Coluna Bernadete Alves - dia 11/12/2017

Troféu Domingão – Os Melhores de 2017

A premiação “Melhores do Ano” celebra o talento na TV, na música, na comédia e no jornalismo, divididos em 15 categorias. O público vota em três artistas e em cantores que brilharam e fizeram sucesso durante o ano na TV Globo. A iniciativa, realizada anualmente, é do programa Domingão do Faustão, da Rede Globo.

Os grandes vencedores da 22ª edição do programa de gala de Fauto Silva foram: Atriz: Paolla Oliveira; Cantor: Luan Santana; Ator Marco Pigossi; Ator de Série: Julio Andrade; Música do Ano: K.O de Pabllo Vittar; Atriz de Série: Marjorie Estiano; Personagem do Ano: Silvana ( atriz Lilian Cabral); Cantora: Ivete Sangalo; Ator Coadjuvante: Emilio Dantas; Atriz Coadjuvante: Débora Falabella; Comediante: Lucas Veloso; Ator Revelação: Jonathan Azevedo; Atriz Revelação: Carol Duarte; Ator Mirim: João Bravo e Jornalista: Sandra Annenberg.

A atriz Paolla Oliveira levou a melhor com a personagem Jeiza, de "A Força do Querer", e ganhou o "Troféu Domingão - Melhores do Ano", como Melhor Atriz. "Estou muito feliz de estar aqui pela novela. Vocês compraram uma mulher forte, cheia de opinião, diferente, e essa é a mulher que a gente quer ver na vida. Essa mulher é bom caráter sim, é guerreira sim. Que a mulher tenha força e voz sempre", declarou emocionada Paolla Oliveira.

Julio Andrade, de 'Sob Pressão', é o Ator de Série de 2017"Queria agradecer minha mulher, que segura uma base, vive sob pressão porque a gente tem o Joaquim, que a gente decidiu criar junto. Essa mulher não existe. Te amo, meu amor!" - Julio Andrade. Marjorie Estiano ganha o troféu Melhor Atriz de Série de 2017 "Esse projeto como um todo é tão especial... Dá tanto orgulho de falar de um lugar tão frágil do país" - Marjorie Estiano.

Ator Coadjuvante Emilio Dantas “Eu fiquei muito feliz porque era um prêmio que eu não tinha ainda. O coadjuvante talvez seja a imagem do trabalho em equipe", declara Emilio Dantas. Atriz Coadjuvante Débora Falabella "Estou me sentindo muito feliz e nem esperava. Nunca tinha feito (uma vilã). Com a Irene eu vi que as pessoas adoravam odiar a personagem", diz Débora.

Na Categoria Especial - Personagem do Ano: para SILVANA, interpretada pela fabulosa atriz Lilia Cabral. "Estou emocionada mesmo. Me dediquei muito a essa personagem porque tive uma responsabilidade muito grande. Queria agradecer também a toda a equipe do Papinha. Estou muito feliz!" diz Lilia Cabral. A Cantora Ivete Sangalo disse que não esperava receber o troféu. "Eu queria agradecer aos fãs, tenho 24 anos de carreira na companhia deles. Também queria dedicar esse prêmio à minha família e ao meu filho Marcelo, que será o irmão mais lindo e poderoso deste mundo", declara Ivete Sangalo.

Consumidor vai resgatar créditos de compra de medicamentos em 2018

Com o intuito de ajudar os segmentos mais necessitados, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, lançou nesta segunda-feira o programa Saúde Nota Legal. O incentivo do governo de Brasília vai estimular os consumidores a pedirem o CPF na nota fiscal e isso vai ajudar no combate à sonegação, melhorar a arrecadação tributária e aumentar a competitividade das empresas.

No chamado Nota Saúde Legal, a apuração do crédito será feita a cada 4 meses. O governo terá 60 dias para devolver o crédito. O limite de ressarcimento por consumidor será de 7,5%. Os créditos poderão ser resgatados para abatimento de impostos (IPTU ou IPVA) ou para depósito do dinheiro em conta corrente ou poupança. Para isso, é importante manter o cadastro do programa atualizado, em especial as informações bancárias. O saldo mínimo para resgate em conta — válido para quem não possui imóvel ou veículo vinculado ao CPF, é de R$ 25. Os créditos prescrevem após dois anos do lançamento.

O governador Rollemberg considerou a mudança um ato de justiça com os segmentos mais necessitados. “Isso significará a devolução de R$ 24 milhões [no primeiro ano do programa] para quem compra medicamentos. Beneficiará sobretudo a população mais idosa, que utiliza mais medicamentos”, disse o chefe do Executivo local.

Serão válidas para a contagem apenas notas fiscais eletrônicas ao consumidor (NFCe), e somente podem se beneficiar aqueles que não têm nenhum débito tributário com o governo local. O programa só aceitará documentos fiscais de medicamentos adquiridos em farmácias. Não são permitidas notas de distribuidoras. Nas compras, serão considerados somente os valores referentes aos medicamentos — que possuem um código de cadastro. Não contam produtos de higiene, alimentícios e de perfumaria, por exemplo.

O secretário de Fazenda, Wilson de Paula, disse que o avanço tecnológico é que permitirá um cronograma mais rápido de retorno dos créditos no caso dos remédios. Como só serão aceitas as notas fiscais eletrônicas ao consumidor (NFCe), o processamento é diferente. “É instantâneo. No momento que a pessoa adquire, nós já temos a nota”, explica o secretário.“Estamos buscando um Nota Legal mais justo. Quem mais gastava, mais recebia. Agora, ele está mais uniforme”, declara Wilson de Paula.

O senador José Reguffe defendeu a ideia durante a campanha de Rollemberg ao governo de Brasília em 2014. O parlamentar reconheceu a proposta como um avanço: “Ninguém compra remédio porque quer, é uma necessidade. Não é justo a população pagar impostos sobre remédios”, disse em defesa do fim da tributação.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 10/12/2017

Declaração Universal dos Direitos Humanos faz hoje 69 anos

O documento marco na história dos direitos humanos foi laborado por representantes de diferentes origens jurídicas e culturais de todas as regiões do mundo e proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, em 10 de dezembro de 1948, por meio da Resolução 217 A (III).

Desde sua adoção, em 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos foi traduzida em mais de 500 idiomas e inspirou as constituições de muitos Estados e democracias recentes como uma norma comum a ser alcançada por todos os povos e nações. A DUDH protege os direitos humanos, proíbe a escravidão, a tortura e todas as formas de discriminação e violência. Também proíbe o tratamento desigual entre pessoas de diferentes etnias, entre homens e mulheres e garante a todos o direito à liberdade de expressão, de opinião e de pensamento.

O Dia Internacional dos Direitos Humanos traz a mensagem de que todos somos iguais na diferença. Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade.

Em comemoração ao aniversário de 69 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, vamos honrar a mensagem desse importante documento não só hoje mas sempre. Afirmar a igualdade de pessoas diferentes é o mais importante legado.

Tribunal Superior do Trabalho elege novo presidente

O ministro João Batista Brito Pereira foi eleito presidente do Tribunal Superior do Trabalho. A eleição foi realizada na última quinta-feira, dia 7, pelo Pleno do TST. Brito Pereira substituirá Ives Gandra Filho até 2020. A posse ocorrerá em sessão solene no dia 26 de fevereiro de 2018.

O novo presidente da Corte é pós-graduado em direito público e é professor de direito do trabalho e de direito processual do trabalho. O maranhense de Sucupira do Norte integra o TST desde maio de 2000 na vaga destinada ao Ministério Público do Trabalho. Desde 2004, o ministro preside a Quinta Turma do TST e ele já integrou o Conselho Superior da Justiça do Trabalho.Brito Pereira ocupou, entre 2014 e 2016, o cargo de corregedor-geral da Justiça do Trabalho.

Também foram eleitos o novo vice-presidente da Corte, ministro Renato de Lacerda Paiva, atual corregedor-geral da Justiça do Trabalho, e o novo corregedor-geral será o ministro Lelio Bentes Corrêa.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 09/12/2017

Cacto é o alimento do futuro, aposta FAO

A recomendação é do órgão das Nações Unidas dedicado à alimentação e à agricultura, depois de uma reunião em Roma, no dia 30 de novembro com especialistas. Eles concluíram que as opúncias, aqueles cactos típicos do continente americano, que têm uma carinha suculenta e são considerados pragas em outros países, têm potencial para resolver muitas crises de fome nas próximas décadas. Para a entidade não resta dúvidas: está na hora de incluirmos o cacto em nossas dietas.

