaram anos reivindicando que a transexualidade, que é um transtorno de identidade de gênero, saísse do compartimento das doenças mentais e entrasse no de comportamentos sexuais. Com esta mudança, a OMS mantém a transexualidade dentro da classificação para que uma pessoa possa obter ajuda médica se assim desejar, já que em muitos países o sistema sanitário público ou privado não reembolsa o tratamento se o diagnóstico não estiver na lista.

O diretor do departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias da OMS, Shekhar Saxena, disse que a transexualidade deixou de ser considerada uma doença mental “porque não há evidências de que uma pessoa com um transtorno de identidade de gênero deva ter automaticamente um transtorno mental, embora aconteça muito frequentemente seja acompanhado de ansiedade ou depressão”. “Queremos que as pessoas que sofrem dessas condições possam obter assistência médica quando a necessitarem”. Saxena observou que se uma pessoa transexual é identificada automaticamente como vítima de um transtorno mental, “em muitos países ela é estigmatizada e pode ter reduzidas as chances de procurar ajuda”.

Quem está comemorando a decisão da OMS é a atriz transexual Daniela Veja, protagonista do filme chileno “Uma Mulher Fantástica”, que ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. “O mérito do filme é que ele fala aos espectadores”, acrescentou Vega, “convida-os a definirem uma postura perante Marina e o resto das pessoas trans”.

Desde que começou seu percurso pelos festivais, há um ano, a produção vem dando mais visibilidade a essa realidade, que em muitos países não é respeitada. Nem mesmo no Chile, apesar do filme e do prêmio. “Neste país, ao qual eu retorno feliz com a equipe do filme, na minha carteira de identidade continua figurando um nome que não é o meu. O país onde eu nasci não me garante a possibilidade de ser eu”, declarou a atriz. O filme despertou o diálogo sobre a identidade de gênero.

Outra das modificações mais chamativas da nova CID é a inclusão do vício em videogames como doença mental. Segundo Shekhar Saxena este transtorno se caracteriza por um padrão de comportamento de jogo “contínuo ou recorrente”. A OMS estima que entre 2% e 3% dos jogadores de videogames têm um comportamento abusivo, mas salienta que por enquanto faltam dados empíricos.

Saxena esclareceu que o fato de jogar a um game não é nocivo por si só, assim como ingerir álcool também não é, por exemplo. O problema,segundo ele,ocorre quando o consumo é abusivo e altera o comportamento da pessoa “Se a criança, adolescente ou adulto que joga faz isso sem parar e deixa de sair com seus amigos, deixa de fazer atividades com seus pais, se isola, não estuda, não dorme e só quer jogar, esses são sinais de alerta de que poderia ter um comportamento aditivo e que precisa procurar ajuda”, afirmou o diretor do departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias da OMS.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 6 de 252
RocketTheme Joomla Templates