Depois de publicar estudos relevantes que exaltaram as qualidades nutritivas de alimentos como mandioca e quinoa, a FAO agora aponta o cactus como um dos alimentos do futuro. A entidade diz que o cacto precisa ser considerado um ativo valioso para a alimentação humana, forragem para o gado bovino e fonte de água. Especialistas apontam que as folhas da planta estocam água e são capazes de fornecer até 180 toneladas de água por hectare, o suficiente para matar a sede de cinco vacas adultas. No anúncio, a FAO destaca sobretudo os benefícios do cacto em regiões de climas árido e seco, como uma forma de garantir segurança alimentar para populações em situação de vulnerabilidade.

Em publicação oficial a FAO destacou os benefícios da espécie opuntia, de origem mexicana e que no Brasil é bastante popular na região Nordeste sob o nome de palma. O texto destaca que a planta deve ser considerada um “bem valioso”, sobretudo para alimentação humana e pecuária em áreas secas."As mudanças climáticas e os crescentes riscos das secas são fortes razões para elevar o simplório cacto para o status de uma cultura essencial em muitas áreas", disse Hans Dreyer, diretor da Divisão de Produção e Proteção de Plantas da FAO.

Para ajudar na divulgação da produção e consumo do cacto, a FAO disponibiliza gratuitamente o livro Ecologia, Cultivo e Usos de Cactos. O livro sobre a planta foi atualizado e está disponível online gratuitamente. Além de conter dados genéticos e nutricionais importantes para começar um plantio sistemático e controlado do cacto, ele também dá dicas de culinária importantes para consumi-lo sem se espetar com os espinhos. A publicação ensina como cultivar a planta, com informações sobre recursos genéticos, preferências de solo e vulnerabilidade às pragas, e também dicas gastronômicas: há receitas tradicionais mexicanas e mais “gourmet” criadas na Itália.

O Brasil é um dos pontos de mais larga plantação de cactos do mundo - aqui, contudo, seu uso é quase exclusivo para a alimentação de gado. São mais de 500 mil hectares da planta. Entre as 300 espécies do gênero Opuntia, a mais cotada é a Opuntia ficus-indica, chamada popularmente de figueira-da-índia e comum em regiões semi-áridas como a caatinga brasileira e os desertos do México. Segundo relatos históricos, essa opúncia era um item essencial da economia asteca no período pré-colombiano, e já é utilizada intuitivamente como alimento de emergência para animais e seres humanos de vários países – inclusive a África do Sul, que não é habitat natural da espécie.

A planta que era vista no sul de Madagascar como sem serventia e que quase foi erradicada por ser nociva para a agricultura, curiosamente na época de uma intensa seca o cacto mostrou-se crucial para garantir a alimentação da população local e de seus animais. Isso aconteceu no começo de 2015 quando mais de 200 mil pessoas perderam suas plantações devido a uma seca no sul da ilha de Madagascar – e foram salvas pelos frutos do cacto. Por sua capacidade de crescer em solos secos, com poucos nutrientes, ele pode ser uma arma importante para combater a erosão , além de fornecer alimento imediatamente, colabora com o plantio futuro de outras espécies. “A mudança climática e o risco maior de secas são razões importantes para promover este cacto humilde ao status de um cultivo essencial em muitas áreas”, afirmou Hans Dreyer, diretor da divisão de produção de plantas da FAO.

No México e no sul dos EUA, os ramos jovens – mais gordinhos e ainda sem espinhos – são uma iguaria há muito tempo. Há quem prefira comê-los depois de adultos, mas aí é mais fácil de se espetar. Eles são chamados de nopalitos e são o principal ingrediente de várias receitas de salada. O consumo per capita de nopalitos é de 6,4 kg, e eles ocupam 3 milhões de hectares. Outra opção é comer seus frutos. Além de água e sais minerais, a vitamina C e o magnésio são seus principais destaques. Em situações de seca extrema, a oportunidade de se manter hidratado pode fazer a diferença. Em alguns países do Mediterrâneo, o cacto serve até para fazer licor.

No Brasil o fruto do cacto do gênero Opuntia é pouco conhecido. Em 2009, uma pizzaria da Chapada Diamantina foi destaque na imprensa após criar uma receita que inclui requeijão, bacon e palma – nome dado às opúncias em vários estados do Nordeste, onde são razoavelmente fáceis de encontrar , tanto como recurso de emergência nas secas quanto na preparação de pratos locais. Segundo a ONU, o Brasil já tem 500 mil hectares de plantação de palma, muitos dedicados à alimentação do gado.

A pitaya é uma fruta que vem tomando espaço e conquistando novos mercados principalmente no Rio Grande do Sul. A pitaya é uma espécie de cactus, nativa da América Central, Chile e Vietnan que se adaptou bem na região sul do país. A fruta chama a atenção pela beleza, sabor e pelo alto poder nutritivo. Fruta tem muitas variedades e é rica em minerais. Por causa da casca grossa e espinhosa, a pitaya também é conhecida como fruta dragão.

O pé de pitaya é na realidade um cacto grande com cerca de 3 metros de altura que produz grandes frutos avermelhados, amarelados ou rosados. Eles são mais encontrados em zonas tropicais por preferirem temperaturas mais elevadas. Porém, podem ser cultivados em praticamente qualquer lugar, e até em vasos. Coloque de três a quatro xícaras de pedras ou saibro no fundo do vaso para auxiliar a drenagem da água, e depois encha o vaso até 3/4 de sua capacidade com terra.

De fácil manejo e com mercado aberto é uma ótima opção para os agricultores familiares.

PSDB elege Alckmin e Aécio é vaiado em Brasília

Quem iria imaginar que o todo poderoso senador Aécio Neves, presidente do PSDB nas eleições sai da convençãonacional do partido sob vaias e pela porta dos fundos. Isso aconteceu hoje em Brasília. E mais: disputa entre grupos opostos dentro do diretório tucano no Distrito Federal para as eleições de 2018 chegou às vias de fato.

Além dos empurrões, sobraram gritos. De um lado, “Izalci governador”. Do outro, “Izalci ditador”. Tudo isso enquanto o senador Tasso Jereissati, do PSDB/CE, ex-presidente interino do partido, tentava prosseguir com seu discurso pedindo respeito. “Não faz parte desse momento de união e irmandade uma briga como essa”, argumentou o cearense.

O presidente de honra do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, elogiou o presidente eleito do partido, o governador Geraldo Alckmin. “Precisamos de candidatos que sejam simples, diretos. Geraldo é simples, conheço há décadas, nunca mudou. É um ser humano. Precisamos de gente assim”, declarou. O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso disse que se não fosse os seus 86 anos disputaria as eleições de 2018 e venceria Lula pela terceira vez, em referência as suas duas vitórias em 1994 e 1998. “Eu prefiro combatê-lo na urna a vê-lo na cadeia”, disse o tucano.

Como já era esperado, Alckmin fez duras críticas a Lula e ao PT. “Vejam que audácia dessa turma. Depois de quebrar o Brasil, Lula quer voltar à cena do crime”, disse, numa sequência de frases calculadíssimas pelos novos estrategistas da futura campanha do PSDB à presidência da República, como “a ilha da fantasia petista”, “acabou o pesadelo” e o já adotado bordão que seguramente pontuará suas falas: “As urnas os condenarão”. O estilo pacato e educado do governador de São Paulo, deu lugar a um discurso agressivo do agora comandante da legenda.

A eleição realizada nesta manhã, no Brasil 21,terminou por volta das 13h com 470 votos “sim”, três “não” e uma abstenção. Na nova composição o governador de Goiás, Marconi Perillo, foi escolhido como primeiro vice-presidente e Ricardo Tripoli como segundo vice-presidente. Também fazem parte do novo diretório nacional, os vices Paulo Bauer, Flexa Ribeiro, Beto Richa, Shéridan Oliveira e Aloysio Nunes. Aécio Neves (PSDB-MG), presidente licenciado do PSDB, o atual presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, a ministra dos Direitos Humanos do governo, Luislinda Valois, e o senador José Serra (PSDB-SP ficaram de fora da nova composição.

Dirigentes do PSDB do Rio de Janeiro reclamaram na manhã deste sábado (9) de a votação numa chapa única para o diretório nacional da legenda estar aberta sem que se saiba quais serão os componentes da cúpula partidária.

Piquet e Barrichello na Stock Car 2018

O ex-piloto de Fórmula 1 e primeiro campeão da Fórmula E, Nelsinho Piquet, assinou contrato para defender a Full Time Sports por uma temporada, fazendo dupla com Rubens Barrichello.O anúncio oficial foi feito neste sábado, em Intergalos, palco da última etapa do campeonato deste ano.

Nelsinho já competiu em corridas de duplas em 2014 e nas temporadas seguintes, como convidado. Antes disso, teve experiência em carros de turismo na Nascar, além de competir no Rallycross. Nelsinho vai competir na categoria brasileira ao mesmo tempo em que seguirá na Jaguar na Fórmula E, a categoria de carros elétricos da Federação Internacional de Automobilismo, FIA. “Fico feliz em anunciar que vou correr a temporada 2018 da Stock Car pela Full Time Sports”, declarou o piloto de 32 anos, filho do tricampeão mundial de F1 Nelson Piquet.

Nelsinho começou a se destacar no cenário mundial do automobilismo em 2004, ao se sagrar campeã da F3 Inglesa. Na temporada seguinte, estreou na GP2, que costuma dar acesso à Fórmula 1. Em 2006, foi vice-campeão. No ano seguinte, começou sua curta trajetória na F-1, ao ser piloto reserva da Renault. Em 2008 e 2009, foi titular e parceiro do espanhol Fernando Alonso, tendo como melhor resultado um segundo lugar no GP da Alemanha de 2008.

O piloto brasileiro Felipe Massa foi eleito presidente da Comissão Internacional de Kart na manhã de ontem. Com o atual posto, o automobilista passa a ter direito a uma cadeira no Conselho Mundial da FIA. O atleta havia sido indicado pela CBA para concorrer a um posto no órgão. Mais uma do Brasil mundo afora!

 
Coluna Bernadete Alves - dia 08/12/2017

Correio e Metrópoles ganham Prêmio CNT de Jornalismo 2017

A Confederação Nacional do Transporte premiou os vencedores da edição 2017 em uma linda e prestigiada festa no Centro Internacional de Convenções do Brasil com a apresentação do show Cabaré, de Leonardo e Eduardo Costa. Em 2017 foram inscritos 284 trabalhos. As reportagens foram avaliadas de acordo com a relevância para o setor de transporte, para o transportador e para a sociedade. Também foram consideradas a qualidade editorial, a criatividade, a originalidade e a atualidade dos conteúdos. A premiação é uma das mais tradicionais e conceituadas condecorações da imprensa brasileira.

Os trabalhos vencedores da 24ª edição cforam: GRANDE PRÊMIO“O Rio sem entrega”, Jornal Extra - Luã Marinatto e equipe; IMPRESSO “Perigo nos rios”,O Estado de S. Paulo - Karla Mendes; INTERNET “Transbrasil, um embarque para o crime nas rodovias brasileiras”, Metrópoles – Mirelle Pinheiro, Suzano Almeida e equipe; TELEVISÃO Série “Nos caminhos da Transnordestina”, TV Globo Recife - Bruno Grubertt e equipe; FOTOGRAFIA “Fora de controle”, do Jornal O Globo - Guilherme Pinto; RÁDIO Série “Estrada de risco”, CBN São Paulo - Guilherme Balza e equipe; e MEIO AMBIENTE E TRANSPORTE “Ciclovias em busca de uma cidade”, Correio Braziliense - Natália Lambert, Leonardo Cavalcanti e equipe.

Clésio Andrade, presidente da CNT, disse que o Prêmio de Jornalismo estimula a evolução do setor de transporte, ao apontar problemas e soluções para situações das áreas de cargas e de passageiros, em todos os modais. “No próximo ano, o Prêmio chegará à 25ª edição. Queremos continuar incentivando a produção de conteúdo de qualidade em relação ao transporte, um setor tão importante para o desenvolvimento do Brasil e para a qualidade de vida das pessoas. Esse é um dos prêmios de jornalismo mais antigos e respeitados do Brasil”, afirmou Clésio.

O vencedor do Grande Prêmio ganhou R$ 60 mil e os vencedores de cada categoria recebeu R$ 35 mil. Os jurados de 2017 foram: Cristiano Romero, editor-executivo do Valor Econômico; Silvia Salek, diretora de redação da BBC Brasil em Londres; Dimmi Amora, editor-executivo da Agência Infra; Helcio Zolini, diretor de conteúdo digital e institucional da Record Minas TV; e pelo pesquisador de infraestrutura do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), Carlos Campos Neto.

O Grande Prêmio de 2017 foi novamente do jornal Extra, do Rio de Janeiro. Com a série “O Rio sem entrega”. Os repórteres Luãn Marinatto,Polyanna Brêttas, Marcos Nunes e Guilherme Pinto, mostram que esse tipo de violência se tornou um dos principais crimes cometidos no Estado fluminense. Foram dois meses de apuração e cem viagens nos ramais de trens urbanos que revelaram, por exemplo, que os ambulantes vendem, dentro do transporte público, as cargas roubadas de caminhões.

“O mérito da reportagem foi mostrar que o crime organizado no Rio de Janeiro chegou a um estágio de sofisticação que consegue roubar e disponibilizar essas mercadorias em um tempo que nem as empresas legais especializadas em entrega conseguem. Isso mostra o grau de articulação desses bandidos e, certamente, a contaminação estatal por esse tipo de crime, porque não seria possível tamanha agilidade se não houvesse conivência de parte do aparelho público”,disse Octavio Guedes, diretor de redação do EXTRA.

O roubo de cargas, um dos problemas mais graves enfrentados pelo setor atualmente, foi o tema abordado em três dos sete trabalhos vencedores do 24º Prêmio CNT de Jornalismo. Na categoria Impresso, a vencedora é a jornalista Karla Mendes, com a publicação, no jornal O Estado de S.Paulo, de outra série sobre roubo de cargas. A reportagem “Perigo nos rios” aborda a violência na região amazônica, com ataques de piratas às barcaças que transportam, especialmente, combustíveis. O prejuízo para o setor de transporte fluvial na região Norte chega a pelo menos R$ 100 milhões por ano. O jornalista Guilherme Pinto, do Jornal O Globo, venceu a categoria Fotografia, com o trabalho “Fora de controle”. A imagem mostra um caminhão roubado e incendiado por ordem de traficantes no Rio de Janeiro. Logo depois, a carga foi saqueada por uma multidão.

A falta de segurança, que pode causar acidentes, foi abordada pelos vencedores de outras duas categorias. O portal Metrópoles, de Brasília, venceu na categoria Internet com a matéria “Transbrasil, um embarque para o crime nas rodovias brasileiras”, de Mirelle Pinheiro e equipe. O especial envolveu uma equipe de 17 profissionais, entre fotografia, arte, vídeo, edição, tecnologia e revisão. Os repórteres relatam como funciona o esquema de obtenção de autorizações para circulação de ônibus que não oferecem segurança aos passageiros, entre outros problemas.Foram percorridos mais de 10 mil quilômetros para revelar como agiam os bandidos. “O prêmio CNT é a coroação de uma boa pauta, trazida pela Mirelle Pinheiro, e o trabalho de uma equipe. É muito bom quando temos pessoas e um veículo que acreditam na reportagem”, pontuou Suzano Almeida.

Na reportagem “Estrada de risco”, da CBN São Paulo, vencedora da categoria Rádio, Guilherme Balza e equipe abordam as controvérsias sobre a eficácia do exame toxicológico de motoristas profissionais para o controle do consumo de drogas. A reportagem traz também casos de corrupção envolvendo autoescolas.

A falta de infraestrutura no setor transportador é o tema da reportagem “Nos caminhos da Transnordestina”, vencedora da categoria Televisão. Bruno Grubertt e equipe, da TV Globo Recife, mostram que as promessas de melhorar a infraestrutura de transporte e incrementar a logística no Nordeste do país esbarram na burocracia.

E na categoria Meio Ambiente e Transporte, Natália Lambert, Leonardo Cavalcanti e equipe do Correio Braziliense, mostram que Brasília não oferece boa distribuição de ciclovias apesar das vias largas e espaço territorial e aponta que a substituição de parte dos carros por bicicletas poderia ajudar na redução das emissões, na melhoria da qualidade do ar e da saúde da população. “O prêmio é resultado do trabalho e da confiança de uma equipe. Temos orgulho de saber que o Correio Braziliense sempre valorizou isso”, declarou Leonardo Cavalcanti, Editor de Política e Brasil.

Zoológico de Brasília ganha plano de acessibilidade

Com o objetivo de tornar a rota do Zoológico de Brasília acessível a qualquer visitante e que todos possam circular entre os recintos sem obstáculos, a fundação passa a contar com um plano de acessibilidade feito pela Agência de Fiscalização do DF. O plano foi assinado pelo secretário do Meio Ambiente, Igor Tokarski, pela diretora-presidente da Agefis, Bruna Pinheiro e pelo diretor-presidente da fundação, Gerson Norberto.

O secretário do Meio Ambiente, Igor Tokarski, disse que é fã do trabalho realizado no Jardim Zoológico de Brasília principalmente com os cuidados para a reabilitação dos animais e sua devolução à natureza. Igor lembrou que a fundação é referência para cuidar de filhotes por ter estrutura e condições técnicas adequadas. O secretário disse que nesses 60 anos o Zoo sempre tratou com respeito as pessoas com necessidades especiais, crianças e idosos. A primeira carta de serviços em braile do DF é um exemplo de respeito. “O Plano de Acessibilidade é um salto civilizatório para o zoo, que integra a história da nossa cidade”, declarou Igor Tokarski.

Para fazer o diagnóstico completo do espaço — inclusive a área externa por onde o público chega —, a agência fez cinco visitas técnicas. Além do alargamento de calçadas, o documento aponta a necessidade de retirar barreiras, de instalar rampas e de suavizar inclinações nas que já existem. A interligação das áreas do zoo e a continuidade das calçadas também são pontos a serem melhorados no local, de acordo com o plano.

Gerson Norberto diretor-presidente da Fundação Zoológico disse que as adaptações e as obras necessárias serão feitas em várias frentes. “O que for possível deverá ser feito com equipes do próprio zoológico. Para as demais, será preciso fazer parcerias ou contratar”. Uma das metas do zoo, com o plano de acessibilidade, é instalar piso tátil. “Queremos que qualquer visitante, deficiente visual ou idoso, por exemplo, chegue à portaria e vá até o último recinto com toda a segurança”, planeja Norberto.

Isso inclui projetos futuros para que haja paradas e transporte interno sustentável na área interna. “Por conta do nosso conhecimento na área, já colocamos [no plano] as soluções mais baratas, práticas e viáveis para criar uma rota totalmente acessível”, explica a diretora-presidente da Agefis, Bruna Pinheiro. Sandro Farias, responsável pelo plano e auditor da Diretoria de Acessibilidade da Agefis, disse que a acessibilidade na área externa também foi considerada no documento. “Isso influencia muito, pois tem linhas de ônibus que chegam aqui. Por isso, também avaliamos o trajeto das paradas até a portaria de acesso”.

Visitar o Zoológico está mais fácil. Além das linhas tradicionais que passam pelo local, o zoo ganhou uma linha exclusiva de ônibus integrada ao metrô. Nos fins de semana e nos feriados de dezembro, os visitantes poderão usar o Bilhete Único para ir da Estação Asa Sul ao parque e terão direito à meia-entrada, de R$ 5.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 07/12/2017

Lei Orgânica da Cultura é sancionada por Rollemberg

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, acompanhado da esposa, Márcia Rollemberg, e do secretário de Cultura, Guilherme Reis, sancionou hoje a Lei Orgânica da Cultura (LOC). A Cerimônia também marcou a reabertura do foyer da sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro e do lançamento da sétima edição do Prêmio José Aparecido de Oliveira, destinado a reconhecer trabalhos de relevância para a preservação e valorização do patrimônio cultural brasiliense.

Elaborado pelo Executivo em parceria com a sociedade, o texto atende a uma demanda histórica da categoria de entes e agentes culturais. A LOC estabelece o Plano de Cultura para o DF, com diretrizes e ações para os próximos dez anos. Entre os avanços da norma está a instituição do Sistema de Arte e Cultura do Distrito Federal, ferramenta que será coordenada pela Secretaria de Cultura e outras unidades de governo para criar mecanismos de gestão e descentralizar as ações e os recursos do setor.

“Nós temos agora o instrumento de política cultural mais avançado do Brasil e estamos, com isso, cumprindo uma missão de Brasília, que é de ser vanguarda. Trata-se de um instrumento que não é política de governo, mas de Estado, construído em parceria com a sociedade civil”, discursou Rollemberg. O secretário de Cultura, Guilherme Reis, disse que a “lei orgânica simplifica, desburocratiza e uniformiza a legislação da cultura”.

Na data em que se comemora os 30 anos de Brasília como Patrimônio Cultural da Humanidade, foi reaberto o foyer da sala Villa-Lobos. O foyer da sala Villa-Lobos do Teatro Nacional recebeu hidrante extra, sinalização de incêndio e divisórias para isolamento das entradas das salas do teatro. Além disso, foi feita a troca dos vidros quebrados. As intervenções custaram R$ 41,5 mil, pagos pela Secretaria de Cultura.Inicialmente o local funcionará apenas para visitação turística. A partir de 2018, receberá as diretrizes para ocupação cultural. Poderá, então, abrigar mostras, saraus e lançamentos de livros, entre outros eventos.

Na gestão de José Aparecido de Oliveira, em 1987, a área central de Brasília foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan). No mesmo ano, Brasília ganhou o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, conferido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Isabel de Freitas Paula, oficial de projetos do Setor de Cultura da Unesco, relembrou a honraria. “É uma grande satisfação para nós a preocupação e todas as medidas que estão sendo tomadas, e todo o esforço para garantir as características originais que deram o título de patrimônio mundial a Brasília.”

O governador informou que no início do ano que vem, será entregue o Centro Cultural de Dança e o Espaço Cultural Renato Russo. “Ainda no primeiro semestre, os Complexos Culturais de Samambaia e de Planaltina e, até o fim do ano, o Museu de Arte de Brasília”, disse Rollemberg.

OAB/DF lança documentário “Direito à Memória”

A Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Distrito Federal, foi palco do lançamento do documentário “Direito à Memória”, na noite do dia 05, que relata a atuação dos advogados durante o período de ditadura militar e as experiências vividas pelos jornalistas que foram presos e torturados. “Direito à Memória”, com duração de 50 minutos, é um congregado de imagens e entrevistas gravadas entre 2013 e 2015 e editadas em 2017.

O presidente da Comissão da Memória da Verdade, Alisson Rafael Sousa Lopes, diz que a ideia inicial era fazer um livro mas que optaram pelo filme porque permite fazer um resgate melhor sobre o que a ditadura tentou apagar. “Pensamos em passar este documentário nas escolas, por isso 50 minutos. É um tempo bom, tem o formato de passar em uma aula”, contou.

A advogada pioneira Herilda Balduino, responsável por este resgate histórico, declarou que o filme apresentou relatos dos advogados atuantes durante o período e depoimentos de ex-alunos da Universidade de Brasília. Além disso, jornalistas que foram presos e torturados também contaram suas experiências.

O jornalista Jarbas Silva Marques, que também participou da montagem do documentário, conta que um dos maiores desafios do projeto foram a agenda e a idade dos entrevistados, uma vez que alguns, inclusive, até já morreram. “Participar desse resgate histórico foi uma grande honra, principalmente por já ter trabalhado na OAB/DF e ter sido editor-chefe da Ordem”.

A médica Maria José Conceição Maninha, ex-deputada distrital, foi uma das entrevistadas no documentário. Maninha conta que na época da ditadura militar as torturas e as prisões eram constantes. “Naquela época várias pessoas sofreram muitas violências, eu mesma tive um aborto espontâneo causado por stress. Poder compartilhar com essas histórias da nossa vida e o nosso combate na época da ditadura é algo que conforta”, declarou.

O membro honorário vitalício da OAB, Cézar Britto, ex-presidente da OAB Nacional disse que “deve-se proporcionar o acesso à nossa história para aprender com os erros do passado e não os repeti-los novamente”. Participaram do lançamento do documentário os membros da Comissão da Memória e da Verdade da OAB/DF, Toninho, dirigente do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL; José Geraldo, advogado e ex-reitor da Universidade de Brasília; Vitor Neiva, advogado; Hélio Doyle, jornalista e Lucas Rafael, vídeo artista.

Este trabalho é muito importante para mostrar para as novas gerações o passado conturbado de injustiças e violações de Direitos Humanos.

Cristiano Ronaldo ganha sua 5ª Bola de Ouro da France Football

O atacante do Real Madrid, Cristiano Ronaldo, conquistou hoje a Bola de Ouro de 2017, distribuído pela revista France Football, em uma cerimônia pomposa na Torre Eiffel na Capital francesa, apresentada pelo ex-jogador da França David Ginola. Com o troféu desta edição, o atacante da seleção portuguesa empata em cinco conquistas com o argentino Lionel Messi.

CR7 ganhou a Bola de Ouro pela primeira vez em 2008. Depois em 2013, 2014, 2016 e agora neste ano. A vitória do craque do Real Madrid permitiu a Portugal tornar-se o país que mais vezes (sete) alcançou o prêmio atribuído pela 'France Football' que distingue o melhor futebolista do Mundo. Eusébio recebeu em 1965, Luís Figo no ano 2000 e cristiano Ronaldo com cinco. Portugal está agora ao lado da Alemanha e Holanda, ambas com sete Bolas de Ouro.

"Sinto-me feliz, é um grande momento na minha carreira. Desejo a cada ano, e depois de ganhar a Liga dos Campeões e o Campeonato Espanhol com o Real Madrid, tenho que agradecer meus companheiros de clube. O Madrid tem sido muito importante para mim”, declarou o craque. A temporada 2016/17 foi recheada de títulos para Cristiano Ronaldo. Com a camisa do Real Madrid, o português foi campeão do Mundial de Clubes (2016), da Liga dos Campeões e do Campeonato Espanhol.Cristiano Ronaldo já havia conquistado o prêmio de melhor jogador da UEFA na Europa e o melhor jogador da Fifa.

Segundo a premiação da France Football, os dez melhores jogadores do mundo em 2017 são: 1) Cristiano Ronaldo (Real Madrid/Portugal); 2) Lionel Messi (Barcelona/Argentina); 3) Neymar (Paris Saint-Germain/Brasil); 4) Gianluigi Buffon (Juventus/Itália); 5) Luka Modric (Real Madrid/Croácia); 6) Sergio Ramos (Real Madrid/Espanha); 7) Kylian Mbappé (Paris Saint-Germain/França); 8) N'Golo Kanté (Chelsea/França); 9) Robert Lewandowski (Bayern de Munique/Polônia); e 10) Harry Kane (Tottenham/Inglaterra).

O atacante CR7, de 32 anos, foi escolhido no mês de novembro o melhor jogador pela Fifa. A premiação Bola de Ouro ocorreu pela primeira vez em 1956. Em 2010 fez parceria com a Fifa quando se tornou independente mais uma vez em 2015.

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, considerou que a quinta Bola de Ouro conquistada por Cristiano Ronaldo ilustra o legado construído por um "exemplo a seguir pelas gerações mais novas". "A sua dedicação, o seu esforço, o seu profissionalismo permitiram-lhe não só chegar ao topo, mas por lá ficar durante muitos anos", referiu Fernando Gomes.

Durante a cerimônia de premiação da Bola de Ouro, CR7 foi questionado pelo técnico de Portugal, Fernando Santos, sobre o que deseja de presente de Natal o Cristiano brincou: “outro filho”. O atacante português tem quatro filhos: Cristiano Ronaldo Jr., Eva Maria e Mateo são filhos do jogador com mães não reveladas e Alana Martina que nasceu no dia 12 de novembro deste ano. A mais nova herdeira é filha de Cristiano Ronaldo com a namorada Georgina Rodríguez. Cristiano recebeu um presente especial para Alana. Dolores Aveiro e as filhas Elma e Katia acompanharam Cristiano Ronaldo na gala da Bola de Ouro.

Para comemorar a conquista de Cristiano Ronaldo pela quinta Bola de Ouro, a Nike presenteou o craque com uma chuteira especial. Assim como o nome do prêmio, a nova chuteira de Cristiano Ronaldo traz detalhes em ouro ou dourado desde a sola até a parte superior do cabedal. CR7 está impresso na parte do calcanhar, assim como a frase Quinto Triunfo, escolhida em português justamente por ser o idioma do melhor do mundo.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 06/12/2017

Câmara entrega Medalha do Mérito Legislativo 2017

A medalha do Mérito Legislativo, entregue todos os anos desde 1983, agracia personalidades ou instituições que realizam ou realizaram algum serviço considerado relevante para a sociedade. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, fez a entrega da premiação durante sessão solene ocorrida no dia 22 de novembro, as 10h30, no Plenário Ulysses Guimarães. A solenidade de entrega da Medalha Mérito Legislativo Câmara dos Deputados - edição 2017 - foi uma das mais prestigiadas dos últimos anos. A execução do hino nacional ficou a cargo da Banda do 1º Batalhão de Polícia do Exército de Brasília.

Neste ano, foram 40 agraciados, dentre artistas, políticos, autoridades. A Medalha do Mérito Legislativo, criada em 1983, destina-se a distinguir e condecorar personalidades, autoridades, instituições ou entidades,campanhas, programas ou movimentos de cunho social, civil ou militar, nacionais ou estrangeiros, que tenham prestado serviços relevantes ao Poder Legislativo ou ao Brasil.O indicado pode ser cientista, político, ator, cantor, religioso,jornalista, enfim qualquer pessoa que em certo momento da história do País realizou trabalho que teve repercussão e recebeu a admiração do povo brasileiro.

“Hoje é o dia em que os papéis se invertem, e a Casa do Povo Brasileiro escolhe, dentre os membros da sociedade, aqueles que representam o ideal de cidadania, aqueles que, no âmbito de sua área de atuação, se destacaram pelo trabalho que ultrapassa o interesse pessoal e abraça a comunidade, a cidade, o estado, o País inteiro”, afirmou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

A deputada Mariana Carvalho, 2ª secretária da Mesa Diretora, destacou que os agraciados buscam um Brasil melhor, de mais igualdade.

Entre os agraciados, além do jornalista Gilberto Amaral, ícone do jornalismo em Brasília, a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia; o ministro-chefe da Secretaria de Segurança Institucional, o general Sérgio Westphalen Etchegoyen; a servidora aposentada da liderança do PT na Câmara, Lúcia Pedroso de Moraes, que durante 27 anos trabalhou para o partido; e Mark Zuckerberg, um dos fundadores do Facebook.

“Quando entrei na Câmara, o lugar onde eu sonhava trabalhar era justamente no plenário. E eu acabei chegando. Aqui fiz grande amigos, sejam funcionários ou deputados, e hoje estou honrada em ser homenageada junto com o ex-deputado Ricardo Zarattini. Antes dele ser deputado, foi um colega de trabalho excepcional e muito querido. Portanto, é uma honra dupla ser homenageada junto com ele”, declarou Lúcia Moraes.Foi homenageado in memoriam o ex-deputado Ricardo Zarattini Filho, pai do atual deputado Carlos Zarattini (PT-SP). “Meu pai sempre valorizou esta Casa, porque aqui o espaço da democracia, é o espaço do povo brasileiro”, disse o deputado. A premiação,foi recebida pela neta do ex-parlamentar Luna Zarattini.

“Meu pai, que foi funcionário da Câmara durante a Constituinte e deputado entre os anos de 2004 e 2005, sempre valorizou esta Casa como um espaço da democracia, da representação do povo brasileiro, de norte a sul do País. Ele sempre acreditou que aqui está representada a síntese do Brasil, de um país onde não há disputas territoriais ou religiosas, mas onde se pode avançar socialmente, como já avançamos nos últimos anos. Esses foram os ideais do meu pai. Ele estaria muito feliz com essa homenagem se estivesse vivo”.

A premiação acontece uma vez ao ano, normalmente nos meses de novembro ou dezembro. Todos os anos a data é definida pela Mesa Diretora da Câmara. A solenidade é realizada em sessão especial no Plenário Ulysses Guimarães e a entrega é feita pelo Presidente da Câmara e pelo Segundo Secretário da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. Cada líder partidário pode indicar uma personalidade para ser agraciado com a Medalha. Membros da Mesa Diretora da Câmara podem indicar dois homenageados. O Presidente da Câmara também pode fazer indicações. Quando a homenagem for post mortem a medalha será entregue ao cônjuge, familiar ou pessoa devidamente designada pela família. As indicações são feitas até o dia 30 de agosto de cada ano.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 05/12/2017

Vencedores do Prêmio Nacional de Educação Fiscal 2017

Prêmio Nacional de Educação Fiscal

O Estádio Nacional de Brasília foi palco da entrega do Prêmio Nacional de Educação Fiscal 2017, o Oscar da área tributária nacional, para instituições, escolas e imprensa. A premiação é uma iniciativa da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite), em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf) e com o Programa Nacional de Educação Fiscal (Pnef). Nesta edição de 2017 do prêmio recebeu mais de 160 projetos de 16 Estados e do Distrito Federal.

Prêmio Nacional de Educação Fiscal

Estavam presentes aqui em Brasília, representantes dos doze finalistas das categorias Escolas, Instituições e Imprensa, autoridades dos fiscos estaduais e nacional, integrantes do Grupo Nacional de Educação Fiscal (GEF) e demais cidadãos que têm vinculação com o tema, além dos patrocinadores e apoiadores que viabilizaram a sexta edição do evento. O prêmio valoriza e reconhece anualmente as melhores práticas que atuam com a temática da função social dos tributos e sua correta aplicação em benefício de todos. Os doze finalistas receberam Certificado de Participação.

Prêmio Nacional de Educação Fiscal

Os campeões da Educação Fiscal 2017 na Categoria Escola foram: Em primeiro lugar a Escola Municipal Filomena de Oliveira Leite, de Curvelo, Minas Gerais, com o projeto ‘Disseminadores mirins – construindo a cidadania’.O projeto envolveu mais de 250 estudantes que trabalharam com os temas: ética, cidadania, honestidade, transparência e responsabilidade fiscal. Eles visitaram a Câmara de Vereadores e a Prefeitura Municipal, onde conheceram como são investidos os impostos e, na oportunidade, entregaram uma lista de sugestões para a melhoria do bairro onde funciona a escola.

Em segundo lugar, ficou a Escola Cidadã Integral Técnica de Cajazeiras Professora Nicéa Claudino Pinheiro,de Cajazeiras, na Paraíba, com o projeto ‘Educação Fiscal – sua nota vale conhecimento’. O projeto incentiva a construção da cidadania de forma ética e social. “A ideia é estimular nos estudantes à consciência sobre a gestão de suas finanças pessoais e o uso responsável e sustentável do dinheiro, que deve ser aplicado sempre com cidadania e empreendedorismo, levando em consideração aspectos éticos e ambientais.

Prêmio Nacional de Educação FiscalPrêmio Nacional de Educação Fiscal

E a Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental Professora Rosilda Wanghon, de Santarém, Pará, conseguiu a terceira colocação com o projeto ‘Cidadão Nota 10 – Um instrumento para a prática da cidadania’. O professor Manoel Sousa trabalhou com seus alunos conceitos como o funcionamento do Estado, os tributos e suas funções sociais, a responsabilidade fiscal e o orçamento público.

Na Categoria ‘Instituições’, a Universidade Estadual de Goiás (UEG), conquistou o primeiro lugar com o projeto ‘Educação Fiscal – Um caminho para a coesão fiscal’. Com a organização de professores e estudantes do curso de Ciências Contábeis do Campus de Aparecida de Goiânia, o projeto integra a comunidade universitária, alunos do ensino fundamental e médio do município e servidores públicos. Além das aulas, o projeto também contempla a realização de seminários, vídeos, esquetes teatrais e formação de Grupo de Educação Fiscal Municipal. O projeto de educação fiscal teve início na UEG em 2015, sob a coordenação a professora Flávia Aline, falecida neste ano. O recurso do prêmio, no valor de R$ 10 mil reais, será usado para o desenvolvimento do projeto.

Em segundo lugar, com prêmio em dinheiro de R$ 5 mil reais, foi agraciada a Prefeitura do Município de Estação, no Rio Grande do Sul. A comunidade de Estação já convive com educação fiscal há três anos. A Prefeitura Municipal mantém um programa permanente que oferece para a população informações simplificadas sobre a origem e o destino dos recursos públicos. O objetivo é contribuir para a formação do cidadão. Vários trabalhos foram realizados pelas escolas municipais. O projeto influencia as novas gerações e forma protagonistas para uma sociedade que passa a combater a sonegação fiscal e a fiscalizar a aplicação dos recursos públicos. Para a coordenadora do Projeto Educação em Estação, Profª. Caroline Tonin Cadorin, “é um privilégio para o município estar entre os finalistas, isto mostra que o trabalho desenvolvido pelo projeto de educação fiscal está no caminho certo, contribuindo para a consciência fiscal cidadã. É preciso plantar a semente da educação para colher os frutos da cidadania."

O Prêmio Nacional de Educação Fiscal existe desde 2010. Esta foi a primeira vez que Maringá ficou entre os três primeiros municípios, na etapa nacional.

O vencedor da Categoria ‘Imprensa’ foi o jornalista Danilo Alves, com a reportagem ‘A alta taxa de impostos não é percebida por muitos, veiculada pela TV Cabo Branco, afiliada da TV Globo na Paraíba. A Reportagem mostrou como os consumidores podem acompanhar a carga tributária nas notas fiscais. O repórter visitou um supermercado e conversou sobre a importância dos tributos com a população e com especialistas. Danilo recebeu o troféu e um prêmio em dinheiro no valor de 2 mil reais.

Prêmio Nacional de Educação Fiscal conta como o patrocínio do Banco de Brasília – BRB e o apoio das 27 associações filiadas à Febrafite; da Receita Federal do Brasil; do Centro Interamericano de Administração Tributária (Ciat); do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); do Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais (Encat); do Sindifisco Nacional; da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp); do Conselho Federal da Ordem dos Advogados (OAB); da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip); da Federação Nacional de Auditores e Fiscais de Tributos Municipais (Fenafim); do Fórum Nacional de Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate); do Grupo Globo; do Correio Braziliense e do site Congresso em Foco.

Lirando de Azevedo Jacundá, coordenador-geral do prêmio, disse que mudanças de hábito têm de ser incorporadas à vida do brasileiro e que era um orgulho promover os talentos das melhores práticas em educação fiscal no País. “Só através da educação, inclusive a fiscal, se transforma um país. Estamos plantando sementes para as próximas gerações”, declarou o primeiro vice-presidente da Febrafite.

O presidente da Febrafite, Roberto Kupski, disse que a Febrafite acredita no poder transformador da educação fiscal como caminho para a justiça social e fiscal. Kupski falou que a educação fiscal é ferramenta fundamental para o momento crítico que o país atravessa. Lembrou da importância social dos tributos e sua correta aplicação na gestão pública. “A educação fiscal é também o caminho para tirarmos da mídia as notícias sobre desperdício de dinheiro público e corrupção”, opinou.

“Todos os cidadãos precisam estar cada vez mais aptos a compreender os orçamentos públicos, como são geridos os recursos que ele pagou através dos impostos e como são aplicados. É nesse viés que nasceu o Prêmio Nacional de Educação Fiscal, realizado por instituições como a Febrafite e órgãos governamentais, que acreditam no poder transformador dos tributos. Felizmente o Brasil tem dado passos importantes nessa direção, como a inclusão da educação fiscal na Base Nacional Comum curricular, como tema transversal na educação básica. Experiências de sucesso serão conhecidas logo mais à noite na sexta edição da premiação, em Brasília, festa que contará com a presença de representantes de escolas, prefeituras municipais, universidades, que possuem uma compreensão diferente da história, do seu papel na sociedade e, por essa razão, mobilizam-se e contribuem para uma sociedade melhor, entre elas dois projetos gaúchos: uma escola de Santa Vitória do Palmar e a Prefeitura de Estação. Ano que vem tem mais. O Brasil agradece.

Cláudio Henrique Coutinho, diretor-geral adjunto da Esaf, disse que a educação fiscal está ligada à relação do cidadão com o Estado e a matéria está presente no DNA da escola fazendária. Falou da necessidade de melhorar o entendimento da sociedade sobre o financiamento do Estado, citando o filósofo alemão Kant: “É na educação que se assenta o grande segredo do aperfeiçoamento da humanidade”. Coutinho elogiou o compromisso institucional e pessoal de Roberto Kupski, em organizar o prêmio, afirmando que se trata de “um desejo honesto de fazer um Brasil melhor”.

Wilson de Paula, secretário de Estado de Fazenda do Distrito Federal, disse que o prêmio incentiva o exercício da cidadania. “O cidadão consciente das suas obrigações tributárias e dos seus direitos traz diversos ganhos. O papel da educação fiscal tem se dado nesse âmbito, de trazer essa luz sobre a importância de pagar o tributo e de cobrar os seus direitos”, declarou Wilson de Paula, um dos integrantes da Comissão Julgadora.

Prêmio Nacional de Educação Fiscal

Prestigiaram o evento a diretora de educação da Escola de Administração Fazendária (Esaf), Fabiana Baptistucci; o coordenador-geral de Atendimento e Educação Fiscal da Secretaria da Receita Federal, Antonio Henrique Lindemberg Baltazar; o superintendente de Governo do BRB, Márcio Hipólito de Azevedo; a diretora do Sindifisco Nacional, Maira Giannico; o diretor do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Daro Piffer; o presidente do Tribunal Administrativo de Recursos Fiscais (Tarf), José Hable; o coordenador-geral do Encontro Nacional dos Administradores Tributários Estaduais (Encat), Eudaldo Almeida; a conselheira da Embaixada da Espanha, Antoinette Musilek; a presidente e o vice da Federação Nacional dos Auditores Fiscais (Fenat), Lícia Soares e Rubens Roriz; o diretor da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), Celso Malhani; o conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal, Manoel Andrade; o subsecretário da Receita Estadual do Rio Grande do Sul, Mario Luis Wunderlich; o consultor do BID, José Tostes Neto; o prefeito de Santa Vitória do Palmar (RS), Wellington Bacelo; o vice-prefeito de Curvelo (MG), Marcos Dupim Mattoso; as vice-presidentes da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), Maria Aparecida Leme e Ilva Maria Franca; o diretor do Grupo Globo, Pedro França; o diretor do site Congresso em Foco, Sylvio Costa; a jornalista do Correio Braziliense, Hosana Hessel; dirigentes das associações de auditores fiscais de todas as regiões do Brasil, e familiares dos campeões da Educação Fiscal 2017.

Igor Tokarski assume Secretaria do Meio Ambiente

Secretário Igor TokarskiSecretário Igor Tokarski

O advogado Igor Danin Tokarski, 34 anos, foi nomeado hoje como o novo titular da Secretaria do Meio Ambiente no lugar de André Lima, indicado da Rede, partido que não faz mais parte da gestão Rollemberg.Tokarski deixa a Secretaria Adjunta de Relações Institucionais e Sociais e em seu lugar o governador Rodrigo Rollemberg nomeou Antonio Apolinário Rebelo Figueiredo. As novidades foram publicadas no Diário Oficial desta terça-feira.

“São desafios como este que nos alimentam a vontade de fazer mais por essa cidade que tanto acreditamos. Vamos ao trabalho”, declarou o novo titular do Meio Ambiente. O advogado formado pelo UniCeub é especialista em Relações Governamentais e está no GDF desde 2015. Ele foi administrador regional do Plano Piloto, da Candangolândia, do Cruzeiro, e do Sudoeste/Octogonal. Em todas as funções que assumiu contribuiu pelo desenvolvimento econômico sustentável do Distrito Federal.

Igor nasceu em Goiânia e mudou-se para Brasília ainda no primeiro mês de vida e desde cedo tornou-se um líder. Tolarski foi membro da Diretoria da Câmara de Desenvolvimento Lojista Jovem/DF - Gestão 2013-2014; membro da Câmara de Juventude do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Distrito Federal (2013 - 2014). No âmbito jurídico atuou em várias frentes desde 2009.

Foi membro da sociedade civil indicado pela CFOAB (2011-2013); membro da Comissão Copa 2014 da OAB/DF (2011-2012); membro da Comissão Especial de Acompanhamento Legislativo do Conselho Federal da OAB (2010 - 2014); Secretário-Geral da Comissão de Assuntos Institucionais da OAB (2010 - 2012); membro da Câmara Especial Recursal do Conselho Nacional do Meio Ambiente (2009 - 2013) e membro da Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos do Conselho Nacional do Meio Ambiente (2009 - 2011).

Dedicado no que faz e comprometimento com a gestão pública vai também deixar sua marca de seriedade e trabalho na Secretaria do Meio Ambiente.

“São desafios como este que nos alimentam a vontade de fazer mais por essa cidade que tanto acreditamos. Vamos ao trabalho”, declarou o novo titular do Meio Ambiente.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 04/12/2017

Itália promove Baile de Gala Beneficente em Brasília

A Embaixada da Itália em Brasília promoveu, na noite de sábado, baile de gala das embaixadas. Os ilustres convidados foram recebidos pelos anfitriões, o embaixador italiano Antonio Bernardini e sua esposa, Ornella ao som da orquestra de violinos Brasília Cello Academia. O evento beneficente de iniciativa do Grupo de Cônjuges de Chefes de Missão (GCCM), reuniu centenas de pessoas, entre estrangeiros e brasileiros.

Dentre os ilustres presentes estavam o presidente da República, Michel Temer e a primeira-dama, Marcela Temer; o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg e a primeira-dama, Márcia Rollemberg; o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia e a esposa Patricia; ministro Moreira Franco e a esposa Clara. Para evitar que os convidados chegassem perto do presidente Temer, mais de dez seguranças se colocaram ao redor da mesa dele. Apenas um garçom se dividia entre Temer e seus integrantes de governo.Temer e Marcela beberam apenas água.

Entre os elogias de "você está linda", a esposa de Michel Temer também ouviu: “aparece mais pra aumentar a popularidade do seu marido”. A primeira-dama Marcela Temer foi chamada para discursar sobre o evento beneficente, mas preferiu não se pronunciar. O presidente e a primeira-dama saíram da festa por volta das 23h.

O embaixador Antonio Bernardini e a embaixatriz Ornella estavam felizes em poder colaborar com causas tão nobres e pessoalmente agradeceram os que adquiriram o convite individual ao preço de R$ 500 e todos os envolvidos para o sucesso da noite de gala. O dinheiro arrecadado com a primeira edição do baile beneficente será revertido a diversas instituições sociais, como o Hospital do Câncer. O objetivo do GCCM é garantir a continuidade dos recursos destinados às instituições apoiadas pelo grupo.

A organização impecável foi da BRK Eventos, do empresário Rafael Justus.O município de Holambra (SP) doou as flores, a empresa Vox ofereceu a mobília e os arquitetos de Brasília George e Júlia Zardo ambientaram a festa. Joiás, pinturas, estadias em hotéis e cruzeiros pelo Rio Amazonas, foram alguns dos prêmios sorteados para os convidados. O brinde foi com espumante Évidence Salton da Serra Gaúcha, jantar completo da Sweet Cake, de Celso Jabour, com menu da culinária internacional. Bolos e bombons Bauducco e Ferrero Rocher e café de Antonello Monardo. A cenografia ficou a cargo da BRK Eventos, que ofereceu show de iluminação em prol de instituições como Abrace, Centro Socioeducativo Santo Aníbal Maria, creche São Francisco e Instituto Chamaeleon.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg e a primeira-dama, Márcia Rollemberg, estavam acompanhados do senador Fernando Collor, ex-presidente da República e a esposa Caroline; dos o ministros das Cidades Alexandre Baldy, de Minas e Energia Fernando Coelho Filho, da Justiça Torquato Jardim e do deputado Fernando Monteiro. Eles curtiram a apresentação da violonista Kathia Pinheiro que fez o solo de “As Quatro Estações”, de Vivaldi.

A orquestra Brapo festejou os 35 anos de carreira e a banda Yellow Band tocou sucessos de todas as gerações ao lado do DJ Rhomar. A cenografia ficou a cargo da BRK Eventos, que ofereceu show de iluminação em prol de instituições como Abrace, Centro Socioeducativo Santo Aníbal Maria, creche São Francisco e Instituto Chamaeleon.

O governador Rodrigo Rollemberg, disse que estava muito feliz com a parceria com o Corpo Diplomático, principalmente no projeto Embaixada de Portas Abertas, lançado em 2015, pela primeira-dama Márcia Rollemberg. “É uma honra participar deste evento que arrecadar fundos para entidades filantrópicas brasileiras por meio de grandes eventos como a Feira Internacional das Embaixadas e, agora, o Baile das Embaixadas, que reúne todos em prol da solidariedade, da amizade e do respeito entre os povos”, declarou Rollemberg.

Márcia Rollemberg, colaboradora do governo de Brasília, disse que as ações do GCCM merecem apoio e aplauso. “Este evento é muito significativo, pois demonstra o quanto podemos fazer pelo próximo quando há união”.

A presidente do GCCM, Miriam Fabiancic, casada com Niky Fabiancic representante-residente do Sistema das Nações Unidas no Brasil, disse que o Baile das Embaixadas superou as expectativas. “Agradeço a grande adesão e o apoio de todos. Espero que o Baile, assim como a Feira entre para o calendário anual de Brasília”.

Os convidados foram recepcionados com tapete vermelho, pelos salões da bela sede da Embaixada da Itália no Brasil. Em um cenário encantador, se divertiram e desfrutaram de uma comemoração grandiosa realizada em nome da causa maior: a solidariedade. Parabéns a todos que disseram sim à solidariedade.

alt

“A ineficiência é parceira da corrupção”, declara Raquel Dodge

A procuradora-geral do Ministério Público Federal, Raquel Dodge, participou hoje da abertura de evento pelo Dia Internacional de Combate à Corrupção, realizada pelo MPF e pelo Conselho Nacional do Ministério Público na sede da Procuradoria-Geral da República, em Brasília. Para a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, nos últimos anos o MPF tem enfrentado a corrupção com muita persistência. “O Mensalão e a Lava Jato são marcos exitosos desta empreitada.

Dodge falou que desde que tomou posse em 18 de setembro orientou sua equipe a fazer “trabalho silencioso” e que foi possível identificar as prioridades. “Identificamos ações penais que tinham condenações e pedi ao STF que as pautasse, e já fui atendida”. “A missão que nos foi entregue é dificil”, declarou Dodge. A procuradora-geral afirmou que o País viveu “séculos de apatia” sobre o tema. “A corrupção é um fato tão escandaloso que o sentimento de todos os brasileiros e do Ministério Público é de intolerância absoluta contra a corrupção”, afirmou.

Dodge falou sobre “desconfianças e dúvidas” que surgiram sobre seu compromisso a respeito da Lava Jato e afirmou que o combate à corrupção na sua gestão é “prioritário”. “A corrupção precisa cessar”, declarou. Para a procuradora-geral as desconfianças são “compatíveis com a história brasileira marcada por ondas de avanços e retrocessos no enfrentamento à corrupção”. Segundo ela a ineficiência é “parceira da corrupção”.

Raquel Dodge afirmou que o Ministério Público vai continuar a usar instrumentos como delação premiada, leniência, forças-tarefa e execução da pena após a segunda instância. “Continuaremos a agir firmemente contra a corrupção de verba públicas e da moral pública no País”, assegurou a procuradora-geral do MP.

O Secretário Nacional de Justiça, Rogério Galloro, disse que combater a corrupção é basilar na Polícia Federal, no Ministério da Justiça e que o Ministério Público Federal é um dos parceiros vitais. O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, José Robalinho Cavalcanti, diz que o combate à corrupção galvanizou o País nos últimos anos. “Já foi dito várias vezes, mas não custa repetir, que da corrupção advém uma educação pior, uma saúde pior, um estado mais fraco. O País exige de nós todos um trabalho permanente, diuturno, incansável de combate à corrupção”.

Os procuradores presentes no evento na sede da Procuradoria-Geral da República também criaram um comitê permanente e firmaram um termo de cooperação com o objetivo de prevenir e reprimir a corrupção eleitoral em 2018. Os membros dos ministérios públicos Eleitoral e de Contas se comprometeram a aprimorar a fiscalização de ilícitos eleitorais e atuar de forma estratégica para impedir a prática de crimes durante as eleições.

Julio Marcelo, presidente da Associação Nacional do Ministério Público de Contas, disse que é necessário aperfeiçoar o legislativo para aumentar a transparência e capacidade de investigação. “Em referência ao projeto encampado pelo MP conhecido como “10 medidas de combate à corrupção”, Julio afirmou que “as dez medidas não morreram, mas vão renascer em 2018. Precisamos saber que candidatos se comprometem com a agenda de combate à corrupção”.

Foram apresentados também os primeiros resultados da campanha #TodosJuntosContraCorrupção. Lançada em setembro deste ano pelo Comitê Permanente do Ministério Público, a iniciativa tem por objetivo fomentar as discussões sobre o combate à corrupção nos mais diversos ambientes, fazendo com que a sociedade reflita sobre o impacto desses atos no cotidiano.

Durante a solenidade foi lançado o Laço da Consciência Contra a Corrupção, para marcar o mês de Dezembro contra a Corrupção. Segundo o MPF, a ideia é que o adereço ressalte a luta contra a corrupção e lembre as pessoas que a mudança na cultura do país depende das atitudes de cada um e que idoneidade e honestidade devem ser praticados a todo instante. O Laço Branco lembra a importância do enfrentamento à corrupção em todas as esferas da sociedade.

 
Coluna Bernadete Alves - dia 03/12/2017

O sim de Tralli e Ticiane foi com choro e homenagem ao Corinthians

Sob uma chuva fina e frente fria, César Tralli, 46 anos e Ticiane Pinheiro, 41 anos, trocaram alianças em uma cerimônia tradicional e romântica, na noite de ontem, dia 02, no Hotel Vila Inglesa, em Campos do Jordão, São Paulo. O casal começou a namorar em 2014 e teve alguns momentos de separação. Reataram de vez em maio deste ano e no mês seguinte anunciaram o noivado. Tralli e Ticiane se casaram no civil, em segredo, no dia 11 de novembro. A apresentadora acrescentou o nome do marido e agora se chama Ticiane Andrea Mendes Pinheiro Tralli.

A emoção tomou conta da cerimônia católica realizada pelo Monsenhor Boanerges Bueno. O noivo entrou ao lado de sua mãe Edna Tralli ao som de Pela Luz dos Olhos Teus, de Tom Jobim. Ele estava sorridente, mas contido, mais ou menos como se apresentasse o SPTV mas logo se deixou levar pela emoção. Outro clássico da Bossa Nova embalou a entrada dos padrinhos, como a mãe da noiva, Helô Pinheiro, de cor de rosa, com a trilha sonora Garota de Ipanema, de Tom e Vinícius.

Ticiane foi conduzida ao altar pelo seu pai Fernando Pinheiro ao som de "Como é grande o meu amor por você", de Roberto Carlos. A noiva usou um vestido modelo branco clássico e elegante, da estilista Lethicia Broenstein. Ao ver a noiva Ticiane Pinheiro a caminho do altar, montado ao ar livre, no salão do hotel Vila Inglesa, em Campos do Jordão,César Tralli não conteve a emoção e recebeu Ticiane Pinheiro, aos prantos, perante os 250 convidados. As alianças foram levadas pela filha da apresentadora com o publicitário Roberto Justus, Rafa, ao som de Trem Bala, de Ana Vilela. O filho de Ana Hickmann, Alexandre, foi um dos pajens. Ana, presenteou noiva e demais madrinhas com um delicado colar de ouro e brilhantes.

Diante de Ticiane, que fez um voto sério e romântico, agradecendo ao jornalista por ter “acreditado” no amor do casal e “lutado” por ele, e dizendo que o casal amadureceu no hiato por que passou. Tralli prometeu que cuidaria dela e da “Biscoito”. O apelido é a forma como Tralli chama Rafa Justus, e como ela o chama. “Agradeço do fundo do coração por você também ter acreditado. Pode ter certeza de que vou cuidar muito bem de você. De você e da Biscoito. Eu te amo, Biscoito. Gosto até mais de você”, disse, brincando, antes de soltar um “Vai, Corinthians”.

Depois das trocas de promessas, os noivos saíram dançando ao som de "Do Seu Lado", música de Nando Reis.Cesar Tralli e Ticiane Pinheiro, e seus convidados foram comemorar mesmo com frio intenso ao cair da noite. E, como já se esperava, eles foram parar em cima do palco e se divertem com um clássico do sertanejo: “É O Amor”, de Zezé Di Camargo e Luciano. Depois dançaram funk “Cheguei”, juntando-se aos convidados para badalar. Tiago Abravanel comandou o show da noite.

A apresentadora Sabrina Sato foi quem pegou o buquê. Ela subiu no palco para revelar que Rafaella, filha de Ticiane, já tinha deixado ela tirar uma foto com as flores. Sabrina contente desfilou com o buquê pela festa e foi abraçar seu namorado Duda Nagle.

Entre os famosos que foram à festa estavam os jornalistas Rodrigo Bocardi, Márcio Canutto e Gloria Vanique e os apresentadores Ana Hickmann, Otávio Mesquista, Roberto Justus, Cesar Filho, Rodrigo Faro e Sabrina Sato.

As tops Isabella Fiorentino, Mariana Kupfer, Karina Bacchi, Ana Paula Siebert, Elaine Mickely, Carol Sampaio, Vera Viel, Fabiana Justus, Renata Alves e Sacha Chryzman.

Rodrigo Faro ao lado da esposa Vera Viel, destacou o clima intimista da festa. "Sou amigo da Tici e conheço o Cesar faz anos, os dois são queridos. A festa está ótima assim, para poucos convidados, tudo muito gostoso", afirmou.

Roberto Justus, ex-marido de Ticiane e pai de Rafaela, chegou ao hotel acompanhado da atual esposa, Ana Paula Siebert. "Minha relação com a Ticiane é madura e desejo tudo de melhor para os dois", declarou o apresentador de TV.

A lua de mel vai ser nas Ilhas Maldivas. “Nós só temos uma semana de férias, porque César volta para o jornal e eu para o “Hoje em Dia”. Vai ser corrida, mas vai dar para aproveitar”, declarou Ticiane. Felicidades aos queridos apresentadores de televisão.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 227
RocketTheme Joomla Templates